Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Renzo Piano

No description
by

Fabiana Tavares

on 11 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Renzo Piano

“Costumo dizer que um arquiteto deveria viver 200 anos. Precisa dos primeiros 100 anos para aprender. E precisa da outra metade para aplicar o que aprendeu. É uma disciplina difícil. Obriga a ser um pouco de construtor, um bom artista, um bom sociólogo e um bom historiador. Muitas coisas boas ao mesmo tempo!”
Renzo Piano
“Na minha arquitetura, tento usar elementos imateriais, como a transparência, a leveza e a cintilação da luz. Acredito que estes elementos fazem tanto parte da composição como as formas e os volumes”
Contribuição
teórica.
ASSUNTOS ABORDADOS
Principais
obras.
Crítica da equipe.
Bibliografia.
Renzo Piano nasceu em setembro de 1937, em Gênova na Itália. Ele estudou em Florença e em Milão, onde trabalhou no escritório de Franco Albini. Nascido em uma família de construtores, visitas frequentes aos locais de construção de seu pai Carlo deu-lhe a oportunidade de combinar a experiência prática e acadêmica.
Em 1971, ele criou o Piano & Rogers escritório em Londres com Richard Rogers. Juntos, eles ganharam o concurso para o Pompidou Center e que posteriormente mudou-se para Paris. Desde o início dos anos 1970 aos anos 1990, ele trabalhou com o engenheiro Peter Rice, compartilhando o Atelier Piano & Rice 1977-1981. Em 1981, o Renzo Piano Building Workshop (RPBW) foi criado, e atualmente tem uma equipe de 150 pessoas e escritórios em Paris, Gênova e Nova York.
Renzo Piano

CONTRIBUIÇÃO

TEÓRICA

CRÍTICA DA EQUIPE
Leitura da
obra.
Pompidou Center, Paris
O arquiteto teve como inspiração os mastros de navios e pináculos de igrejas. Piano deu este apelido “The shard” por acidente, enquanto descrevia a obra em uma conferência pública dizendo “a shard…a shard of crystal” (“um caco…um caco de cristal”).
Cada fachada é um fragmento, um plano suavemente inclinado de vidro dentro, os cantos estão abertos e as peças não se tocam, isso permite a construção de respirar sem problema
0-4° andar: É de recepção, o que inclui uma praça, e alguns pequenos escritórios.
5-28 andar: Apenas escritórios.
31-33 andar: bares e restaurantes.
34-52 andar: Quartos de hotel.
53-65 andar : Residências.
Os outros andares são mirantes.
O projeto foi concebido em 1969 pelo então presidente, Georges Pompidou.
Um dos símbolos arquitetônicos de Paris.
Um dos principais exemplos da arquitetura high-tech.
As suas coleções e as atividades concentra-se em arte e design, literatura, música e cinema.
DIVISÃO
INSPIRAÇÃO
PRÊMIOS
A Bússola de Ouro, em Milão (1981), o Royal Gold Medal de RIBA, em Londres (1989), o Prêmio Kyoto, no Japão (1990), o Neutral Prize, na Califórnia (1991), o GoodwillAmbassador da UNECO (1994), o PraemiumImperiale, no Japão (1995), o Prêmio Erasmus, em Amsterdam (1995), o Prêmio Pritzker da Arquitetura, em Washington (1998), o Leone d’oro allacarriera, em Veneza (2000), a Medalha de Ouro da Arquitetura Italiana, em Milão (2003), a Medalha de Ouro AIA, em Washington (2008), e o Prêmio Sonning, em Copenhague (2009). O Prêmio Pritzker é equivalente ao Nobel ou Oscar.
PRINCIPAIS OBRAS
LISTA DE CRIAÇÕES
° Casas º Companhias aéreas
º Apartamentos º Terminais ferroviários
º Escritórios º Exposições
º Centros comerciais º Teatros
º Museus º Igrejas
º Oficinas º Planejamento urbano
º Estúdios º Pontes
º Navios º Barcos
º Carros
CENTRO CULTURAL
JEAN MARIE TJIBAOU
O projeto é a construção de um símbolo da civilização Karnak (Nouméa, Nova Caledônia)
MUSEU MENIL COLLECTION
Fundado em 1987, o museu abriga a coleção do casal John e Dominique de Menil, figuras importantes no desenvolvimento cultural da cidade mediante incentivo à arte moderna e à arquitetura
(Texas, EUA)

Critério estético não é consensual
Forma piramidal
Silhueta monolítica
“arrogante e grotescamente fora de escala com outros marcos de Londres.”
UNESCO contestou o projeto, alegando que esconderia outros patrimônios londrinos.
º Localizado numa ilha artificial de 1,7 km de comprimento
º Capacidade para atender até 100.000 passageiros por dia
º Área de 300.000 m²
º Construído entre 1988 e 1994
AEROPORTO INTERNACIONAL
DE KANSAI
(Baía de Osaka, Japão)
EXTENSÃO DO
HIGH MUSEUM
OF ART
(Atlanta, EUA)
º Abriga mais de 11 mil obras em seu acervo permanente
º Considerado um dos museus mais visitados do muno
ACADEMIA DE CIÊNCIAS
DA CALIFÓRNIA

º 38 mil m² de área construída, consiste em um planetário, um aquário, um centro de pesquisa e programas educacionais, além do próprio museu de História Natural.
º Realiza pesquisas em 11 áreas de estudo, e abriga mais de 20 milhões de espécimes científicos.

O projeto foi pensado para diminuir o impacto ambiental, por isso a cobertura verde absorve 98% das águas pluviais que caem sobre ela, além de fornecer conforto térmico e iluminação natural para todo o museu.
(São Francisco, parque Golden Gate)
THE SHARD

LEITURA DA OBRA

º Localizado em Southwark, em Londres

º Com 310 m de altura, 87 andares e área total de 110.000m² o The Shard ganha o posto de maior prédio da União Europeia

º Projetado com o intuito de ser um prédio comercial.

º Funciona como uma cidade vertical sustentável

º Próximo aos principais pólos de transporte publico

º Seu primeiro esboço foi feito em um guardanapo de papel
THE

SHARD

The Shard é um contraponto à arquitetura da área: Construído na área da London Bridge, marcada por edifícios históricos de baixa estatura, muitos contruídos no século 19
A planta tem forma de um triângulo irregular, desde a base até a parte superior, reduzindo sua área. E por fora será todo revestido em vidro.
New York Times Building
A utilização de um modelo arquitetônico de tecnologias avançadas permitiu a Renzo Piano ser um dos maiores contribuidores na expansão da arquitetura moderna.
O uso de elementos tecnológicos no intuito estético de uma edificação, deixando aparentes suas estruturas de açoe suas tubulações, são elementos bastante usados nas obras de Piano.
Dessa forma, tudo isso permitiu um novo olhar arquitetônico e uma nova visão construtiva que busca sempre unir o uso da tecnologia com as necessidades e conforto do usuário.
Em sua carreira, Renzo já recebeu os mais importantes prêmios arquitetônicos, dentre os quais se destacam: Pritzker Prize, em 1998, e Gold Medal da AIA, em 2003.
º Seu primeiro trabalho importante foi o Pavilhão da Indústria Italiana na Expo ’70, em Osaka. Sua obra concentrou-se no uso de nova tecnologia e novos materiais.

º Os primeiros trabalhos de Renzo Piano caracterizam-se pelas tentativas inovadoras de utilizar sistemas modulares e construções leves destinadas a exposições ou fábricas. A repetição torna-se uma característica estética do seu trabalho neste período.

º Os edifícios de Piano sempre foram autênticos na sua concepção e estrutura, nunca cedendo ao tipo de cosmética personalizada pela tendência pós-modernista.
Critério estético não é consensual
Forma piramidal
Silhueta monolítica
“arrogante e grotescamente fora de escala com outros marcos de Londres.”
UNESCO contestou o projeto, alegando que esconderia outros patrimônios londrinos.
NÍVEL 23 - ESCRITÓRIOS
NÍVEL 72 - GALERIA

NÍVEL 9 - ESCRITÓRIOS
NÍVEL 68 - GALERIA

NÍVEL 39 - HOTEL
CORTE DO TOPO
FACHADA

CORTE RESTAURANTE
ELEVAÇÃO SUL

sjds

BIBLIOGRAFIA

º http://www.rpbw.com/

º http://www.fondazionerenzopiano.org/project/114/the-shard-london-bridge-tower/drawings/page/1/

º http://www.rpbw.com/project/58/london-bridge-tower/

º http://www.designboom.com/architecture/renzo-piano-the-shard-in-london-now-complete/

º ASENSIO, Paco. Renzo Piano. 1. ed. Lisboa: Dinalivro, 2003.
Full transcript