Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

MOVIMENTOS CULTURAIS NO PERIODO DA DITADURA MILITAR NO BRASI

No description
by

on 16 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of MOVIMENTOS CULTURAIS NO PERIODO DA DITADURA MILITAR NO BRASI

MOVIMENTOS CULTURAIS NO PERIODO DA DITADURA MILITAR NO BRASIL(1964/1984)

A Ditadura Militar no Brasil

REPRESSÃO E PRETENSÃO DE LEGITIMIDADE 1964-1984
O empenho da ditadura militar, durante toda a sua vigência (1964-1984), para demonstrar que suas ações, medidas, em um determina do sistema de idéias e valores sobre uma suposta democracia se constituiu em um dos pilares de sua pretensão de legitimidade.As pressuposições em torno desta democracia perpassaram todo o región militar, inclusive nos momentos mais repressores como, por exemplo, de 1968 a 1973.Convém enfatizar que esta análise não está,sob hipótese alguma, supondo que o regime militar tinha qualquer elemento que possibilitasse defini-lo como democrático e/ou possuidor de legitimidade democrática.
A Ditadura Militar no Brasil
O espírito das leis,escrita em 1748, pode ser tomado como o exemplo mais significativo da preocupação que marcava aquela época, no sentido de definição de formas de governo; as quais poderiam ser republicana, monárquica ou despótica. A tematização em torno da igualdade e da
liberador políticas assentava-se inteiramente nela. Para ele, a democracia se arruinaria se o povo não reconhecesse a lei como seu
fundamento.Segundo Norberto Bobbio, a república democrática era
pensada por Montesquieu a partir do conceito de igualdade após 1964.
Fazia-se necessário,então, estabelecer projetos nas áreas educacionais para se conseguir, segundo os condutores do regime, impulsionar a
incorporação de todos ao projeto de integração nacional pretendido pelo movimento de 1964.
Em 1981, o presidente da república, gal. João Batista Figueiredo destacava em sua Mensagem ao Congresso Nacional o papel que a ESG vinha desempenhando neste processo de assessoramento do regime militar. Dentro da diretriz recebida do EMFA,foi realçado o estudo e aperfeiçoamento da Doutrina de ação política no âmbito do curso Superior de Guerra e incrementada a contribuição do curso de Estado-Maior e Comando das Forças Armadas para o aprimoramento da Doutrina Militar.A hipotética

A invenção de um suposto ideário de democracia objetivando alcançar reconhecimento em torno dos valores sociais que o norteava não amenizava, em absoluto, o seu caráter ditatorial.Pelo contrário, este trabalho pretende demonstrar que a análise das diversas estratégias (econômica, política, militar e psicossocial) do regime militar revelavam o quanto era ditatorial o seu projeto de sociedade. Considera-se, então, que o grupo de poder no Brasil no período estudado (1964-1984) era constituído pelos seguintessetores sociais: Num âmbito geral, pode-se dizer que a noção de grupode poder derivou do debate geral sobre grupos nas ciências sociais. Não é possível, no âmbito deste trabalho, entrar na vasta literatura23 sobre a teoria dos grupos,24 bem como nas suas concordâncias e controvérsias. Gurvitch, em uma passagem na obra Tratado de sociologia, sistematizou criticamente este debate ao afirmar
Isto exige que os pronunciamentos, depoimentos, entrevistas, etc. dos componentes do grupo de poder não sejam tomados em si mesmos, mas sim tendo em vista os embates que cortavam horizontal e verticalmente a sociedade, os quais se constituíram em elementos fundadores do processo político brasileiro no período de 1964 a 1984.
No que consiste ao suposto ideário de democracia do regime militarpode-se dizer que ocorre o equivalente à passagem citada por Freyre em seu livro Sociologia.1964 e seus desdobramentos descreviam como democracia correspondem, nas ciências sociais, pelo menos em sua maioria, à ditadura.Assim sendo, não se lançou mão aqui da noção de democracia autoritária uma vez que não se considera possívelhaver um regime político ao mesmo tempo democrático e autoritário Sou levado a pensar que o caso brasileiro é muito mais o de uma situação autoritária do que o de um regime autoritário. Além disso, a natureza do regime que pode vir a surgir ainda é bastante indefinida.
A pretensão de legitimidade da ditadura é tomada aqui como algo que ia além da tentativa de se conseguir obediência para um determinado sistema de poder O regime militar considerava que o campo psicossocial se constituía num solo enormemente fértil para se travar uma verdadeira batalha no processo de busca de sua legitimidade A estratégia psicossocial teria, então, que ser construída a partir da compreensão da estrutura e da dinâmica sociais e psicológicas, o desenvolvimento de formas de atuação sobre os padrões culturais, atitudes sociais e mentalidades de todos os brasileiros.
Portanto, era preciso resgatar, através da elaboração de uma estratégia psicossocial, os verdadeiros valores constituintes e definidores da organização social brasileira Ficava subentendido, desta forma, que
somente a instauração de um outro regime político, o qual deveria
ser conduzido por aqueles que tivessem condições de agir no sentido do fortalecimento do poder nacional. Ele estava se referindo, certamente, aos militares. O regime militar instaurado em 1964 se filiava,desde o seu início, a estes fundamentos. o fio condutor seguido pela ditadura no seu intento de ganhar aceitabilidade e adesão para os seus propósitos a partir da constante divulgação preocupada com o desregramento dos costumes e o desrespeito aos valores mantenedores das instituições básicas da sociedade e de sua fórmula de democracia.
Sob todos os aspectos, a educação tinha que ser estruturada de forma que ela fosse capaz de criar as condições para legitimar o regime; o que significava adaptar e ajustar as gerações vindouras aos valores concebidos como essenciais pela nova ordem social que estaria sendo criada
Nas esferas sociais, econômicas, políticas e, até mesmomilitares, não foi possível ao regime trilhar o caminho traçadopela Escola Superior de Guerra.no plano objetivo, a ditadura se deparava com inúmeros problemas inusitados, tendo em vista o jogo estabelecido entre as diversas forças sociais, inclusive dentro do próprio grupo de poder.

A insistência em uma fórmula de democracia que pressupunha “liberdade mas não (excluía) responsabilidade, nem importava em licença para contrariar a própria vocação do país”era a base deste processo.No entanto, é importante mencionar que as duas últimas décadas que anteceder a do movimento militar desempenharam um papel importante ao delinear com maior visibilidade as posições políticas das Forças Armadas, que vieram a público após o golpe militar.


CAPITULO II
1964 A 1973: AS ESTRATÉGIAS POLÍTICAS, ECONÔMICAS E
PSICOSSOCIAIS REVELANDO OS ELEMENTOS CENTRAIS DA
PRETENSÃO DE LEGITIMIDADE DA DITADURA
Full transcript