Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Eutanásia

Filosofia - 10º Ano
by

Rute Silva

on 11 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Eutanásia

Finally Direitos Humanos e
a Globalização EUTANÁSIA Problema: Será a Eutanásia moralmente aceitável? Eutanásia Ativa Quando se tomam medidas ativas que causem a morte, ou seja, quando a medida, que têm como objetivo por fim à vida, é planeada e, por vezes, negociada entre o doente e o profissional que vai levar a cabo o ato. Passiva Quando a morte não é provocada deliberadamente e, quando com o passar do tempo associado à interrupção de todos os tratamentos, o doente acaba por falecer. Então, não há nenhum ato que provoque a morte, mas também nao há nenhum que a impeça. Voluntária Quando se mata ativamente o doente por sua opção, isto é, a seu pedido. Não-Voluntária Quando se mata ativamente o doente que não teve a oportunidade de exprimir o seu desejo, ou por se encontrar em estado vegetativo ou porque caiu em coma irreversível. Involuntária Quando se mata ativamente o doente que exprimiu o desejo de continuar a viver, ainda que para o seu bem. Voluntária Quando deixamos alguém morrer a seu pedido. Do grego:
Eu = Boa ; Tanathos = Morte Não-Voluntária Quando deixamos alguém morrer sem que esta possa exprimir a sua opinião. Involuntária Quando deixamos alguém morrer , mesmo que o seu desejo seja não morrer. Direitos Humanos são direitos que visam salvaguardar a dignidade de todas as pessoas, em todos os momentos e em todas as suas dimensões. Estão também normalmente associados ao conceito de liberdade de pensamento e de expressão; e a igualdade perante a lei. A Globalização é um processo de interação e integração entre as pessoas, empresas e diferentes Governos de diferentes Estados. Objeções Sociopolíticas Argumenta-se que o primeiro direito do Homem é o direito à vida, desde que nasce até que morre, não se podendo, assim, acelerar a morte. Logo, a Eutanásia deveria ser ilegal. O Humano tem o direito à liberdade e autonomia que permitem que todos possam ter o direito de recusar outros direitos (como, o da vida). Assim, o ser humano pode recusar o direito à vida, recorrendo assim à eutanásia, o que justifica a sua legalidade. Respondendo: Médicos Argumenta-se que os médicos não podem fazer mal aos seus doentes e que matar não é um ato de médico. Assim, a Eutanásia deveria ser ilegal, porque impede o doente de usufruir da boa qualidade de vida que o médico procura dar. Se um médico não pode fazer o mal a um doente, só pode fazer o bem. E, para uma pessoa que sofre constantemente, física e psicologicamente, e/ou que tem uma doença terminal, o maior bem que ela pode desejar é a morte sem sofrimento. Como a Eutanásia traz esse bem a quem o deseja, deveria ser legal. Respondendo: Religiosos Segundo os cristãos, se recorrermos à Eutanásia, estamos a recusar o amor, oferta (vida) e soberania de Deus, portanto, deveria ser ilegal. Segundo os cristãos, Deus cria, o Homem sonha e a obra nasce, e sendo assim, o Homem desejou a Eutanásia para fazer com que ele saísse do sofrimento e porque achou ser o melhor para si e que fosse de encontro ao desejo de Deus. Sendo assim, a Eutanásia deveria se legalizada. Respondendo: A Eutanásia pode ser associada ao ato de facultar a morte sem sofrimento a um doente, cujo estado é terminal, logo, incurável, geralmente associado a um intenso sofrimento físico e psicológico. Eutanásia Suicídio Assistido Eutanásia Suicídio Assistido Na primeira é uma terceira pessoa que executa, e na segunda é a própria pessoa que o realiza, mesmo que disponha da ajuda de outros. Teses Concorrentes: Não deve ser moralmente aceite Deve ser moralmente aceite A Eutanásia é uma ação imoral;
Segundo muitos, matar ou deixar alguém morrer após se encontrar já em estado terminal, continua a ser crime, mesmo que isto diminua o sofrimento da pessoa em questão e dos seus familiares;
Nesta tese vigoram os seguintes pontos de vista (sociopolítico, religioso e médico), considerados por nós objeções à tese que pretendemos defender. A Eutanásia deveria ser legalizada;
Esta irá acabar com toda a espécie de sofrimento, quer do doente em questão, quer dos seus familiares, que sofrem com o estado da pessoa que quer recorrer à Eutanásia;
É usada para dar uma “morte santa” àqueles que, provavelmente, iriam ter uma morte difícil como consequência da sua doença.
É uma ação moral, mesmo que vá contra o desejo do doente e/ou que este nem tenha tido a opção de decidir. Tese que defendemos: Só a Eutanásia Voluntária (quer ativa, quer passiva) deveria ser legalizada.
A Eutanásia Não-Voluntária é excluida:
Não dá liberdade de escolha (livre-arbítrio)
Pressupõem que subentendamos a vontade do doente.
A Eutanásia Involuntária é também excluida:
Porque vai contra a vontade do doente, mesmo que para seu benefício.
Full transcript