Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Private Equity

No description
by

Amanda Souza

on 19 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Private Equity

Objetivos
Conceito
Private Equity x Bolsa de Valores
Private Equity é um tipo de atividade financeira realizada por instituições que investem essencialmente em empresas que ainda não são listadas em bolsa de valores, com o objetivo de alavancar seu desenvolvimento. Esses investimentos são realizadas via Fundos de Privaty Equity.
Privat Equity costuma ser mais rentável do que o investimento em bolsa de valores por várias razões. Além da possibilidade de se adquirir as participações acionárias a preços (múltiplos) menores do que aqueles pagos em bolsa e revendê-las alguns anos depois na bolsa (IPO) ou para empresas que pagam o chamado "prêmio estratégico), gestores de fundo de Private Equity não são meros investidores passivos, mas participam ativamente da melhoria das empresas adquiridas, tanto nas operações quanto na gorvernança corporativa.
Quarta Feira, março 19, 2014
Mercado de Capitais
Origem
As maiores gestoras de fundos de Private Equity no Brasil 2011
Algumas das maiores firmas de Private Equity do Brasil são:

CRP Participações;

GP Investimentos;

Pátria Investimentos;

Gávea;

Angra Partners.
Private Equity
Os fundos de Private Equity surgiram nos EUA no ano de 1946, durante a II metade do séc. XX como forma de captação de recursos para a criação, expansão ou aquisição de empresas, numa época em que os detentores de capital estavam fortemente dependentes dos recursos familiares.
Naquele ano, foi criada a ARD (American Research and Development), composta por membros do MIT, Harvard Business Schoole o Federal Reservede Boston, que realizava investimentos de alto risco em companhias em estágio inicial de desenvolvimento, além de oferecer a elas experiência administrativa e consultoria especializada.No Brasil o Private Equity surgiu há 30 anos e se proliferou rapidamente nos últimos 15 anos.
Trata-se de uma nova modalidade de financiamento para as PMEs (pequenas e médias empresas) com importância crescente para o mercado de capitais, uma vez que proporciona elevados benefícios para os investidores financeiros, para o desenvolvimento das empresas e para a economia no seu todo. Os fundos de Private Equity surgiram como uma nova opção de financiamento para essas empresas e consiste basicamente na criação de um fundo de investimentos através de um grupo de investidores que adquire relevantes participações nas PMEs (geralmente de capital fechado), com as quais desenvolvem parcerias ativas, compartilhando a administração e adicionando valor à empresa. No momento em que a empresa alcança maior grau de desenvolvimento, o fundo de Private Equity aliena a sua participação, obtendo os retornos financeiros objetivados em seu investimento. Os investidores dos fundos de Private Equity são agentes que buscam um retorno acima da média do mercado acionário, portanto estão dispostos a assumir um nível de risco mais elevado.
As maiores gestoras de fundos de Private Equity do mundo em 2009:

Harbour Vest;
Pantheon Ventures;
Commonfund;
AlpinInvest;
Pantheon Group;
Hamilton Lane;
Capital Dynamics.



Apresentação

Alexandra Silva
Amanda Souza
Camila Aparecida
Glaydson Ferreira
Isabela Miranda
Kenia Canazart
Pablo Siqueira
Caixa vai investir em empresas privatizadas
O banco prepara para os próximos dias o lançamento de um fundo de private equity que captará mais de R$ 1 bilhão para investimentos em logística no país.
A Caixa Econômica Federal prepara para os próximos dias o lançamento de um fundo de private equity que captará mais de R$ 1 bilhão para investimentos em logística no País. O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o banco conseguiu até o momento a confirmação de aportes de R$ 810 milhões.
O fundo de previdência dos funcionários da Caixa (Funcef), terceiro maior do País, será um dos que investirá no novo fundo, mas os valores não foram divulgados. Os fundos de pensão são os principais investidores da indústria de private equity no País, com cerca de um quarto do capital aportado.
Os recursos desse fundo serão investidos em empresas de logística, seja por meio de aquisição ou de debênture conversível em ações. O regulamento do fundo ainda precisa ser aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
A Caixa já tem experiência em fundos de private equity. Só no mercado imobiliário, o banco tem três fundos com quase R$ 3 bilhões captados. Um deles investe na compra de terrenos junto com a Cyrela para depois permutá-los para a própria construtora.

Os fundos de investimento em participações (FIP), também conhecidos como private equitiy, têm por objetivo aquisição de ações, debêntures, bônus de subscrição e outros títulos e valores mobiliários de companhias abertas ou fechadas.
Tais aquisições devem propiciar ao fundo participação no processo decisório da companhia investida, com influência na definição de sua política estratégica e na sua gestão. As cotas dos fundos de investimento em participações são remuneradas com base no desempenho futuro de tais empresas. São constituídos sob a forma de condomínio fechado e suas cotas são negociadas em bolsa de valores.
Os fundos de Private Equity exercem papel fundamental no desenvolvimento econômico. Seus investimentos são direcionados para negócios com grande potencial de crescimento e inovação, propiciam a profissionalização da gestão e incentivam o empreendedorismo, ao financiar empresários com bons planos de negócios, porém com restrições de acesso a capital com custo adequado.
Os fundos de Private Equity são destinados aos investidores qualificados. O aporte mínimo para o investidor iniciar a aplicação é de aproximadamente R$100.000,00. As negociação podem ocorrer em bolsa de valores ou mercado de balcão organizado. Os investidores que aplicam nesse instrumento financeiro se tornam proprietários de cotas do fundo e participam do processo decisório da empresa investida, com influencia na gestão e politica estratégica, o cotista compromete o recurso financeiro denominado de (capital comprometido), que pode ser desembolsado em um tempo pré acordado com o gestor.
Grande parte das empresas investidas é de tecnologia, pela característica de precisarem de dinheiro no inicio, terem um risco alto e expectativa de retorno grande.
Full transcript