Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

[Filosofia - 02] O que é Filosofia?

No description
by

Carlos Moiteiro

on 14 August 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of [Filosofia - 02] O que é Filosofia?

O que é Filosofia?
Em um sentido lato da palavra (e da noção de)
Filosofia
, todas as pessoas que possuem o desejo constante de
saber
são, de certa forma, “filósofos” e “filósofas”.

Todavia, este termo sempre foi reservado àqueles homens e mulheres que, ao longo do tempo, efetuaram esta busca de forma
radical
,
rigorosa
e
metódica
, e a apresentaram na forma de escritos – a obra filosófica – que fundaram nossa cultura ocidental.
Filosofia x Ciências
Após a
organização das ciências
durante os séculos XVI e XVII, como resultado do renascimento cultural e urbano vivido nos séculos anteriores, e a
consolidação do método científico
nos séculos XVIII e XIX, as
Ciências
passam a tomar um rumo distinto daquele da
Filosofia
, distinguindo-se umas das outras mediante a separação de seus objetos de estudo:
Na Antiguidade...
Todos os homens de cultura eram, durante este longo período da história ocidental, chamados de “sábios” ou “filósofos”.

A distinção entre o
sábio
e o
filósofo
surge na Grécia Clássica apenas no século VI a.C. – Pitágoras é o primeiro a usar este termo –, uso que será referendado por Platão, em seu famoso diálogo
O Banquete
.

Duas compreensões sobre o que é
Filosofia
:
-
Filosofia como PROCESSO:
o
tipo de argumentação
característico da filosofia, a saber,
lógico-racional
;
-
Filosofia como PRODUTO:
a
produção filosófica acumulada ao longo do tempo
, isto é, o conjunto de textos, obras, escritos, diálogos de caráter filosófico ou que possuem na Filosofia o seu ponto de origem.
Por fim, todas as áreas do conhecimento, mesmo após sua separação formal da Filosofia, demandam ainda uma
reflexão fundamental
sobre os
princípios de sua própria ciência
– que, por uma questão de
exterioridade
, não pode ser dada pela própria ciência; neste sentido, surgem as
“Filosofias” específicas
, tão numerosas quanto são as áreas do saber.

Exemplos:

A partir do século XVI, a Filosofia viu-se desafiada a delimitar o seu espaço de atuação (uma obrigação exterior e incongruente, diga-se de passagem), tendo passado, a partir de então, a tratar daqueles
problemas
cuja solução ou
não pode ser dada de forma empírica
(isto é, a partir da análise estatística dos dados da realidade) ou cujas respostas deparam-se, ainda, com um
alto grau de incertezas
(por exemplo, as respostas dadas pela psicanálise, que a diferem da psicologia experimental; ou então as perguntas relacionadas à existência do homem e ao seu fim último).
Lógica e Filosofia
Ao lado destas disciplinas, encontramos a
Lógica
(Formal e Informal) que, assim como a
Matemática
(e no mesmo grau de correspondência ao papel que esta desempenha nas ciências naturais), não é tanto uma
ciência independente
quanto, mais propriamente, a
estrutura em torno da qual todo saber filosófico
(e também o saber científico) é construído, e que serve ao mesmo tempo como seu
critério objetivo de avaliação
.
Desta forma, o caráter
lógico-racional
de sua
argumentação
é aquilo que difere o saber filosófico do simples
senso comum
ou do
conhecimento popular
, assim como o caráter
empírico-matemático
é aquilo que permite diferenciar o saber científico do pseudocientífico.
Filosofia (Geral) - Tema 1 - Prof. Carlos R. Moiteiro
Philos
– amor, desejo, busca...
O que é FILOSOFIA?

Sophia
– Sabedoria
Como ponto de partida, é preciso reconhecer que, durante toda a Antiguidade Clássica e Tardia, e até certa forma durante parte da Idade Média, não havia distinção entre a Filosofia e os demais saberes que, mais tarde, convencionamos chamar de “Ciências” (matemática, astronomia, física, história natural) .
Mas nem sempre foi assim... Na
Antiguidade Tardia
, por exemplo, o discurso filosófico (a apresentação de um texto escrito como produto de uma reflexão filosófica) não era necessariamente um requisito para a pessoa ser considerada um filósofo – haviam aqueles
pensadores livres
que, não obstante, nunca tivessem escrito nenhum texto filosófico, eram considerados de pleno direito como “filósofos”.
(A tabela acima é apenas uma síntese dos principais desdobramentos de áreas da filosofia em novas ciências a partir do século XVI; não tem, desta forma, o objetivo de definir exaustiva e conclusivamente os objetos de estudo de cada ciência.)
Neste sentido, permanecem sendo áreas do saber filosófico, cada uma com sua especificidade e organizando-se enquanto
disciplinas interdependentes
:
ÉTICA
ANTROPOLOGIA
ONTO LOGIA
PENSAMENTO FILOSÓFICO
POLÍTICA
EPISTEMO
LOGIA
GNOSIO
LOGIA
LÓGICA
ESTÉTICA
FILOSOFIA DA LINGUAGEM
FILOSOFIAS DAS CIÊNCIAS
Além, disso, é preciso compreender que, dentro da
Filosofia
– enquanto área do conhecimento que reúne e integra todos estes
saberes interdependentes
– existem também
as filosofias
– isto é, as
escolas teóricas
que, surgidas em diversas épocas, propuseram respostas distintas aos mesmos problemas filosóficos (ex.: racionalismo e empirismo; idealismo e positivismo; pragmatismo e fenomenologia; marxismo e liberalismo; psicanálise etc.)
Desta forma, a
Filosofia
trata de um saber teórico constituído mediante uma
Tradição
, isto é, um conjunto de autores e escola que, ao longo do tempo, propuseram respostas aos mais diversos problemas e cujas soluções foram confrontadas pelos demais autores do mesmo período.
Não se trata, portanto, simplesmente, de um conjunto de princípios e valores que orientam as opções de um indivíduo, instituição ou corporação - como no uso equivocado que se faz da palavra “filosofia” nas expressões "
filosofia de vida"
ou "
filosofia institucional" -
, ou de uma reflexão casual que se pode fazer sobre um determinado assunto - como se diz popularmente, quando alguém está “filosofando” (o que seria a mesma coisa que dizer que, quando uma pessoa faz um “chá” para tratar de algum mal-estar, ela estaria “fazendo ciência”).
No caso da expressão “filosofia de vida”, seria mais correto utilizar “modo de vida”; e no lugar de “filosofia institucional”, fazer uso da expressão “princípios institucionais”.
Filosofia da Educação;

Filosofia das Religiões;

Filosofias das Ciências (da Física, da Química, da Biologia, das Ciências Cognitivas, da Medicina etc.);
Filosofia do Direito;

Filosofia da Psicanálise;

Filosofia das Religiões;

Filosofia da Comunicação...
Full transcript