Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

25 de Abril

No description
by

Mariana Neves

on 19 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 25 de Abril

Não Deixe de assistir um dos vídeos marcantes em homenagem à Revolução do 25 de Abril
Para que os soldados soubessem que a Revulação estava começando, eles combinaram entre eles duas senhas
As Senhas De Uma Nova Vida
A Esperança Nunca Morre
A Primeira Senha: Ordem para as tropas se prepararem e estarem a postos. A transmissão de "E Depois do Adeus" - Emissores Associados de Lisboa - 22h55m do dia 24 de Abril de 1974. A música era popular, não causaria suspeitas.
Sexta-feira, 25 de abril de 2014

Vol I, No. 001
A Revolução dos Cravos
40 Anos de Memória e História
Golpe de Estado militar que depôs o regime ditatorial do Estado Novo, realizado pelo movimento das Forças Armadas.
O Estado Novo não pode resistir sem apoio dos militares e com a adesão em massa da população e em seguida houve a Implantação do tão esperado regime democrático.
No dia 25 de abril de 1974, os soldados colocaram os cravos nas armas em sinal de uma revolta pacífica, este dia maravilhoso ficou conhecido como a Revolução dos Cravos.
Esta data é lembrada em Portugal por um feriado nacional denominado "Dia da Liberdade".


25 de Abril de 1974
Finalmente Liberdade
Capitão Salgueiro Maia comandou as forças até que invadiram o Quartel do Carmo onde estava Marcello Caetano e o prendou.
Na madrugada de 25 de Abril de 1974, o movimento de capitães concretizou a sua vontade.

Como foi organizada esta Revolução?
A segunda senha foi para Saída dos quartéis. Emissão de "Grândola, Vila Morena" de Zeca Afonso, pela Rádio Renascença, uma música claramente política e proibida pelo regime, não deixando dúvida de que o golpe se realizaria.
-O estado novo foi o período desde a aprovação da Constituição em 1933 até 25 de abril de 1974 por 41 anos.
-António de Oliveira Salazar de 1933 a 1968, teve sucesso como Ministro das Finanças que o levou a Presidente do Conselho de Ministros.Governou com princípios do fascismo, tais como o nacionalismo, o autoritarismo, o corporativismo e o conservadorismo. Ligado à igreja católica.
Lema Pátria, Deus e Família. Vetada toda a oposição ao governo, como o liberalismo e o comunismo. Ações para a propaganda política, disseminação da ideologia política para os jovens, a polícia política repressiva (PIDE).


Marcello Caetano de 1968 a 1974
Ele começou seu governou com a promessa de mudanças, utilizou o lema “evolução na continuidade”, ele tentou repopularizar o regime.
Garantindo aos setores ortodoxos a continuação de uma política de defesa da ordem interna e da integridade dos territórios ultramarinos e atraindo a simpatia de setores liberais e tecnocratas com alguns sinais de abertura política.
Concedendo aos sindicatos maior liberdade de intervenção.
Abrandar a censura com exame prévio.
Alterar o nome da PIDE para Direção-Geral de Segurança, o nome do partido de União Nacional para Ação Nacional Popular.
Mudar o tratamento aos crimes políticos e aos delitos de opinião.
Políticas de Planejamento econômico e desenvolvimento industrial, de Ensino cm reformas inovadoras e de Trabalho e segurança social
Mas na realidade pouco mudou, seus planos foram apenas um disfarce para as antigas ações:
Radicalização das oposições. •As pessoas que faziam oposição ao regime sofreram repressão e prisões.
Estudantes foram presos e incorporados compulsivamente ao Exército para lutar na Guerra Colonial.
Repressão ao movimento estudantil e ao movimento sindical.
Censura
Na política, a ação dos novos deputados liberais se deparava com a oposição do regime.
Diário de Lisboa
do dia 25 de Abril de 1974
.
A emigração
Os portugueses saiam do país a procura de melhores condições de vida. Outros países industrializados precisavam de mão-de-obra e ofereciam elevados salários, além disto, fora do país fugiam das guerras coloniais.
Proclamação da Junta de Salvação Nacional
Spínola é anunciado como chefe da Junta e, a 15 de Maio, toma posse como primeiro Presidente da República do pós-25 de Abril.











-Abolição da censura,
-A libertação dos presos políticos e exilados ,
-Partidos políticos e sindicatos foram autorizados,
-Libertação das colônias,
-Eleições organizadas para uma nova assembleia,
-Entrada em vigor da nova Constituição a 25 de abril de 1976.
Este Jornal é uma homenagem aos 40 anos do 25 de Abril feito pelas alunas da secção Portuguesa do Liceu Internacional de Saint-Germain-en-Laye,

Andreia da Silva,
Diana de Abreu Areias e
Mariana Neves
Nono Ano (3eme-4)
Professor Filipe Pedrosa
Antecedentes
.
-Criação do Instituto de Apoio ao Retorno de Nacionais (IARN) para os portugueses que viviam nas colônias,
-Segundo o Instituto Nacional de Estatística, 505.078 indivíduos entraram em Portugal como “Retornados do Ultramar”,
-Alguns tinham nascidos na colônia e não conheciam Portugal.
-Muitos eram mestiços ou mesmo negros, apesar das suas raízes portuguesas.
-Uma população mais jovem e alfabetizada.
Trailer do mini-documentário "Os Retornados: Lágrimas e Sorrisos" que reúne testemunhos reais e imagens de arquivo, fotografias e recortes de jornais da época. Reportagem realizada por Susana Wichels, Nuria Atanes e Ana Patricia Martins. © 2013 Mestrado em Comunicação e Jornalismo Universidade de Coimbra, Portugal
Após 25 de Abril de 1974
As colônias africanas de Angola, Guiné e Moçambique pretendiam a independência e liberdade por isso entraram em guerra contra o Portugal. Não houve diálogo, apenas o envio de tropas para combatê-los. Afetou diretamente a população jovem e as suas famílias.

Guerra colonial ou guerras do Ultramar (1961-1974)
Estado Novo
No começo era para reivindicações dentro da própria organização, mas com a insistência em manter a situação de guerra colonial, o país passava por uma situação muito crítica.
Composto por em sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial. Eles queriam a Democratização, Descolonização e Desenvolvimento.
Em fevereiro de 1974, o Livro Portugal e o Futuro do general António de Spínola, vice chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas afirmava que as guerras coloniais, que duravam desde 1961, não tinham solução militar, mas política e defendia teses federalistas. Foi considerado um "manifesto de oposição" ao regime e de um golpe militar anunciado. O general foi demitido.
Caldas da Rainha - 16 de Março de 1974
Um regimento avança sozinho para Lisboa, como era isolado, o seu avanço foi contido na entrada de Lisboa pelas unidades leais ao regime, sem derramamento de sangue, mas cerca de 200 homens, entre oficiais, sargentos e praças, foram detidos.

Portugal. Conversas em Família. Revolta das Caldas da Rainha

Movimento das Forças Armadas em 1973
Atraso no desenvolvimento econômico
Portugal passou por um período econômico próspero durante a 2ª Guerra Mundial, mas depois não atingiu o mesmo desenvolvimento de outros países da Europa.
Salazar recusou o apoio do Plano Marshall, pois não queria que Portugal ficasse dependente dos Estados Unidos.
A balança comercial era desfavorável.
Mão-de-obra pouco qualificada
País pouco industrializado.
Agricultura pouco desenvolvida.
A taxa de inflação era em torno dos 30% .
Elevada taxa de analfabetismo.
Em 1960, Portugal fez parte da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA), com isto a região de Lisboa teve um desenvolvimento industrial.
Jornal
República
25 de Abril de 1974
Homenagem feita pelo Consulado Portguês ao 25 de Abril em 2011
.
Trecho de um poema do poeta Português Manuel Alegre
Livro escrito por Manuel de Souza sobre o 25 de Abril
Estátua do Herói
Português Salgueiro Maia

.
Full transcript