Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Morin

Paradigma da Complexidade
by

Rui Piassini

on 4 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Morin

Edgar Morin
Paradigma da Complexidade
BIOGRAFIA
CRÍTICA
Pensamento Complexo
Início do séc. XX
Paris - 1921
Vidal Nahoum
Luna Baressi
judeus
1931 - Morte da mãe
"Parti para a vida, sem cultura nem verdade, mas apenas com a ausência da morta e a presença da morte". O homem e a morte, 1950
Aos 24 casa-se
Aos 28 - primeira filha
Aos 29 - segunda filha
Segunda Guerra Mundial
Membro da Resistência Francesa
Filiado ao PC - 1941-1949
FORMAÇÃO
HISTÓRIA - GEOGRAFIA - DIREITO
SORBONNE
Anos 1960
Integrante do
CNRS
Pesquisas sobre a
Sociologia do Presente
Cria Centro de Estudos de
Comunicação de Massa
Com Claude Lefort
e Cornelius Castoriadis
Revista Argumentus - 1956-1962
Diagnósticos sociopolíticos
Communications - 1961
Questões culturais
Instituto Salk
(Califórnia)
Cibernética
Teoria dos Sistemas
Biologia Molecular
1968
Associação Internacional para o Pensamento Complexo
Complexidade
América Latina
Complexidade
América Latina
A partir de
1996
BRASIL
Núcleos de
Pensamento
Complexo
Argentina
1999
UNESCO cria
Cátedra Itinerante
Edgar Morin
em Buenos Aires
com representação
no Brasil
México
2006
Multidiversidade
para o mundo real
Edgar Morin
Pensamento clássico
Ordem
Separação
Redução
Lógica
O universo é regido por
leis imutáveis
Para resolver o problema é preciso decompô-lo em elemetos mais simples
Limita os elementos do sistema ao que é mensurável
Validade formal
Pensamento analítico
Evidência
Análise
Ordenação
Revisão
Descartes
Quebra fenômenos complexos para compreender o todo pelas partes
Universo e homem funcionam como máquinas
Visão mecanicista
Pensamento newtoniano cartesiano
Ciência
Comprovação através de experimentos
Resultados estáveis
Leis de causa e efeito
Medidos e quantificados
Física quântica
Complexidade e pensamento sistêmico
O universo não é a soma dos objetos existentes, mas uma complexa teia de relações em constante interação
Forma de compreensão e percepção aberta, interligada, abrangente e flexível
Pensamento sistêmico
Karl L. von BERTALANFFY - 1901-1972
Teoria Geral dos Sistemas
Sistemas Abertos
Os sistemas são abertos e sofrem interações com o ambiente onde estão inseridos.
Sistema
Conjunto de elementos interrelacionados com o objeto comum.
Edgar Morin
PRINCÍPIOS
Dialógico
Recursivo
Hologrâmico
Sistêmico
Retroativo
Auto-organização
Reintrodução do conhecimento em todo o conhecimento
Princípio Dialógico
Inseparabilidade de noções contraditórias para conceber um mesmo fenômeno complexo
Ordem/Desordem
Una/Complementar
Princípio Recursivo
Os produtos e os efeitos são, eles mesmos, produtores e causadores daquilo que os produz
Os indivíduos produzem a sociedade e a sociedade produz os indíviduos
Princípio Hologrâmico
O todo está na parte e a parte está inserida no todo
O sujeito é parte da sociedade e carrega dentro de si a própria sociedade
Princípio Sistêmico
Liga a parte ao todo e o todo às partes
Ao mesmo tempo que o todo é maior que a soma das partes ao mesmo tempo é menos que a soma das partes.
Princípio Retroativo
Causa e efeito
Atitudes negativas de um indivíduo gera atitudes negativas em um grupo que incentiva atitudes negativas em outros indivíduos
Princípio da Auto-Organização
Ao mesmo tempo que os indivíduos se auto-reproduzem, dependem do meio para sobreviver
Princípio da Reintrodução do Conhecimento em Todo Conhecimento
O conhecimento é uma reconstrução/tradução feita por uma mente em uma cultura e época determinados.
Sete saberes necessários a educação do futuro
Cegueira do conhecimento
Conhecimento pertinente
Condição humana
Identidade terrena
Enfrentar as incertezas
Ensinar a compreensão
Ética do gênero humano
Cegueira do conhecimento
"A educação deve mostrar que não há conhecimento que não esteja, em algum grau, ameaçado pelo erro e pela ilusão." p.19
Mentais
Intelectuais
da Razão
Cegueira paradigmática
Conhecimento pertinente
"O problema universal de todo o cidadão do novo milênio: como ter acesso às informações sobre o mundo e como ter a possibilidade de articulá-las e organizá-las? Como perceber o Contexto, o Global (a relação todo/partes) o Multidimensional, o Complexo?" p.35
Condição humana
"Devemos reconhecer nosso duplo enraizamento no cosmos físico e na esfera viva e, ao mesmo tempo, nosso desenraizamento propriamente humano. Estamos simultaneamente dentro e fora da natureza." p.48
Identidade terrena
"O planeta não é um sistema global, mas um turbilhão em movimento, desprovido de centro organizador. O planeta exige um pensamento policêntrico capaz de apontar o universalismo [...] consciente da unidade/diversidade da condição humana. Um pensamento policêntrico nutrido das culturas do mundo." p.64
Enfrentar as incertezas
À incerteza do progresso "[...] acrescentam-se todas as incertezas devido à velocidade e à aceleração dos processos complexos e aleatórios da nossa era planetária..." p.80
Ensinar a compreensão
"Educar para compreender a matemática ou uma disciplina determinada é uma coisa; educar para a compreensão humana é outra. Nela encontra-se a missão propriamente espiritual da educação: ensinar a compreensão entre as pessoas como condição e garantia da solidariedade intelectual e moral da humanidade." p.93
Ética do gênero humano
"...a ética propriamente humana, ou seja, a antropo-ética, deve ser considerada como a ética da cadeia de três termos indivíduo/sociedade/espécie, de onde emerge nossa consciência e nosso espírito propriamente humano." p.106
"... sem as desordens da afetividade e as irrupções do imaginánio, e sem a loucura do impossível, não haveria criação, invenção, amor, poesia."
Na prática...
Colégio João XXIII
Ana Maria Massoni
Profa. Carla Autuori de Lima
Na prática...
Referências bibliográficas
MORIN, Edgar. "Amor, poesia, sabedoria". Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.
MORIN, Edgar. "A cabeça bem feita". Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.
MORIN, Edgar. "Os sete saberes necessários à educação do futuro". São Paulo: Cortez, 2002.
MORIN, Edgar. "O método I: a natureza da natureza." Porto Alegre: Sulina, 2002.
MORIN, Edgar. "O método II: a vida da vida." Porto Alegre: Sulina, 2001.
MORIN, Edgar. "O método III: o conhecimento do conhecimento." Porto Alegre: Sulina, 1999.
MORIN, Edgar. "O métodoIV: as ideias." Porto Alegre: Sulina, 2002.
MORIN, Edgar. "O método V: a humanidade da humanidade." Porto Alegre: Sulina, 2002.
MORIN, Edgar. "A religação dos saberes: o desafio do século XXII". Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
Full transcript