Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise da obra A rapariga que roubava livros

No description
by

Mariana Seabra

on 29 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise da obra A rapariga que roubava livros

Análise da obra
A rapariga que roubava livros

Biografia do autor
Markus Zuzak é australiano, nasceu em Sidney. Filho de mãe alemã e pai austríaco, cresceu ouvindo histórias acerca da II Guerra Mundial, sobre os bombardeamentos, as perseguições, os campos de concentração, as mortes e os ideiais Hitlerianos na terra da sua mãe. Horrorizado, sempre soube que era uma história que ele queria contar.
"Nós temos ideia de que todos na Alemanha estavam nisso juntos. Mas ainda havia crianças rebeldes e pessoas que não seguiam as regras e que escondiam judeus em suas casas. Então eis outro lado da Alemanha Nazista", disse Zusak numa entrevista com o The Sydney Morning Herald.
Foi a partir das histórias contadas pelos pais e das suas experiências na sua infância durantes a Guerra que o autor decidiu escrever este livro. Zusak fez pesquisas em Munique e no campo de concentração de Dachau, nem tudo é ficção, partes do livro são recordações e experiências da infância da mãe.
Aos 30 anos, Zusak já tinha escrito muitos livros, com a publicação de
A Menina que Roubava Livro
s, ele foi batizado como um “fenômeno literário” por muitos críticos.

Idea 2
Idea 3
Idea 4
Conclusion
Full transcript