Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Quais são os desafios políticos contemporâneos?

No description
by

Naísa Santos

on 10 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Quais são os desafios políticos contemporâneos?

Quais são os desafios políticos contemporâneos?
Antônio Negri filosofo e cientista italiano, nascido em 1933-, foi professor da universidade de Pádua e ativo militante político e social na Itália dos anos 1950-70. Foi um dos fundadores das organizações, que defendiam principios marxistas.
Ao mostrar toda irregularidade de uma grande cidade como São Paulo, como pequenos traficantes (serviçais do narcotráfico), a visualização de uma cidade em ruínas mesmo antes de construída (o clima cinza, rápido e intenso da cidade), mostra a dualidade entre a realidade e o que é mostrado na "boba" paisagem exposta ao mundo. Ele expõe personagens desta grande capital, como a mulata que possui duras e escuras coxas e de seu caminhar na interpretação teatral do dia a dia. Há tantas pessoas desconhecidas que, quando ele se encontra com um amigo, isso se torna um fato eufórico, parecendo um pequeno segundo de paz no meio do caos. Caos este visto até no show do Jorge BenJor; muita alegria no meio da multidão aglomerada, e esta traz até um mal-estar. A alegria e a indisposição alcançam níveis máximos.
O personagem se sente um índio cantando solitário, um estrangeiro buscando achar sua cultura remoendo o passado, perdido diante do que existe. As pessoas que foram da Bahia à Sâo Paulo são a migração básica das misturas culturais mostradas.
No final ele fecha a ideia de que, mesmo diante da raiva que sente, ainda vai atrás de prazeres e ignora a possibilidade de que existe o certo ou o errado, e sim variadas culturas, harmonias e gostos...sem juizo final.
Caetano disseca a capital paulista, mostrando-a acizentada, com muita sinestesia, narração visual, e torna intenso o verdadeiro cartão postal da "cinza velocidade".
Viveremos hoje sob a forma política do império?
Segundo ele, por causa de todas as transformações que a sociedade tem sofrido, os conceitos clássicos da política já não servem.Sua tese central afirma-se, sobretudo com o processo de globalização que consolidou nas últimas décadas do séc. XXI, a noção de soberania, centrada no Estado-Nação, passou por um processo de declínio.

Para ele vivemos numa fase pós-moderna e essa soberania está centrada na produção biopolítica.


O império e a fabricação de uma "ordem mundial"
Se no período moderno o Estado-nação representava a soberania, no pós-moderno a forma política da soberania é o império, segundo Negri.
O conceito de império pós-moderno se distingue por quatro caracteríticas principais:

1-No império não há fronteiras;
2-O império não resulta de um processo histórico de conquistas que o tenha consolidado;
3-O exercício de poder não se limita ao plano político;
4-O império está sempre dedicado à paz.

Música: "Fora da Ordem"
Vapor barato, um mero serviçal do narcotráfico
Foi encontrado na ruína de uma escola em construção...
Aqui tudo parece que era ainda construção e já é ruína
Tudo é menino e menino no olho da rua
O asfalto, a ponte, o viaduto, ganindo prá lua
Nada continua...
E o cano da pistola que as crianças mordem
Reflete todas as cores da paisagem da cidade
Que é muito mais bonita e muito mais intensa do que no cartão postal...



Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...

Escuras coxas duras tuas duas de acrobata mulata
Tua batata da perna moderna, trupe intrépida
Te encontro em Sampa de onde mal se vê quem sobe ou desce a rampa
em que fluis...
Alguma coisa em nossa transa é quase luz forte demais
Parece pôr tudo à prova, parece fogo, parece, parece paz,
Parece paz...
Pletora de alegria um show de Jorge Benjor dentro de nós É muito, é grande é total...

Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...

Meu canto esconde-se como um bando de Ianomâmis na floresta
Na minha testa caem vem colocar-se plumas de um velho cocar...
Estou de pé em cima do monte de imundo lixo baiano
Cuspo chicletes do ódio no esgoto exposto do Leblon

Mas retribuo a piscadela do garoto de frete do Trianon
Eu sei o que é bom...
Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem
Apenas sei de diversas harmonias bonitas possíveis sem juízo final...

Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...



VELOSO, Caetano. Fora da Ordem. In: Circunladô. PolyGram, 1991.
Full transcript