Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A fenomenologia de

No description
by

Paulo Roberto Reimão Machado

on 16 November 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A fenomenologia de

Fundamentos da
Psicologia Fenomenológica

A crise na filosofia do sec. XIX e sua ressonância com a crise do sec. XVI
R. Descartes
1596-1650
E. Husserl
1859-1938
N .Copérnico
1473-1543
B. Pascal
1623-1662
Redução fenomenológica e Intencionalidade
Beto Machado

betomachado@institutodasein.org
institutodasein.org
facebook.com/institutodasein
Psicanálise e Fenomenologia no pensamento hermenêutico de Paul Ricoeur
Professor: Nichan Dichtchekenian
Segundas-feiras das 14h às 16h

Caminhos da Psicologia Fenomenológica
Professores: Alexandre Valverde/André Sendra de Assis/Beto Machado/Daniel Rehfeld/Felipe Loberto/João Pedro Perosa/Lucas Francis Ong/Luis Jardim/Maíra Clini/Marina Cecchini/Marta Rosmaninho/Vanessa Maichin/Vania Bartalini/Vitor Sampaio
Terças-feiras das 14h às 16h

Fundamentos da Psicologia fenomenológica e hermenêutica
Professores: André Sendra de Assis e Beto Machado
Quarta-feiras das 14h às 16h


Cursos 2° semestre de 2016

Modalidades: Presencial e transmissão ao vivo online
* acesso à gravação em vídeo das aulas em ambas as modalidades
Analítica existencial e Daseinsanálise: leitura e discussão crítica do livro
Daseinsanálise e Psicanálise (Escola Francesa de Daseinsanálise)
Professor: Marco Casanova
Quintas-feiras das 10h30 às 12h30

Leituras de Ser e tempo de Martin Heidegger
Professor: Marco Casanova
Quintas-feiras das 14h às 16h

Heidegger e Lacan: em torno do problema da indeterminação ontológica do existir
Professor: Marco Casanova
Quintas-feiras das 19h30 às 21h30




"Às coisas mesmas"

1887 a 1901 - Trabalhou em Hale como "professor precário" (
Privatdozent
)
1900 a 1901 - Publicação das
Investigações Lógicas
.
1901 a 1916 - Lecionou em Göttingen, primeiro como professor extraordinário (até 1906), depois como professor catedrático (1906 a 1916).
1913 -

Publicação das
Ideias para uma fenomenologia pura e uma filosofia fenomenológica I
(virada para a filosofia transcendental)
1916 a 1928 - Mudou-se para Friburg, onde assumiu a cátedra de filosifa como sucessor do filosofo neokantiano Heinrich Rickert. (Nesse período Husserl teve como assistentes tanto Edith Stein quanto Martin Heidegger).
1928 - Husserl se aposentou e sua cátreda é assumida por M. Heidegger.
1929 - Conferência de Paris.
1931 - Publicação das
Meditações cartesianas
.
1933- Leis raciais do regime nazista retiraram sua situação acadêmica e privilégios.
1935 - Conferências de Praga e Viena.
1936 - Publicação de
A crise das ciências europeias e a fenomenologia transcendental
.
1938 - Morreu em Friburg.
Investigações lógicas
- (1900-1901)

Obra inaugural de Husserl em relação à Fenomenologia.

Duas partes principais:
Prolegômenos à lógica pura
(crítica ao psicologismo)
As seis
Investigações sobre fenomenologia e teoria do conhecimento
(análise da intencionalidade)

Significados ideais podem ser explicitados de diversas formas. Não podem ser confundidos atos de consciência.
W. Wundt
1832 - 1920
F. Brentano
1838 - 1917
Nasceu no dia 8 de abril de 1859 na Morávia, atual República Tcheca, de uma familia judia liberal.
Foi descrito por seus professores como um aluno pouco estudioso, pouco ambicioso, habituado a dormir nas aulas e a dar sempre o mínimo de si mesmo.
Desde o ginásio em Olmutz, ficou clara sua predileção pela Matemática.
17/18 anos - Foi para Leipzig estudar astronomia. Acompanhou as aulas de W. Wundt.






1878 - Foi para Universidade de Berlim estudar matemática.
1881 - Foi para Universidade de Viena, onde realizou sua dissertação
Beiträge zur Theorie der Variationsrechnung
em 1882.
1884 - F. Brentano "converteu" Husserl à filosofia.





1886 - Foi à Universidade de Hale acompanhar os cursos do filósofo/psicólogo C. Stumpf.
1887 - obteve sua livre docência em Hale intitulada
Über den Begriff der Zahl
. Nessa obra sobre o conceito de número, já aparecem críticas à Wundt (subjetivista) e Volkelt (objetivista).
As obras públicas em vida por Husserl constituem apenas uma pequena parte de sua enorme produção. Sua obra postuma, composta de manuscritos e livros inéditos abranguam cerca de 45.000 páginas.

Esse manuscritos, que estavam sob ameça de destruição na Alemanha nazista, foram salvos pelo jovem franciscano Herman Leo Van Breda, que conseguiu levar os documentos para um monastério belga.

Ainda antes da segunda guerra mundial foi fundado o Arquivo Husserl no Instituto de Filosofia de Louvain, onde se encontram até hoje.

Na mesma época da fundação do arquivo começou a edição crítica da obra, a
Husserliana
.
Psicologismo

Psicologismo é uma posição que considera que
todas
as questões epistemológicas e teórico-científicas são fundamentadas na natureza cognitiva do perceber, crer, julgar e do conhecer (fenômenos psiquicos), e portanto, que é preciso que seja uma tarefa da
psicologia
investigar e constatar suas estruturas.

Assim, para o psicologismo, mesmo a lógica precisa ser considerada como parte da psicologia, uma vez que, enquanto fenômeno psico-lógico, ela precisaria ser validada por meio da investigação empírica.
Crítica ao psicologismo

Diferença fundamental entre lógica e psicologia:

Lógica - Não é uma ciência empírica, ela investiga estruturas e leis ideais (certeza e exatidão - exemplo do conceito de número).

Psicologia - Ciência experimental, investiga a natureza fática da consciência (vago e provável).

O psicologismo não distingue
ato de consciência
de
objeto
.
1913 - Ideias para uma fenomenologia pura e uma filosofia fenomenológica I

virada para a filosofia transcendental.

1931 - Meditações cartesianas

1936 - A crise das ciências europeias e a fenomenologia transcendental
.




Franz Brentano
(Provincia de Reno, 1838 / Zurique, 1917)


- Psicognose - Psicologia descritiva.
- Psicogenética - Psicologia explicativa.

- É preciso primeiro descrever os atos psíquicos, para então chegarmos a suas explicações.

- Psicologista - Psicologia como fundamentos para todo o saber.






Intencionalidade
- (direcionalidade -
aboutness
)

Vivência - entidade psíquica fundamental (reflexivas, imaginativas, intelectivas, perceptivas, etc) - lembrar, esperar, temer...

Consciência - fluxo de vivências (simultâneas).

Vivências intencionais e não-intencionais (sensações) - traço característico das vivências intencionais (diferente de propósito)

Toda consciência é consciência de... (toda vivência intencional tem um objeto intencional)

Atos de consciência e objeto correlato.





A crise na filosofia do sec. XIX e sua ressonância com a crise do sec. XVI
Heidegger
1889-1976
Campo Fenomenológico heideggeriano
Seminários de Zollikon e M .Boss

M. Boss e a clínica do "Pastor do Ser"
Pato-coelho - Sentidos diferentes para as mesmas sensações

Sentido - Vivência intencional (ato de consciência) - Objeto

Ato intuitivo (experiência do objeto) e ato signitivo (linguagem)

Conhecimento - ato signitivo validado pelo ato intuitivo

Empatia - o objeto do ato é uma vivência do outro. Percebo ou outro a partir do corpo.

Atitude natural X atitude reflexiva

A consciência é temporal - Retenção e propensão - a percepção é sempre temporal

Percepção de objetos temporais (música - percepção de uma melodia)

Intersubjetividade

Lebenwelt - Mundo da vida

Psiquiatra suíço nascido em outubro de 1903 em Saint-Gail, foi o responsável por desenvolver a Daseinsanálise de Binswanger a partir sua confrontaçào direto com o próprio filósofo cujo pensamento a estruturou.

Graduou-se como médico em Viena.
Iniciou sua formação em psicanálise com uma análise didática na Bergstrasse 19, sob direção de Freud.
Voltou para Zurique onde aprofundou seu processo clínico com Hans Beth Eschenburg.
Trabalhou (assim como Binswanger) como médico assistente do psiquiatra Eugen Bleuber na clínica Burghölzli.
Foi para Londres onde trabalhou por seis meses com Ernest Jones no National Hospital for Nervous Diseases.
Participou por 10 anos de um grupo de estudos sobre Psicologia Analítica, a convite de Carl Gustav Jung (1938-1948).
Formou-se em psicanálise no Instituto de Psicanálise de Berlim.
Década de 1930 - Conheceu Binswanger que lhe apresentou a obra de Heidegger.
Durante a segunda-guerra - Entrou em um contato aprofundado com
Ser e Tempo (1939-1945)
1947 - Escreve pela primeira vez para Heidegger e inicia uma longa amizade como filosofo.
1949 - O sentido e o conteúdo das preversóes sexuais.
1957 -
A análise dos sonhos.
1965 -
Um psiquiatra descobre a India.
1959 a 1969 - Ocorrem os
Seminários de Zollikon
.
1963 -
Psicanálise e Daseinsanálise
.
1971 - Conferência:
Culpa, Angústia e Libertação
.
1971 - Funda em Zurique o Instituto de Psicoterapia e Psicosomática do ponto de vista da Analise Existencial.
1977 -
Na noite passada eu sonhei...
1979 -
Fundamentos existenciais da Medicina e da Psicologia.
1988 - Psicoterapia para liberdade: o modo daseinsanalítico em Psicologia e Psicanálise.
Medard Boss
1903-1990
Ernest Jones
1879-1958
As datas das aulas podem ser visualizadas pela agenda do site

Local: Rua Paracuê, 157 - Sumaré - São Paulo/SP (proximo à estação Vila Madalena do metrô)

Inscrições e informações:
institutodasein.org
cursos@institutodasein.org
Ser-aí
Ser-no-mundo
Ser-em (
innan
)
Ser-com
Abertura de mundo
Projeto de sentido
Tonalidades afetivas
Full transcript