Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trabalho

No description
by

Leandro Octaviano

on 7 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trabalho

Influência da mata equatoria
l

Etapas dos rios voadores
O rio voador nasce no oceano Atlântico. A água evapora no mar, perto da linha do Equador, e chega à floresta Amazônica empurrada pelos ventos alísios. Esse blocão de vapor passa rasante: 80% dele voa a, no máximo, 3 quilômetros de altura .
A vazão desse aguaceiro aéreo é da ordem de 200 milhões de litros por segundo (similar à do rio Amazonas), fazendo da Amazônia uma das regiões mais úmidas do planeta, além de provocar as chuvas que desabam diariamente por toda a região
Enquanto passa sobre a floresta, o rio voador praticamente dobra de volume. Isso ocorre porque, ao absorver mais radiação do Sol do que o próprio oceano, a mata funciona como uma gigantesca chaleira, liberando vapor com a transpiração das árvores e a evaporação dos afluentes que correm no solo
No oeste da Amazônia, a massa de umidade encontra uma barreira de montanhas de 4 quilômetros de altura, a cordilheira dos Andes, que funciona como uma represa no céu, contendo a correnteza aérea do lado de cá

Boa parte do vapor fica acumulada nos próprios Andes, sob a forma de neve. Ao derreter, essa água desce as montanhas, dando origem a córregos que, por sua vez, formarão os principais rios da bacia Amazônica, como o Amazonas
Enquanto flui em caudalosos veios rumo ao mar, muito da água proveniente dos rios voadores é absorvido pela floresta. Quando transpiram, as árvores então liberam esse líquido em forma de vapor, fechando o ciclo que novamente alimentará a corrente no céu. Por fim, o rio voador cai em forma de chuva. Mais da metade da precipitação das Regiões Centro-Oeste e Sudeste vem dos rios aéreos da Amazônia. Além desse veio principal, outras 20 correntezas cruzam o céu do país, carregando um volume de água equivalente a 4 trilhões de caixas-d’água de 1 000

litros
Influências na hidrografia e no clima
A imensa floresta amazônica é capaz de gerar diariamente níveis de vapor d'água oriundos do processo de evapotranspiração, em quantidades altamente significativas, alimentando a atmosfera com umidade e formando os "rios voadores", que conforme os movimentos da circulação geral da atmosfera são deslocados para a região centro-oeste, sudeste e sul do país, logo, os regimes de chuvas dessas regiões estão intimamente relacionados a este fenômeno

O bioma seria o mais afetado pelo desmate da floresta equatorial, correndo o risco de apresentar, até 2050, uma queda de 21% na quantidade de precipitações durante o período de seca e de 12% durante a estação úmida..
observa-se que a devastação da Floresta Amazônica poderá influenciar diretamente no clima de toda América do Sul e também de outras partes do mundo. Sem a cobertura vegetal, teríamos menos 15% a 30% das chuvas, com impactos semelhantes nas bacias adjacentes e aumento da frequência de eventos extremos.


Nem todo vapor que encontra os Andes fica por ali. Cerca de 40% dessa cachoeira celeste segue rumo ao sul. A umidade passa por Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo, terminando a viagem no norte do Paraná, cerca de seis dias depois
Referências Bibliografias
http://www.ecodesenvolvimento.org/posts/2013/marco/desmatamento-na-amazonia-aumenta-incidencia-do-el

http://brasildasaguas.com.br/wp-content/uploads/sites/4/2013/05/caderno_rios_voadores.pdf

http://oglobo.globo.com/ciencia/entenda-como-os-rios-voadores-comandam-tempo-no-brasil-2974269

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/sao-rios-voadores-imensas-massas-vapor-d-agua-levadas-correntes-ar-534365.shtml

http://oglobo.globo.com/ciencia/entenda-como-os-rios-voadores-comandam-tempo-no-brasil-2974269

http://brasildasaguas.com.br/wp-content/uploads/sites/4/2013/05/caderno_rios_voadores.pdf
Sem floresta, não haverá rios voadores, a umidade cairá e as massas de ar ficarão mais aquecidas, contribuindo para o aumento intensivo das temperaturas. Além do fato dos rios voadores abastecerem diversos rios, como por exemplo: o Rio Paraná ,e Rio Paragua, entre os quais existem diversas usinas.
Introdução
Devido principalmente a grande evapotranspiração existente nas florestas equatorias, mais expecificamente a Floresta Amazônica , a mesma se torna de extrema importância para as diversas regiões do Brasil e até mesmo da América do Sul, exercendo grande influencia nos regimes climatica e hidrograficos das regiões sobordinadas a grandiosidade da Floresta Amazônica.
Neste trabalho entenderemos melhor como tal floresta pode influenciar tanto na dinâmica climática.
Conclusão
Após estudar com um pouco mais de detalhes, vemos que a Floresta Amazônica é de extrema importância para o Brasil, mais especificamente para as regiões centro-oeste e sudeste. Pode-se concluir que a preservação da mata equatorial deve ser levada extremamente a sério pois ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, não se trata apenas de um desmatamente para vender madeira, fazer pastagem e etc... As consêquencias de tal devastação são mais extremas do que nós pensamos, podendo afetar a dinâmica climática e hidrografica e até mesmo econômica do país.
Gerard Moss
A chuva que cai alimenta rios importantes, como o Paraná e o tietê, nos quais imensas hidrelçétricas fornecem a energia da qual dependem muitas indústrias nacionais. Varias terras cultivadas no Brasil dependem da permanência do regime de chuvas para continuar produzindo.

Comparando com outros gigantes da produção agrícola e pecuária o Brasil possui apenas 5% de suas terras produtivas dotas de irrigação mecânica. Nos outros 95% onde sai 84% da produção agrícola, os plantios se beneficiam da grande quantidade de chuva que se precipita no Brasil.
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

GRUPO:
Leandro Octaviano
Wagner Augusto
Josué Rermam
Victor Maia
Belo Horizonte
2013
A IMPORTÂNCIA DA FLOR,EQ, PARA O CLIMA E RECURSOS HÍDRICOS DO CRENTO-OESTE E SUDESTE
Full transcript