Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Literatura de Cordel

No description
by

Alexandre Marques

on 13 March 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Literatura de Cordel

Origem da Literatura de Cordel
Alguns estudiosos acreditam que os cordéis já existiam na
Idade Média
, com os trovadores europeus (músicos que contavam histórias rimadas, acompanhados de seus instrumentos). Outros acreditam que ele surgiu na Índia, com a
tradição oral de contar histórias
.
A literatura de cordel é um tipo de
poema popular
, geralmente escrito por pessoas com pouca instrução formal, impresso e divulgado em
folhetos
ilustrados com
xilogravuras
.

Vendido em pequenas lojas de mercados populares, o cordel ganhou esse nome, pois os poemas eram expostos ao público amarrados em cordões.
Elementos de composição do cordel
Rima:
corresponde aos sons finais em palavras diferentes. A rima ajuda a manter a sonoridade em construções poéticas. Veja o esquema neste trecho da música “Felicidade”, de Marcelo Jeneci:

Haverá um dia em que você não haverá de ser feliz
(A)
Sentirá o ar sem se mexer
(B)
Sem desejar como antes sempre quis
(A)
Você vai rir, sem perceber
(B)
Felicidade é só questão de ser
(B)
Quando chover, deixar molhar
(C)
Pra receber o sol quando voltar
(C)



Métrica
é a medida das sílabas poéticas de cada verso, em determinado gênero de estrofe. A
sílaba poética é contada até a última sílaba tônica do verso
e é diferente da separação de sílabas gramaticais. A contagem das sílabas poéticas de um poema é chamada de
escansão
.

Veja o exemplo de divisão entre as sílabas gramaticais e as sílabas poéticas do verso: “A seleção brasileira”

Verso A se le ção bra si
lei
ra
Sílabas Gramaticais 1 2 3 4 5 6 7 8
Sílabas Poéticas 1 2 3 4 5 6 7


Diferenças entre verso e estrofe
Verso
é cada uma das linhas de um poema. É a unidade rítmica da composição poética.

Os versos do cordel podem ser construídos de várias formas. Geralmente são utilizados versos formados por
sete sílabas
poéticas (heptassílabos), também conhecidos como
redondilha maior
. Veja:

Ba ta ti nha quan do
nas
(ce)
1 2 3 4 5 6 7

Estrofe
é um grupo de versos de um trabalho poético, em geral com sentido completo.

Batatinha quando nasce
espalha a rama pelo chão.
Menininha quando dorme
põe a mão no coração.

Na composição dos cordéis tradicionais, são utilizadas as
sextilhas
, estrofes compostas por
seis versos
.
Para entender como funciona a sextilha, vamos atribuir uma letra diferente para cada verso que acabar de uma forma. Os versos que rimam recebem letras iguais. Assim, conseguimos mapear a estrutura de rimas de um texto poético. Na sextilha, existem duas formas de organização:

1. AB/AB/AB:
além de os versos pares (2, 4 e 6) rimarem entre si, os versos ímpares (1, 3 e 5) também rimam entre si, como no exemplo abaixo:

Os nossos antepassad
os

(A)
Eram muito preven
idos

(B)
diziam: — Mato tem olh
os

(A)
E paredes têm ouv
idos

(B)
Os crimes são descobert
os

(A)
Por mais que sejam escond
idos
.
(B)

2. AB/CB/DB:
somente os versos pares (2, 4 e 6) rimam. Vejamos o exemplo abaixo, que explica, em forma de cordel, o que é uma sextilha.
Atenção para a forma como as rimas são construídas!

A Sextilha é uma estrofe
(A)
Que mostra, no seu cont
exto
,
(B)
Seis versos de sete sílabas
(C)
E apresenta o seu t
exto
(B)
Rimando o segundo verso
(D)
Com o quarto e com o s
exto
.
(B)

dúvidas?
Professor Alexandre Marques
Full transcript