Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O Triste Fim de Policarpo Quaresma

No description
by

GABRIEL GOMES

on 10 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Triste Fim de Policarpo Quaresma

O Triste Fim de Policarpo Quaresma
E.E.Blanche dos Santos Pereira
contexto histórico
do Brasil
Publicação
Política
Financeira
socio-cultural
Nasceu em 13/05/1881
Nasceu no Rio de Janeiro, onde viveu toda a sua vida.
Data da Publicação do Livro.
Escrito por Lima Barreto, foi levado a público pela primeira vez em folhetins, publicados, entre Agosto e Outubro de 1911, na edição da tarde do Jornal do Comercio do Rio de Janeiro. Em 1915, também no Rio de Janeiro, a obra foi pela primeira vez impressa em livro, em edição do autor.
O estilo literário a qual pertence.
Triste Fim de Policarpo Quaresma é um romance do pré-modernismo brasileiro e considerado por alguns o principal representante desse movimento.
Afonso Henriques de Lima Barreto.
Morreu em 01/11/1922

Coincidências no ano de nascimento e no ano de sua morte.
Dois momentos significativos da nossa historia literária brasileira.
Em 1881, marco inicial do Realismo/Naturalismo no Brasil.
No MUNDO
Em 1922, Semana da Arte Moderna.
Protagonista
Policarpo Quaresma
Antagonista
Policarpo Quaresma era um homem extremamente nacionalista, um sonhador, sonhava e enaltecia a pátria, e ai de quem falasse alguma coisa contra a sua pátria, defendi-a com unhas e dentes.
"Os subúrbios do Rio de Janeiro são a mais curiosa cousa em matéria de edificação de cidade."

Página: 41
SEGUNDA PARTE - Capitulo: 2 Espinhos e Flores.
Quando acontece a historia do livro
A história ocorre durante o governo de
Floriano Peixoto
, 1894, conforme relatos do livro.
"Há uma outra face do
Marechal Floriano
que muito explica os seus movimentos, atos e gestos".
Página: 71
TERCEIRA PARTE - Capitulo: 1 Patriotas
"Bustamante cria com força na capacidade do
General Peixoto
, tanto assim que, para apoiá-lo e defender o seu governo, imaginava organizar um batalhão patriótico, de que já tinha o nome “Cruzeiro do Sul” e naturalmente seria o seu comandante, com todas as vantagens do posto de coronel.”.
Página: 65 e 66
SEGUNDA PARTE - Capitulo: 5 O Trovador


O livro é dividido em três partes, que correspondem, cada uma,a um dos projetos grandiosos do protagonista.
A primeira parte se passa no Rio de Janeiro, onde Policarpo trabalha como funcionário do Arsenal de Guerra. Ele vive com a irmã, Adelaide, e dedica seu enorme tempo livre ao estudo minucioso sobre o Brasil. É conhecido como Major Quaresma, embora não tenha essa patente militar. Seu patriotismo exagerado é motivo de chacota nas redondezas
Nesse episódio, Lima Barreto escreve
uma grande sátira ao comportamento
das elites brasileiras da época.
Desfilam, na recepção, vários personagens
medíocres, cheios de títulos vazios:
contra-almirante Caldas, doutor Florêncio,
major Bustamante,
Armando. O povo também é satirizado.
As figuras populares ficam embasbacadas
diante do título de “doutor” de Cavalcanti,
o noivo de Ismênia. Essa cena é interrompida
quando Genelício, um típico burocrata,
dá a todos a notícia de que Policarpo havia
sido internado num sanatório.
Após abandonar os estudos musicais, o protagonista começara a aprender o idioma tupi e redigira à Câmara um requerimento em que pedia a adoção do tupi-guarani como idioma oficial da pátria.
A segunda parte se passa no município de Curuzu, onde Policarpo adquire uma propriedade, o sítio Sossego. Os amigos julgam que ele está curado de sua febre patriótica, mas enganam-se. A ida para Curuzu é parte de mais um projeto de salvação da pátria.
Fernando S., Gabriel G., João P., Jennifer N. e Tarsis 3ºE
O estilo literário
Encaixa-se no Pré-Modernismo (1902-22), pois, respeita códigos literários antigos
(principalmente o Naturalismo),
mas já apresenta uma linguagem nova, mais arejada em relação ao momento anterior.
Onde Acontece a historia.
Narrador da história
O antagonista desse livro é a própria estrutura esmagadora e alienante daquele Brasil pós-monarquia, a
Pátria.

* Em algumas passagens, no entanto, o narrador se emiscui no relato, como por exemplo, " Era de ver como aquela vida tão estranha à nossa, naquele instante penetrava em nós e setíamos-lhe o sofrimento a agonia e a dor" (seg part. cap IV
"Pensava na grande obra que o Destino reservava àquela figura plácida e triste; na reforma radical que ele ia levar ao organismo aniquilado da pátria, que o major se habituara a crer a mais rica do mundo, embora, de uns tempos para cá, já tivesse dúvidas a certos respeitos."
Página: 71 e 72
TERCEIRA PARTE - Capitulo: 1 Patriotas
Relatos do Livro
"E, bem pensando, mesmo na sua pureza, o que vinha a ser a Pátria? Não teria levado toda a sua vida norteado por uma ilusão, por uma idéia a menos, sem base, sem apoio, por um Deus ou uma deusa cujo império se esvaía?"
Página: 99
TERCEIRA PARTE - Capitulo: 5 A Afilhada
O romance é narrado
em terceira pessoa, Narrador- onisciente

Euclides da Cunha
Graça Aranha
Lima Barreto
3 Personagens Principais
Policarpo Quaresma
Quaresma era pequeno e magro, usava óculos, fraque e cartola. Andava sempre olhando para baixo, por isso quando levantava o olhar penetrava fundo no que lhe interessava.
Ele quase não tinha ambições, queria para sua vida apenas conforto e viver bem. Era decidido, possuía caráter forte e tinha suas manias. Mas uma de suas principais características era o seu patriotismo.
Olga
Ela era uma mulher forte, decidida e inteligente, o que era características dificeis de serem encontradas nas mulheres da época. Ela foi criada pelo pai, o italiano Coleoni. Seu pai queria casá-la, mas ele a deixava livre para se casar com quem ela quisesse. Olga esteve sempre do lado de Quaresma.
Introdução - Uma breve história.
Não gastava nesses passos nem
mesmo uma hora, de forma que, às três e
quarenta, por aí assim, tomava o
bonde
,
sem erro de um minuto,
O convívio social de Policarpo na pequena cidade, que inicialmente se mostrara ótimo, sofre duros abalos. Líderes políticos locais corruptos tentam envolver Policarpo em suas negociatas, sem saber o fanático idealista que tinham diante de si. O protagonista repudia essas tentativas e, com isso, ganha inimigos poderosos. Acusam-no de boêmio, por sua mania de modinhas, e obrigam-no a pagar multas por seus estudos de tupi e do folclore nacional.
A terceira e última parte do romance tem um
viés trágico, já que o personagem caminha para
sua completa aniquilação.
A revolta, enfim, é reprimida, e Floriano envia grande parte dos inimigos – principalmente aqueles sem patente – à prisão da Ilha das Cabras. Indignado, Policarpo escreve uma carta ao presidente em que demonstra seu inconformismo. Finalmente, o próprio protagonista é enviado à prisão da Ilha das Cabras. Lá tece uma série de reflexões amargas sobre a pátria. Um final amargo e negativo. Olga e Ricardo Coração dos Outros tentam livrar Quaresma da cadeia por intermédio de antigas amizades, mas é inútil. Policarpo é chamado de “traidor” e espera a morte certa quando o livro se encerra.
O
bonde
chegara ao Largo de São Francisco e os dous se separaram. Quaresma foi direitinho ao
Largo da Carioca e Albernaz seguiu para a Rua do Rosário.
Ia tomar
o bonde
, quando se ouviram alguns disparos de artilharia e o seco espoucar dos fuzis.
A conversa se havia passado na esquina da Rua Larga com o Campo de Sant’Ana. Quaresma
pretendia tomar um
bonde
que o levasse ao centro da cidade.
Olga era afilhada de Quaresma. No livro ela é retratada sendo uma jovem bonita, fina e rica. Para Policarpo ela ocupava em seu coração o lugar dos filhos que ele nunca teve.
Ricardo Coração dos Outros
Ricardo Coração dos Outros é um tocador de modinhas que morava em um subúrbio e era amigo de Quaresma.
Ricardo também era patriota, mas não tanto como era Quaresma. Ele lutou junto com Olga para salvar a vida de seu amigo Quaresma.
Ideia Central
No livro é mostrado as decepcões de Policarpo Quaresma na sua tentativa de provar que o Brasil é o melhor país de todos. A ideia central da historia além de mostrar a corrupção e injustiça, é também de mostrar como o cidadão comum era tratado por defender os seus ideais.
Full transcript