Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

7 Dinâmicas da Oração

Prevalecer diante de Deus
by

Aldrin Jensen

on 18 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 7 Dinâmicas da Oração

7 DINÂMICAS DA ORAÇÃO
INTRODUÇÃO
FONTE E INSPIRAÇÃO DA ORAÇÃO
DEUS
...perseverai na oração, vigiando com ações de graças.
Colossenses 4.2
AS SETE DINÂMICAS DA ORAÇÃO
Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
Mateus 16.18
BATALHA ESPIRITUAL
Deus ordenou que Satanás fosse expulso e derrotado pelas orações do Seu povo. O Deus trino determinou que o Espírito Santo capacitasse e orasse por nosso intermédio, à medida que Ele habita em nós e nos enche.
Aprofundando nosso desejo
PRÓXIMO ENCONTRO
ORAÇÃO
ORAÇÃO
ORAÇÃO
Satanás não entrega suas fortalezas sem forte resistência e batalha espiritual. Ele não é apenas insolente e inveterado em seu ódio contra Deus e o homem, mas está também cheio de ira com as suas repetidas derrotas mediante as ofensivas de oração dos filhos de Deus.
1 - A DINÂMICA DO DESEJO
Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração.
Salmo 37.4
ORAÇÃO
Só quando Ele é Senhor da nossa oração podemos repousar seguros diante da resposta.
O céu quer sinceridade e não palavras bonitas e polidas.
O céu quer profundidade de alma, e não palavreado insensível.
Só Ele nos enche, nos possui, anseia por nosso intermédio, permeia e capacita cada aspecto de nossa oração, e nos revela as prioridades para a nossa oração.
Ao estudar os relatos bíblicos, as biografias dos mais santos guerreiros da oração e as emocionantes narrativas de respostas à oração, vemos repetidas menções de como essas sete dinâmicas foram usadas pelo Espírito Santo para guiar os veteranos em oração até as destacadas vitórias para Cristo.
É UMA DINÂMICA DO ESPÍRITO SANTO!
Não há nada de novo porque nada realmente é desejado.
A verdadeira súplica é filha do desejo sincero e não pode prevalecer sem ele; esse desejo que não é da terra nem saído de nosso coração pecador, mas colocado em nós pelo próprio Deus. Oh, que possamos ter tais desejos!
Prevalecer na oração depende da plena capacitação, da orientação e do poder do Espírito Santo.
Desejo
Fervor
Importunação

União
Perseverança
Louvor
Mas infelizmente, o pecado bloqueou o entendimento, perverteu os desejos e escravizou as vontades a ponto de muitos dos problemas que precisam ser resolvidos tornarem-se excessivamente complexos.
Algumas necessidades existem há tanto tempo que parecem impossíveis de ser mudadas.
Certas pessoas são tão resistentes à vontade de Deus, tão endurecidas em seus pecados e tão amarradas por Satanás, que é necessária uma tremenda luta em oração para visualizar as respostas de Deus e crer nelas.
Nossa oração, porém, pode prevalecer sobre todas as circunstâncias e todo o astucioso engano e poder demoníaco que Satanás comanda. Deus ordenou que Satanás seja expulso e derrotado pela nossa oração.
Mas quem se sente suficientemente preparado para entrar em combate espiritual com as forças e fortalezas do mal?
Quem ousa invadir territórios que Satanás separou para si mesmo?
Quem tem coragem de provocar a ira de Satanás, atacando suas forças e quebrando as cadeias que ele colocou nos cativos?
Quem ousa batalhar quase sozinho, como às vezes parece, contra as trevas e o reino entrincheirado do mal?
Quem?
O Espírito Santo!
Ele não se intimida com Satanás, nem com toda a ira desse leão que ruge. Ele não desanima, embora Satanás tenha usurpado há muito o controle sobre um determinado lugar, uma situação ou pessoa. O Espírito Santo é Deus e Satanás não é, nunca foi e nem mesmo será páreo para o Espírito do Senhor.
A dinâmica do fervor
APROFUNDANDO NOSSO DESEJO
1. Desejos bem-vindos dados por Deus
2. Não devemos apagar nem perder esses desejos santos
3. Devemos renunciar aos nossos próprios desejos
4. Devemos confiar em Deus para o que desejamos, e louvá-Lo
O desejo real é dom de Deus. Nosso próprio desejo precisa ser aprofundado com a ajuda Dele.
Finney ensina que se o desejo de ajudar outras pessoas toma conta de nossa alma, há uma boa possibilidade de que o Espírito Santo esteja dando e aprofundando nosso desejo.
“Em tal caso, nenhum grau de desejo ou importunação em oração é impróprio”
I Tessalonicenses 5.19
Quase tudo quanto nos rodeia é demasiado mundano,...
...buscando invadir nosso tempo de oração e dissipar nossos desejos santos e sua percepção da presença de Deus.
Só o Espírito Santo pode nos guiar até o centro do propósito de Deus e ao ponto focal da oração que prevalece.
Podemos frequentemente desejar coisas e ser mais automotivados do que motivados por Deus.
A nossa oração pode ser mais colorida pelo egocentrismo do que pelo desejo de dar glória a Deus.
A oração que prevalece é normalmente possível apenas para coisas que estejam dentro da vontade de Deus.
3. Se persistirmos em autodesejos voluntariosos e buscarmos exigir que seja feita a nossa própria vontade, poderemos viver para lamentar nossa oração.
Desejo é outra palavra para fome. A não ser que haja suspiros, anseios, fome e sede, e talvez até lágrimas de desejo, provavelmente ainda não chegamos à oração que prevalece.
A não ser que nosso coração grite das suas profundezas, as barreiras de Satanás parecem às vezes imóveis, e os cativos de Satanás continuam amarrados.
4. Ó companheiro cristão! Mantenha a sua fome. Guarde-a para as respostas de Deus à oração. Finney exclama: “Como deve ser grande a força do desejo sentido por Deus quando Seu Espírito produz nos cristãos tal agonia surpreendente, tais angústias da alma, tal labor”.
Precisamos aprender a beber no Espírito de Cristo à medida que Ele anseia por ver as cadeias dos hábitos perniciosos, das drogas e de Satanás abertas e as pessoas libertadas. Precisamos aprender a orar sobre a nossa Jerusalém com Jesus se quisermos ver o reavivamento dado pelo Espírito chegar à nossa cidade a partir da nossa Igreja. As respostas poderosas à oração podem ter um alto preço, mas elas valem tal custo. Precisamos aprender a ter fome se quisermos prevalecer.
A DINÂMICA DO FERVOR
INTRODUÇÃO
Já ninguém há que invoque o teu nome, que se desperte e te detenha; porque escondes de nós o rosto e nos consomes por causa das nossas iniquidades.
Isaías 64.7
Se colocamos tão pouco sentimento em nossas orações, não podemos esperar que Deus coloque muito sentimento ao respondê-las.
COMO DESENVOLVER FERVOR NA ORAÇÃO
Vimos que o desejo está mais relacionado com a fome e com a urgência. O fervor com a paixão e com o zelo. O desejo nasce da necessidade; o fervor nasce do amor.
Precisamos de olhos que vejam a necessidade e de um coração que arda de amor.
“Você deve ter tanto do amor de Deus em sua alma, que esteja disposto a qualquer sacrifício ou a qualquer trabalho. Você precisa sentir o que Deus sente... amor pelas almas”. Charles Finney
A REALIDADE
Vários termos bíblicos expressam fervor na oração
chamar

clamar

derramar
“Os desejos inflamados e apaixonados, a insistência incansável, deliciam o céu... O céu está ocupado demais para ouvir orações indiferentes”. E.M. Bounds
Quando oramos, o Senhor coloca em nosso coração necessidades que Ele vê para que as vejamos também. Por isso o amor de Deus é dinâmico.
“É da própria natureza do verdadeiro amor desistir e esquecer de si mesmo por causa de outros”. Andrew Murray
ORAÇÃO
Sl 88.1-2; 130.1; I Sm 7.8;
II Cr 6.19; Ez 9.8; I Rs 17.22
Sl 42.1-4; 62.8
A medida mais importante da oração não é a sua duração, mas a sua profundidade; não são suas palavras bonitas, mas a sua intensidade. Não se trata necessariamente de quanto tempo oramos, mas de quão intensamente oramos.
Hebreus 5.7
Romanos 15.30
ORAÇÃO
O QUE A ORAÇÃO FERVOROSA NÃO É
1. Não é sinônimo de oração em voz alta e
barulhenta.
2. Não é sinônimo de exercício físico.
3. Não é sinônimo de oração respondida.
4. Não é uma espécie de “obra”.
1. Peça orientação ao Espírito Santo
2. Ouça a voz e aprecie qualquer chamada do
Espírito à oração
3. Estude a Bíblia diariamente
4. Crie hábitos e compromissos de oração
5. Faça uma lista de temas de oração.
A DINÂMICA DA IMPORTUNAÇÃO
A DINÂMICA DA IMPORTUNAÇÃO
INTRODUÇÃO
CONCLUSÃO
CONTEXTO
EXISTEM LIMITES
PARA A ORAÇÃO
IMPORTUNA?
A DINÂMICA DA IMPORTUNAÇÃO
PARTE 2
O que é importunação?
Lucas 11.5 a 8
anaideia = completo atrevimento
“É ateísmo pregar e não aguardar com esperança. O cristão sincero irá orar, esperar, fortalecer o seu coração com as promessas, e jamais deixará de orar e contemplar até que Deus lhe dê uma resposta graciosa”. Richard Sibbes.
Gênesis 18.16 a 33
O limite da misericórdia de Deus foi revelado quando Abraão deixou de interceder?
Abraão poderia ter insistido mais?
ORAÇÃO
Buscai primeiro o reino de Deus
E a Sua justiça
E todas as coisas vos serão acrescentadas
Aleluia! Aleluia!
Não só de pão o homem viverá
Mas de toda a palavra
que procede da boca de Deus
Aleluia! Aleluia!
Batei, batei e abrir-se-vos-á
Buscai e achareis
Pedi, pedi e dar-se-vos-á
Aleluia! Aleluia!
ORAÇÃO
Sim!
Esses limites são estabelecidos pela vontade de Deus. Portanto, quanto mais de perto andamos com Deus, mais intimamente compreendemos esses limites.
O amor de Deus tem limite?
SIM!
Deus nos ama na suficiência de Cristo!
Mateus 15.21 a 28
“Aquele que não insiste na sua súplica não ora. As orações frias não podem exigir nada do céu nem são ouvidas nas cortes celestes. O fogo é a vida da oração, e o céu é alcançado pela importunação em chamas”. Bounds.
O Jardim onde Cristo me espera
É lugar de delícia e de paz.
A certeza de sua presença
Dá-me vida feliz e eficaz.
Oh! Que lindo jardim, o jardim de oração
Onde Cristo me vem esperar;
Perto d'Ele estarei e contente serei
De minha alma a seus pés derramar.
No Jardim onde Cristo me espera,
Quer também te acolher, meu irmão
Vem fruir a incessante bondade
Que promana do seu coração!
Oh! Que lindo jardim, o jardim de oração,
Onde as flores são graça e poder;
Onde Cristo, o Senhor, abre as portas do Amor,
Eu me sinto feliz em viver!
No jardim onde Cristo me espera,
Eu deponho meus males e dor
E por bênçãos de Deus confortado
Dou louvores ao meu Redentor.
ORAÇÃO
Quantas vezes nosso medo, timidez e falta de fé tiraram de nós bênçãos e respostas à oração que Deus teria alegria em nos dar.
A qualidade de luta na oração importuna não brota da veemência física ou da energia carnal. Não é uma energia impulsiva nem uma simples sinceridade da alma; ela é uma força interna, uma faculdade implantada e despertada pelo Espírito Santo. Logo, é uma intercessão do próprio Espírito de Deus em nós.
ORAÇÃO FINAL
Desejo
Fervor
Importunação

União
Perseverança
Louvor
A DINÂMICA DA IMPORTUNAÇÃO
O PAPEL DA IMPORTUNAÇÃO
LABUTA E TRABALHO ÁRDUO
REPETIÇÃO NA IMPORTUNAÇÃO
Próximo Encontro
A Dinâmica da Fé
1. A importunação ensina os aspectos mais cristãos dos caráter.
2. A importunação ensina a forma mais sublime do serviço cristão.
3. A importunação traz respostas que não estariam disponíveis de qualquer outra forma.
“Vocês jamais desejarão orar até que se obriguem a isso”.
João Calvino
“A oração é de fato uma ação violenta e contínua do espírito ao ser levantado para Deus. Esta ação é comparável à de um navio navegando contra a corrente”.
Martinho Lutero
“Muitas vezes me envergonho de minhas orações. Elas frequentemente não me custam nada”.
John Jowett
Algumas pessoas têm a impressão errada de que não devemos repertir nossas petições diante do Senhor. Pode ser que a pessoa foi atendida ou que, por outro lado, sente que seria mostrar dúvida se lembrasse o Senhor novamente a respeito desse pedido.
“Jamais devemos ficar cansados de esperar pela ajuda de Deus”.
João Calvino.
Deus reserva suas respostas especiais para os intercessores importunos porque a própria natureza da importunação desenvolve em nós as mais excelentes graças cristãs.
A importunação fortalece a nossa fé até que creiamos não só por causa do que Deus pode fazer, mas também por causa de quem Deus é.
Deus nos fortalece espiritualmente, levando-nos a exercitar nossos músculos espirituais.
Não existe ministério mais semelhante ao de Cristo do que a oração intercessória
A importunação ousada tem sucesso onde todas as outras súplicas e orações falham.
A importunação realiza a vontade de Deus quando tudo o mais falha.
ORAÇÃO
A importunação não é recreação.
LUCAS 11.5 a 13
ORAÇÃO
ORAÇÃO FINAL
Desejo
Fervor
Importunação

União
Perseverança
Louvor
A DINÂMICA DA FÉ
INTRODUÇÃO
NOSSA

LIMITA A
LIBERDADE
DE DEUS PARA
TRABALHAR
PODEROSAMENTE
“A tua fé te salvou”
Próximo Encontro
Como Aumentar a Fé
A oração não está limitada ao que é humanamente possível. A oração é uma obra da fé.
Qual é o seu propósito?
Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem.
Hebreus 11.1
ORAÇÃO
TEXTOS
ORAÇÃO
ORAÇÃO FINAL
Tornar concretas as promessas que Deus nos fez.
Milhares de orações são feitas praticamente sem fé.
(Tiago 1.6 e 7).
Quantas vezes realmente esperamos que Deus responda?
(Mt 9.28).
Mateus
13.58; 17.20;
Marcos
4.40; 6.6; 16.14;
Lucas
8.25;
João
20.27;
SOBERANIA E GRAÇA DE DEUS
“Conforme a vossa fé”
Poder ilimitado
Ele quer fazer muitas coisas por nós, mas Sua palavra é: “Nada tendes, porque não pedis”.
Tiago 4.2.
Deus se agrada em trabalhar por intermédio dos Seus filhos. Repetidamente Ele condiciona grande parte da Sua obra divina na salvação e no avanço do reino à nossa obediência, fé e oração.
Marcos
5.34; 10.52;
Lucas
17.19
Não foi o poder de Jesus?
Um ato de Jesus?
Sim!
Mas ele seria incompleto sem a fé manifesta por eles.
A situação é a mesma hoje: não existe substituto para a fé. Horas e horas de oração não eliminam a necessidade de fé. Elas podem ajudar-nos a chegar à posição de fé, mas, sem a dinâmica da fé, a oração não prevalece.
A necessidade toca o coração de Deus. A nossa oração O comove profundamente. Mas, sem fé, nossa oração fica incompleta.
Falar com Deus sem fé não é verdadeira intercessão.
A fé submete nossa necessidade à vontade de Deus e se apossa do Seu poder.
A fé honra a Deus e Ele se agrada em responder à fé.
A fé dá determinação para que possamos ser tudo que Deus quer que sejamos por meio de Cristo.
A ORAÇÃO DE FÉ
INTRODUÇÃO
1. É uma oração que depende totalmente do Espírito Santo
Próximo Encontro
A Dinâmica do Espírito Santo
Estamos em guerra
Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
Romanos 8.31
ORAÇÃO
O que nos conforta?
ORAÇÃO FINAL
ESPIRITUAL
ESTAMOS DO LADO DO
VENCEDOR!!!
É nesse contexto que surge a oração de fé.
É uma oração que avança, tocando conscientemente o trono de Deus e depois descansa inabalavelmente na segurança da resposta.
2. É uma oração totalmente dedicada a ver a resposta de Deus realizada
3. É uma oração que crê na resposta de Deus numa situação absolutamente impossível
Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.
Romanos 8.26
A oração de fé não surge do interesse ou da vontade pessoal.
E a
oração
da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
Tiago 5.15
Euke = voto
A oração intensa compromete-nos à determinação como se fosse um voto.
Romanos 4.18 a 22
Hebreus 11.19
4. É uma oração que crê independentemente dos sentimentos ou das emoções
5. É oração convencida de estar de acordo com a vontade mais alta de Deus
6. É oração que não conhece resposta negativa
Mateus 26.39
Revelada em
Sua Palavra
Lucas 11.9
ORAÇÃO
7. Ela deseja obedecer a Deus em qualquer direção que Ele aponte
8. Ela pode incluir a guerra em oração
9. Nos dispõe a orar pela resposta
Romanos 4.20
I João 3.8
Apocalipse 12.10 e 11
I Tessalonicenses 5.18
Full transcript