Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os 10 vírus e bactérias mortais

No description
by

Maria Julia Abdo

on 6 October 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os 10 vírus e bactérias mortais

Provoca a fasciite necrosante; chamada assim pois a bactéria causa inflamação da fáscia, uma membrana que separa os músculos.



O vírus do Nilo ocidental
Transmissão: contato com animais contaminados
O vírus se infiltra rapidamente no leucócito e se apodera do seu mecanismo metabólico para se reproduzir. Ele se multiplica até romper a célula, inundando a corrente sanguínea com novos vírus.
Não existe cura disponível atualmente.
SARM ( Staphylococcus aureus resistente à meticilina)
Essa bactéria penetra na pele naturalmente através de ferimentos e, ao longo do tempo, se reproduz, liberando toxinas que paralisam o sistema imunológico.
Algumas bactérias podem se infiltrar na corrente sanguínea, causando vários problemas que podem levar a morte.
Estreptococos do grupo A
Plasmodium falciparum
Transmissão: picada de mosquito contaminado.
Após a picada, uma infecção chega até o fígado. Lá o protozoário se reproduz e passa para a corrente sanguínea, infectando os glóbulos vermelhos.
Esse parasita fica escondido nos glóbulos vermelhos, onde permanece praticamente invisível ao sistema imunológico, se multiplicando e matando as células.
Bacillus anthracis
Causa a anthrax
Transmissão: contato com animal infectado e inalação de esporos que vem de animais em decomposição.
Uma vez inalados, os esporos de Anthrax vão para os pulmões, os leucócitos chegam rapidamente ao local e os absorvem, transportando-os para os linfonodos, que existem por todo o corpo e agem como filtros ou armadilhas para partículas estranhas, como as bactérias.
Mas, uma vez nos linfonodos, os esporos de Anthrax transformam-se de bactérias inativas para ativas, matando os leucócitos
Assim, esses germes são liberados dentro da corrente sanguínea
Lá, se dividirão e aumentarão, produzindo toxinas que atingem diretamente o hospedeiro
Além disso, elas também reprimem o sistema imunológico, permitindo que as bactérias cresçam em números muito altos
Em menos de 1 semana, eles conseguem se multiplicar altamente, segregando muitas toxinas e fazendo com que os vasos sanguíneos comecem a vazar incontrolavelmente
A perda de sangue resulta em falência múltipla dos órgãos e morte
Influenza vírus
Transmissão: inalação de gotículas de uma pessoa infectada (tosse, espirro).
Uma vez no corpo, o vírus começa a se reproduzir. Nosso sistema imunológico produz células tecido tóxicas que são anticorpos ou proteínas que podem inativar o vírus.
As substâncias químicas também estimulam as fibras nervosas (provocando o espirro e a tosse) para livrar o corpo da infecção virótica.
Assim que o vírus é eliminado pelo corpo, nosso sistema imunológico produz células de memória que podem reconhecer esse vírus em particular e defender o corpo em infecções futuras.
Yersínia pestis
Transmissão: picada de pulgas infectadas
As bactérias vão para os linfonodos regionais e começam a se multiplicar, causando inchaços nas axilas, pescoço e virilha por causa da inflamação dos glóbulos brancos
Finalmente, os glóbulos brancos morrem, o pus cresce e os linfonodos se rompem, liberando bactérias e toxinas letais na corrente sanguínea
Sem tratamento com antibióticos a pessoa morre em uma semana (de choque ou por sangramento espontâneo dentro da pele e mucosas)
Orthopoxvirus variolae
Transmissão: inalação ou contato direto com uma pessoa/objeto infectado
Dentro do corpo, o vírus se multiplica nos glóbulos brancos, baço, medula óssea e linfonodos
Depois de 2 semanas, o vírus se aloja em pequenos vasos sanguíneos da pele e da boca, apoderando-se de células para usar seu metabolismo para reprodução
Ao se multiplicar, o vírus produz pústulas infecciosas e hemorragia na pele e nas mucosas
Os 10 vírus e bactérias mortais
HIV
Provoca a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS)
Transmissão: sexualmente transmissível e contato com o sangue de pessoas contaminadas
O vírus paralisa as defesas imunológicas de uma pessoa, infectando e exterminando os leucócitos cruciais, chamados linfócitos T auxiliares.
Uma vez que uma pessoa perde muitas células T, o corpo dela não poderá enfrentar outros micróbios que causam infecções.
Os germes finalmente se alastram nas pessoas infectadas com o HIV e elas morrem de infecções no pulmão e na pele, ou de outras doenças.
Seu período de incubação é muito longo, permitindo que as pessoas passem o vírus mais facilmente.
Atualmente existem diversas drogas para combater o HIV, elas não podem curar a infecção, mas podem mantê-la sob controle, impedindo a multiplicação do HIV.
Vírus ebola
Causa a febre hemorrágica ebola
Transmissão: contato com sangue ou fluidos do corpo de um animal/humano infectado
Uma vez que o ebola entra no corpo, o vírus pré-seleciona vários tipos de célula.
Finalmente, entra nas células que revestem os vasos sanguíneos, onde se multiplica tão rapidamente que destrói a superfície dos vasos, causando hemorragia interna intensa.
O vírus ebola se infiltra na corrente sanguínea, causando a formação de coágulos de sangue que bloqueiam o suprimento de sangue para os órgãos principais, levando a falência dos órgãos.
De 1 a 2 semanas, a coagulação leva a morte por um processo de hemorragia espontânea ocorrendo de todos os orifícios.
Uma vez dentro do corpo, a bactéria começa a se multiplicar imediatamente, liberando toxinas ou proteínas que destroem o tecido saudável
Impede que o tecido mande sinais para o cérebro para ativar o sistema imunológico
Impede também que os antibióticos cheguem

O único tratamento é a remoção radical do músculo e do tecido morto que contém a bactéria.
Se os germes não forem removidos cirurgicamente, alguns podem escapar pela corrente sanguínea e podem atacar qualquer parte do corpo, inclusive os órgãos vitais.
Full transcript