Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ASSISTÊNCIA AO RN

No description
by

Livia Prazim

on 3 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ASSISTÊNCIA AO RN

Tempo

Posição do RN

Confirmação da posição da cânula

Pressão - expansibilidade da caixa torácica

Frequência - 40 a 60 movimentos / minuto
Adrenalina
Expansor de Volume
Local de Compressão

Técnicas:
Polegares (sobrepostos)
2 dedos

Frequência
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Assistência ao RN na Sala de Parto
liviaprazim@gmail.com
Livia Helena Prazim Ponciano
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Objetivos:
suavizar o impacto da diferença entre o mundo intra e extra-uterino
promover o contato precoce entre mãe e filho
diminuir a morbi-mortalidade no período neonatal
fortalecer o vínculo mãe-bebê
auxiliar no processo de amamentação
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Três modelos de assistência:
Davis-Floyd R., 2001
Holístico
Humanístico
Tecnocrático
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Brasil: 3 milhões partos/ano (98% em hospitais)
5 a 10% de todos os bebês necessitam de alguma manobra de ressuscitação ao nascimento
10% dos nascidos em hospitais precisam de ventilação com pressão positiva
1% dos recém-nascidos precisa de intubação e/ou massagem cardíaca
0,1% requer intubação, massagem e medicações
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
90 a 95% dos RN não necessitam de manobras de reanimação
3 PERGUNTAS
Gestação a termo?

Respirando ou chorando?

Tônus bom?
SIM
AMBIENTE A 23 - 26°C
Contato pele a pele com a mãe
Clampeamento tardio do cordão umbilical
Iniciar amamentação
O'Donnell C.P., Kamlin C.O., Davis P.G., Carlin J.B., Morley C.J., 2007
ATENDIMENTO HUMANIZADO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
A avaliação da coloração da pele e mucosas do RN não é utilizada para decidir procedimentos na sala de parto
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
A aspiração de vias aéreas está reservada aos pacientes que apresentam obstrução à respiração espontânea por secreções ou que irão necessitar de ventilação com pressão positiva
Hutton E.K., Hassan E.S., 2007
World Health Organization [homepage on the Internet]. Exclusive breastfeeding [Acesso 2014 Out 12]. Disponível em: http://www.who.int/nutrition/topics/exclusive_breastfeeding/en/
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
O que vão fazer
com meu filho?
Ele tá roxo,
não vão atender?
Quero meu bebê
comigo!
Leva a criança,
tô cansada!
É perfeito?
Quero ver logo!
Tenho medo de trocarem meu filho!
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
NÃO para pelo menos uma das questões
Material Necessário
Sala de Parto a 23 - 26°C

Precauções Universais

Equipe treinada

Equipamentos
Asfixia perinatal, incluindo a aspiração de líquido meconial (90% intraparto)
20% dos óbitos neonatais precoces
Art. 1º Ficam instituídas diretrizes para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido (RN) no momento do nascimento em estabelecimentos de saúde que realizam partos.

Parágrafo único. O atendimento ao recém-nascido consiste na assistência por profissional capacitado, médico (preferencialmente pediatra ou neonatologista) ou profissional de enfermagem (preferencialmente enfermeiro obstetra ou neonatal), desde o período imediatamente anterior ao parto, até que o RN seja encaminhado ao Alojamento Conjunto com sua mãe, ou à Unidade Neonatal (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional ou da Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru), ou ainda, no caso de nascimento em quarto de pré-parto, parto e puerpério (PPP) seja mantido junto à sua mãe, sob supervisão da própria equipe profissional responsável pelo PPP.
Ministério da Saúde, Portaria Nº 371, de 7 de maio de 2014
Postergar os procedimentos de rotina do recém-nascido
Agradecimento a Janaína Japiassu
Artigo 4º da Portaria MS Nº 371, 07/mai/2014
Moore, E.R., Anderson, G.C., Bergman, N., 2008
2 min
6 min
15 min
23 min
26 min
29 min
32 min
34 min
40 min
Agradecimento a Janaína Japiassu
SEPARAÇÃO DA MÃE
FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Influências sobre a família:
Positivas
Negativas
QUALIDADE DO
PRÉ-NATAL
Reis, A.E., Patrício, Z.M., 2005
Cruz, D.C.S., Sumam, N.S., Spindola, T., 2007.
Santos, G.N. et al., 2013
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
"É fundamental para a humanização do parto o adequado preparo da gestante para o momento do
nascimento, e esse preparo deve ser iniciado precocemente durante o pré-natal."
Brasil. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília; 2001.
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
NÃO
RN Pré-Termo
RN Apneia ou Respiração Irregular
Tônus Flácido
Prevenir perda de calor
Posicionar a cabeça
Aspirar vias aéreas
Secar e estimular
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Prevenir perda de calor
Ambiente a 23 - 26°C
Manter a temperatura corporal entre 36,5 e 37,5°C
Menores de 1.500g:
Saco plástico
Touca
Menores de 1.000g:
Colchão Térmico
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Posicionar a cabeça
PESCOÇO EM LEVE EXTENSÃO
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Aspirar vias aéreas S/N
A aspiração de vias aéreas está reservada aos pacientes que apresentam obstrução à respiração espontânea por secreções ou que irão necessitar de ventilação com pressão positiva
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Secar e remover campos úmidos
Estimulação táctil S/N
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
30 segundos
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
REAVALIAR
Choro forte
RN vigoroso
Tempo: 6 segundos
PASSOS INICIAIS
30 segundos
REAVALIAR
VENTILAÇÃO COM PRESSÃO POSITIVA
VENTILAÇÃO COM PRESSÃO POSITIVA
Equipamentos
Máscaras
Oxigênio
suplementar
Monitor de
saturação de O2
BLENDER
VPP INICIAL
COMO VENTILAR ???
Frequência
40 a 60 movimentos/minuto
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
30 segundos
VPP
REAVALIAR
FC > 100 bpm?
Respiração regular?
SIM
NÃO
Observação, monitorização contínua e disponibilidade de intervenção imediata
Oxigênio inalatório
Verificar a saturação O2
Ajustar de acordo com sat. O2
Intubar
Considerar intercorrências clínicas
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Intubação Traqueal
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
30 segundos
VPP TOT +
O2 suplementar
REAVALIAR
FC > 60 bpm?
SIM
NÃO
Observação, monitorização contínua e disponibilidade de intervenção imediata
Possibilidade de extubação
Massagem Cardíaca
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Massagem Cardíaca
ATENDIMENTO HUMANIZADO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
60 segundos
VPP TOT +
O2 suplementar + MC
REAVALIAR
FC > 60 bpm?
SIM
NÃO
Interromper massagem cardíaca
Possibilidade de extubação
Adrenalina
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
SITUAÇÃO ESPECIAL
NÃO UTILIZAR VPP POR MÁSCARA
ATENDIMENTO HUMANIZADO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Medicações
Vias para infusão
Traqueal – dose única adrenalina
Endovenosa – veia umbilical
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Promover o contato mãe/filho
Amamentação na primeira meia hora de vida (mãe HIV -)
Identificar o RN
Vitamina K
Credé ocular
Álcool 70% no umbigo
Dados Antropométricos
Exame Físico e Classificação do RN
Determinação da idade gestacional
CUIDADOS PÓS-REANIMAÇÃO
Procedimentos de Rotina
Se indicação, solicitar vaga na UTI
Transportar adequadamente o RN
Documentar no prontuário os procedimentos realizados, com objetividade e clareza
Informar e apoiar a família
Monitorar clínica e laboratorialmente o RN
UFA !!!
FINALMENTE !!!!
NINGUÉM MERECE !!!
2005 a 2009 – 13 mortes/dia (asfixia)
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Por que reanimar ???
1980 - programa nacional de ensino em reanimação neonatal (AHA)
1993 - Ministério da Saúde reconheceu a importância da presença do pediatra na sala de parto através da portaria 031/SAS-MS
2014 – Ministério da Saúde, Portaria Nº 371, de 7 de maio
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
PEDIATRA
Auxiliar treinado
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Avaliação pré-natal
Vitalidade e maturidade
Identificação dos fatores de risco
Reanimação e estabilização
Procedimentos de rotina
Exame físico
Avaliação da idade gestacional
Classificação do RN
PEDIATRA
APGAR
Virginia
(1909-1974)
Boletim de Apgar
Não determina início de reanimação
Não determina manobras de reanimação
Avalia resposta do paciente às manobras
Deve ser avaliado no 1º e 5º minutos de vida
Se < 7 no 5º minuto, realizar a cada 5 minutos, até 20 minutos de vida
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Avental
Máscara
Gorro
Luvas
Óculos
Reanimador experiente (médico com curso de Reanimação Neonatal)
Auxiliar treinado
Circulante
Fonte de calor radiante
Fontes de O2 e vácuo
Material para aspiração
Material para ventilação
Material para intubação traqueal
Medicações
Material para cateterismo umbilical
Outros
Material Necessário
Equipamentos
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Identificar o RN
Vitamina K
Credé ocular
Álcool 70% no umbigo
Dados Antropométricos
Exame Físico e Classificação do RN
Determinação da idade gestacional
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
FREQUÊNCIA CARDÍACA
Ausculta com estetoscópio
Palpação do coto umbilical
Detecção do sinal de pulso pela oximetria
Detecção da atividade elétrica do coração pelo monitor cardíaco
Onde obter ????
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Cobrir ponta do queixo, boca e nariz
Oxigênio Inalatório
Indicação: desmame de VPP com O2 suplementar
Concentração:80 a 100%
Técnica de Administração:
mão em concha
cateter de O2 (5 L/min)
máscara
Afastar de acordo com saturação O2
Iniciar VPP com ar ambiente
Oxigênio 100%, se não houver melhora em 30 segundos
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
Intubação Traqueal
Suspeita ou presença de hérnia diafragmática
Indicações:
Ventilação com máscara ineficaz
Ventilação com máscara prolongada
Necessidade de massagem cardíaca
30 segundos
Pescoço em leve extensão
1/3 inferior do esterno
QUANDO?
FC < 60bpm
RN ventilado por 30s
MC coordenada à ventilação (45 a 60s)
ADRENALINA (Epinefrina)
QUANTO e COMO?
Diluir 1mL de epinefrina (1:1000) em 9mL de SF 0,9% (1:10.000)
Doses:
1ª dose: 0,1 a 0,3mL/kg IV ou 0,5 a 1,0mL/kg ET
Doses subsquentes: 0,3mL/kg IV, a cada 3 a 5 min
Expansor de Volume
QUANDO, QUANTO e COMO ?
RN pálido, se perda sanguínea ou não resposta à reanimação
Expansor: Soro Fisiológico 0,9%
Dose: 10mL/kg
Via EV
A ventilação pulmonar é o procedimento mais simples, importante e efetivo na reanimação do RN em sala de parto.
ATENDIMENTO AO RECÉM-NASCIDO NA SALA DE PARTO
VPP
30 segundos
FLUXOGRAMA DA REANIMAÇÃO NEONATAL EM SALA DE PARTO: CONDUTAS 2013
SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA / PROGRAMA DE REANIMAÇÃO NEONATAL

NASCIMENTO
Gestação a termo?
Respirando ou chorando?
Tônus muscular em flexão?

Cuidados de rotina junto à mãe: prover calor, manter vias aéreas pérvias, secar e avaliar FC e respiração de modo contínuo
SIM
NÃO
Prover calor
Posicionar cabeça
Aspirar vias aéreas s/n
Secar
FC <100 bpm, apneia ou respiração irregular?
NÃO
Desconforto Respiratório
ou SatO2 pré-ductal <
saturação alvo?

NÃO
VPP
Monitorar a Sat O2

Considerar CPAP
SIM
SIM
FC <100 bpm?
Assegurar VPP adequada
Considerar O2 suplementar Considerar intubação

SIM
FC < 60 bpm?
Massagem cardíaca coordenada com VPP
SIM
FC < 60 bpm?
ADRENALINA ENDOVENOSA
SIM
60 segundos
30 segundos
THE GOLDEN MINUTE
RN termo e pré-termo: temperatura da sala de parto 23-26ºC; campos aquecidos e fonte de calor radiante
RN termo: secar e desprezar campos úmidos
RN pré-termo: envolver o corpo no saco plástico sem secar; touca; colchão térmico no pré-termo < 1.000g
RN termo com boa vitalidade: 1-3 minutos
RN pré-termo com boa vitalidade: >30 segundos
RN que precisa de reanimação: clampear imediatamente o cordão, pois as evidências são insuficientes para recomendar clampeamento tardio nessa situação
RN termo: iniciar com ar ambiente
RN pré-termo: iniciar com 21-30%
O uso de concentrações de oxigênio > 60% é extremamente raro e deve ser desencorajado
Diante da não melhora com ventilação em 21-30%, SEMPRE corrigir a técnica antes de aumentar a concentração de oxigênio
Equipe: quem massageia fica atrás do RN e quem ventila se desloca para o lado
Leitura Recomendada:
http://www.sbp.com.br/reanimacao/wp-content/uploads/2016/01/DiretrizesSBPReanimacaoRNMaior34semanas26jan2016.pdf
Melhora índices hematológicos na idade de 3-6 meses
Eleva a necessidade de fototerapia por hiperbilirrubinemia indireta na primeira semana
RN ≥34 semanas com peso >2.000g
cortesia Dr. Júlio César - Ago/16
FC > 100 bpm
Avaliar FC
Respiração regular
Full transcript