Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Língua(gem), leitura, escrita, texto e sentido

CETEL - Aula 2
by

Glícia Tinoco

on 19 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Língua(gem), leitura, escrita, texto e sentido

LEITURA, TEXTO E SENTIDO
Foco no autor

Foco no texto

Foco na interação autor-texto-leitor
Concepção de língua
Concepção de sentido
Foco no autor
Foco no texto

Foco na interação autor-texto-leitor
Sujeito psicológico, individual, dono de sua vontade e de suas ações
Concepção de sujeito
Foco no autor
Foco no texto

Foco na interação autor-texto-leitor
O texto é o produto lógico que contém a representação mental do autor.
Concepção de texto
Foco no autor
Foco no texto

Foco na interação autor-texto-leitor
Concepções de língua(gem), leitura, texto e sentido
Concepção de leitura
Foco no autor
Foco no texto

Foco na interação autor-texto-leitor
O trecho se encerra com uma pergunta:

"- Mamãe! Mamãe! Você se lembra de mim?"

A resposta será positiva ou negativa?

Tentamos antecipar. Depois, verificamos essa hipótese na continuidade da interação com o texto.
Alfonso foi então procurar a Bianca. Uma patinha linda do pré-primário, que viva chamando Alfonso de feio.
-Lembra de mim, Bianca? Gostaria de me namorar agora? He,he,he.
-Deus me livre! Está louco? Uma pata namorando um cisne! Aberração da natureza...
E, assim, viveram felizes para sempre...
Fonte: COELHO, Marcelo. “O Retorno do Patinho Feio”. Folha de São Paulo, 19 mar. 2005.Folhinha, p. 8
Alfonso era o mais belo cisne do lago Príncipe de Astúrias.
Todos os dias, ele contemplava sua imagem refletida nas águas daquele chiquérrimo e exclusivo condomínio para aves milionárias. Mas Alfonso não se esquecia de sua origem humilde.

- Pensar que não faz muito tempo, eu era conhecido como o Patinho Feio...

Um dia, ele sentiu saudades da mãe, dos irmãos e dos amiguinhos da escola.
A leitura desse trecho apresenta-nos uma personagem que julgamos tratar-se da principal, uma vez que é citada no título e aparece em posição de destaque no início da história.

Nossos olhos de leitores atentos apontam para uma oposição marcante no trecho em torno dos nomes Alfonso x Patinho Feio. A essa oposição subjazem outras: beleza x pobreza; presente x passado; riqueza x pobreza.
Voou até a lagoa do Quaquenhá. O pequeno e barrento local de sua infância.
A pata Quitéria conversava com as amigas, chocando sua quadragésima ninhada. Alfonso abriu suas largas asas brancas.

- Mamãe! Mamãe! Você se lembra de mim?
Quem antecipou que Alfonso voltaria à sua origem acertou. A leitura do trecho ainda nos propõe um avanço na caracterização do lugar de origem do Patinho Feio, em contraposição e em complementação ao conteúdo do primeiro trecho da história. Vejamos.
Alfonso foi então procurar a Bianca, uma patinha linda do pré-primário, que vivia chamando Alfonso de feio.

- Lembra-se de mim, Bianca? Gostaria de me namorar agora?
He, he, he.
- Deus me livre! Está louco? Uma pata namorando um cisne! Aberração da natureza...
Alfonso respirou fundo. Nada mais fazia sentido por ali. Resolveu, então, procurar um famoso bruxo da região.
Com alguns passes mágicos, o feiticeiro e astrólogo Omar Rhekko resolveu o problema. Em poucos dias, Alfonso transformou-se num pato adulto, gorducho e bastante sem graça. Dona Quitéria capricha fazendo lasanhas para ele.
- Cuidado para não engordar demais, filhinho.
Bianca faz cafuné na cabeça de Alfonso.
- Gordo... Bicudo... Mas sabe que eu acho você uma gracinha?
E, assim, viveram felizes para sempre...
O Retorno do Patinho Feio
Alfonso era o mais belo cisne do lago príncipe de Astúrias. Todos os dias, ele contemplava sua imagem refletida nas águas daquele chiquérrimo e exclusivo condomínio para aves milionárias. Mas Alfonso não se esquecia de sua origem humilde.
- Pensar que, não faz muito tempo, eu era conhecido como o Patinho Feio...
Um dia, ele sentiu saudades da mãe, dos irmãos e dos amiguinhos da escola.
Voou até a lagoa do Quaquenhá. O pequeno e barrento local de sua infância.
A pata Quitéria conversava com as amigas chocando sua quadragésima ninhada. Alfonso abriu suas largas asas brancas.
-Mamãe! Mamãe! Você se lembra de mim?
Quitéria levantou-se muito espantada.
-Se-se-senhor cisne... Quanta honra... Mas creio que o senhor se confunde...
- Como poderia eu ser mãe de tão belo e nobre animal?
Não adiantou explicar. Dona Quitéria balançava a cabeça.
- Esse cisne é mesmo lindo... Mas doido de pedra, coitado...
Alfonso respirou fundo. Nada mais fazia sentido por ali. Resolveu procurar um famosos bruxo da região. Com alguns passes mágicos, o feiticeiro e astrólogo Omar Rhekko resolveu o problema. Em poucos dias, Alfonso transformou-se num pato adulto. Gorducho e bastante sem graça. Dona Quitéria capricha fazendo lasanhas para ele.
- Cuidado para não engordar demais, filhinho.
Bianca faz cafuné na cabeça de Alfonso.
- Gordo... Pescoçudo... Bicudo... Mas sabe que eu acho você uma gracinha?
Exercício 1

Análise de interação em sala de aula


Profª: pay attention, please. “The little poor black girl WORK on the streets selling candies.” Tá certo isso?
Alunos: Nããããããão.
Profa: E onde está o erro?
A1: Lugar de criança é na escola, professora.
Profa: Meu filho, vamos deixar de gracinha? Isso aqui é uma aula de INGLÊS, sabia?  O erro está na flexão do verbo TO WORK. Na terceira pessoa do singular, no present tense, quando terminar em consoante, o verbo ganha um “s” no final, ficando WORKS.
“The little poor black girl WORKS on the streets selling candies.”  WORKS.  Já falei isso umas duzentas vezes. Entenderam agora?
Alunos: Umhum.
Profa: Pois bem, e se fosse o verbo TO STUDY?
A1: Ah, aí tava certo.
(GANDOUR, 2003)
A leitura é o processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de compreensão e interpretação do texto, a partir de seus objetivos, de seu conhecimento sobre o assunto, sobre o autor, de tudo o que sabe sobre a linguagem. Não se trata de extrair informação decodificando letra por letra, palavra por palavra. Trata-se de uma atividade que implica estratégias de seleção, antecipação, inferência e verificação, sem as quais não é possível proficiência. É o uso desses procedimentos que possibilita controlar o que vai sendo lido, permitindo tomar decisões diante de dificuldades de compreensão, avançar na busca de esclarecimentos, validar no texto suposições feitas.

In: Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos de ensino fundamental: língua portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998, pp. 69-70.
Do leitor, espera-se que processe o texto, associando-o a outros anteriormente lidos, avaliando as ideias que têm diante de si, complementando-as, criticando-as, contradizendo-as, desfrutando-as ou rechaçando-as... Em suma, o leitor precisa atribuir sentido(s) ao que lê.
A atividade de leitores em interação com o autor e o texto começa com antecipações e hipóteses elaboradas com base em nossos conhecimentos sobre:

• o autor do texto: Marcelo Coelho
• o meio de veiculação do texto: Folha de São Paulo
• o gênero: miniconto
• o título: elemento constitutivo do texto cuja função é, geralmente, chamar a atenção do leitor e orientá-lo na produção de sentido
• a distribuição e configuração de informações no texto.
Especificamente, ao nos depararmos com o título "O retorno do Patinho Feio", fazemos antecipações, levantamos hipóteses que, no decorrer da leitura, serão confirmadas ou rejeitadas.

Se rejeitadas, as hipóteses são reformuladas e, novamente, testadas em um movimento que destaca a nossa atividade de leitor, respaldada em conhecimentos arquivados na memória sobre a língua, sobre nosso conhecimento de mundo, sobre textos já lidos, sobre outros gêneros discursivos.
Esse quadro de oposições chama a nossa atenção para a atual caracterização de Alfonso, composta pelas adjetivações referentes à personagem e à sua morada frente à caracterização anterior, que concerne à sua vida quando era conhecido como "Patinho Feio". Isso pode servir de estímulo à formulação de novas antecipações do leitor ativo.

No trecho, ainda nos salta aos olhos a expressão "um dia", introdutória de uma situação-problema, conforme conhecimento empiricamente constituído como ouvintes e/ou leitores desse gênero discursivo.
O texto também nos desperta sentimentos, emoções. Envoltos na atmosfera de emoções sugerida pela leitura, que efeito o “esquecimento” da pata Quitéria provocará no Alfonso?

Depois disso, o que pode acontecer? O que fará o pobre Alfonso? Voltará para o seu luxuoso condomínio? Hipótese número um. Persistirá no seu intento de ser reconhecido e novamente aceito na comunidade? Hipótese número dois.

Outras hipóteses poderão ser formuladas, tantas quantas permitirem os conhecimentos e a criatividade dos leitores. Porém, considerando as duas apontadas, vamos observar se elas se confirmam (ou não).
E agora? O que nós, leitores, prevemos?

Bianca responderá afirmativa ou negativamente às perguntas do Alfonso? Estamos torcendo para que "sim" ou para que "não"?
Conforme podemos ver, até o momento, a situação não está nada boa para Alfonso... Diante da negativa da pata Quitéria e da patinha Bianca, o que Alfonso poderá fazer? Voltar para o lago Príncipe das Astúrias e esquecer de vez seu passado humilde?
É uma (outra) hipótese...
Por essa não esperávamos! O que acontecerá, agora? O bruxo resolverá o problema do Alfonso? Ou insistimos na hipótese de que nenhuma tentativa dará certo, devendo Alfonso retornar ao seu luxuoso condomínio e se esquecer de vez de seu passado humilde? Terá a história um final (in)feliz? Vejamos.
Representação do pensamento
Estrutura/código
Inter(ação) de sujeitos ativos
Sujeito determinado, "assujeitado" pelo sistema
Sujeito ator/construtor social/sujeito ativo/ co-construtor de sentidos possíveis
O texto é o produto da codificação de um emissor a ser decodificado pelo ouvinte/leitor.
O texto é o lugar da construção de sentidos por parte do ouvinte/leitor a partir das pistas deixadas pelo autor.
Leitura é uma atividade de produção de sentidos possíveis, justificados pelas pistas verbais e não verbais do texto.
Leitura é uma atividade que exige do leitor o reconhecimento do sentido de palavras e de estruturas do texto
Leitura é uma atividade de captação das ideias do autor, sem considerar as
experiências e os conhecimentos do leitor.
O sentido está centrado no autor, bastando ao leitor/ouvinte captar as intenções do autor do texto.
O sentido está centrado no autor, bastando ao leitor/ouvinte reconhecer o sentido das palavras e das estruturas do texto.
O sentido é construído na interação texto e sujeito leitor/ouvinte.
Aspectos sociocognitivos
e metacognitivos
da leitura e da escrita

Profa. Dra. Ana Virgínia L. da S. Rocha
Profa. Dra. Glícia Azevedo Tinoco

Aula 3 - 19/agosto/2016
* A leitura não era vista como um processo seletivo em que o leitor busca, de modo ativo, as informações que lhe interessam, mas um processo passivo em que cada palavra e frase é importante.

* O aspecto mais importante da leitura, nessa perspectiva, é a obtenção do conteúdo que subjaz ao texto.
Que concepções subjazem dessa interação
em sala de aula?
Exercício 2


Análise de um trecho de documento oficial
Que concepções subjazem desse fragmento textual dos PCN (BRASIL, 1998)?
Estratégias de leitura
Exercício 4


Observemos como nós, leitores, recorremos a uma série de estratégias no trabalho de construção de sentido(s). Para esse propósito, selecionamos o miniconto intitulado "O retorno do Patinho Feio", de Marcelo Coelho, publicado na Folhinha da Folha de São Paulo.
Exercício 3


Elabore um BOM título ao fragmento textual abaixo explicitado.
Focalizando o título "O retorno do Patinho Feio", atentamos para a palavra “retorno” e seu significado (regresso, volta) e situamos a história no mundo das narrativas infantis, resgatando, em nossa memória, a história do "Patinho Feio".

Com previsões motivadas pelo título, adentramos o texto, prosseguindo em nossa atividade de leitura e produção de sentido.
Continuando o processo de efetiva interação com o texto, levantamos hipóteses sobre o passado de Alfonso: onde morava? Como era esse lugar? Também podemos questionar sobre as prováveis ações do “mais belo cisne do lago Príncipe das Astúrias”, motivadas pelo sentimento de saudade, expresso no enunciado: "Um dia, ele sentiu saudades da mãe, dos irmãos e dos amiguinhos da escola".

O que fará Alfonso? Voltará ao lugar de origem? Reencontrará a mãe, os irmãos e amiguinhos da escola?
Quitéria levantou-se muito espantada.

- Se-se-senhor cisne ... Quanta honra... Mas creio que o senhor se confunde... Mamãe...? Como poderia eu ser mãe de tão belo e nobre animal?

Não adiantou explicar. Dona Quitéria balançava a cabeça.

- Esse cisne é mesmo lindo... Mas doido de pedra, coitado...
Full transcript