Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Analgésicos de ação periférica e opioides

trabalho de farmacologia
by

André henrique de oliveira

on 5 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Analgésicos de ação periférica e opioides

Analgésicos de ação periférica e opioides. Introdução: analgésicos periféricos são aqueles que atuam diretamente no local, inibindo a liberacao de substancias que desencadeiam o estimulo doloroso (como algumas substancias liberadas pelos mastócitos). como exemplo teríamos os antiinflamatórios. significado: Os analgesicos de açao periferica agem atraves do bloqueio dos canais de sódio voltagem dependentes, mas os canais de sódio operados por ligantes permanecem ativados e são despolarizados no processo da dor. Entao a propagacao da dor nao acontece e nem seu potencial de acao porque não ocorre pico de despolarização (a deposlarizacao ocorre sempre na transmissao nervosa). Para que ocorra o pico de despolarizacao todos os canais de sodios devem estar ativados.
A dor é percebida pelo sistema nervoso central atraves do estimulo de nociceptores e quando oestimulo é propagado pelas vias da dor até o talamo e entao ao cérebro.
A acao analgesica acontece tambem pela liberacao de opioides endogenos quando há um estimulo de dor e seu potencial de acao, sendo entao que esses opiodeis endogenos inibem mediadores químicos da dor como a substância P, prostaglandinas, tromboxanos, histamina, leucotrienos, etc
Outro mecanismo de analgesicos perifericos seria atraves do bloqueio desses mediadores quimicos impedindo a conduçao da dor. efeito terapeutico: Droga utilizada para alivio de dor. Efeitos colaterais: Os analgésicos são medicamentos que podem causar dependência física e possivelmente levam à morte, se administrados em excesso.
O uso abusivo também pode provocar efeitos colaterais, como hipertensão, gastrite e hepatite. exemplos de analgesicos perifericos: Introdução a opioides: • Opióides

– São todas as drogas, naturais ou sintéteticas derivadas do opio com propiedades semelhantes a morfina. Morfina: historia de quando surgiu
Morfina foi descoberta como o primeiro alcalóide ativo extraído da planta da papoula do ópio, em dezembro de 1804 em Paderborn por Friedrich Sertürner. A droga foi comercializado pela primeira vez ao público em geral por Sertürner and Company em 1817 como um analgésico, e também como um tratamento para o vício do ópio e álcool. como a morfina é utilizada: Via oral, subcutânea, intramuscular ou intravenosa. Epidural, transdérmica, intranasal são menos usadas. É frequente ser dado ao paciente o controlo de uma bomba, activada por um botão, que injecta opióide de acordo com o seu desejo. Existe geralmente um mecanismo que previne a injecção de doses elevadas (que podem provocar danos graves) Grupo de farmacos: analogos da morfina: drogas cuja sua estrutura
são relacionadas com a estrutura da morfina. Derivados sinteticos: Não tem a estrutura relacionada com a morfina categorias farmacologicas: Agonistas puros: apresentam grande afinidade e atividade intrínseca máxima agonistas parciais e agonistas -antagonistas mistos: agonista parcial é aquele que estimula um receptor com menor potencial que a estimulante original endógeno. agonista é: substância química que interage com um receptor membranário, ativando-o e desencadeando uma resposta que pode ser aumento ou diminuição de uma manifestação particular da atividade das células às quais os receptores estão associados. antagonista:compostos químicos que se ligam a determinados receptores neurológicos porém sem ativá-los, impedindo que os componentes que o ativariam de se ligarem. O oposto do antagonista é o agonista. agonistas e antagonistas mistas Possuem comportamento misto apresentando atividade antagonista para determinados receptores enquanto apresentam atividade agonista em outros farmacocinética: Absorção:Morfina pode ser tomado por via oral, retal, subcutânea, intravenosa, por via intratecal ou epidural. Nas ruas, é cada vez mais comum a inalar ("perseguir o dragão"), mas para fins medicinais, injecção intravenosa (IV) é o método mais comum de administração. metabolismo: A morfina é metabolizada principalmente no fígado Excreção: aproximadamente 87% de uma dose de morfina é excretada na urina dentro de 72 horas Farmacodinamica: Receptores opioides: Os receptores opióides são receptores celulares para neurotransmissores presentes no sistema nervoso humano, aos quais se unem os opióides O receptor μ prototípico agonista é o ópio alcalóide morfina ; μ (mu) refere-se ao uso da morfina. μ (mu): O k receptor κ-opióide é um tipo de receptor opióide , que se liga ao opióide peptídeo dinorfina como o principal ligando endógeno . Para além de dinorfina, uma variedade de naturais alcalóides e ligantes sintéticos ligam-se ao receptor. K(kappa): delta: A activação dos receptores delta produz alguma analgesia , embora menos do que a de mu-opióides agonistas. Muitos agonistas delta também pode causar convulsões em doses elevadas, embora nem todos os agonistas delta produzir esse efeito. sigma: - O receptor sigma não parece ser um receptor opióide verdadeiro.
Suas ações não são revertidas pela naloxona. Há algumas evidências
que seria um receptor de fenciclidina. epsilon: a existência do receptor epsilon tem sido controversa, e este receptor não é geralmente reconhecido como um membro da família do receptor opióide péptido uma vez que não tem sido precisamente caracterizadas Efeitos em orgãos e sistemas: analgelsia. supressã da tosse. miose. rigidez. naúseas. vomitos. sistema imune. Efeitos perifericos: Cardiovascular. trato gastrointestinal. trato biliar. trato genitourinario. liberaração de histamina. reações de pele. Mecanismos de tolerancia e dependencia. Uso clinico: como é utilizado o tratamento,
medo dos profissionais em empregar opioides
e os beneficios. morfina. Participação: André. Diego lopes. helaine amorin. Nathalia. Leticia martins. Emanoelly saleez. Kamila kley.
Full transcript