Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

evolução da estrutura agraria brasileira

econmia rual
by

valdeir celestino

on 4 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of evolução da estrutura agraria brasileira

Evolução da Estrutura
Agrária Brasileira Equipe: Alisson Araujo Vieira
Denilson Cleverson
Fernando Mendes
Flavia Caroline T. Rodrigues
Valdeir Celestino S. Junior Durante o periodo colonial e imperial, a principal mão de obra utilizada na agropecuária era a mão de obra escrava. Aqui será o negro africano que resolverá o problema.



Essa operação fez-se atravéz do processo de escambo. Relações de trabalho na agropeduária brasileira O escravo africano do ponto de vista:


Econômico

Do proprietário O binômio latifúndio-escravidão foi uma característica
da agropecuária brasileira até o fim do período
colonial.


Da libertação dos escravos até 1964, quando foi promulgado o Estatuto do trabalhador do Rural, vigoraram formas não completas de trabalho assalariado.


O ETR concedeu para os trabalhador rural benefícios que a CLT já tinha concedido aos trabalhadores urbanos. Há três fontes básicas:

Pesquisa Nacional por Amostras de Domicilio (PNAD);
Censo Demográfico (CD);
Censo Agropecuário (CA). Fontes de informação sobre a mão de obra envolvida com a agropecuária Mensuram variáveis, periodicidade e abrangências distintas.


O PNAD e o Censo Demográfico contabilizam a População Economicamente Ativa (PEA) e o total de pessoas ocupadas na agropecuária.


Os Censos Agropecuários computam o número de pessoas ocupadas na agropecuária.


Inicio na década de 1970;
Trata-se de uma pesquisa que observa a oferta de trabalho;
Seleciona uma amostra da população e a partir de seus resultados obtém estimativas dos valores para toda população; Censo Demográfico (CD) Pesquisa nacional por amostras de domicilio (PNAD) Tem sido feito desde o período Imperial;

Os dados desse censo avaliam a evolução da população classificando-a em urbano ou rural;

Desde 1970 também avalia a oferta de trabalho;

Inicialmente a PNAD iria avaliar a evolução da população entre períodos dos CD.
Os dados observam a demanda de trabalho;

Permitem avaliar o total de pessoas ocupadas na agropecuária segundo tipo de atividade, posição de ocupação e o tamanho da propriedade. Censo Agropecuário (CA) COMPOSIÇÃO DA MÃO DE OBRA OCUPADA NOS ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS Avaliação com base em censos agropecuários;

Não há consenso sobre a definição de pequeno, médio e grande produtor;

Sistemas de crédito classificam com base na renda;

Definição de amplas categorias; COMPOSIÇÃO DA MÃO DE OBRA OCUPADA NOS ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS COMPOSIÇÃO DA MÃO DE OBRA OCUPADA NOS ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS COMPOSIÇÃO DA MÃO DE OBRA OCUPADA NOS ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS COMPOSIÇÃO DA MÃO DE OBRA OCUPADA NOS ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS Local de residência da PEA agrícola Atividades não agrícolas na zona rural Século XVI-Descoberta do brasil e a necessidade de expandir o território recém descoberto;

Criação das capitanias hereditárias;

Concessão das capitanias aos donatários;

Os donatários eram obrigados a povoar e desenvolver economicamente o territorio concedido a eles;

Os sesmeiros tinham cinco anos para cultivar as terras, se não a posse era retirada pelo Rei de Portugal; Evolução da Estrutura Fundiária Brasileira Abundância de terras nas mãos de poucos e a necessidade de mão-de-obra escrava;

Surgimento do binômio latifúndio-escravatura;

O sistema de capitanias hereditárias durou até 1821;

Com a independência do brasil em 1822, a distribuição de terras se dava pela lei dos mais fortes (favorecendo os grandes latifundiários). Evolução da Estrutura Fundiária Brasileira 1850-Surgimento da lei de terras  Compra de terras (caráter comercial);

Esta lei não mudou significativamente a estrutura fundiária do país  Muita terra para poucos;

1930 a 1945  Fragmentação da estrutura fundiaria, devido a crises da cultura cafeeira  propriedade de café vendidas ou cedidas aos pequenos agricultores; Evolução da Estrutura Fundiária Brasileira A venda de lotes de terras, doações via heranças e divercificação de portifólios fizeram com que a estrutura fundiária se fragmentasse ainda mais;

Queda dos estabelecimentos agropecuarios:

De 207ha em 1920 para 104ha em 1940;

De 112ha em 1950 para 75ha em 1960 e para 60ha em 1970. Evolução da Estrutura Fundiária Brasileira
Censos Agropecuários;


Estastísticas cadrastais do Incra. Fontes de dados sobre o numero de produtores e suas terras Estabelecimento agropecuário: terreno formado por uma ou mais parcelas de um unico produtor onde se processa uma exploracao agropecuaria;


Não se classificam como estabelecimanto agropecuario os quintais de residências e as hortas domésticas. Censos Agropecuários Imovel rural: área contínua, “prédio rústico” formada de uma ou mais parcelas de terra, pertencente a um mesmo dono,que possa ser usada em exploracao agricola, pecuaria, extrativa vegetal ou agroindustrial, podendo ser na zona rural ou na zona urbana;

Nao se cadastram como imóveis rurais:

Propriedades com área total inferior a 5000m² na zona rural;

Propriedade com área total inferior a 2ha na zona urbana. Estatísticas cadastrais do Incra Concentração e desiqualdade na posse da terra no Brasil A concentração observa a proporção da produção obtida por um grupo.

A desiqualdade observa as diferenças de produções entre os produtores Desiqualdade na posse de Terra A concentração e a desiqualdade não tem tendencia definida desde a decada de 1970.


a concentração e a desiqualdade na posse de terra não são iquais entre os Estados do Brasil, mas todos apresentam alta concentração e desiqualdade.

O estado do Maranhão é o que apresenta maior concentração e desiqualdade na posse de terra.

A região Nordeste detinha 47,4% dos estabelecimentos agropecuários e 22,9% da área de estabelecimentos do Brasil.

O estado de Santa Catarina é o estado que apresenta menor concentração na posse de terra.

A região Sul tinha 19,4% dos estabelecimentos e 12,6% da área de estabelecimentos agropecuários. Obrigado
Full transcript