Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Deolinda Mendes

on 9 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

Módulo 6- Circuito e transporte de informação nas unidades e serviços da
Rede Nacional de Cuidados de Saúde
GOSCS - Ano letivo 2013/2014
Deolinda Mendes

Programa
1. Os circuitos de informação na Rede Nacional de Cuidados de Saúde
2. O transporte de informação do utente: procedimentos e protocolos
2.1. Dados do utente
2.2. Exames
2.3. Processo administrativo post-mortem
2.4. Outros
3. O encaminhamento de reclamações
3.1. O direito do utente à reclamação
3.2. O tratamento eficaz das reclamações: procedimentos
Conteúdos
4. O transporte de amostras biológicas: procedimentos e protocolos
4.1. Amostras de expectoração
4.2. Amostras de urina
4.3. Amostras de fezes
4.4. Amostras de vómito
4.5. Amostras de exsudados
4.6. Amostras de sangue
4.7. Amostras de líquido cefalorraquidiano
5. Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar de
Saúde com e sem supervisão

Os circuitos de informação na Rede Nacional de Cuidados de Saúde
Princípios das TIC na saúde
E-HEALTH
Pretende contribuir para um novo modelo de lacionamento entre o cidadão e os profissionais de saúde, assente na partilha de informação. Para tal ser realidade, importa disponibilizar, por meios electrónicos fidedignos, de qualidade e seguros, informação científica relevante, bem como, os registos pessoais de saúde dos cidadãos. É constituida por todas as redes de informação e comunicação sobre saúde, disponíveis online, construídas em torno desta temática, assim como, todo o tipo de prestação de serviços, de informação, de construção de plataformas, de disponibilização de conteúdos e registo electrónico de pacientes/utentes, disponiveis online.
Image by goodtextures: http://fav.me/d2he3r8
e-health
O conceito da e-health releva em dois sentidos: no das possibilidades que
oferece para uma prestação de cuidados de saúde mais efetivos, mas,
também, no sentido de acautelar e prevenir as diferentes capacidades
financeiras e de conhecimento existentes na população, as quais podem
resultar em diferentes medidas de benefício a retirar da utilização das
tecnologias de comunicação, pelos diferentes perfis de utilizadores.
Ex: Internet

SISTEMAS DE
INFORMAÇÃO EM
SAÚDE
São não só ferramentas para as autoridades e profissionais de saúde, são, também, sistemas de saúde personalizados para os utentes, tais como, o registo de saúde eletrónico do utente, a telemedicina, e todo um conjunto de instrumentos de base tecnológica desenhadas para a prevenção, diagnóstico, tratamento, monitorização e gestão da saúde do cidadão. Contribuírem para o desenvolvimento, racionalização, eficiência e qualidade da prestação de cuidados de saúde e da melhoria da sua gestão, devem ser dotados de interoperabilidade, qualidade, segurança, escalabilidade e de fiabilidade e atualidade ao nível dos seus dados e do seu processamento. Desempenham um papel determinante na promoção da qualidade da saúde.
Devem estar envoltos numa filosofia de trabalho que permita a criação, gestão, actualização e utilização dos registos electrónicos dos utentes, necessários ao exercício dos profissionais de saúde em tempo útil e com segurança das informações de carácter pessoal e de saúde dos utentes, que facilitem a avaliação, o tratamento, o follow-up e a prescrição médica.


Valências
Clínicas- ao nível, por exemplo da resposta a situações de ameaça epidemiológica, bem como, catástrofes naturais e humanas.
Gestionárias – associando-as por integração de sistemas de informação, aos dados necessários à monitorização de desempenho e à correlação de dados necessários aos estudos de avaliação económica; à consolidação dos case-mix e ao fornecimento de dados que suportem a contratação com os prestadores; ao planeamento em saúde; melhor accountability e processos de decisão e políticas evidence-based; à reorganização dos fluxos logísticos e do aprovisionamento.
.

MEDIA E
COMUNICAÇÃO EM
SAÚDE
Mensagens sobre saúde divulgadas pelos media massificados, e que contribuem de forma determinante para a construção individual e colectiva das representações sobre saúde e promoção da autonomia individual neste contexto .
O conceito de meios de comunicação massificados é hoje mais amplo do que no passado, onde os novos suportes, a internet e os canais corporativos assumem particular importância.
A utilização dos media para fazer passar mensagens de saúde constitui-se como um determinante instrumento de potenciação das políticas públicas, de incentivo à cidadania e da equidade na saúde
Situação Atual
PORTAL DA SAÚDE

Disponibiliza diversa informação sobre saúde, seja sob o ponto de vista funcional do Sistema de Saúde na sua relação com o utente, seja sob o ponto de vista da disseminação de informação de saúde, em sentido estrito. Podem consultar-se conteúdos da organização do sistema de saúde, designadamente, sobre os prestadores de cuidados de saúde e sobre a dispersão
geográfica das redes de cuidados primários, hospitalares e continuados, bem como dos organismos integrados na área da saúde e outra de caráter institucional. Disponibiliza, por outro lado, informação técnica de saúde pública, atualidades relativamente à saúde, legislação técnica de saúde, programas nacionais de saúde e serviços online para o cidadão.
Criar Bases para E-Health
Surge no âmbito do Global Observatory for E-Health (GOe) da Organização Mundial da Saúde (OMS) com o objetivo de avaliar o perfil nacional na área da utilização das TIC em saúde e identificar as tendências, oportunidades e desafios emergente em Portugal. Foi constituído em 2005, no seguimento da 58th World Health Assembly (WHA58.R28), tendo como missão a promoção da saúde por meio da sensibilização e disponibilização de informação no que concerne a medidas eficazes para a implementação de e-health nos Estados Membros da OMS.

ePORTUGUESe network
Criado no âmbito da OMS, surge no seguimento da Assembleia Mundial da Saúde de Maio de 2004, onde emergiu a evidência da necessidade da OMS promover a disponibilização de informação em Saúde, para além dos idiomas oficiais da Organização. Pretende estabelecer e manter uma aliança entre instituições e profissionais da saúde dos países de Língua Oficial Portuguesa, promovendo a saúde através do desenvolvimento e partilha do conhecimento científico e de fontes de informação em Português, para que toda esta comunidade de países possa dela beneficiar.

Tem por objetivo desenvolver uma rede de recursos de informação técnicos e científicos de acesso livre e universal na área da saúde através da internet, permitindo o acesso a conteúdos científicos em Português e upload de conteúdos
nacionais, bem como construir comunidades virtuais de prática e de conhecimento em saúde em língua portuguesa.
A BVS organiza redes de fontes de informação referenciais, directórios de especialistas, eventos e instituições locais, catálogo de recursos de informação, colecção de textos completos com destaque para a colecção SciELO (Scientific
Electronic Online) de revistas científicas e a LILACS (índice referencial da Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde) onde são descritas e indexadas: teses, livros, capítulos de livros, anais de congressos ou conferências, relatórios técnico-científicos e artigos de revistas relacionados com a área da saúde.
LINHA SAÚDE 24
Peça estruturante no SNS, na perspetiva de ser um ponto de contacto inicial com a capacidade de orientação dos utentes. A prestação de cuidados de saúde integralmente focados no cidadão, facilitando o respectivo acesso a informação e a serviços de saúde, tem abrangência nacional, estando os Serviços disponíveis a todos os utentes do SNS, 24 horas por dia.
Inserido na cadeia de valor da prestação de cuidados de saúde, a Linha Saúde 24: (a)identifica os cuidados de saúde necessários através de um processo de triagem;
(b) identifica o tipo e a localização dos recursos ou meios mais adequados; (c) contribui para atenuar da pressão sobre os serviços de urgência; (d) ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços de saúde; (e) promove uma visão integrada sobre as diferentes medidas e programas de Saúde Pública; (f) aumenta a
satisfação dos Utentes e dos Profissionais de Saúde. (Linha saúde 24, 2011)

TELEMEDICINA
Mais de 1/5 dos
Hospitais praticam actividades de telemedicina, com destaque para a
teleradiologia e a teleconsulta, exercidas em, respectivamente, 83,7% e 53,1% dos
hospitais que têm telemedicina. (INE, 2011. Utilização das TIC)
A telemedicina possui, pois, os predicados necessários para contribuir para um
melhor, maior e mais racional acesso e equidade na saúde.
REGISTO DE SAÚDE
ELETRÓNICO
No Serviço Nacional de Saúde coexistem sistemas de informação locais, de origem diversificada, adquiridos ou desenvolvidos pelas próprias instituições. A nível central, têm vindo a ser implementados sistemas transversais, de importância e utilidade para todas as instituições .
Esta realidade coloca dificuldades ainda no estabelecimento de políticas de segurança homogéneas, na sua monitorização e, dum modo geral, coloca dificuldades à adopção dum modelo de governação preventivo e pró-activo, reconduzindo os esforços do sistema a uma abordagem reactiva.
Existem hoje conflitos de compatibilidade entre sistemas, versões e normas, criando limitações à sua utilização duma forma inter-operável.


WebSIG – Mapas Interativos
Consiste numa plataforma tecnológica, assente em sistemas de informação
geográfica, que suporta a pesquisa e a apresentação da informação relativa a
indicadores da saúde na forma de mapas, gráficos ou tabelas.

CANAL MAIS
SAÚDE
Protótipo dum canal dedicado à saúde cuja prova de conceito foi amplamente acolhida pelos utentes das salas de espera da Região de Saúde do Algarve, mantendo um conjunto de conteúdos em produção com vista à disseminação pelas demais regiões de saúde nacionais.
No âmbito deste projeto, foram produzidos blocos de conteúdos audiovisuais de saúde, em suporte digital e configurável (de acordo com perfis regionais de saúde), com vista a permitir uma fácil, económica e ajustada disseminação do projeto às restantes regiões de saúde do país.

Biblioteca Virtual em Saúde
ORIENTAÇÕES E EVIDÊNCIA
MEDIDAS AO NÍVEL DOS PROCESSOS DE TRABALHO
CONHECER A INFORMAÇÃO
NORMALIZAR A INFORMAÇÃO
NORMALIZAR OS PROCESSOS DE TRABALHO
GARANTIR O ACOLHIMENTO E FUNCIONALIDADE
DO MODELO DE GOVERNAÇÃO
CONHECER OS EQUIPAMENTOS
NORMALIZAR OS EQUIPAMENTOS

MEDIDAS AO NÍVEL DOS PROCESSOS DE TRABALHO – DE CARÁCTER CONCEPTUAL

SAÚDE DE PROXIMIDADE
Melhorar a informação e o conhecimento do sistema de saúde
Melhorar a transparência da informação em saúde
E-HEALTH - promover iniciativas e projectos que
potenciem o conhecimento e a partilha da informação científica
Sistemas de informação em saúde - interoperabilidade, fiabilidade e atualidade de dados
MEDIA EM SAÚDE- veículo privilegiado da promoção da saúde e prevenção da doença; da capacitação dos cidadãos e do exercício da cidadania em saúde
Visão 2011-2016
Visão atual
As tecnologias de informação e comunicação constituirão um instrumento determinante para a promoção da cidadania em saúde.
Telemedicina e a e-health assumir-se-ão como um meio de fomentar o acesso e a equidade na prestação de cuidados de saúde.
A saúde terá como desígnio a proximidade do cidadão.
A disponibilização futura de dados intrínsecos a registos específicos irá também favorecer a investigação clínica e a investigação em saúde pública.
Sistemas de informação em saúde serão interoperáveis, mais seguros, auditáveis e escaláveis.
Projetos
CRIAR AS BASES PARA A E-HEALTH
BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE NACIONAL
PORTAL DA SAÚDE
REGISTO DE SAÚDE ELETRÓNICO
ACESSO ONLINE AOS SERVIÇOS DE SAÚDE
PROCESSOS CLÍNICOS E ADMINISTRATIVOS SEM PAPEL NOS HOSPITAIS
DESMATERIALIZAÇÃO DE PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS E DOS MCDT
TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO CLÍNICA AVANÇADA DE EMERGÊNCIA E PARTIR DO LOCAL DE INTERVENÇÃO
REDE DE NOVA GERAÇÃO DA SAÚDE
CONTACT CENTER
WEBSIG
SERVIÇOS DE TELESAÚDE PARA O
CIDADÃO IDOSO E/OU COM DOENÇA CRÓNICA
CANAL MAIS SAÚDE
Full transcript