Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

BARROCO NO BRASIL

No description
by

Wagner Bôa Morte

on 23 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of BARROCO NO BRASIL

SÉCULO XVI
BARROCO NO BRASIL
Barroco mineiro - um estilo monumental
A mineiração do ouro e de diamantes em Minas Gerais estava a pleno vapor, mas quase em esgotamento.
Rio de Janeiro se tornava a capital da colônia.
A arte religiosa se firmava como uma das referências culturais da região por meio da arquitetura religiosa.
Pela necessidade de pesquisar novos materiais por ter de se adequar ao terreno montanhoso, foi utilizada a técnica conhecida por TAIPA DE PILÃO, que é um sistema longo e experimental de construção que utiliza blocos de barro (terra e areia) comprimido.
A pedra-sabão foi fundamental na obra arquitetônica do período áureo do barroco mineiro, permitindo o aprimoramento das técnicas construtivas e decorativas.
Na escultura, Aleijadinho introduziu o uso da pedra-sabão, mas também realizou inúmeras obras em madeira policromada. Suas esculturas masculinas têm como características a barba encaracolada, o cavanhaque dividido no queixo, as sobrancelhas em V como se estivessem contraídas e os olhos amendoados.
ARTE SACRA EM GOIÁS
MUSEU DE ARTE SACRA DA BOA MORTE
José Joaquim da Veiga Valle
(09 Set 1806 - 29 Jan 1874)
Suas esculturas transitam entre o barroco e o rococó, grande parte é híbrida e outras explicitam o modelo neoclássico.
O material preferido - madeira cedro (macia, cheirosa e de grande durabilidade).
Sua esculturas eram feitas em partes separadas e encaixadas.
Imagens delicadas, de proporções reais e que davam a impressão de movimento.
Foi cristão e fez apenas uma obra profana, que foi um nu artístico, inacabado, de 25 cm.
Suas peças eram feitas, na maioria, por encomenda.
De 1820 a 1873 trabalhou apenas com seu filho Henrique, única pessoa que recebeu seus conhecimentos.
Sua obra foi reconhecida apenas em 1940, quando passou a ser exposta e discutida, inclusive fora do estado de Goiás.
A catalogação de suas obras resultou em aproximadamente 200 peças, entre comprovadas e atribuídas.
No centenário de sua morte, sua sepultura foi transferida para o Museu de Arte Sacra da Boa Morte, em Goiás Velho.
Esculturas de Veiga Valle
A ornamentação é filigranada e esgrafitada e os motivos decorativos, penas, florais, folhas de acanto, pinhas, guirlandas, florões, guilhochês, buquês de rosas, palmas e ramagens são conjugados homogeneamente. Além de muito dourado sua policromia evidencia o amarelo, o azul, o vermelho e o verde em diversas saturações.

Museu da Boa Morte - Vídeos
A Palavra BARROCO, provavelmente de origem portuguesa, significa pérola ou joia de formato irregular e designa o estilo artístico do século XVII.
Na escultura e na arquitetura, o EMPREGO EXCESSIVO DE LINHAS CURVAS E ORNAMENTOS são características indissociáveis do período. Nas obras
Apolo e Dafne
e
O Êxtase de Santa Teresa
, ambas de Bernini, escultor e pintor italiano (1598-1680), podemos perceber o que na época foi buscado pelos artistas: além dos valores táteis, a expressão dos sentimentos e a sensação de movimento das personagens.
Barroco
A INTENSIDADE DO CONTRASTE DE LUZES E SOMBRAS, que acentua a expressão dos sentimentos e altera os padrões da beleza idealizada no Renascimento, está bem representada na obra
A ceia em Emaús
, de Caravaggio. Este artista italiano (1573-1610) retratava a realidade, livre de convenções e padrões de beleza e composição vigentes na época, inclusive fez de tudo para reproduzir tanto as personagens bíblicas como as pessoas comuns.
O contexto social e político
Vinculado ao IBRAM/MinC e reconhecido pela UNESCO como patrimônio histórico e cultural por sua ARQUITETURA BARROCA.
Funciona nas instalações da antiga Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, cuja construção foi concluída em 1779.
Inaugurado em 1969 com a missão de prestar serviços à sociedade através da valorização e reconhecimento do patrimônio material e material sacro-cristão.
Construído em pau-a-pique e pedra em formato octogonal, tem em seu ACERVO cerca de 1000 peças - imaginária, prataria, mobiliário, porcelana, retábulos, indumentárias, gravuras, além de coroas, cálices, castiçais, tocheiros e lampadários dos séculos XVIII e XIX, peças de origem portuguesa e telas com temas religiosos. São obras sacras de vários autores, com destaque para o artista Veiga Valle, considerado “o Aleijadinho goiano”.
Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, em Goias Velho
Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, em Barbacena, MG
A indumentária das esculturas de Veiga Valle apresenta na policromia e na decoração uma codificação estilística singular, bela e harmoniosa, com destaque para os volumes, sobreposições, caimentos em diagonal, pregas, extremidades viradas, avesso à mostra e orlas douradas. Na concepção dos mantos o artista dá às dobras um tratamento em diagonal ou em forma de ‘V’, e, nas madonas, em forma de ‘S’.

CARACTERÍSTICAS DE SUAS ESCULTURAS
Estilo barroco
Começou no final do século XVI e perdurou por todo o século XVII. Em alguns casos, como no Brasil, chegou a se estender quase até o século XIX.
As composições são abertas e os elementos são geralmente colocados ou se movem em diagonal no espaço pictórico.
Com uma técnica mais livre e solta, o artista utilizava cores ricas, escuras e sombrias.
Os contrastes dramáticos de claro e escuro destacam as figuras em 1º plano, contrastando com o fundo escuro das composições e produzindo o que os críticos chamavam de "UNIDADE ABSOLUTA DA FORMA".
A arte barroca era, sobretudo, uma arte NATURALISTA, onde os pintores reproduziam a natureza sem qualquer idealização, diferentemente do período anterior, o Renascimento.
SÉCULO XIX
Vídeo na íntegra
Full transcript