Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Dejetos humanos como matéria-prima de nãotecido

Trabalho apresentado para a disciplina "Maquete de Tecido", ministrada pela Prof.ª Dr.ª Suzana Avelar, do curso Bacharelado em Têxtil e Moda da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo - EACH/USP.
by

Juliana Pirani

on 6 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Dejetos humanos como matéria-prima de nãotecido

Entretela
DEJETOS HUMANOS
COMO MATÉRIA-PRIMA
DE NÃOTECIDO

a ideia inicial

Utilizar dejetos animais - bovinos, caprinos, suínos, equinos - como matéria-prima para obtenção de celulose e criação de material têxtil
Mas como, se esses animais digerem a celulose?
Utilizando fezes do animal que não digere!
O HOMEM!
Um homem adulto produz
100-150g de fezes por dia.



1,5 kg em uma semana
4,5 kg em um mês
54 kg em um ano!
3/4 das fezes são água pura.

De sua massa, metade é composta por
bactérias, principalmente do gênero
Bifidobacterium
.

O restante é constituído por sais, muco, fibras, celulose e outros materiais não digeridos.
as fibras
(que são encontradas no cocô)
O corpo não consegue digerir completamente.
Pectinas, gomas, mucilagens e algumas hemiceluloses.
Solúveis
Insolúveis
Celulose e algumas hemiceluloses.
Parte da estrutura das células vegetais, encontradas em todos os tipos de substância vegetal. Não se dissolvem na água.
CELULOSE
Frutas com cascas, farinha de trigo, farelos, sementes.
hemiCELULOSE
Grãos de cereais, farelo de trigo, soja e centeio.
É possível!
O material necessário está disponível, mas...
COMO FAZER ISSO?
Primeira parte:
coleta
No-mix vacUum toilet
Criado por pesquisadores da Nanyang Technological University (NTU), em Singapura, para converter dejetos humanos em fertilizante, energia, e reduzir o consumo de água.

O vaso sanitário criado possui duas câmaras, que separam líquidos dos sólidos.

Com uso da tecnologia de sucção a vácuo, a descarga para líquidos consome apenas 0,2 litro, e a descarga para sólidos, apenas 1,0 litro.
(aqui chamado de NMVT)
Se instalado em um banheiro público, com 100 descargas por dia, o uso do NMVT resultaria em uma economia de 160.000 litros de água por ano, se comparado com vasos sanitários que consomem 4-6 litros de água por descarga.
É o equivalente a uma piscina de 10m x 8m x 2m!
Aperte o play!
E como funciona a NMVT?
(O vídeo tem áudio, também!)
A urina, como descrito no vídeo, pode ser usada como fonte para fertilizantes.

Já o material sólido será tratado de
maneira diferente para
a produção de nãotecido...
Segunda parte:
tratamento
Decomposição das fezes
Resíduos orgânicos são feitos de proteínas, hidratos de carbono, materiais gordurosos e fibras, que solidificam e dificultam a sua liquidificação e redução.

A acumulação de sólidos e o bolo fecal têm de ser liquidificados fora das células bacterianas e por meio da ação de enzimas segregadas por bactérias especiais.


As enzimas são proteínas biocatalisadoras produzidas por todas as células vivas que catalisam as reações bioquímicas específicas que transformam as proteínas, os hidrocarbonetos, as gorduras e as fibras em produtos necessários ao metabolismo celular.

Composto bactereológico-enzimático acelera a decomposição das gorduras, proteínas e celulose.
Microrganismos necessários para a digestão de matéria orgânica na ausência de ar.

Microrganismos necessários para a digestão de matéria orgânica na presença de ar.

Atua nos hidratos de carbono (amidos), transformando-os em dextrina e açúcares solúveis.

Transforma as proteínas em polipéptidos e aminoácidos solúveis.

Atividade desenvolvida nas gorduras, transformando-as em ácidos e glicerol solúvel.

Produto que aumenta sinergicamente a atividade das enzimas, acelerando as reações de degenerescência.

Aumentar contato entre as enzimas e os resíduos, realçando a rápida ação.

Bactéria anaeróbia

Bactéria aeróbia

Amilase


Protase

Lipase

Catalisadores


Agentes umidificantes
de hidratação
O composto bactereológico-enzimático não deve conter a celulase, enzima que age sobre a celulose transformando-a em açúcares solúveis.
Após ação do composto em toda a matéria, os resultantes solúveis serão dissolvidos durante a lavagem e higienização das fibras. Essas, então, serão homogenizadas para a próxima parte do processo.
Terceira parte:
desenvolvimento
do nãotecido
NÃOTECIDO
Dito o tecido obtido sem o uso do tear; as fibras não possuem sentido de direção.

Provém de elementos fibrosos compactados por meio mecânico, físico ou químico, formando uma folha contínua.

Pode ser obtido pelo entrelaçamento das fibras ou pela ação de adesivos na fusão das fibras.

(também conhecidos como nãotexturizados)
Por isso a escolha de nãotecido, pois as fibras obtidas podem ter diferentes características, como comprimento, espessura...

Assim, a massa de fibras obtida pode ser mais bem trabalhada!
E como formar o nãotecido a partir dos elementos fibrosos obtidos?
Basicamente, há dois tipos de formação de nãotecido:
entrelaçamento
adesivo
ou
Entrelaçamento de fibras por de agentes mecânicos.

Emaranhamento das fibras têxteis entre si por meio de agulhas com farpas.

Feltragem é completada com adição de produtos químicos.

Exemplos: feltros e cobertores, entre outros.
Ação de adesivos na fusão das fibras.


Processo químico se encarrega da união das fibras.


Exemplos:
Toalhas para mesa ou limpeza, lenços de uso único para higiene.
E o vencedor é...
ADESIVO!
Isso se deve ao tamanho das fibras obtidas, que são muito pequenas para ser entrelaçadas. Além disso, a finalidade é a produção de aviamentos, entretelas, entre outros, que são de estrutura mais rígida e plástica.
aviamentos
Aviamento é o nome dado aos acabamentos e enfeites de roupas como botões, zíperes, velcros, entre outros.

Aviamentos como botões, zíperes, etc. são rígidos e plásticos -- para que as fibras se transformem nestes produtos, devem ser expostas a processos químicos que as unam e compactem, de modo que a celulose se transforme em uma fibra modificada.

A celulose é convertida, por meio de reações químicas apropriadas, em um intermediário plástico, que é transformado em aviamento por meio de um molde específico para cada tipo e tamanho.

Quarta parte:
aplicação
do nãotecido em aviamentos
quais aviamentos
Mas...
Estofo encorpado que serve para estruturar uma peça de vestuário -- costurado ou preso à peça de modo que não apareça.

Objetivo: dar caimento adequado, tornar a peça armada.

Podem ser termocolantes (possuir adesivo) ou costuráveis (sem adesivo).

Fatores como o tecido que irá compor a peça que necessita de entretela, área em que esta será colocada e caimento que se planeja devem ser levados em conta na hora da escolha deste aviamento.

Entretela nãotecida: composta por fibras sintéticas e/ou artificiais, unidas por processos químicos, térmicos ou mecânicos.
Zíper
Formado por duas fileiras compostas por dentes que são presos em cadarços e que, com uma peça que corre ao meio, podem ficar unidos ou não -- movimento da peça corrediça possibilita o fechamento e a abertura de peças do vestuário, acessórios, entre outros itens.

Fabricação industrial do zíper:
Cursores e puxadores de ligas de zinco e cobre, ferro, aço inoxidável; ou material plástico, nylon ou poliéster.

Pintura em esmalte ou galvanização e polimento final.

Cadarço é atualmente fabricado em tecido (algodão ou poliéster).




Colocação dos ganchos por onde vai correr o cursor com o puxador.
A proposta desse projeto é fazê-lo com o nãotecido de celulose produzido!
Feita a coleta, o tratamento, o desenvolvimento do nãotecido, a aplicação deste em aviamentos...
quem vai querer usar?
Você usaria uma roupa ou acessório, sabendo que a matéria-prima de alguns detalhes desta(e) foi a fibra higienizada proveniente de fezes humanas?

Considerando a grande questão da sustentabilidade e o permanente problema dos aterros sanitários, diversos projetos são desenvolvidos em busca de soluções. Um deles visa a reutilização de fibras presentes nas fezes humanas, que seriam devidamente separadas e armazenadas, para a posterior aplicação de enzimas degradadoras de todos os seus componentes, com exceção da celulose. Após isso, as fibras restantes seriam higienizadas, e então ocorreria a produção do nãotecido -- estrutura plana, flexível e porosa, constituída de véu ou manta de fibras ou filamentos, orientados direcionalmente ou ao acaso, consolidados por processo mecânico e/ou químico e/ou térmico (ABINT, 2013) -- para a aplicação em aviamentos, como entretelas e detalhes de acessórios. Considerando esse tipo de aplicação para essas fibras, já higienizadas e que não entrariam em contato com a pele diretamente, responda a questão acima.
Foi feita uma pesquisa para compreender a aceitação do produto no mercado:
resultados da pesquisa
os resultados
referências biliográficas
FERRAZ, Queila. Zízper: história, processo de fabricação e curiosidades, 2008. Disponível em: <http://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/ziper-historia-processo-fabricacao-curiosidades/>. Acesso em: 08 dez. 2013.

GW Entretelas Ltda. O que é entretela?, 2009. Disponível em: <http://www.gwentretelas.com.br/>. Acesso em: 08 dez. 2013.

Jenkins J. C. The Humanure Handbook: a guide to composting human manure. Chelsea: Chelsea Green Pub Co, 1999.

JONES, Sue Jenkyn; HO, Li Lian. Fashion Design: manual do estilista. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2005.

MICHAELIS. Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Editora Melhoramentos, 1998.

PEZZOLO, Dinah Bueno. Tecidos: história, tramas tipos e usos. São Paulo: Editora Senac, 2007.

PRADO, Ana Carolina. A ciência do cocô. Super Interessante, Editora Abril, 2012.

NTU’s new loo turns poo into power. Nanyang Technological University. Publicado em: 26 jun. 2012. Disponível em: <http://news.ntu.edu.sg/pages/newsdetail.aspx?URL=http://news.ntu.edu.sg/news/Pages/NR2012_Jun26.aspx&Guid=b00109d0-4a69-4db9-8dcb-3b4990f9539b&Category=News+Releases>. Acesso em: 12 dez. 2013.

Fibras Têxteis: fibras naturais modificadas. Pulicado em: 24 ago. Disponível em: <plástico-fibrastexteis.blogspot.com.br/2010/08/fibras-naturais-modificadas.html>. Acesso em: 12 dez. 2013


A SUA CARA!
ROUPA DE MERDA
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES
Projeto final
Disciplina: Maquete de tecido
Prof.ª Dr.ª Suzana Avelar
Camila Alves Cruz Ortega,
Juliana de Andrade e Silva
Juliana Gomes Pirani
Larissa Maria Ribeiro da Silva
Marcela Silva Marques de Jesus
Marina Ferreira Lopes Evangelista
são paulo
2013
Sim (45 respostas)
Não (68 respostas)
Outros (4 respostas)
Talvez (49 respostas)
Foram, no total, 166 respostas.

A pesquisa foi feita online via Google Docs.
considerações finais
Apesar de parte significante do público entrevistado ter respondido "Não", acredita-se que, com o produto em mãos, e com a apresentação da qualidade deste, sua higiene, e suas soluções para o meio ambiente e afins, é possível ter um aumento nas respostas "Sim".
Este projeto aposta nisso: em gente disposta a descobrir flores entre pedras, gente sem medo de desbravar novidades às vezes assustadoras, gente que quer cuidar do meio ambiente, do planeta, da sua casa.
De qualquer forma, somando-se a quantidade de "Sim" com "Talvez", percebe-se a abertura do público para novidades e inovações, mesmo que "estranhas" à primeira análise.
"Ainda existem muitas possibilidades de reciclagem de material para esse devido fim, sem a necessidade de um investimento grande como esse."

"Preciso estudar mais."

"Se fossem fezes de animais herbívoros como vacas e cavalos eu usaria."

"QUÊ?!"
outros?
O projeto se destinou a pesquisar um material considerado lixo por grande parte da sociedade: o dejeto humano. Muitas pessoas acreditam que, após a descarga, o material "desaparece". Mas não. Há todo um sistema de tratamento de esgoto, que demanda muito investimento -- isso quando há. A questão também envolve locais sem saneamento básico, onde não há nem esgoto, que dirá uma preocupação com o direcionamento final desta matéria.

Além, enxerga-se o início de um novo ciclo com esse projeto: ver possibilidades onde ninguém mais vê.

O uso exclusivo do NMVT já causaria bastante impacto com a gigantesca economia de água proporcionada. Unindo a tecnologia a vácuo com o processamento de urina para criação de fertilizantes, a decomposição das fezes para produção de energia, e o uso da celulose sobrante para produção de nãotecidos, o impacto ambiental é ainda maior, e mais significante.

É importate ressaltar que, mesmo havendo outras maneiras de reciclar dejetos, como a sugerida pelos criadores do NMVT, a compostagem, dentre outros, isso não significa que se deve parar de pesquisar e desenvolver novidades. Este grupo acredita nisso. E que a resistência do público em um primeiro momento pode tornar-se força motriz para o crescimento dessa semente de ideia.
Full transcript