Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mundo Árabe e as Cruzadas

No description
by

Patrícia Batalha

on 13 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mundo Árabe e as Cruzadas

Mundo Árabe
povo sem unidade política
beduínos (tribos mômades do deserto)
região desértica
Iêmen - terra férteis nas áreas costeiras
presença das feiras
Maomé dirige-se para Medina onde conquista muitos seguidores e alia-se a chefes tribais.

Líder:
Político
Espiritual
Militar

Consolidou sua revolução com a criação do livro sagrado do Islã: o Alcorão.
Conter o avanço dos muçulmanos e difundir a fé cristã
Forma de conter as tensões sociais
Nobres despossuídos iam para o Oriente com o objetivo de conseguir feudos.
Camponeses em busca de um sentido para sua existência
Interesses comerciais
Razões e Efeitos das Cruzadas
Image by Tom Mooring
Mundo Árabe e as Cruzadas
A Primeira Cruzada (1096 - 1099)
Foi comandada por Godofredo de Bulhão. Participaram 250 mil cruzados. Conquistaram Jerusalém e outros Estados menores dos Turcos. Em 1187 os Turcos reconquistaram Jerusalém.

A Segunda Cruzada (1147 - 1148)
Organizada por Luis VII da França e Conrado III da Alemanha. Esta cruzada não teve êxito. Não houve conquistas significativas.

A Terceira Cruzada (1189 - 1192)
Conhecida como “Cruzada dos Reis”, pois os reis Filipe Augusto (França), Ricardo Coração de Leão (Inglaterra) e Frederico Barba-Roxa (Sacro-Império) lutaram unidos nesta cruzada. A Cruzada do Reis recebeu o apoio do papa Inocêncio III. Barba-Roxa lutou e venceu os muçulmanos, mas morreu em seguida. Coração de Leão tornou-se amigo do sultão Saladino e Jerusalém manteve-se em poder dos turcos.

A Quarta Cruzada (1202 - 1204)
Liderada por Balduíno de Flandres, chegou a Constantinopla, mas desistiu de seguir até Jerusalém. Não atingiu seus objetivos.

A Sexta Cruzada (1228 - 1229)
Liderada por Frederico II que conquistou Jerusalém recebendo o título de “rei de Jerusalém”. Mas, a cidade foi reconquistada pelos muçulmanos em 1234.

A Cruzada das Crianças
Acreditava-se que por serem puras (sem pecados), as crianças seriam compensadas por Deus. Porém em sua maioria acabaram sendo vendidas como escravas.



Surgimento do Islamismo
Antecedentes:
eram politeístas
Caaba e a pedra negra
Meca como centro comercial dominado pelos coraixitas
As Cruzadas
Lutas entre Cristãos e Muçulmanos
O Islamismo
Islamismo:
570: Nascimento de Maomé
religiões: judaísmo e cristianismo

610: visão do anjo Gabriel
Alá e o surgimento do Islã (submissão total a Deus)

Pregação tem início em Meca
Destruição dos ídolos, fato que irritou aos coraixitas

Relação existente até hoje
Algumas características do Islamismo
Jihad:
"Guerra Santa", a tradução real é esforço em favor de Deus. Assumir um compromisso total com Alá, levando uma vida de acordo com os preceitos religiosos
Cinco orações diárias
jejum no mês do Ramadã
incentivar a caridade
visitar Meca pelo menos uma vez na vida
Sucessão
Morte de Maomé em 632
Califas - sucessores

os quatro primeiros califas de ligação familiar com Maomé (661 a 750)
Demais califados por hereditariedade
conversão por conveniência: como o Alcorão proibia qualquer obrigação para a conversão, os muçulmanos diminuíam os impostos, facilitavam empréstimos e davam direitos políticos.
Economia
Navegação pelo Oceano Índico e pelo Mediterrâneo
poder das principais rotas marítimas que possibilitou o comércio das mercadorias mais apreciadas da época
artesanato avançado com cidades especializadas como, por exemplo, Bagdá
presença de moeda local: Dinar

Cultura
Mistura dos ancestrais semitas com elementos dos povos conquistados ou dos povos com quem mantinham relações sociais
Estudos de Platão e Aristóteles, que auxiliaram nos avanços tecnológicos
Avanços técnico-científicos: matemática, alquimia, medicina, literatura, arquitetura.

Nenhuma das cruzadas obteve o sucesso esperado e após dois séculos foram abandonadas.



Incentivo ao comércio entre Ocidente e Oriente.
Desenvolvimento das navegações.
Renascimento urbano devido ao comércio.
Morte de milhares de pessoas com as lutas e pestes.
Enormes gastos dos nobres com as campanhas.
Muitos servos foram obrigados a abandonar os feudos para lutar nas cruzadas.
Aumento da circulação de pessoas e riquezas
O Fim das Cruzadas
As Conseqüências das Cruzadas
Razões Religiosas
Peregrinações para venerar lugares e relíquias sagradas.
Tentativa de libertar Jerusalém, que estava sob o domínio muçulmano
Razões Econômicas
Pobres despossuídos iam para o Oriente com o objetivo de conseguir feudos
A população marginalizada dos feudos ia em busca de riquezas orientais
Full transcript