Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

E se todos os dias fossem dia de cozido?

No description
by

Editorial Online

on 21 February 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of E se todos os dias fossem dia de cozido?

Empobrecimento do debate público
=
fim da missão
Em maio de 2015, uma equipa de analistas de dados do Facebook publicou um estudo na revista Science que confirmava a teoria da bolha*: tendemos a ver mais conteúdos em linha com as nossas convicções políticas. De todo o conteúdo visualizado no Facebook por utilizadores identificados com a esquerda, apenas 22% oferecem pontos de vista contrários aos seus. Entre os utilizadores conotados com a direita, o valor é de 33%.

*Eli Pariser, The Filter Bubble: What the Internet is Hiding from You

Até que ponto personalizar é bom para o negócio?
Empobrecimento da informação
=
mau para o negócio
«Se optasse por uma existência à base de cozido à portuguesa, talvez fosse feliz durante um tempo, mas perderia a oportunidade de descobrir novas iguarias. Nas redes e nos motores de busca, vivemos num regime alimentar escolhido por terceiros com base naquilo que estes julgam ser os nossos gostos, a partir das nossas escolhas passadas. O efeito é igualmente nocivo. Há um empobrecimento do menu e eliminação de alternativas.»

Pedro Guerreiro,
in
Público, Março de 2016

E se todos os dias fossem dia
de cozido?

Até ao ponto em que abusamos e causamos 1, 2 ou estas 3 coisas
Significa que só mostramos o que achamos que o leitor quer ler sem nunca incluir um fator surpresa ou algo disruptivo
Isto é um risco para a missão, porque a DECO apresenta-se como:

«Somos o rosto de inúmeros protestos em que a adesão em massa aumenta o nosso poder reivindicativo»

Manipulação
da opinião
=
fim da missão
Em 2015, os investigadores de Psicologia Robert Epstein e Ronald E. Robertson estudaram o impacto do Google no comportamento do eleitorado norte-americano e indiano. A pesquisa concluiu que o resultado de uma eleição poderia oscilar até 25% graças à informação apresentada pelo motor de busca, e que as intenções de voto dos indecisos poderiam alterar-se em até 80% dos casos.
Temos de respeitar esta fronteira, porque a DECO assume claramente a formação da opinião pública como um pilar da sua atividade:

«Lutamos por produtos mais seguros e práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho de pressão que fazemos junto das autoridades e com as análises que trazemos a público.»

Quando é que a personalização é bem-sucedida?

Quando não acontece nenhuma destas três situações e o site se limita a antecipar o que os leitores querem, porque analisa e reage ao comportamento do seu visitante e


Oferece informações
oportunas e precisas
de acordo com os
seus interesses.
Oferece respostas
adequadas quando
procuram por termos
específicos (SERP).
Permite aos editores
organizar a informação
por relevância para o visitante.

Possíveis dificuldades?

20 anos depois da Amazon lançar o Book Matcher, a DECO quer mostrar informação diferente a cada subscritor, com base nos dados de que dispõe sobre cada um deles. E o que dispomos: o tipo de subscrição e não o histórico de navegação no próprio site ou de outros sites que tenha visitado.

Full transcript