Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

ALIMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA

No description
by

Livia Prazim

on 12 September 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ALIMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA

Livia Prazim
FAMENE

ALIMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA
Isllander Kaumax tem dois meses e nasceu de parto cirúrgico, a termo, com apgar 9 e 10 no 1º e 5º minutos de vida, respectivamente. Sua mãe, Carla, tem 13 anos e seu pai Julierme tem 16 anos e o três moram na casa da mãe de Julierme. Carla parou de ir à escola no 6º mês de gestação e ainda encontra-se sem estudar. A criança mamou exclusivamente ao seio por três dias, porém, como sua mãe apresentou mastite, foi proibida de amamentar, devido a uma prescrição de cefalosporina oral.
A avó de Isllander fez um mingau de leite de vaca em pó (1 colher de chá) + amido de milho (1 colher de sopa) + açúcar (1 colher de sobremesa) + água (50mL).
Isllander toma esse mingau a cada três horas, com água filtrada nos intervalos. Tem queixas de cólicas frequentes e diárias que se iniciam às 5 horas da tarde. Diurese abundante. Evacua a cada 2 dias, com fezes endurecidas e ressecadas de eliminação difícil.
Peso do nascimento: 3.210g
Peso atual: 6.110g
12 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL (MS/2018)
Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.
Oferecer outros alimentos, além do leite materno, a partir dos 6 meses.
Possibilitar crescimento e desenvolvimento adequados.
Prevenir doenças em curto e longo prazo.
Papel do profissional de saúde
Ser fonte inesgotável de apoio e reforço positivo
Estimular a amamentação até 06 meses exclusivamente e manutenção até 02 anos (OMS e MS)
Reforçar as vantagens nutricionais, imunológicas e afetivas do leite materno
Desestimular o uso de leite de vaca integral, seja líquido ou pó, no 1º ano de vida
Encontrar, junto com a mãe que trabalha fora, a melhor estratégia de desmame
Alimentação de transição
Riscos
Insegurança materna
COMO ALIMENTAR O BEBÊ?
Melhor opção:
Ordenha
Outros alimentos
Higiene
Armazenar em quantidade adequada
Refrigerar por até 12 horas
Congelar por até 15 dias
Descongelar e aquecer em banho-maria desligado
Oferecer em copinho, xícara, colher ou conta-gotas
12º mês
– comida da família
6º mês
– Papinhas de frutas e sucos naturais sem açúcar +
1ª papa salgada cozidas, pastosas e peneiradas (não liquidificar)
7º mês
– 2ª papa salgada (jantar); alimentos amassados
8º mês
– pedacinhos de alimentos
9º mês
– semi-sólidos
FRUTAS
Fonte de fibras, vitamina C, A, K e antioxidantes
PAPAS
SUCOS
Introdução gradual
Frutas regionais
Cuidados com higiene
Paciência na administração
Manhã e tarde
Nenhuma fruta é contra-indicada
Fornece vitamina C
Após as refeições principais
Não acrescentar açúcar
Frutas que não fazem papa
PAPINHAS SALGADAS
Composição:
Um alimento básico
Uma fonte de proteína
Uma fonte de vitaminas e sais minerais
Uma fonte de ácidos graxos essenciais
ALIMENTOS BÁSICOS
Cereais, tubérculos e raízes
Arroz
Trigo
Milho
Aveia
Batata
Inhame
Mandioca
FONTE DE PROTEÍNA
Animal - ptn completa, ferro e zinco
Ovo
Carne
Vísceras
Peixe
Frango
Vegetal - ptn quase completa, ferro e fibras
Feijões
Ervilha
Soja
Grão de bico
Lentilha
Leguminosas
FONTE DE VITAMINAS E SAIS MINERAIS
Verduras - fibras, ferro, cálcio, vit. C, ác. fólico
Vegetais de folhas verdes
Legumes - fibras, ferro, cálcio, vit. A, ác. fólico
Jerimum
Cenoura
Tomate
Couve-flor
Repolho
FONTE DE ÁCIDOS GRAXOS
Óleos poliinsaturados - ômega 3
Canola
Milho
Girassol
Óleos monoinsaturados - antioxidantes
Azeite
RECEITA DE PAPINHA SALGADA
PAPA DE BATATA, CENOURA E FRANGO (283,32 kcal)
2 colheres de sopa de frango, sem pele, picado
1 colher de sobremesa de óleo de soja
½ dente de alho
1 colher de chá de cebola
2 batatas médias picadas
2 colheres de sopa de cenoura ralada
2 colheres de sopa de acelga picada
2 copos médios de água
Cozinhar tudo até que os ingredientes estejam macios e quase sem água. Amassar com garfo e oferecer à criança.
ALIMENTOS CONTRAINDICADOS
Alergênicos
Leite de vaca fresco – intolerância à lactose e alergia às proteínas
Frutos do mar e castanhas – proteínas alergênicas
Agrotóxicos
Tomate, morango, uva
Potencialmente contaminados
Enlatados e embutidos – risco de contaminação
Mel – Clostridium botulinum
Açúcares e doces
– tiram a fome
Café, chá preto ou mate –
irritabilidade, ↑ eliminação de cálcio
e ↓ absorção de ferro
DESMAME - NA FALTA DE LM
Adoções
Contraindicações absolutas à amamentação
Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV)
Mães infectadas pelo HTLV1 e HTLV2
Varicela ativa materna
Lesões de herpes nas mamas
Doença de Chagas, na fase aguda da doença
Contraindicações absolutas à amamentação 
Drogas como cocaína, heroína, maconha, anfetaminas (ecstasy)
Raras doenças metabólicas inatas do bebê, (galactosemia e fenilcetonúria)
Recusa da mãe em amamentar
Contraindicações absolutas à amamentação 
Raros medicamentos – amiodarona, tamoxifen, andrógenos, bromocriptina, cabergolina, misoprostol, estrógenos em doses elevadas
Medicamentos usados em doenças malignas (anti-neoplásicos)
Isótopos radioativos para tratamento ou diagnóstico
FÓRMULA INFANTIL
Resoluções da Agência Nacional de Vigilância
Sanitária (ANVISA; RDC nº 43 e 44/2011)

Composição
- base de leite de vaca ou de outros animais e/ou de outros componentes comestíveis de origem animal e vegetal que se consideram adequados para a alimentação de lactentes
Fórmula Infantil de Partida
– produto em forma líquida ou em pó, destinado a alimentação de crianças de zero a doze meses de idade incompletos, sob prescrição, em substituição total ou parcial do leite humano, para satisfação das necessidades nutricionais deste grupo etário
Fórmula Infantil de Seguimento
- produto em forma líquida ou em pó utilizado como substituto do leite materno a partir do 6º mês, quando indicado, e para crianças de primeira infância (doze meses a três anos de idade)
FÓRMULAS INFANTIS
- Composição
Densidade Energética
– 0,6 a 0,7 (próxima ao leite humano)
Carboidratos
– principal lactose ou maltodextrina
Proteínas
– relação lactoalbumina/caseína = 60/40
Gordura
– mistura de óleos vegetais
Minerais
– relação cálcio/fósforo adequada
Demais nutrientes
– teor mais elevado para compensar sua baixa disponibildade
Nutrientes essenciais
– acrescentados taurina e carnitina
Osmolalidade
– 460 mOsm/kg
Exclusivas até o 6º mês
MINGAU ?????
LEITE DE VACA IN NATURA
DESVANTAGENS
Proteínas
– alto teor
Ferro
– baixo teor e baixa disponibilidade
Ácidos Graxos essenciais
– 10 vezes menos
Sódio
– alto teor
Vitaminas C, D e E
– baixo teor
Oligoelementos –
quantidades insuficientes
LEITE DE VACA IN NATURA
CONSEQUÊNCIAS

Sobrecarga renal de proteínas e sódio – risco
de obesidade e hipertensão
Anemia ferropriva
Prejuízo no desenvolvimento neuropsicomotor
Comprometimento do crescimento
Vitaminas

Vitamina K
– 1 mg IM ao nascimento
Vitamina D
– 200 UI/dia até 18 meses, exceto em:
Lactentes em aleitamento materno com exposição regular ao sol
Lactentes que recebem mais de 500 mL/dia de fórmula
Vitamina A
– megadoses VO
6 a 12 meses: 100.000 UI uma dose
12 a 72 meses: 200.000 UI a cada 4 a 6 meses
Vitamina C
– 30mg/dia a partir de 2 meses em lactentes alimentados com leite de vaca
Ferro Elementar
ESTRATÉGIA ALIMENTAR 1
Leite Materno Exclusivo até o 6º mês de vida
6º mês
– Papinhas de frutas e sucos naturais sem açúcar + 1ª papa salgada cozida, pastosa e peneirada (não liquidificar)
7º mês
– 2ª papa salgada (jantar); alimentos amassados
8º mês
– pedacinhos de alimentos
9º mês
– semi-sólidos
12º mês
– comida da família

Manter LM até 2 anos de vida
Água após o 6º mês
Suplementação de vitaminas e minerais
ESTRATÉGIA ALIMENTAR 2
Fórmula Infantil de Partida até o 6º mês
Fórmula de Seguimento a partir dos 6 meses
6º mês
– Papinhas de frutas e sucos naturais sem açúcar + 1ª papa salgada cozida, pastosa e peneirada (não liquidificar)
7º mês
– 2ª papa salgada (jantar); alimentos
amassados
8º mês
– pedacinhos de alimentos
9º mês
– semi-sólidos
12º mês
– comida da família

Água a partir do desmame
Suplementação de vitaminas e minerais
EM CASO DE DESESPERO...
Leite de vaca em pó ou “in natura”
10% + 3% de óleo
- até o 4º mês
Integral (15%)
– a partir do 4º mês
4º mês
– Papinhas de frutas e sucos naturais sem açúcar + 1ª papa salgada cozidas, pastosas e peneiradas (não liquidificar)
7º mês
– 2ª papa salgada (jantar); alimentos
amassados
8º mês
– pedacinhos de alimentos
9º mês
– semi-sólidos
12º mês
– comida da família

Água a partir do desmame
Suplementação de vitaminas e minerais
ESTRATÉGIA PSICOLÓGICA
Escutar antes de falar
Informar, sem ordenar
Argumentar
Procurar a solução mais possível de ser realizada, respeitando padrões sócio-culturais dos seus pacientes
Energéticos
Soja - ajuda na mielinização
MAMÃE É LINDA!!!!!
Na diluição de 2/3 ou 10% (42 calorias) há deficiência de energia e ácido linoléico, então para
melhorar a densidade energética a opção é preparar o leite com 3% de óleo (1 colher de chá = 27 calorias). O carboidrato fica reduzido, no entanto a energia é suprida e não é necessária a adição de açúcares e farinhas que não são aconselhados para crianças menores de 24 meses. Então, até completar 4 meses o leite diluído deve ser acrescido de óleo, ou seja, 1 colher de chá de óleo para cada 100 mL. Após completar 4 meses de idade o leite integral líquido não deverá ser diluído e nem acrescido do óleo, já que nessa idade a criança receberá outros alimentos.
Bibliografia recomendada:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf

Sociedade Brasileira de Pediatria
Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do
adolescente e na escola/Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia,
3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012.
148 p.
FÓRMULA
INFANTIL
Evita mortes infantis
Evita diarreia
Evita infecções respiratórias
Diminui o risco de alergias
Diminui o risco de colesterol alto, hipertensão e diabetes
Reduz a chance de obesidade
Melhor nutrição
Efeito positivo na inteligência
Melhor desenvolvimento da cavidade bucal
Proteção contra o câncer de mama
Evita nova gravidez
Menor custo financeiro
Promoção do vínculo afetivo entre mãe e filho
Melhor qualidade de vida
62,4% das crianças menores de seis meses
74,6% das crianças de 6 a 12 meses
80% das crianças maiores de doze meses
CONSUMO DE LEITE DE VACA
23% em crianças menores de seis meses
9,8% na idade de 6 a 12 meses
1% nas demais idades

(BORTOLINI et al., 2013)
CONSUMO DE FÓRMULA
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica,2013
QUAL FILHOTE DEVE TOMAR LEITE DE VACA ?????
Chienne couchée, allaitant cinq petits
Moyen Empire
2033 - 1710 av. J.-C
calcaire peint
Chienne couchée, allaitant deux chiots
Moyen Empire
2033 - 1710 av. J.-C
calcaire peint
Chatte allaitant deux chatons
Basse Epoque
664 - 332 av. J.-C
bronze
Isis allaitant
Pendentifs-amulettes en or,
IIIe Période Intermédiaire et
Basse Époque
Marco d'Antonio di Ruggero, dit LO ZOPPO
La Vierge et l'Enfant entourés de huit anges, 1455
Bartolomeo VIVARINI
La Vierge allaitant l'Enfant.
Vers 1450-1455
Marco da OGGIONO (1470-1540)
La Vierge allaitant l'Enfant Jésus
Andrea d'Agnolo di Francesco, dit ANDREA DEL SARTO (1486-1530)
La Charité
Oferecer água própria para o consumo à criança, em vez de sucos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas.
Alimentar a criança com alimentos "in natura" e minimamente processados.
Oferecer a comida na consistência espessa quando a criança começar a comer outros alimentos, além do leite materno.
Não oferecer açúcar à criança com até 2 anos de idade.
Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança.
Cozinhar para a família e para a criança, a mesma comida, usando alimentos "in natura" e minimamente processados.
Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto.
Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança.
Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa.
Proteger a criança da publicidade de alimentos.
Os alimentos "in natura" são obtidos diretamente das plantas ou dos animais e não sofrem qualquer alteração após deixar a natureza.
Os alimentos minimamente processados passam por alguma modificação, como limpeza, remoção de partes indesejáveis, divisão, moagem, secagem, fermentação, pasteurização, refrigeração, congelamento ou processos semelhantes que não envolvam a adição de sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias.
Alimentos ultraprocessados são produzidos pela indústria e levam
muitos ingredientes, como sal, açúcar, óleos, gorduras e aditivos
alimentares (corantes artificiais, conservantes, adoçantes, aromatizantes, realçadores de sabor, entre outros não utilizados em
casa).
"Estudos experimentais e ensaios clínicos mostram ampla evidência de que fatores nutricionais e metabólicos, em fases iniciais do desenvolvimento humano, têm efeito em longo prazo na programação (programming) da saúde na vida adulta."
6 meses

Novas necessidades nutricionais.
Maturidade fisiológica e neurológica e a atenuação do reflexo de protrusão da língua (semissólidos).
Enzimas digestivas em quantidades suficientes.
"Não há evidências de que exista alguma vantagem na introdução precoce (antes dos
seis meses) de outros alimentos que não o leite humano na dieta da criança. Por outro lado, os relatos de que essa prática possa ser prejudicial são abundantes."
Sociedade Brasileira de Pediatria Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola/Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia,3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012.148 p.
Sociedade Brasileira de Pediatria Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola/Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia,3ª. ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP, 2012.148 p.
Full transcript