Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Potência Anaeróbia.

Medidas em Educação Fìsica.
by

Gabriela Sartório

on 17 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Potência Anaeróbia.

Vamos à prática! Definição Potência Anaeróbia Potência Anaeróbia é o máximo de energia liberada por unidade de tempo pelos sistemas ATP-CP e glicolítico. (FRANCHINI, 2002, p.11)

A potência relacionada à força muscular, quantidade de energia e produção de ATP nas vias anaeróbias é chamada de Potência Anaeróbia. (MCARDLE, 2011) Objetivo Utilizamos potência para mensurar o trabalho empreendido em uma unidade de tempo.

Assim, mensuramos a capacidade individual de gerar a potência em uma área muscular independente da presença de sangue ou oxigênio. (FOSS e KETEYAN, 2000) Metabolismo Anaeróbio O seu papel fundamental é de manutenção dos processos de contração muscular durante exercícios de alta intensidade.

O desempenho durante essas atividades depende da capacidade do organismo de regenerar o ATP consumido durante a contração muscular à taxas suficientes para realização do trabalho externo ( NAKAMURA, 2004). Metabolismo O metabolismo é a transferência de energia por meio de ligações químicas. Definido como a dinâmica de energia humana que ocorre graças ao fornecimento contínuo de energia pela molécula carregadora de energia livre: ATP.

Quando esse processo ocorre sem a participação do oxigênio, chamamos de metabolimos anaeróbio. ATP-PCr Com a clivagem do ATP há um aumento transitório do ADP dentro da unidade contrátil do músculo durante o exercício. Esse aumento desvia a reação catalizada pela creatinoquinase na direção da hidrólise de PCr e na produção de ATP. O fornecimento de ATP de forma anaeróbia é encontado nas seguintes vias: Anaeróbia Lática A finalidade essencial dessa via é fosforilar o ADP para voltar a formação do ATP. (McARDLE et al., 2011, p. 146) Essa formação ocorre quando NAD+ é liberado ou regenerado e pares de hidrogênios não oxidados "em excesso" combinam-se com o piruvato. Essa energia durante esse tipo de exercício provém principalmente do fracionamento do glicogênio muscular armazenado através da glicílise anaeróbia (rápida) com subsequente formação de lactato. Anaeróbia Lática O fracionamento dos carboidratos em série de reações de fermentação é chamado de glicólise. O processo glicolítico propriamente dito, desde o substrato (glicose) até o final (lactato ou piruvato) não envolve a presença de oxigênio. (McARDLE et al., 2011, p.151) Como mensurar Diversos testes são utilizados para avaliar a potência anaeróbia.
-Subida de escada (protocolo de Margaria)
-Teste de corrida de 50m
-Teste de corrida de 40 segundos
- Teste Wingate
- Flegner Power -Mede de maneira indireta a potência anaeróbica alática, pois o pico máximo do metabolismo ATP-CP é alcançado aos 10 segundos de atividade física.
-Teste máximo
-Saída em afastamento ântero-posterior das pernas e com o pé da frenteo mais próximo possível da linha de partida. Teste de 50 metros Teste de 50 metros: Materiais a) Cronômetro preciso
b) Folha de anotação
c) Local plano sem obstáculo e que possua, além dos 50 metros, um espaço suficiente para saída (um metro pelo menos) e outro para chegada (15 a 20 metros). -Mensurar a potência anaeróbia alática de membros inferiores
-Seqüência de 10 saltos horizontais com as pernas unidas, objetivando atingir a máxima distância em um menor tempo possível.
-Três tentativas.
-Absolute Anaerobic Power Unit (AAPU) = Peso Corporal (kg) x Distância (m) / Tempo (seg) Flegner Power Test Flegner Power Test : Materiais a) Cronômetro preciso
b) Trena
c) c) Local plano sem obstáculo e que possua 30 metros. Fatores Intervenientes Existem fatores que impedem que a prática, imediata e/ou de alta intensidade, de atividades anaeróbias sejam realizadas.


Podemos classificar esses fatores em três principais grupos: aptidão física, sexo e idade. Aptidão Física Fatores funcionais e morfológicos que associam-se diretamente a saúde e prevenção de doenças (incluindo doenças crônicas degenerativas), podem ser analisadas em cada indivíduo através do seu nível de atividade física.

Este conceito de atividade física, relacionada a saúde, segundo (MC ARDLE. 2008) pode ser associada a fatores como: Aptidão cardiovascular, flexibilidade, força e Composição muscular. Sexo A diferença de potencial anaeróbio, nas atividades em geral, favorece naturalmente o sexo masculino, devido a causas hormonais, a própria composição de massa corporal e suas dimensões. Idade O cuidado que se deve tomar com indivíduos saudáveis inclui os fatores citados como aptidão física, além de observar se o indivíduo já é óssea e fisiologicamente formado, considerando também sua iniciação em atividades físicas em geral.

Com a população idosa é necessário que aja um cuidado especial na iniciação e em todo o processo da atividade anaeróbia por fatores como mineralização óssea, motricidade, massa muscular, hormonal e neural. Observa-se que nesse grupo especifico todas as considerações anteriores devem ser reforçadas.
Full transcript