Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Francisco Rodrigues da Silva

No description
by

Victória Tavares

on 27 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Francisco Rodrigues da Silva

Francisco Rodrigues da Silva
''Nunca''

Biografia
Francisco Rodrigues da Silva, 24 anos, que inventou para si o pseudônimo artístico de Nunca, começou a grafitar em Itaquera há mais de uma década. Foi criado por uma tia dos seis aos doze anos, em razão de sua mãe, dona Rubenita, ter vivido na Itália durante seis anos, para seguir trabalhando como empregada de uma família italiana. Conheceu seu pai apenas no início dos anos 1990. Nunca, se mudou em 1997 para o Cambuci.
Participou de exposições coletivas na Galeria Triângulo, em 2005. Na Fortes Vilaça, em 2006, no Museu AfroBrasil, na Grécia, e fez uma individual no mam, dentro do Projeto Parede, também em 2006.
Suas obras
Nunca se distingue pela concepção dos olhares de suas personagens, pelo uso da cidade como suporte dinâmico, por um figurativismo crítico e por explorar quase nada o universo da pop art popular, ao contrário da maioria dos grafiteiros. Ele está fora do mainstream do grafite e o transcende. Seus trabalhos são verdadeiras narrativas: contam histórias, muitas vezes complexas
Técnicas
Suas obras estão voltadas para a recriação das figuras indígenas e afro-brasileiras – por meio da técnica chamada trama holandesa – em situações urbanas agudas, reinserindo-as – sobretudo as indígenas, vítimas de um genocídio – no dia-a-dia da cidade, lembrando – pela violência ostensiva das figuras. Ou então volta-se para a recriação estilizada, como caricaturas, de figuras advindas da pop art erudita de um Roy Lichtenstein e seus traços duros e secos
Em um grafite muito "famoso" (Minhocão), o rosto maior tem os olhos negros, nítidos, de um negro. O olhar dessa personagem expressa crítica. O segundo rosto, um pouco menor, é feito num trançado preto e marrom, de aparência indígena, e seus olhos são losangos. Seu olhar expressa agressividade, mas, ao mesmo tempo, dúvida: não se sabe se ele apóia a aspereza do olhar da personagem de feição negra. Há uma razão: Nunca escreve a palavra “canibal”, o que explicita a competição entre eles.
Integrantes
Victória Marchetto-33
Luiza Costa-20
Vitor do Valle-32
Raila Ferreira-30
Laura Beatrice-19
O que é grafite?
e como surgiu?
Grafite ou grafito é uma palavra de origem italiana "grafitto" que significa "escrita feita com carvão".
As inscrições em grafite são conhecidas desde o Império Romano quando era utilizado o carvão para escrever palavras de protestos nas paredes dos monumentos.
Nos anos 60, na cidade de Nova York, jovens provenientes do bairro do Bronx começaram a espalhar suas marcas nas paredes da cidade utilizando tinta em spray. Desenhavam imagens de protesto contra a ordem social, dando início a um grande movimento de arte urbana.
No Brasil, a história do grafite surgiu na década de 70, precisamente na cidade de São Paulo, na época dos militares no poder. O grafite surgiu como uma arte transgressora que expressa nas paredes da cidade os incômodos de uma geração.

A arte dos grafiteiros se disseminou rapidamente pelo país e hoje em dia, segundo estudiosos do tema, o grafite brasileiro é considerado um dos melhores do mundo.
Hoje em dia confundem grafite com pixação, e por isso algumas pessoas ainda criticam muito esta arte de grafitar. Mas há uma diferença entre elas:
O grafite é uma arte urbana e legalizada no Brasil, é uma forma de expor os sentimentos das pessoas em um muro qualquer, é uma forma de criticar o que está de errado com a cidade e também a deixa com um visual mais bonito e colorido.
Já a pixação é ilegal no Brasil, e não apresenta nenhuma das coisas que o grafite expressa, além de deixar a cidade com um aspecto mais "poluído".
A linguagem do grafiti e suas escolas
Tag- é uma assinatura do grafiteiro
Toy- é um novato na arte do grafite
Piece -é um grafite e deve ter no mínimo três cores
O grafiteiro individual é chamado de Writer
Um grupo de grafiteiros é uma Crew
O grafiteiro que pinta ou escreve vários lugares de sua cidade ou em várias cidades do país, é chamado de All City.

Há duas escolas de grafites: a Old School (equivalente aos “clássicos” da pintura) e a New School (os modernistas, chamados de Fresh)




Nunca, está nas ruas estampando suas ilustrações desde os 12 anos de idade. Além de ser um dos maiores grafiteiros do Brasil, o artista também já foi convidado para pintar as paredes de um dos mais importantes museus de arte contemporânea, o Tate Modern, em Londres.
Full transcript