Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

FUNCIONALISMO

SEMINÁRIO DE LINGUÍSTICA
by

Abdiel Martins

on 18 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of FUNCIONALISMO

Funcionalismo Abdiel, Abraão, Elania, Guilehrme
Isabella, Raphael, Vanessa no episódio anterior... funcionalismo
norte-americano Sandra Thompson... definição e caracterísicas gerais do funcionalismo...
funcionalismo x gerativismo...
funcionalismo europeu:
representantes e contribuições... Baseados nos trabalhos dos linguistas Leonard Bloomfield, Franz Boas, Edward Sapir e Benjamin Lee Whorf, outros linguistas, como Talmy Givón, Sandra Thompson, Joseph Greenberg, Paul Hopper e Dwight Bolinger foram os precursores do funcionalismo norte-americano. (continuação) A estrutura da língua não pode ser estudada, descrita ou explicada sem referência à sua função comunicativa. ... produziu em seus trabalhos a ideia de como a interação social motiva a forma de falar, a prosódia, a semântica e tudo o que vem a se chamar gramática. Dwight Bolinger... ... realizou um esboço completo de uma gramática funcionalista, com ênfase na semântica e na pragmática Prosódia: Parte da gramática normativa que trata da reta acentuação dos vocábulos e, ainda, dos fenômenos de entoação. Joseph Greenberg... ...focou seu estudos
nas variações tipológicas da língua
e nas suas classificações. Paul Hopper... ... analisou a gramaticalização e a relação entre a gramáticae seus usos. Talmy Givón... ...trabalhou com diversas áreas da linguagem, sintática, semântica, pragmática, discurso e linguística textual, filosofia da linguagem, tipologia e linguagem universal, gramaticalização e sintaxe histórica, ciência cognitiva e linguística evolucionária. No Brasil... ... Rodolfo Ilari foi o pioneiro no estudo da gramática funcional Projeto Norma Urbana Culta: analisa a variação linguística sob a função discursiva Grupo de Estudos Discurso & Gramática Informaticidade... focaliza o conhecimento que os interlocutores compartilham na interação verbal. A aplicação desse princípio se tem voltado para o exame do status informacional dos referentes nominais. Desse modo, um sintagma nominal pode ser classificado como dado, novo, disponível e inferível. já tiver ocorrido no texto ou se tiver disponível na situação de fala dado: novo: quando é introduzido pela primeira vez no discurso disponível: referente único, já presente na mente do ouvinte inferível: identificado a partir de informações dadas exemplos... Aí o mecânico falou que... (o mecânico) não sabia qual o homem que tinha apertado aquilo
Aí quando chegou ali na Barra da Tijuca, vinha um ônibus e vinha um caminhão.
Eu fui a Petrópolis com minha amiga, que nunca tinha subido a serra.
Quando ela viu o ônibus passar, o ônibus já estava indo e ela começou a gritar pro motorista, mas ele já estava um pouco longe.
Iconicidade O principio da iconicidade é definido como a correlação natural e motivada entre forma e função, isto é, entre o código linguístico (expressão) e seu significado (conteú-do). Como a linguagem é uma faculdade humana, a suposição geral é que a estrutura linguística revela o funcionamento da mente, bem como a capacidade de conceitualiza-ção humana do mundo.
O princípio da iconicidade se manifesta em três subprincípios que se relacionam à quantidade de informação, ao grau de integração entre os constituintes da expressão e do conteúdo e à ordenação sequencial dos segmentos.
Subprincípio da quantidade... ...quanto maior a quantidade de informação, maior a quantidade de forma, de tal modo que a construção de uma estrutura gramatical indica a estrutura do conceito que ela expressa. Belo
Beleza
Embelezar
Embelezamento
Subprincípio da integração ... prevê que os conteúdos que estão mais próximos cognitivamente também estarão mais integrados no nível da codificação: o que está próximo mentalmente coloca-se próximo sintaticamente. Esse subprincípio se manifesta no grau de integração que o verbo da oração principal exibe em relação ao verbo da oração subordinada. Subprincípio da ordenação sequencial... está relacionado à ordenação dos elementos na cadeia sintática. É dividido em: subprincípio da ordenação linear... a ordenação das orações no discurso tende a espelhar a sequência temporal em que os eventos descritos ocorrem. subprincípio da relação entre ordem, sequência e topicalidade uma conexão entre o tipo de informação veiculada por um elemento da cláusula e a ordenação que ele assume. Um exemplo de como isso ocorre pode ser visto no fato de que informações velhas tendem a ocorrer no início da cláusula e informações novas, no final Marcação... Os termos “marcado” e “não-marcado” foram introduzidos na linguística pela Es-cola de Praga. A ideia-chave é a de contraste entre dois elementos de uma dada catego-ria linguística. Um elemento é considerado marcado quando exibe uma propriedade ausente no outro membro, que é considerado não-marcado. As formas não-marcadas apresentam as seguintes características:
•Maior frequência de ocorrência nas línguas em geral;
•Contexto de ocorrência mais amplo;
•Forma mais simples ou menor;
•Aquisição mais precoce pelas crianças. Uma forma linguística mais corriqueira, que apresenta alta frequência de uso, tende a ser conceitualizada de modo mais automatizado pelo usuário da língua e isso significa que essa forma tem pouca expressividade. A marcação é relativa: uma construção pode ser marcada em um determinado contexto e não-marcada em outro. Transitividade e plano discursivo... O termo transitividade, proveniente do latim transitivus (que se transmite), refere-se ao grau de completude sintático-semântico de itens lexicais utilizados na codificação linguística de eventos, de acordo com as possibilidades de transferência de uma
atividade de um agente para um paciente. A proposta de análise da transitividade formulada por Hopper & Thompson (1980) é
entendida como uma propriedade contínua, escalar, não inerente ao verbo, mas
manifestada na totalidade da oração Ex: Batman derrubou o Pinguim com um soco
Pela classificação da gramática tradicional essa frase é transitiva, pois apresenta um objeto como complemento do verbo.
Já para Hopper e Thompson a transitividade dessa frase diz respeito a aspectos como a dinamicidade do verbo, a agentividade do sujeito e a afetação do objeto.
Hopper e Thompson associam a transitividade a uma função pragmática: o modo como o falante organiza seu texto é determinado, em parte, pelos seus objetivos comunicativos e pela sua percepção das necessidades do seu interlocutor. Então, nesse sentido o texto apresenta diferentes planos discursivos que distinguem as informações centrais das periféricas. Para Hopper e Thompson o grau de transitividade de uma oração ou o lugar que ela ocupa na escala de transitividade, está relacionado com a função discursiva, de modo que orações com alta transitividade correspondem a porções centrais do texto, que é a figura. Enquanto orações com baixa transitividade marcam as porções periféricas, está relacionada ao fundo.

Gramaticalização... O funcionalismo caracteriza-se por uma concepção dinâmica do funcionamento das línguas. Nessa perspectiva, a gramática é vista como um organismo maleável, que se adapta às necessidades comunicativas e cognitivas dos falantes. A gramática de qualquer língua exibe mecanismos de condições emergentes, que são consequentes da necessidade de formas mais expressivas. A gramaticalização é um fenômeno relacionado a essa necessidade de se refazer que toda gramatica apresenta.
De grosso modo, ocorre quando um item lexical/construção passa a assumir, em certas circunstâncias, um novo status como item gramatical ou quando itens gramaticais se tornam ainda mais gramaticais.
Numa perspectiva de caráter mais funcionalista, a trajetória da mudança se daria pela regularização do uso da língua que ocorreria a partir da criação de expressões novas e de rearranjos vocabulares feitos pelo falante para atender seus propósitos comunicativos. obrigado! the walking dead
palatino
to te esperando lá fora
araza na coleografiakkkk
Abraão Frases
Full transcript