Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Perspectivas Docentes: O Mestrado Profissional Nacional em E

No description
by

Silvania Nascimento

on 14 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Perspectivas Docentes: O Mestrado Profissional Nacional em E

plano de minha fala
O contexto da SBF
Os programas de Mestrado Profissional
no Brasil (aspectos legais)
O processo de criação do Mestrado Profissional Nacional em Ensino de Física
O contexto da SBF
Art. 22. A Diretoria, eleita para o mandato de 2 (dois) anos, será composta de:

I - um Presidente;

II - um Vice-Presidente;

III - um Secretário Geral;

IV - um Secretário

V - um Secretário para Assuntos de Ensino; e

VI - um Tesoureiro.
ainda sobre o estatuto
Art. 28. Compete ao Secretário de Assuntos de Ensino:

I - presidir a Comissão de Assuntos de Ensino;

II - administrar a Secretaria de Assuntos de Ensino;

III - executar tarefas ligadas ao Ensino, de acordo com a Comissão de Assuntos de Ensino.
As justificativas para o MP
Alinhamento da Pósgraduação brasileira ao modelo de Bolonha
Melhoria da qualificação profissional
Melhoria dos indicadores internacionais de qualidade das diferentes cadeias produtivas
(plano nacional de pós-graduação 2011-2020
http://www.foprof.org.br/download/pnpg-2011-2020-vol-2.pdf)

O que são
Os procedimentos de regulamentação dos Mestrados Profissionais foram publicados pelo MEC na portaria normativa 07 de 22 de junho de 2009 com o objetivo de atender demandas formativas profissionais nas áreas tecnológicas

Perspectivas Docentes: O Mestrado Profissional Nacional em Ensino de Física
Silvania Sousa do Nascimento
silnascimento@ufmg.br

apoio CNPq e
CAPES Observatório da Educação
mais um detalhe
Art. 45. A Comissão de Assuntos de Ensino será responsável pelo planejamento das atividades da Associação ligadas a Ensino.

§ 1º. Exercerá o cargo de Presidente desta Comissão o Secretário para Assuntos de Ensino.

§ 2º. A execução das tarefas ligadas ao Ensino será da responsabilidade do Secretário para Assuntos de Ensino.
ainda na página da SBF
Comissão de Ensino
Andre Ferrer P. Martins
Walter Esteves de Castro Junior
Maria Lucia Vital dos Santos Abib
Rodolfo Langhi
Luiz Orlando de Quadro Peduzzi
Silvania Sousa do Nascimento - Presidente
Art. 3o
O mestrado profissional é definido como modalidade de formação pós-graduada stricto sensu que possibilita:

I - a capacitação de pessoal para a prática profissional avançada e transformadora de procedimentos e processos aplicados, por meio da incorporação do método científico, habilitando o profissional para atuar em atividades técnico-científicas e de inovação;

II - a formação de profissionais qualificados pela apropriação e aplicação do conhecimento embasado no rigor metodológico e nos fundamentos científicos;

III - a incorporação e atualização permanentes dos avanços da ciência e das tecnologias, bem como a capacitação para aplicar os mesmos, tendo como foco a gestão, a produção técnico-científica na pesquisa aplicada e a proposição de inovações e aperfeiçoamentos tecnológicos para a solução de problemas específicos.

os objetivos
Art. 4o
I - capacitar profissionais qualificados para o exercício da prática profissional avançada e transformadora de procedimentos, visando atender demandas sociais, organizacionais ou profissionais e do mercado de trabalho;

II - transferir conhecimento para a sociedade, atendendo demandas específicas e de arranjos produtivos com vistas ao desenvolvimento nacional, regional ou local;
III - promover a articulação integrada da formação profissional com entidades demandantes de naturezas diversas, visando melhorar a eficácia e a eficiência das organizações públicas e privadas por meio da solução de problemas e geração e aplicação de processos de inovação apropriados;

IV - contribuir para agregar competitividade e aumentar a produtividade em empresas, organizações públicas e privadas.

O que é obrigatório
Art. 7o
A proposta de Mestrado Profissional deverá, necessária e obrigatoriamente:
I - apresentar estrutura curricular objetiva, coerente com as finalidades do curso e consistentemente vinculada à sua especificidade, enfatizando a articulação entre conhecimento atualizado, domínio da metodologia pertinente e aplicação orientada para o campo de atuação profissional
II - ser compatível com um tempo de titulação mínimo de um ano e máximo de dois anos;

III - possibilitar a inclusão, quando justificável, de atividades curriculares
estruturadas das áreas das ciências sociais aplicadas correlatas com o curso, tais como legislação, comunicação, administração e gestão, ciência política e ética;
IV - conciliar a proposta ao perfil peculiar dos candidatos ao curso;

V - apresentar, de forma equilibrada, corpo docente
integrado por doutores, profissionais e técnicos com experiência em pesquisa aplicada ao desenvolvimento e à inovação;
VI - apresentar normas bem definidas de seleção dos docentes que serão responsáveis pela orientação dos alunos;

VII - comprovar carga horária docente e condições
de trabalho compatíveis com as necessidades do curso, admitido o regime de dedicação parcial;
VIII - prever a defesa apropriada na etapa de conclusão do curso, possibilitando ao aluno demonstrar domínio do objeto de estudo com plena capacidade de expressar-se sobre o tema;
IX - prever a exigência de apresentação de trabalho de conclusão final do curso.

§ 3o
O trabalho de conclusão final do curso poderá ser apresentado em diferentes formatos, tais como dissertação, revisão sistemática e aprofundada da literatura, artigo, patente, registros de propriedade intelectual, projetos técnicos, publicações tecnológicas; desenvolvimento de aplicativos, de materiais didáticos e instrucionais e de produtos, processos e técnicas; produção de programas de mídia, editoria, composições, concertos, relatórios finais de pesquisa, softwares, estudos de caso, relatório técnico com regras de sigilo, manual de operação técnica, protocolo experimental ou de aplicação em serviços, proposta de intervenção em procedimentos clínicos ou de serviço pertinente, projeto de aplicação ou adequação tecnológica, protótipos para desenvolvimento ou produção de instrumentos, equipamentos e kits, projetos de inovação tecnológica, produção artística; sem prejuízo de outros formatos, de acordo com a natureza da área e a finalidade do curso, desde que previamente propostos e aprovados pela CAPES.

§ 4o
Para atender situações relevantes, específicas e
esporádicas, serão admitidas proposições de cursos com duração temporária determinada

O desafio de formar professores
Licenciaturas em
Matemática ( 11 mil candidatos para 900 vagas)
Língua Portuguesa e Física,
Em construção: História, Educação Física, Artes, Letras
Para 2016
Geografia, Biologia e Química

a estrutura
Coordenador em exercício da Comissão de Pós-Graduação do MNPEF, que preside o Conselho;
 4 (quatro) Representantes Docentes escolhidos pelos docentes do MNPEF, em votação eletrônica, organizada pelo Conselho de Pós-Graduação;
 3 (três) Representantes da SBF indicados pelo Conselho da SBF, não necessariamente pertencentes ao quadro de docentes do MNPEF;
 1 (um) Representante discente, escolhidos pelos discentes do MNPEF, em votação eletrônica, organizada pelo Conselho de Pós-Graduação;

áreas de concentração
1. Física na Educação Básica Desenvolvimento de produtos e formas de abordagem visando o conteúdo de Física adequado a estudantes do Ensino Fundamental.

2. Física na Educação Básica Desenvolvimento de currículo de Física para o ensino médio que contemple resultados e teorias da Física Contemporânea visando uma compreensão adequada nas mudanças que esses conhecimentos provocaram e irão provocar na vida dos cidadãos.

3.Formação de professores de física em nível de mestrado Desenvolvimento de produtos de ensino e aprendizagem que utilizem tecnologia de informação e comunicação tais como aplicativos para computadores, midia para tablets, plataforma para simulações e modelagem computacionais, aquisição automática de dados.
Em 22 pólos com cerca de 400 inscritos
Full transcript