Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

UFSJ-PE-Planejamento de Infográficos

No description
by

Profª. Alessandra de Falco

on 13 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of UFSJ-PE-Planejamento de Infográficos

Planejamento de Infográficos
Prof. Alessandra de Falco
Introdução
Hoje vamos conversar sobre:

- como usar gráficos e mapas para contar histórias

-como arranjar composições baseadas na apresentação visual de dados. Por exemplo, o infográfico ao lado, publicado na revista Época, mostra o crescimento da população brasileira de 2000 para 2010. Abaixo do mapa há outro gráfico que disponibiliza outras caracerísticas, outros fenômenos relacionadas à expectativa de vida, mostra como a população vai ficar mais velha no Brasil no futuro

-O importante é notar como a informação foi arranjada, como os dados passam a fazer sentido, mostrar uma história baseada em dados
http://colunas.revistaepoca.globo.com/fazcaber/2010/11/23/o-infografico-mutante-sobre-a-populacao-e-a-fecundidade
Pensar e planejar infográficos, obter dados e ver o que eles dizem, e qual a melhor forma de mostrar isso usando gráficos e mapas

Alberto Cairo
(www.thefunctionalart.com)
diz que os infográficos e a visualização de dados não dependem de computadores, nem de softwares - que obviamente podem ajudar muito -, mas a qualidade não tem essa dependência

A qualidade depende do cérebro, depende do quão bom você pode ser ao extrair significados de informações baseadas em dados e como pode transformar as informações em forma de um gráfico que pode ser facilmente entendido pelos leitores
Objetivos
Excel, Open Office
Hoje
vamos começar com os primeiros passos para criar infográficos mais do que bonitos, mas efetivos e claros

Vamos pensar as informações em um contexto, em como mostrar um conhecimento mais profundo sobre determinado tema

Vamos analisar infográficos relacionados aos temas dos produtos jornalísticos que vocês vão desenvolver

Também
vamos discutir tópicos particulares em grupos e criar projetos de infográficos, peças que contam uma história
Esquema da aula
Os infográficos e a visualização de dados devem ser pensados sempre como "arte funcional"

O mundo está cheio de coisas sem forma e inúteis

O cérebro humano inventa formas que podem ser adotas nas coisas e as mãos moldam isso
Principais ideias de Alberto Cairo
E o resultado da forma depende de uma proposta, de uma função

A proposta pode ser convencer alguém sobre uma ideia

É a proposta que dá a algo sua forma particular
O mundo está cheio de informações digitais que precisam ganhar uma forma para serem entendidas

Por isso, jornalistas, designers da informação, têm o objetivo de fazer a complexidade ter sentido
O mundo está cheio de coisas
O foco é dar forma, modelar as informações digitais disponíveis para que sejam compreendidas

Objetivo tradicional do Jornalismo: temos que encontrar ideias chaves, organizá-las, resumi-las, apresentá-las e, se possível, podemos criar ferramentas que o público pode usar para explorar a complexidade

Mas, criar infográficos e trabalhar com visualização de dados não implica em apenas resumir, organizar e editar informações

Isso também deve ser feito para mostrar aos leitores sobre o que os dados tratam, mas, depois de fazer isso, é preciso deixar o público explorar os dados

Um infográfico é uma ferramenta que estende o processo de visualização, que permite ao público ver além
Quando apresentamos ao cérebro muitos números, é preciso tempo para identificá-los e para extrair significados
Mas se moldamos estes números em um gráfico de linhas ou de barras, o cérebro será capaz de ver sentido nos números, de entender significados escondidos atrás deles
Gráficos
O infográfico deve ser funcional e não deve esconder a complexidade
Muitas vezes é preciso criar muitas camadas para dar uma explicação
É preciso criar um título, um resumo dos pontos principais, mostrá-los e ainda, pode ter mais e mais camadas profundas de informação
É claro que um infográfico bonito chama mais atenção, mas, para além disso, tem que ser eficiente para convencer o público sobre determinada informação, para dar as devidas explicações
Antes de começar um trabalho no computador, você deve se perguntar:

Por que criar um infográfico?
Quais as perguntas que o público gostaria de saber as respostas?
Quais tarefas os leitores executariam para enteder o infográfico?

A partir daí é possível escolher a forma que seu infográfico pode ter
Alberto Cairo diz: A função determina a forma, mas não restringe à variedade de formas disponíveis
Portanto, escolher a forma de um gráfico não tem uma relação direta com o gosto, mas sim com a função
Forma e Função
Infográgico X Visualização de dados
Infográfico: apresenta uma informação, a partir do uso de muitos dados, que são organizados, editados, para terem siginificado. Intertítulos, notas, outras camadas apresentam os dados para o leitor, contam uma história editada, baseada em dados
Visualização de dados: Está relacionada a exploração de dados. Por exemplo, um mapa que apresenta o censo de 2010, onde o público pode explorá-lo, escolher uma cidade em particular para visualizar os dados. Você pode acessar difrentes mapas, um sobre densidade populacional, outro sobre a disposição da população. Não é apresentada necessariamente uma história jornalística, é uma ferramenta que permite aos leitores procurar, criar e visualizar suas próprias histórias. Portanto, a visualização de dados é uma ferramente que ajuda o público explorar dados não necessariamente editados.
Difrentes tipos de apresentações
Tabelas, mapas e ilustrações têm algo em comum: são representações visuais, baseadas em dados, que visam facilitar o entendimento de fenômenos
Tabelas
Essa não é a melhor forma de apresentar dados se você quer extrair significado de uma história
Mesmo para compará-los, você precisa ter uma boa memória
Um gráfico deve possibilitar ao leitor responder perguntas sobre os dados
A única pergunta que conseguimos responder aqui é:
Quais são os dados em particular em uma determinada região?
Mas se eu quero comparar uma região com a outra, eu tenho que memorizar os números
Se eu quero comparar regiões mais próximas eu tenho que separar os dados
Enfim, não é eficiente
Mas se você é um designer, vai se questionar: Quais as perguntas que o meu leitor vai querer saber as respostas?
Essa ferramenta funciona melhor, não?
Permite ver quais estados têm taxas mais elevadas, quais têm taxas menores
Um gráfico é uma ferramenta para ajudá-lo a responder perguntas
Alberto Cairo: "Jornalistas e gestores de conteúdo deveriam estar mais envolvidos na criação de infográficos, além dos designers. A beleza e a decoração não devem sobrepor a funcinalidade"
Gráfico de linhas
Infográfico como pura arte
Procure por "os melhores infográficos" no Google e você vai achar projetos como este
Mas esta apresentação não tem infraestrutura, não tem contexto
Não é uma representação visual, mas sim um layout de uma página com muitos números sem relação
Quantas pessoas usam o You tube?
Quantas pessoas usam o Google?
Quantas usam Facebook, Instagram?
Um número isolado não significa nada sem um contexto
Se pelo menos fosse possível comparar uma ferramenta com a outra...
Se eu pudesse ver o crescimento de um serviço em relação ao outro, os diferenciais dos serviços em um gráfico de linhas
Se eu pudesse relacionar os dados, ou contextualizá-los, aí sim eu teria um infográfico, se eu pudesse me aprofundar nas informações
Criar um infográfico não envolve apenas a criação de uma ilustração bonita, cheia de números em volta, mas sim organizar, tratar os números, colocá-los de uma forma que mostrem significados
http://www.guardian.co.uk/news/datablog/interactive/2012/sep/12/us-poverty-map-2011-census
Mapa - DataBlog The Guardian
O mapa abaixo mostra a porcentagem de pessoas vivendo na probreza nos EUA em 2011 e cada cor representa um arranjo de valores = é possível visualizar quais estados são mais afetados pela pobreza
É possível dar aos leitores mais contexto sobre o que os dados representam

Quando você clica em um pedaço do mapa são apresentados dados mais específicos
Mas resta ainda a pergunta, sobre a primeira camada de todas as informações:
Quantas pessoas vivem na pobreza?
Para tanto poderiam ser criados outros gráficos, mapas, rankings, que permitissem comparar um estado com outros, ou com o valor total ou que releacionassem outros dados, como rendimento familiar
Prática em grupos
Encontre infográficos na web com dados relacionados à temática de seu produto
Questione:
A apresentação dos dados é eficiente?
Como você melhoraria a forma de apresentação dos dados?
Como os leitores poderiam fazer mais conexões com os dados?
Como eles poderiam se aprofundar para além da primeira camada da informação?
Você também é leitor, o que mais e de que forma você gostaria de obter as informações?
Quais gráficos e mapas poderiam te ajudar a comparar dados?
Dpois vamos compartilhar as experiências com nossos colegas...
O infográfico mostra quanto dinheiro cada um destes países está dando para a luta contra a pobreza ao redor do mundo
Existem vários boxes que possibilitam comparar quanto que cada país contribuiu em 2008 e 2009
Qual a utilidade do mapa se as bandeiras já designam cada país?
Mapa - Good Magazine
http://awesome.good.is/transparency/web/1009/worldbank/flat.html
E se eu quiser comparar os países?
Tenho que criar um ranking na minha cabeça...
O designer tem que pensar que o leitor quer saber:
Quem está dando mais dinheiro em 2008? E em 2009? Quanto está sendo dado por pessoa?
Não esqueça!
Um infográfico pode ter várias camadas de informação
Primeiro você tem a camada principal, que resume os dados, e então você vai se aprofundando
O designer não está pensando nos dados
Está tentando criar apenas uma ilustração bonita
O designer deve pensar como dar forma, como tratar, manipular os dados
Assim, o leitor verá claramente a informação, executando diferentes tarefas
Gráficos de cículos são bons para se ter uma visão geral dos fatos, mas não para comparar números
O mapa ao lado representa a população mundial em 2010, que estava quase atingindo os 7 bilhões
Mostra como a população mudou ao longo dos anos, para isso é possível interagir para a esquerda e visulizar dados do passado, ou para a direita e enxergar as perspectivas
É simples ter uma visão geral, mas não é útil para comparações
Por isso também foi criado um ranking com os dados, que também podem ser manipulados ao longo dos anos
Você também pode acessar os dados por continente
E se o leitor clicar no mapa, ele verá a quantidade da população de um determinado país evoluindo durante os anos em um gráfico de linhas, onde também é possível comparar com outros países
Enfim, existem várias formas de representar os dados, diferentes ferramentas que permitem a visualização das informações
Gráfico de círculos
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI238256-17445,00.html
Infográficos e visualização de dados devem

ser ferramentas visuais de
comunicação, compreensão e análise
Resumindo
Através do infográfico, o leitor deve ver o que não veria de outra forma
http://projects.nytimes.com/census/2010/map
Este infrográfico é realmente funcional?
Facilita tarefas básicas como comparação de dados?
Se não, como poderia ser melhorado?
O infográfico conta uma história?
Quais são os dados mais importantes ou surpreendentes?
Alguns deles podem ser destacados? Como?
O que os dados significam?
Que tipo de título, introdução e camadas poderiam ser inclusos para torná-lo interesante para a audiência?
Quais outras variáveis poderiam ser analisadas se quiséssemos mostrar dados mais apurados sobre um tópico específico abordado no gráfico?
Poderíamos ir além dos dados apresentados? Poderíamos contextualizar melhor os dados?
Questões importantes
Produção Editorial
Full transcript