Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trabalho Portugues_Percurso Espanha

No description
by

Rui Certa

on 18 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trabalho Portugues_Percurso Espanha

De Portugal a Espanha... Magalhães (1518)... Gonçalo... Magalhães... Gonçalo.. Magalhães.. Gonçalo... Magalhães... Magalhães... Gonçalo... Magalhães... Gonçalo... Toledo é-nos apresentada como uma cidade vertical e incómoda para ser visitada a pé.
Segundo Gonçalo, Toledo é uma cidade " (..) de casas altas e frias, ruas sem parques de estacionamento, com uma falésia onde as lojas de souvenirs parecem florescer. " Quando chega a Sevilha, Magalhães é um homem "introvertido, pouco falador, reservado e de aparência insignificante".
Mas poucos meses depois torna-se feliz e activo. Consegue contactos regulares com oficiais da Casa de la Contratroanción de las Indias.
E no dia 20 de Janeiro de 1518 começa a sua viagem por Espanha, que culminará numa audiência com Rei Carlos V.
A 10 de Agosto de 1519 em Sevilha realizou-se a missa de despedida da Armada, os navios descem o Guadalquivir em direcção a Sanlúcar de Barrameda. Córdova Quando Gonçalo chega a Sevilha fica impressionado com o que encontra... Vê na Igreja de Santa Maria Triana,
uma placa onde homenajeam
"Magallanes" e Sebastián del Cano.
Também vê os mesmos monumentos
que viram os marinheiros há cerca de
500 anos atrás: a Torre do Ouro, o
campanário de Giralda e o fervilhante
centro histórico. Magalhães é "forçado" a abandonar Portugal. Toledo Simancas Tordesilhas Valladolid Sanlúcar de Barrameda Porquê?
Quando Magalhães regressa de Azamor, está ferido e como tal decide apresentar-se a D. Manuel com vários pedidos e entre eles está um bastante importante "navegar para as Molucas" . Magalhães humilhado e desprezado pela corte portuguesa, então dirige um último pedido a D. Manuel, se pode ir apresentar-se ao rei de Espanha, a resposta que recebe é "pode fazer o que bem lhe apetecer". Para quê?
Magalhães dirige-se a Espanha com uma intenção, conseguir uma audiência com o Rei Carlos V e consequentemente apoio para a sua ideia de viajar até às Molucas. Este vendo um português argumentar "com excesso e pragmatismo de um espanhol" dá-lhe o seu apoio incondicional. Lisboa... Sevilha A passagem de Magalhães por Córdova é muito breve. Magalhães passa em Janeiro de 1518 e neste altura ainda estava intacta a mesquita-catedral. Córdova é-nos presentada como sendo uma cidade a 140km de Sevilha que pouco terá mudado desde o tempo de Magalhães " na volumetria dos edifícios, no aspecto das fachadas, na dimensão das ruelas e no próprio acesso à cidade através da ponte romana". Segundo Gonçalo, Córdova é um milagre no correr dos séculos, e o coração desse milagre pulsa no interior da sua mesquita-catedral. Mesquita-catedral que acaba por sofrer alterações. Magalhães deve muito a "Toledo" e ao Arcebispo Cisneros. Foi o arcebispo Cisneros que incentivou Magalhães a abandonar Portugal e a procurar uma audiência com o rei Carlos V. Gonçalo diz que agradece ao arcebispado. E agradece porque este impede a desertificação e tirania do turismo. É também depois de visitar Toledo que Gonçalo nos informa que Magalhães não estava sozinho na sua "aventura" por Espanha. Este último fazia-se acompanhar dum astrónomo e matemático, Rui Faleiro e do seu fiel escravo Enrique que estava com ele desde os tempos de Malaca. Gonçalo... Medina del Campo Sanlúcar de Barrameda é-nos apresentada como sendo uma pequena cidade que apenas é mencionada nos guias turisticos "... devido á proximidade de um parque natural, por um castelo na colina e uma igreja quatrecentista." Magalhães... Sevilha é-nos apresentada como sendo uma cidade antiga que viu nascer Trajano e Adriano, ambos imperadores romanos. Também nos é dito que é uma cidade perigosa, devido ao facto de se vir a tornar uma das maiores metrópoles do mundo. Mas aqui também se encontra os melhores marinheiros e artesãos do mundo. Em Medina del Campo Gonçalo comove-se com o museu do Palácio Testamentário, onde Isabel, a Católica redigiu o seu testamento indicando o neto ( Carlos V ) como seu herdeiro. Magalhães Foi também aqui que Magalhães e o seu grupo foram infomados duma próxima audiência com o Rei Carlos V. Magalhães e o seu grupo chegam a Simancas, uma pequena localidade a cerca de 20km de Tordesilhas no dia 14 Fevereiro de 1518. Aqui Magalhães e Faleio esperam a audiência com o Rei Carlos V e discutem ideias sobre onde estará localizada a linha de Tordesilhas do outro lado do mundo. Em Tordesilhas Gonçalo quase que é multado por estacionar o carro numa rua onde vai passar o cortejo que celebra o regresso de D. Joana a “casa”. O que acaba por o salvar é a explicação “vim ver o palácio onde foi assinado o Tratado de Tordesilhas” Magalhães e Faleio discutem como irão apresentar as suas ideias ao Rei Carlos V. Então chegam á conclusão que as ilhas das Molucas se encontram no lado Espanhol do mundo e é com esta argumento que convencem Carlos V a apoiar a expedição. É célebre por ter sido o local onde em 1494 foi assinado entre o reino de Portugal e o reino de Espanha oTratado de Tordesilhas que estabeleceu a divisão das terras futuramente descobertas entre as duas nações. Quando Magalhães e o seu grupo chegam à capital decidem que irão apresentar o seu argumento utilizando uma excentricidade para a época. Gonçalo não nos revela muito sobre a sua viagem, apenas faz um pequeno paralelismo entre a sua viagem e a de Magalhães quando nos diz que quando entra na cidade leva apenas um globo consigo. Em Sanlúcar de Barrameda celebrou-se a última missa em solo europeu no dia 20/07/1519. Daqui serão lançadas no dia seguinte as embarcações.
Esta viagem era bastante importante para Magalhães por dois motivos... E a viagem continua...
Full transcript