Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Administração de Medicamentos: Via Intratecal

No description
by

Bruna Thome

on 7 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Administração de Medicamentos: Via Intratecal

Via Intratecal
Acadêmicas
Bruna Thomé
Camilla Buligon
Maiara Agostini
Michelle Bock
Modo de preparação dos medicamentos/materiais para a referida via.

Técnicas

Cuidados e riscos na administração intratecal


1. Manter o paciente em repouso pelo menos por duas horas após a injeção
2. Evitar uso de anticoagulantes como AAS
3. Monitoramento de sinais vitais após a injeção
Indicações
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA INTRATECAL
Disciplina

Administração de Medicamentos
REFERÊNCIAS
Parenteral
Direta
Administração dentro do fluído cerebro-espinhal, incluíndo ventrículos cerebrais
Infecçõeos agudas do SNC
Fuchs, Flavio Danni(Ed.); Wannmacher, Lenita(Ed.); Ferreira, Maria Beatriz C. (Ed.). Farmacologia clinica : fundamentos da terapêutica racional. 3ª ed, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006

MILLER, D. Quimioterapia. In: Administração de medicamentos. Rio de Janeiro: Reichmann&Affonso, p. 369-82, 2002.

ARCHER, E, et al. Protocolo de quimioterapia. In: Procedimentos e protocolos. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2005, 408p.


VIA INTRATECAL
Efeitos locais e rápidos nas meninges ou no eixo cérebro-espinhal
Anestesia espinhal (raquianestesia)
Tratamento com antineoplásicos
Dor crônica
Punção lombar em decúbito lateral ou sentado.
Referência anatômica: cristas ilíacas (L4-L5).
Comumente são usadas para punções os espaços L2-L3, L3-L4 e L4-L5, os níveis mais altos são evitados pelo risco de lesar a medula, que termina em torno de L1-L2.
Após a administração, o cliente deve ser orientado a manter repouso por duas horas, preferencialmente em decúbito ventral com a cabeceira a 0°, para prevenção de cefaléia, que é o efeito adverso mais comum.
Também podem ocorrer outras reações, após a utilização da via intratecal, como por exemplo: dor lombar, náuseas, vômitos, vertigem, sonolência, crise convulsiva, rigidez de nuca, irritabilidade e paresias.
Reservatório de ommaya
Antineoplásicos
• Validação, preparo e dispensação de quimioterápicos
realizados por farmacêuticos capacitados seguindo recomendações:

– verificação da prescrição antes da diluição
- confirmação de cálculo de dosagens
- rotular o quimioterápico após a diluição contendo identificação completa do paciente e antineoplásicos
- organização e boa iluminação do local de trabalho

Espaços necessários:

• Área de limpeza
• Sala de paramentação (antecâmara)
• Sala de manipulação (câmara)
• Área de transferência

1. Lesão do parênquima nervoso (Dor lombar, rigidez de nuca, letargia, paresia e até paralisia)
2. Cefaléia (por aumento da PIC)
3. Infecções (com febre e dor)
4. Hemorragia interna (que pode pressionar o SN)
5. Vertigem, sonolência, irritabilidade, convulsão
6. Náuseas e vômitos
Riscos:
Cuidados:
Procedimentos para manipulação de quimioterápicos:
Frasco-ampola com liofilizado:
- Manter o frasco sobre a superfície de trabalho, segurá-lo com uma das mãos e, com a outra mão, segurar a seringa que contém diluente, perfurar a tampa e adicionar o diluente lentamente, promovendo trocas com o ar interno evitando a formação de pressão positiva e evitando a formação de aerossóis para retirar o conjunto agulha/seringa do frasco;

- Após solubilização do medicamento, retirar a dose necessária mantendo o medicamento na seringa, ou rediluindo em solução de glicose 5% ou de cloreto de sódio 5%.
Ampolas:
- Risco à formação de aerossóis e resíduos de vidro;
- Manipular as ampolas com o auxílio de uma gaze;
- Antes de quebrar a ampola, retirar da parte superior todo o medicamento com pequenas batidas; evitar aspirar ar.
Os quimioterápicos administrados por via intratecal devem ser preparados e armazenados em local diferente dos outros agentes antineoplásicos; rotular com etiquetas de advertência os quimioterápicos que são administrados por via intratecal;
Raquianestesia
- O paciente deve manter jejum absoluto durante as doze horas que
antecedem o procedimento;

- O paciente deve ir para a anestesia de bexiga vazia, porque até passar
o efeito da anestesia ele poderá ter dificuldade para urinar;

- Uso de agulhas de menor calibre.

CESARIANA

COLPOPERINEOPLASTIA
Full transcript