Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Aula 03 Avaliação Psicológica III UFRR Prof. Leogildo Alves

5º Semestre - 2015.1
by

Leogildo Alves

on 22 July 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula 03 Avaliação Psicológica III UFRR Prof. Leogildo Alves

(cc) image by nuonsolarteam on Flickr
UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA
CENTRO DE EDUCAÇÃO
CURSO DE PSICOLOGIA
Prof. Leogildo Alves Freires
Disciplina: Avaliação Psicológica III
5º Perído - Psicologia
O Conceito de projeção em Psicologia e as Técnicas Projetivas
Originalmente chamada de CURA PELA FALA, a psicoterapia tem suas origens na medicina antiga, na religião, na cura pela fé e no hipnotismo.
No entanto, foi a partir do século XIX que a psicoterapia passou a ser utilizada no tratamento das então denominadas doenças mentais, tornando-se assim uma atividade médica inicialmente restrita aos PSIQUIATRAS.
Houve uma grande proliferação de modelos e métodos apoiados em diferentes concepções sobre os sintomas e o funcionamento mental , muitas vezes conflitantes e até ANTAGÔNICAS.
Escolas surgiram especialmente no pós-guerra, e sociedades científicas organizaram-se promovendo seus congressos, cursos de formação e estabelecendo regras para a prática do modelo que preconizavam, em uma convivência nem sempre pacífica.
Uma Babel de linguagens e métodos instalou-se na área, confundindo tanto os profissionais como as pessoas necessitadas de tratamento.
Esta proliferação de teorias nem sempre foi acompanhada da correspondente preocupação em comprová-las e em avaliar a efetividade dos métodos propostos, seus alcances e limites.
Esta preocupação começou a surgir a partir da década de 1950, em particular, a partir da proposição do psicólogo Hans Eysenck.
Segundo Eysenck (1952) a partir da análise de 19 estudos diferentes, os efeitos das psicoterapias eram devidos à simples passagem do tempo, e não decorrentes das técnicas utilizadas, o que acabou representando um desafio para os praticantes dos diversos modelos.
Segundo Rogers (1957) os efeitos da terapia não eram devido às técnicas específicas de cada modelo, e sim decorrentes de fatores intrínsecos à relação humana que se estabelecia em qualquer terapia.
Estes e outros desafios, além da competição entre os diferentes modelos psicoterápicos, representaram um forte estímulo para a realização de pesquisas de grande porte, principalmente a partir de 1960 com a finalidade de comprovar a efetividade das diferentes modalidades de terapia.
Esta proliferação de teorias nem sempre foi acompanhada da correspondente preocupação em comprová-las e em avaliar a efetividade dos métodos propostos, seus alcances e limites.
Aula 03
Tomando por base esse pressuposto, alguns estudiosos montaram instrumentos que facilitassem
o acesso aos conteúdos interno
s, que pudessem auxiliar a captação da manifestação dos conteúdos internos e a compreensão dos sofrimentos psíquicos.

No entanto, o termo “métodos projetivos” não havia sido empregado até 1930, quando o psicólogo americano Lawrence Frank (1939), publicou um artigo no “Journal of Psychology” sob o título
“Os métodos projetivos para estudo da personalidade”
. Os instrumentos construídos para conhecer as ações do inconsciente foram então denominados de técnicas projetivas.


Para Anzieu (1981) é possível discutir se o termo "teste", tomado rigorosamente no sentido psicométrico, é aplicável com precisão a tais provas, em função da sua padronização, sensibilidade, fidedignidade e validade serem dificilmente (
mas não impossível!
) estimáveis.

No entanto, tais provas possuem um método próprio, diferente daquele que fundamenta os testes psicométricos (isso mesmo, coleguinha,
diferente e não inferior
!) que proporciona na prática efetiva do conhecimento de uma pessoa, uma
agudeza clínica
que compensa seu menor rigor estatístico.

Teste? PROJETIVO...
Os Métodos Projetivos se caracterizam pela ambiguidade do material apresentado ao sujeito e pela liberdade que lhe é dada para responder, tais características situam o método projetivo dentro da
Gestalt Theorie
e da
Teoria Psicanálitica.


Embora Freud já utilizasse o termo
mecanismo projetivo
na formulação teórica do estudo do caso “Schereber” em 1913, o uso da expressão “projetivo” enquanto algo relacionado a manifestações inconscientes em produções humanas foi utilizada pela primeira vez por L. K. Frank, em 1939.
Este autor utilizou o termo projetivo para explicar a relação de “parentesco” existente entre o teste de Associação de Palavras de Jung de 1904, o teste de manchas de tintas de Rorschach de 1920, o teste do Desenho em 1923 e TAT (Teste de Apercepção Temática) de Murray em 1935.

Frank afirmou que estes testes levam a uma investigação dinâmica e holística da personalidade, sendo um dos grandes instrumentos que o psicólogo dispõe na elaboração de um psicodiagnóstico.

Para Anzieu (1981) o método projetivo consiste em apresentar ao sujeito o material menos estruturado possível e em pedir-lhe para estruturá-lo à sua vontade, o que não se pode fazer senão revelando,
“projetando”
a estrutura de sua própria personalidade.
Sentidos da palavra projeção (Etimologia)

1.
Ação física
(jato): expulsar da consciência os sentimentos repreensíveis, atribuindo-os a outra pessoa;

Primeiro sentido
– nível onde opera o teste projetivo: psicanálise condensada;

2.
Matemático:
planos e mapas (correspondência de pontos). Protocolo de resposta dado pelo sujeito nos testes corresponde à estrutura de sua personalidade (mapa);

Segundo sentido
– correspondência estrutural entre a personalidade e as produções individuais (material e instruções do teste);




3.
Projeção luminosa
(cinema/raio X): um teste projetivo atravessa o interior da personalidade, fixa a imagem do seu núcleo secreto sobre um revelador (aplicação do teste), permitindo depois sua leitura, por meio da ampliação ou projeção ampliadora em uma tela (interpretação do protocolo).
O que está escondido fica
iluminado
; o latente se torna
manifesto
;

Terceiro sentido
– representações arcaicas da imagem do corpo, lado de dentro se opões ao de fora, o escondido à superfície (organização precoce da personalidade);

A situação de "Teste" Projetivo: Características

Como na
clínica psicanalítica,
nos
"testes projetivos"
,
O sujeito se encontra em situação análoga de liberdade, mas não de tempo, apesar de um material prévio e de um inquérito posterior;

Vale aquilo que
espontaneamente
vem à consciência;

Número
limitado
de sessões:
“psicanálise condensada”
;

Necessidade de proceder a um
inquérito
uma vez terminado o "teste",
Com o objetivo de apreender, ao vivo e cores, a
dinâmica psíquica pessoal
que levou o indivíduo a fornecer as respostas tais
como acabou de apresentar
;

Sujeito revela indiretamente (material do teste) seu
desejo
ao psicólogo;

A transferência está mais livre do que na clínica;

Envolve-se rápido, mas por pouco tempo;

A situação de Teste Projetivo: Efeitos
Avivamento de conflitos psicológicos, desencadeamento da angústia e regressão;

Angústia – conteúdo das respostas;

Mecanismos de defesa do ego – características formais das respostas;

Respostas integradas: sensação, afeto, imagem, humor – forma;

Respostas desintegradas: impulsos, emoção – não predominância da forma;


Tende a desencadear sentimentos inadequados e reprimidos em relação à mãe.

De maneira geral, a Lâmina I indica a facilidade de adaptação a uma nova situação. Pode mobilizar, intensificar ou despertar sentimentos de insegurança, ansiedade e frustração.

Além disso, provoca perturbação em pessoas com dificuldades em relação à figura materna, dando a ideia de como o indivíduo se relaciona com o sexo feminino.

As operações mentais empregadas durante a aplicação das provas projetivas são capazes de expressar as modalidades de
funcionamento psíquico próprios
de cada sujeito,
sua especificidade,
assim como as suas
articulações singulares
, e suas potencialidades de mudança.

Tipos de Projeção nos "Testes" Projetivos...

Projeção especular:
o indivíduo reencontra características que pretende serem suas, na imagem do outro.
Projeção catártica:
atribui à imagem do outro características que erradamente pretende não ter, recusa considerar como suas, deslocando-as para outro;
Projeção complementar:
atribui aos outros sentimentos e atitudes que justifiquem as suas;
(ANZIEU, 1981)
Trata-se de um estímulo complexo que simboliza angústia, solidão, austeridade e superioridade, tendo, portanto, um tempo de reação prolongado em muitos casos. Esta é a lâmina da autoridade e do superego, pois pode evocar a fase em que os laços com a mãe são rompidos e começam a entrar as leis do pai.

Esta é a prancha sexual por excelência. O detalhe superior evoca um símbolo fálico e o central inferior um símbolo fálico.

A interpretação fácil destes cortes indica uma sexualidade aceita e integrada à personalidade.

As respostas de esfumaçado são encontradas normalmente nesta prancha.

Esta é a lâmina síntese, pois reúne os estímulos das demais tanto quanto à estruturação das manchas, quando à cor.

Por ser a última, revela as tensões atuais do indivíduo e como ele reage a situações que chegam ao fim.

Deste modo, esta é a lâmina do desligamento.

Mas afinal de que Projeção, estamos falando nas Técnicas Projetivas?
O termo Projeção aplicado em 1939 por Frank ganhou terreno em psicologia, devido aos mais variados sentidos desta palavra, cabíveis neste caso em questão.

A projeção como uma AÇÃO FÍSICA...
A Projeção no sentido MATEMÁTICO
A projeção no sentido da ÓTICA
Para a teoria psicanalista, em todas as expressões humanas há a denuncia de
conteúdos inconscientes,
com isto, os
conflitos,
os
desejos
,
desafetos
estão presentes em tudo que fazemos, dizemos,
mesmo que, de
maneira distorcida
, isto porque todo o funcionamento psíquico resulta do modo como os
complexos foram elaborados.

Então, ao analisar o discurso, a produção dos indivíduos, é inevitável aproximar-se dos
conteúdos mais inconscientes – mecanismo
que decorre do processo projetivo.

Após essas reflexões, Freud amplia o conceito de Projeção.

A projeção entende-se como simples desconhecimento (
e não mais a expulsão, Baby!
) por parte do sujeito de
desejos e emoções não aceitos por ele como seu
s, dos quais é
parcialmente inconsciente
e cuja existência atribui à realidade externa;

Projeção segundo Freud
Posteriormente, em Totem e Tabu (1913) Freud aplica o conceito de projeção a outras formas de conduta, como por exemplo, no principal mecanismo na formação de crenças religiosas.



Atividade em Grupo:




Usos e Abusos das Técnicas Projetivas

A Gestalt busca na
ambigüidade
um meio para abordar as
condições externas da percepção
e os testes projetivos bebem dessa fonte abordando
as condições internas do indíviduo.


1896
, nos Estudos sobre a Histeria: repressão do conflito e conversão na histeria; negação da realidade, por ocasião de um sofrimento profundo, na alucinação;

1911
- projeção: “Uma percepção interna é reprimida e, substituindo-a, seu conteúdo, após sofrer certa deformação, chega à consciência sob a forma de uma percepção vinda do exterior”;

A projeção é
a expulsão de um desejo intolerável
e sua rejeição para fora da pessoa. Há projeção daquilo que não se quer ser;

A situação de Teste Projetivo: Efeitos

Regressão psíquica, t
rês aspectos:
1.
Aspecto formal: regressão do pensamento racional ao pensamento por imagens;

2.
Aspecto cronológico: regressão da fase adulta à primeira infância, ou a estágios anteriores do desenvolvimento;

3.
Aspecto tópico: regressão do ego ao id;

Obs:
A regressão é mais ou menos acentuada, conforme o tipo de teste projetivo;
Interpretação psicolingüística

Linguagem: função
paradigmática (
código) e a função
sintagmática
(mensagem);

Rorschach
– tarefa paradigmática. Em grande parte, as resposta são termos do léxico (adjetivos, substantivos);

O
TAT
é mais estruturado, tarefa sintagmática: compor uma história a partir da figura apresentada;

Esta lâmina exige mais das condições afetivo-emocionais, podendo representar
ameaça, excitação, sentimento de perda e dificuldades afetivas relacionadas aos primeiros anos de vida.


É crítica para pessoas imaturas e com dificuldades na sexualidade.
É a lâmina do
relacionamento humano em geral,
inclusive com o casal parental. Um bom desempenho indica que o examinando teve um
bom relacionamento com as figuras parentais
e que isso refletiu no relacionamento social geral.

Por outro lado, choques, ausência de cinestesia, podem denotar dificuldades de teor sexual.
Full transcript