Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gravidez na adolescência

Projeto interdisciplinar - 2° Período de Psico Fepar - 2014
by

Renata Silveira

on 23 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gravidez na adolescência

Gravidez
na
adolescência

Introdução
Nosso tema "Gravidez na adolescência"
foi escolhido pela sua relevância no
contexto brasileiro, visto que ainda
se mantém em altos índices. Assim
dá-se a importância ao tema e á sua
análise pois é um caso social e deve
ser do interesse de todos!
O que é a Gravidez?
Em regral geral é o período compreendido desde a fecundação até o parto incluindo o processo
de crescimento e desenvolvimento do feto. Uma gravidez normal dura 40 semanas, o equivalente
a 9 meses. Traz mudanças físicas e emocionais profundas, onde há ambivalência de
sentimentos. O processo vai desde gestação, parto e pós-parto. A gravidez e a
maternidade são fenômenos biológicos,
que também abrangem dimensões
culturais, históricas, sociais e afetivas.

Causas:
- Falta de Informação;
- Medo de perder o namorado;
- Uso errado da pílula do dia seguinte;
- Imaturidade;
- Bebedeiras;
- Mitos
Consequências
Depressão e necessidade de intenso apoio e acompanhamento;
As jovens largam os estudos;
Instabilidade financeira;
Muitas jovens abandonam suas casas;
Relação familiar conturbada.
Psicológicas e Sociais:
Analisando essa temática na mídia
Como evitar
21,2%
o
Conclusão
Conclusão
De acordo com o trabalho apresentado percebemos o quanto que a gravidez na adolescência é um problema de todos e não só da adolescente e sua família, mas também da sociedade. Entedemos que existem formas de prevenção, mas que muitas vezes estão fora do alcance dessas meninas, seja por medicamentos ou uma simples orientação que pode mudar a vida delas. Acreditamos que como estudantes e futuros psicólogos podemos ajudar e muito nesse aspecto, interferindo de forma positiva seja na prevençãoou até mesmo o próprio acompanhamento com a adolescente e sua familia.
Trabalho Realizado por:
Carlota Silva nº1
Lauriana Semedo nº7
Mª Joana Lobo nº10
Métodos contracetivos:
Métodos de Barreira:
- Preservativo;
- Espermicida
- DIU - Dispositivo Intra Uterino
Métodos Hormonais:
- Pílula;
- Mini Pílula;
- Pílula do dia seguinte;
- Injeções hormonais;
- Implante;
- Adesivo.
O que é adolescência?


-No pequeno histórico brasileiro segundo o IBGE observa-se que desde 1980 até 2012 existem altos e baixos em referencia aos índices de gravidez na adolescência.

-Entre 1980 e 1996, observa-se um aumento nesses índices de 15% para meninas de 15 a 19 anos.

-2006: Região Norte e Nordeste.

-2012: O numero vem diminuindo, principalmente no sul e sudeste.

-Diminuição do percentual de 20,4% em 2002 para 17,7% em 2012.

-Segundo um levantamento de 2012 e 2013 as mulheres estão se tornando mães mais tarde e a taxa de fecundidade também caiu.
-Do ponto de vista numérico, o contingente de adolescentes grávidas na America Latina e no Caribe pode chegar a 50% e alcançar a 75% em grande parte dos países desenvolvidos. Ultrapassando dos 90% em muitos países da África Subsaariana.

-Rumo ao Novo Mundo: A Vida Reprodutiva de Mulheres Jovens.

-Idades precoces. Mais comuns em países em desenvolvimento, como a já comentada África Subsaariana.

-A maternidade começa frequentemente muito cedo, para constituir uma família.

-Planejamento.
- Até meados do século passado era normal uma menina casar-se aos treze anos e iniciar sua vida sexual, na maioria das vezes, com um homem mais velho.

- Duas questões fundamentais alteraram esta visão e transformaram em tabu a vida sexual antes da maioridade:

Em primeiro lugar, as conquistas conseguidas pelas mulheres ao longo do século passado.

Em segundo lugar são os estudos realizados por psicólogos e pedagogos a respeito das fases ou estágios da vida de uma criança desde o nascimento ate a vida adulta.

- Porem o que vemos na pratica é que a vida sexual tem começado cada dia mais cedo, e os motivos dessa precocidade são vários.
Considerações históricas
Gravidez na adolescência em outros paises
O filme se baseia em torno de Juno, uma adolescente de 16 anos que engravidou de maneira inesperada, de um amigo da escola e acabou engravidando na primeira relação sexual que tiveram. Este filme traz a ideia que os adolescentes estão começando sua vida sexual muito precocemente. Com esse descuido acabam interrompendo sua liberdade mais cedo, tendo assim um bebê para cuidar e muitas responsabilidades para enfrentar.

Aos quinze anos, a vida de Amy Juergens vira de ponta cabeça. Amy, descobre que está grávida após passar uma noite, num acampamento de verão Com delicadeza e honestidade, a série explora os dramas e as alegrias da vida dos adolescentes do mundo atual, aprendendo a lidar com gravidez inesperada, novas responsabilidades, escolhas para o futuro e relações familiares.

Documentário de 2005 retratando a dura realidade da vida de adolescentes gestantes de baixa renda social, que moram nas favelas do Rio de Janeiro.
Alunas:
Camile Correa
Daniele Novaki
Natalia Salabai
Pamela Pauls
Renata Pigurim
Renata Silveira

É a fase que não se é adulto para fazer certas coisas, mas se é repreendido por agir como criança. A palavra "adolescer" vem do latim e significa crescer, atingir a maturidade. A adolescência é a fase da busca da personalidade, da liberdade, do amor e da realização pessoal. É uma etapa de nossas vidas marcada por uma porção de transformações: no corpo, nos sentimentos, nas relações com os outros. É um tempo de conhecer, descobrir, experimentar. Todo o crescimento que acontece nessa fase tem um objetivo importante: o amadurecimento físico e emocional.
Sexualidade na adolescência
A Organização Mundial da Saúde (OMS) define sexualidade como uma energia que nos motiva a procurar amor, contato, ternura, intimidade, que se integra no modo como nos sentimos, tocamos e somos tocados. Ela influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também na nossa saúde física e mental.
"A sexualidade faz parte da personalidade de cada um, é uma necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida. Sexualidade não é sinônimo de coito (relação sexual) e não se limita à ocorrência ou não de orgasmo. Sexualidade é muito mais que isso, é a energia que motiva a encontrar o amor, contato e intimidade e se expressa na forma de sentir, nos movimentos das pessoas, e como estas tocam e são tocadas. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, portanto a saúde física e mental. Se saúde é um direito humano fundamental, a saúde sexual também deveria ser considerada um direito humano básico." (WHO TECHNICAL REPORTS SERIES, 1975)
Gravidez na adolescência
- Dos 2,5 milhões de partos feitos
no Brasil, 689 mil são de
adolescentes;

- A maioria das gestantes
pertencem à classe baixa
Sumário:
Introdução;
O que é adolescência;
O que é gravidez;
Sexualidade;
Aspectos históricos;
Índices no Brasil e no mundo;
Analisando o tema na mídia;
Gravidez na adolescência;
Aspectos psicológicos;
Fatores de risco e problemas pós-parto;
Papel do psicólogo;
Medidas de prevenção,
Conclusão
Dados segundo o IBGE
A sexualidade é muito importante na fase da adolescência e muitas vezes é estimulada precocemente por imposição social e pela mídia. A pressão social, tem estimulado uma inserção na vida sexual mais rapidamente e tem causado uma inversão de sentidos sobre a sexualidade na atualidade. O embaraço de perder a virgindade antes do casamento, marcado por uma cultura patriarcal que interdita a vivência da sexualidade, dando vazão ao constrangimento de ainda ser virgem numa atual cultura de liberdade sexual aumentando assim o risco da gravidez precoce.
Gravidez na adolescência
A gravidez precoce traz
consequências sociais para os
adolescentes e familiares
envolvidos, uma vez que induz
a necessidade de reestruturação
e reajuste em várias
dimensões. Esse reajuste
se expressa nas mudanças
da identidade e na nova definição
de papéis.
- Existem indicadores de que adolescentes que apresentam um problema psicológico são mais sujeitos à maternidade.
- Estudos revelam a prevalência da depressão em adolescentes gestantes (3,3% a 12,4%)
-Muitas vezes a mãe acaba "descontando" sua frustração no bebê e não consegue ter afeição por ele.
- Pode ocorrer má formação congênita;
- Diabetes gestacional;
- Revolução hormonal;
- Jovens nessa fase apresentam mais chances
de hemorragias ou problemas no parto;
- Doenças mais comuns na gravidez precoce:
anemia, infecção urinária e vaginal, pré-eclâmpsia
Físicas
Consequências
Detectando a depressão (gestacional e pós - parto)
Sintomas psiquicos:

- Sensação de tristeza, autodesvalorização e sentimentos de culpa;
- Redução de capacidade de experimentar prazer nas atividades, antes consideradas agradáveis;
- Cansaço e sensação de falta de energia;
- Redução da concentração e da tomada de decisões.


Sintomas fisiológicos:
- Insonia ou hipertensão;

-Perda ou aumento do apetite;

- Diminuição da libido
Aspectos psicológicos
Evidências Comportamentais
- Retraimento social

- Crises de choro

- Comportamentos suicidas

- Retardo ou agitação psicomotora

*Modelos familiares
- Relação "Família- adolescente grávida- classe social

- Patriarcal
(Pai, mãe, filhos, agregados e empregados)
Gravidez na adolescência
A gravidez precoce
é uma das problemáticas
mais preocupantes
referentes à
adolescência, visto que pode trazer

impactos individuais e coletivos, sobretudo à saúde pública.
Para um entendimento amplo acerca da gravidez na
adolescência é necessário compreender o período de
desenvolvimento da adolescência em seus aspectos
familiares, sociais, fisiológicos e emocionais, e principalmente
no que diz respeito à vivência da sexualidade visto que
o adolescente passa por mudanças no seu aparato psíquico.
O intelecto, por exemplo, apresenta maior eficácia, rapidez e
elaborações mais complexas, havendo acréscimo no seu
desempenho de maneira geral. (MOREIRA et al, 2008).
No período patriarcal as mulheres casavam mais jovens, entretanto geralmente tinham um abrigo e proventos necessários para criar seus filhos. Os filhos eram recebidos com satisfação por que a mulher era preparada desde o nascimento para casar e procriar. Na sociedade moderna, as necessidades são outras, visto que a mulher se inseriu no mercado de trabalho e as famílias dinamizaram sua estrutura, tornando a gravidez indesejada na adolescência um problema de ordem social (DADOORIAN, 2000).
Aspectos históricos
Na atualidade, são muitos os estudos que atribuem a alta
incidência da gravidez na adolescência ao conjunto de fatores
relacionados às mudanças no comportamento sexual e social da
população jovem: antecipação da menarca, condições socioeconômicas, menor controle das famílias sobre os adolescentes, intensa exploração
da sexualidade pela mídia, dentre outros. No cotidiano dos serviços
de saúde, esses fatores ganham maior complexidade, onde, mesmo
com a informação e o acesso aos métodos contraceptivos, as
adolescentes ainda continuam a engravidar (FANELLI, 2003).
"Segundo o complexo de Édipo na psicanálise, o ser humano possui uma estrutura psiquica que possibilita a formação do sujeito como um ser social e desejante, o que determina a entrada do indivíduo na cultura e o separa de sua raiz animal."
Édipo forma a subjetividade dos sujeitos e possui uma função social de transmissão de valores morais, éticos e sociais
* Orientação:
Econômica e cultural
* Classe popular
*Classe média
*Filhos criados para trabalhar
e ajudar na renda familiar;

*Casamento precoce com muitos
filhos.
*Valoriza a formação intelectual do filho;

*Depois de formado se pensa em casamento.
Aceitação da gravidez
* Na classe popular, mãe e avó
demonstram mais aceitação,
o que não ocorre com a classe
média.
* Na teoria psicanalítica, a feminilidade
está intimamente ligada à maternidade.
(Freud)
Em síntese:
" A gravidez na adolescência acarreta várias mudanças do ponto de vista individual, familiar e social. Ao engravidar, a adolescente terá a dupla tarefa de lidar com as informações próprias da sua adolescência e as da maternidade, assumindo responsabilidades e papéis de adulta antes da hora. Isso representa uma sobrecarga física e emocional. É um período de difícil processo de adaptação e uma situação imprevista e inesperada."
(Márcia Rios Ferreira Perigo; Psicóloga)
* O contexto da gravidez na adolescência traz impactos individuais e coletivos, sobretudo à saúde pública, sendo assim é necessário compreender o período de desenvolvimento da adolescência em seus aspectos familiares, sociais, fisiológicos, emocionais e principalmente a vivência da sexualidade visto que o adolescente passa por mudanças no seu aparato psíquico.
* Diante dessa realidade a prática profissional com vistas à saúde do adolescente requer atitudes críticas e reflexivas, articulando entre conhecimento sobre gravidez precoce e suas relações contextuais com o período da adolescência. Com isso, esses profissionais vão intervir para um novo paradigma na saúde cuidando dos adolescentes através de espaços de escuta, acolhimento e diálogo.

*A psicologia vêm atuando frente à gravidez na adolescência nos serviços de saúde da atenção básica, mais especificamente nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF).
As três temáticas do NASF:
*Prevenção da gravidez na adolescência;
*Acolhimento de adolescentes gestantes em situação de risco;
*Acompanhamento psicológico no pré-natal.
O psicólogo juntamente com
a equipe interdisciplinar deve
oferecer aos adolescentes espaço
próprio e horário definido para os
atendimentos, além disponibilidade
para ouvir, confidencialidade,
linguagem adequada e paciência,
que favorecem o estabelecimento
de empatia.
* O psicólogo do NASF atravessa os muros da UBS para desenvolver ações nas escolas, igrejas, ONGs, visitas domiciliares, etc.,
* É de suma importância que o psicólogo tenha um vínculo com a comunidade para o sucesso do projeto seja ele a prevenção, o acompanhamento durante a gravidez ou a continuidade na regularidade das ações voltadas para a saúde do adolescente.
* O psicologo consegue diminuir os riscos da gravidez precoce quando estabelece um acompanhamento adequado, boa alimentação, cuidados higiênicos necessários e apoio emocional.
(QUILIVAN et al, 1999).
*Diversas pesquisas mostram que adolescentes
gestantes têm uma maior tendência a
desenvolver problemas de saúde mental do que

mães adultas, assim como adolescentes com
transtornos mentais estão mais suscetíveis a se
tornarem mães e pais do que adolescentes sadios.
Algumas adolescentes grávidas recorrem ao uso de drogas para tentar lidar com o sofrimento decorrente dos problemas interpessoais com seus familiares e
das dificuldades nos estudos relacionadas à gravidez não planejada e com isso prova-se uma forte relação entre transtornos mentais e uso de drogas no período de gestação
da adolescente. Daí a importância de um acompanhamento psicológico que integre a participação do companheiro e
familiares na produção do cuidado
* A multifatorialidade da gravidez na adolescência incita uma prática interdisciplinar, na qual o papel do psicólogo ganha destaque ao enfatizar ações de promoção da saúde mental da adolescente e de seus familiares. É fundamental que os profissionais e serviços de saúde estejam preparados para acolher esta clientela, garantindo assim os princípios doutrinários da universalidade, da integralidade e da humanização do cuidado propostos pelo SUS.
15,5%
23,2%
22,9%
22,83%
14,4%
Medidas de prevenção
*Retardar o início da experiência sexual da adolescente;
*Caráter social: Melhoria na educação, condições econômicas, moradia e diminuição da pobreza.
*Enfoque no papel da família, um bom pré-natal e a união de adolescentes e escolas para discutir aspectos relacionados à reprodução.
Fecundidade e fé
Luciene Longo, analista do IBGE, analisou uma amostra de 119.978 mulheres de 15 a 19 anos no estado de Minas Gerais. Destas, 14.175 já tinham filhos. A estudiosa analisou os dados relacionando com diversas religiões.

- Católicas com filhos: 11%
- Sem religião: 1 a cada 5 tem filhos
- Igreja Universal: 30% a mais de chance de engravidar
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a adolescência compreende a faixa etária entre 10 e 19 anos. De acordo com o estatuto da criança e do adolescente (Lei n° 8.069 de 13/07/90) é considerado adolescente o indivíduo entre 12 e 18 anos de idade.
Modificações psíquicas durante a gestação
* Crise de identidade
*Regressão
*Ambivalência de sentimentos
A mulher sente muita ansiedade afetando os componentes físicos, emocionais e cognitivos.
“... meninas esperando filhos, brincando de bonecas. Mas o subsolo é trágico: o quadro habitual no Brasil é o da menina que engravida, geralmente despreparada, abandona a escola e reduz suas perspectivas de vida.”

Sandra Werneck, autora

Entender que tudo tem seu tempo. Que tudo vêm a seu tempo. Dar o tempo necessário. Para crescer. Brotar. Florescer. Aceitar o ciclo da vida. Respeitar o fluxo do tempo. Observar o tempo passar.
ESPERAR O

Pra plantar. Pra colher.
TEMPO CERTO.
Pra agir. Pra seguir. Pra aprender.
(autor desconhecido)
Medidas preventivas por meio do diálogo
1. Abordar a questão da gravidez na escola;

2. Os professores devem indicar o método contraceptivo mais adequado;

3. A escola deve agir quando uma menina fica grávida e acolhê-la,

4. Os pais ou responsáveis devem abordar o tema da gravidez e sexualidade em casa.
* No Brasil existe hoje uma média de 20 mil partos por dia só de adolescentes.

* 700 mil meninas tornam-se mães a cada ano no Brasil.

* 20% dos partos no Brasil são de adolescentes.

Juno:
A vida secreta de uma adolescente americana:
Meninas:
* Na África Sub-Saariana a Namíbia tem 20% e Níger 50%

* Nos países Asiáticos a Índia possui 30% e Bangladesh 50%

* Na América Latina e no Caribe, 12% a 28% das mulheres entre 15 e 17 anos.

* No Norte da África e no Oriente Médio 3% a 27% tem seu primeiro filho em idade precoce.

* Nos Estados Unidos 66% dos partos de adolescentes não são planejados.

A gravidez na adolescência pelo mundo
* Freud (1905), explica que no período da adolescência acontece a finalização do processo de construção da sexualidade, por meio da capacidade do jovem de procriar.
DOMINGOS, Andréia Couto. Gravidez na adolescência: enfrentamento na Estratégia de Saúde da Família. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva . Uberaba, 2010. 39f.Monografia (Especialização em Atenção Básica em saúde da Família).

Kernier, Nathalie de, & Cupa, Dominique. (2012). Adolescência: muda psíquica à procura de continentes. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 15(spe), 453-467. Retrieved October 23, 2014, from http://www.scielo.br/scielo.php script=sci_arttext&pid=S1516-14982012000300007&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S1516-14982012000300007.

Guttmacher Institute. Rumo a um Novo Mundo: a vida sexual e reprodutiva de mulheres jovens. http://www.guttmacher.org/pubs/new_world_port.html (accessed on 29/Feb/2008).

CARVALHO, Geraldo Mota de; MERIGHI, Miriam Aparecida Barbosa e JESUS, Maria Cristina Pinto de. Recorrência da parentalidade na adolescência na perspectiva dos sujeitos envolvidos. Texto contexto - enferm. [online]. 2009, vol.18, n.1, pp. 17-24. ISSN 0104-0707. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072009000100002.

PARIZ, Juliane; MENGARDA, Celito Francisco e FRIZZO, Giana Bitencourt. A atenção e o cuidado à gravidez na adolescência nos âmbitos familiar, político e na sociedade: uma revisão da literatura. Saude soc. [online]. 2012, vol.21, n.3, pp. 623-636. ISSN 0104-1290. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902012000300009.


Referências
Full transcript