Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

FLUPP Parque

No description
by

Poema Eurístenes

on 7 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of FLUPP Parque

Mesas Como o evento era aberto, com público flutuante e equipe reduzida, utilizamos a metodologia qualitativa de pesquisa (coletamos informações através de entrevistas individuais), não foi aplicado questionário estruturado como na Tenda Policarpo.
Na Tenda Bruzundangas:
- entrevistamos crianças participantes e a curadora.
- observamos o público e fizemos algumas fotos Metodologia Seria interessante o banco da Flupp estar presente na Tenda Bruzundangas para que os participantes pudessem trocar as suas moedas Flupp por livros infanto-juvenis. Considerações A tenda Bruzundanga foi muito bem avaliada pelos participantes, principalmente por seus produtores. Considerações Finais Ao longo de 4 dias foram realizadas 16 mesas envolvendo crianças e adolescentes, entre 6 e 15 anos, acompanhadas de professores/responsáveis, atores da Globo (leitores/interpretes de histórias), e escritores/ras, e ao final de cada encontro, uma oficina de atividade artística/cultural.

Os/as atores/izes da Globo liam uma parte da obra do/a escrito/a presente e em seguida o debate com o público.

A presença constante de crianças nos dias de semana foi garantida pela parceria com a Secretaria Municipal de Educação, 7 escolas fizeram parte do Projeto Trancinha de história.

Na parte da manhã crianças até 5ª. (até 12 anos) e à tarde entre 6ª. e 9ª. séries (entre 13 e 18 anos).

Projeto Trancinha de história consistiu na leitura prévia nas escolas das obras de autores/as convidados/as, estimulando o interesse e a curiosidade das crianças a participarem efetivamente da FLUPP Parque.
A curadoria e organizadora desta tenda foi a Luciana Bastos Figueiredo com apoio de 3 produtores. Dinâmica das mesas A ideia central deste ambiente foi proporcionar diálogos entre autores(as) e público infanto-juvenis, estimulando a leitura e a expressão da diversidade cultural, aproximando a escrita, a leitura e a interpretação do rico e desafiador imaginário deste segmento. Tenda Bruzundanga I Festa Literária das Unidades de Polícia Pacificadoras
Tenda Bruzundangas
Seção Infanto-Juvenil
2012 FLUPP PARQUE Como foi um dia de sol, a temperatura aumentou e foi necessário ar condicionado, o sistema
de alimentação de energia deu várias quedas de energia, comprometendo som e ar. Manhã Estimativa do Número de participantes: 40 Augusto Pessoa


Iniciou com 1 hora de atraso
Houve a participação da Vila Cruzeiro

A dinâmica desta mesa foi diferenciada, graças à postura mais descontraída de Davi Lucas, a leitura foi mais perto do público, no chão, e a autora Ana Letícia Leal também se sentou à mesa.

A apresentação da peça que tratava sobre racismo foi impactante e muitos quiseram tecer comentários.

Davi Lucas foi convidado para visitar as comunidades presentes

Público foi ampliado graças à chegada o Balé de Santa Teresa Flávio Carneiro

Obra: A distância das coisas
Leitura: Luciana Figueiredo - curadora
Atividade: Sarau da Providência

Como foi domingo, também não havia crianças do SME.
A estratégia para garantir a presença do público, foi facilitar para algumas comunidades, transporte e lanche.
16 oram as pessoas envolvidas nas atividades oferecidas, das mesas da manhã, incluindo o Fazendo Arte do Turano.

Mais uma vez, a mesa atrasou 1 hora e 15 minutos para esperar a chegada do público, o que gerou muita ansiedade no autor e produção. Bate papo: Domingo Estimativa do Número de participantes por origem: SME: 0
Trancinha:0
Comunidade + espontâneo: 25 Tarde Estimativa do Número de participantes por origem: SME: 100
Trancinha: 30
Comunidade + espontâneo: 10 Stella Maris Rezende

Após Ana Maria Machado o público diminuiu muito, alguns jovens do Sarauzim permaneceram

A autora foi homenageada por ter ganho o Jabuti

Como foi a segunda vez da oficina, as crianças que participaram da anterior divulgaram e quando ela aconteceu o público aumentou. Ana Maria Machado
Obra: Bisa Bia, Bisa Bel
Leitura: Luciana Figueiredo - Curadora
Sarauzim: África Chama – Adriana Oliveira e Renata Versari

Novamente houve atraso em função da espera de público.
Havia público espontâneo de dentro e fora da comunidade, inclusive adultos. Bate papo: Sexta-Feira Estimativa do Número de participantes:
Mesa: 30
Zumbificação: 20 Tarde Estimativa do Número de participantes:
Mesa: 60 Ana Letícia Leal

Ao final, com a forte presença de adultos, o Bate papo foi sobre “em que medida a literatura pode ajudar a modificar a realidade em tempos de UPP”

Na hora da oficina de zumbificação apareceram várias crianças Henrique Rodrigues
Obra: Como se não houvesse amanhã
Leitura: Daniel Rocha
Atividade: Encontro Literário homenageando Lygia Bojunga

O público alvo era o adolescente, mas só compareceram muitas crianças, o que mais mobilizou foi o famoso ator da Globo, que apesar de ter chegado atrasado, após a mesa ter iniciado, soube dar continuidade.

A mesa teve que ser “reiniciada” para a gravação de “take”.

O Autor resolveu presentear com seus livres aqueles que faziam perguntas “mais interessantes” todas sobre a sua carreira. Bate papo: Sábado Estimativa do Número de participantes:
Mesa: 50 Atividade: 50 Manhã Estimativa do Número de participantes:
Mesa: 40 Atividade: 30 Sandra Lopes

Houve a presença de adultos.
Professora da rede pública, a autora estava muito emocionada e acompanhou outras mesas. Um dos adultos presentes se inspirou na atmosfera escreveu uma poesia que declamou ao final Lúcia Bettencourt
Obra: A cobra e a corda
Leitura: Luana Natal
Atividade: Étienne Lécroart e Olivier Martin

Como foi sábado, não havia crianças do SME. Público mobilizado UPP social Penha, Fallet e Balé dae Santa Teresa que eram a atividade da mesa seguinte Bate papo: Sábado Nesta manhã, destacou-se o expressivo número de adultos que circularam pela tenda
Bruzundangas. Estimativa do Número de participantes por origem: SME: 100
Trancinha: 20
Comunidade: 10 Manhã Caulos

As Crianças adoraram as oficinas de quadrinhos que viraram exposição na tenda
Diferente das outras mesas, o autor ganhou uma homenagem do Projeto Trancinha de história. Guto Lins
Obra: Este Mundo é una bola
Leitura: Mateus Solano
Atividade – Apresentação dos desenhos do próprio autor

Novamente houve atraso em função da espera de público. Bate papo: Sexta-Feira Estimativa do Número de participantes por origem: SME: 40
Trancinha: 0
Comunidade: 10 Na parte da tarde, os/as estudante eram mais velhos e o grupo foi menor. Como a atriz convidada para leitura da segunda oficina da tarde era muito famosa, muitas perguntas foram direcionadas à ela, que habilmente trouxe o público de volta ao mundo da literatura. Tarde Alexender Kellner
Obra: Na terra dos titãs
Leitura: Malu Mader
Atividade: Oficina de Zumbificação – Gabriel Tavares

Malu Mader destacou-se e a participação espontânea foi muito boa.

As crianças adoraram a Zumbificação Cristiane Couto
Obra: Amor sem beijo
Leitura: Luciana Figueiredo - Curadora
Sarauzin – Leitura de poemas de Ferreira Gullar por jovens atendidos pelo Premier Skills

Novamente houve atraso em função da espera de público. As crianças do projeto Trancinha tiveram problemas com transportes e não chegaram. Bate papo: Quinta-feira Estimativa do Número de participantes por origem: SME: 100
Trancinha: 30
Comunidade: 10
Atividade: 25 As participações foram diferenciadas, aqueles que tiveram a oportunidade de ler os textos anteriormente, através do projeto Trancinha de história, elaboravam perguntas mais ligadas à obra, enquanto os demais centravam a curiosidade no ofício de ser escritor/a Manhã Glaucia Lewicki
Obra: Encantos & Encrencas com a Branca de Neve
Leitura: Juliana Paiva
Atividade: Ilustradora Sandra Ronca

Houve atraso, mas o público foi o mesmo da mesa anterior, acrescido das crianças que realizaram a coreografia África Chama.

Os professores que acompanhavam o grupo, adoraram a atividade de ilustração. Sonia Rosa
Obra: A lenda do Timbó
Leitura: Ailton Graça
Sarauzim: África Chama – Adriana Oliveira e Renata Versari

Esta mesa começou com uma hora de atraso, por volta de 10 hs, pois aguardou a chegada das escolas para ter público Bate papo: Quinta-feira Entre os/as autores da Brunzundangas, esta foi a mais famosa, atraindo fãs adolescentes e adultos, participaram intensamente e várias obras foram citadas.
Diferentes das outras mesas o destaque estava na autora e não no público.

Os problemas de energia continuaram, e o calor de final da tarde acabou levando as pessoas a partir antes do final.

Foram muitas as homenagens espontâneas prestadas a autora. Foi a que mais distribuiu autógrafos e tirou fotos com leitores.
”Estou muito feliz em estar com a Thalita”  Tarde Estimativa do Número de participantes: 40 Thalita Rebouças Anna Cláudia Ramos

Iniciou com atraso, 35 minutos, à espera de público.
O público concentro-se na centro para “trocar mais idéias”.
Na hora da oficina de zumbificação apareceram várias crianças, a atividade foi deslocada para a periferia da Tenda Policarpo para não atrapalhar a mesa posterior.
Um dos meninos dos Prazeres, aprendeu como fazer e auxílio Gabriel. Bate papo: Domingo A parceria com a SME foi positiva e garantiu o público infantil, mas somente nos dias da semana. O público espontâneo da comunidade foi em torno de 10 pessoas por mesa, sempre os mesmos, o que construiu uma familiaridade. Chegavam e partiam, oportunidade de fazer trabalhos mais consistentes. Os livros lidos poderiam ser doados à biblioteca local. A parceria com a Globo foi positiva, chamou público e valorizou os participantes, todavia os artistas disputavam a cena, e houve 2 casos do global se atrasar e ter que “reiniciar”. Os/as autores, em geral, valorizaram as perguntas do público que, na maioria dos casos eram repetitivas, mesmo sendo interessantes e/ou ingênuas. Percebe-se que as crianças vinham com perguntas prontas e não espontâneas o que fez com que fossem repetidas várias vezes. As crianças do projeto Trancinha de História tiveram uma participação diferenciada, pela oportunidade de ler a obra prestavam mais atenção às falas, as outras crianças por vezes se sentiam “por fora”. Seria interessante ter um cantinho de leitura, onde as crianças que forem chegando possam manusear e ler as obras. Tempo aberto às perguntas parece ser extenso, por vezes, as perguntas precisam ser motivadas ou feita pela mesa. Os vasos de plantas para limitar as escadas não funcionaram. O preço dos livros à venda causaram ruídos, sendo considerados abusivos para uma comunidade O atraso por falta de público foi uma constante, entretanto houve compreensão por parte de todos, início às 10 hs, fica como sugestão da produção. Apesar do público ser menor na parte da tarde, a participação espontânea era mais intensa Houver vários momentos de emoção dos autores, sensibilizados pelo evento e plateia Entre as atividades culturais oferecidas a oficina de zumbificação foi a mais apreciada pelas crianças Os professores apreciaram a oficina de ilustração da Sandra Ronca Problemas de infra-estrutura – a energia que acabou espantando o público no final de semana, por serem espontâneos da mesma forma que chegam partem.
a falta de divulgação específica para o público infantil e para os adultos responsáveis pelos pequenos A curadora e a produção apontaram problemas causados pelos compromisso selados pela curadoria anterior Um evento literário em uma favela/comunidade causa um emaranhado de emoções nas pessoas participantes, de espanto, indignação à compaixão e esperança de mudança, passando por realizações de sonho. Como a tenda Bruzundangas foi lúdico e infantil, esses sentimentos se intensificaram causando sorrisos e lágrimas em muitos participantes.
A curadora, ao longo da entrevista declarou sua comoção várias vezes Estimativa do Número de participantes: 100
Full transcript