Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

QUALIDADE NAS RELAÇÕES NO AMBIENTE CORPORATIVO

No description
by

Kritérion Consultoria

on 16 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of QUALIDADE NAS RELAÇÕES NO AMBIENTE CORPORATIVO

Não existem relações neutras, ou elas favorecem o meu desenvolvimento ou prejudicam.
Como construir relações duradouras de qualidade
É preciso apresentar como em geral se desenvolve a relação entre o novo profissional e o seu líder (responsável pelo setor, diretor, sócio, etc.):
Relações interpessoais são construtivas ou destrutivas
O ser humano é naturalmente socializável, tende a construir relações afetivas, sociais, econômicas, jurídicas, etc.
Relações com pessoas difíceis no ambiente de trabalho
É comum vermos pessoas reclamando que não conseguem render no trabalho porque profissinal X ou Y que estão no mesmo departamento não permitem.
RELAÇÕES DE QUALIDADE NO AMBIENTE CORPORATIVO
O objetivo deste curso é apresentar os critérios que permitem a construção de
relações de qualidade no ambiente corporativo.
Por que a sociabilidade, a relação com outras pessoas, é natural e necessária?
A existência da sociedade fundamenta-se na necessária relação entre os humanos.
Todos percebem o impulso ao desenvolvimento, ao crescimento, como algo inerente ao ser humano.
A ação e interação com o mundo fazem parte da constituição humana.
Da mesma forma relacionamentos destrutivos e problemáticos, causando stress, dores de cabeça e irritação, são gerados no trabalho.
Mas quais relações interpessoais?
Se por um lado as relações interpessoais permitem a civilização, o progresso, por outro trazem os conflitos, as divisões, as disputas.
O ser humano vive hoje período de intenso egoísmo, narcisismo, em que o outro parece apenas um objeto para satisfazer meus desejos.
Quando prevalece o instinto de socialização funcional e construtiva temos civilização, grandes empresas, grandes famílias, projetos que criam progresso à humanidade.

Quando prevalece o conflito temos as guerras, o caos, o homem como lobo do homem.
A inexistência de neutralidade significa que o modo com que relaciono-me com cada pessoa favorece ou prejudica a mim.
Isto não tem necessariamente ligação com o fato de gostarmos ou não da outra pessoa.
Qual critério permite identificar se cada relação que estabeleço é funcional ou não?
O critério é o escopo, o objetivo.
No trabalho o escopo de cada profissional é desempenhar com eficiência a sua função, e, se possível, aperfeiçoá-la constantemente.
A maioria das pessoas tende a transformar o ambiente corporativo na extensão de suas casas e rodas de amigos, preocupando-se mais em criar relações de afinidade do que eficientes relações profissionais.
O critério dos profissionais para verificar as relações no trabalho parece ser primeiramente o afeto.
É no trabalho que as pessoas passam a maior parte do tempo enquanto estão despertas.
Afinidade e relações afetivas fazem parte da própria dinâmica de trabalho.
Elas passam a ser problemas quando começo a me preocupar mais em agradar e ter o afeto daquela pessoa do que em ser produtivo.
Na relação adequada do trabalho existe comunicação eficaz e objetiva.
- CRESCIMENTO:
passam-se algumas semanas ou meses e o novo profissional já domina a sua função, com o tempo vai recebendo novas tarefas e ficando cada vez mais integrado aos líderes e ao seu setor.

- INICIAL:
no começo o novo profissional é disponível, está encantado com a oportunidade de trabalhar e ter uma carreira.

Pouco questiona e está feliz em ter um espaço.
- ESTABILIDADE:
com o tempo o profissional tende a mergulhar na rotina.
Diante das quatro fases expostas, como proceder?

- PRETENSÃO:
A
os poucos o profissional passa a se sentir injustiçado porque pensa que deveria ser promovido rapidamente.
O erro de muitos líderes é que fornecem motivação e atenção exagerada nas duas primeiras fases e pouca nas duas fases finais.

Nas duas fases finais, quando o profissional se estabiliza, é que a motivação deve entrar com mais intensidade.

Pois quando o profissional já está estabilizado ele perde a motivação própria, perde o vislumbre de crescimento dentro da empresa.
É aqui que o líder deve mostrar a ele que há novas etapas, que há formas de seguir evoluindo e construindo o próprio espaço.
O vício em internet e recursos eletrônicos é um problema sério, pois não apenas reduz a produtividade do profissional como influencia negativamente o restante da equipe.
Sendo inevitável que entremos em contato com profissionais que atrapalham nosso rendimento, como resolver o impasse?
O efeito negativo em nosso trabalho não é provocado absolutamente pelo profissional X ou Y, mas pela reação que temos ao lidar com eles.
Seja qual for o tipo de profissional que está incomodando você é necessário impor limites a partir das regras da
confiança, clareza
e
objetividade
.
Se você não tem certeza do que quer é impossível que ele mude sozinho.
Seja objetivo, seja direto, com poucas palavras e precisas.

Se você precisar dar voltas e voltas para explicar os problemas passará insegurança ao profissional e provavelmente os resultados não serão satisfatórios.
Os cinco tipos de profissionais mais perigosos, e bastante comuns, são:
- Explosivo:
começa dinâmico e se transforma em dinamite;
- Ressentido:
começa demonstrando apreço, mas termina criando caso;
Para todos os problemas envolvendo relacionamento com colegas de trabalho, mantenha-se sempre intacto internamente, ciente de que você está cumprindo seu papel.
Atenção:
o profissional que está incomodando pretende manter-se assim, portanto quem deve agir e transformar a relação é você.
Não é necessário excesso de motivação ao início, pois o próprio profissional chega com disponibilidade devido a ser novo naquele trabalho.
Se você falar ao profissional incômodo que precisa ‘voltar ao trabalho, pois o tempo é curto e há metas a cumprir’ irá transferir a ele a responsabilidade de reagir adequadamente.
O critério de qualidade nas relações interpessoais
Resolução de conflitos
O estabelecimento de convívio e de relacionamentos provoca, inevitavelmente, conflitos.


É essencial descobrir como cada pessoa da sua equipe reage e se comporta durante os conflitos.
Conflitos não são sempre negativos.
Todo desenvolvimento, progresso, mudança que aperfeiçoa a situação atual, depende de algum tipo de conflito.
Para que haja mudança no cenário vigente alguém precisa discordar e fazer dialética, contraposição.
Relação de 'Ganhar-Ganhar':
É a resolução ideal de conflitos, pois ambos os conflitantes terminam com vantagens em relação ao estágio anterior ao conflito.
- Evasão;
- Confrontação;
- Cedência;
- Compromisso;
- Colaboração.
Em geral as pessoas tentam resolver as diferenças através de cinco formas:
Técnicas de negociação na gestão de conflitos
- Fase de diagnóstico (inicial):
é quando o interventor precisa buscar informações. É necessário ouvir as partes;
- Fase decisiva:
momento de propor soluções que aos poucos seja compatível com as reclamações dos conflitantes;
- Fase de manutenção:
aqui é o momento de acompanhar os resultados produzidos pela resolução de conflitos.
DICAS PRÁTICAS
1. Relações de trabalho precisam ser pautadas pelo objetivo do desempenho, da produtividade da empresa.

É importante passar a
ver os demais profissionais como parceiros de um projeto
e não como amigos e colegas;

4. Dominar as técnicas de libertar-se mentalmente, emocionalmente, verbalmente e pelas regras do trabalho de um profissional que está prejudicando o seu desempenho;

6. Persistência para tornar as relações em algo de valor, de projeto comum;
7. Compreender que é mais fácil nós mudarmos nossa forma de reação a cada pessoa que esperar ela mudar a forma de agir;
As relações que nascem no trabalho muitas vezes alcançam dimensões para além da empresa.
É no ambiente de trabalho que surgirá parcela considerável das amizades e relações afetivas.
Observando os ambientes de trabalho que constatações podemos fazer? Em geral são tranquilos, produtivos, leves?

Ou seja, a possibilidade de grandes projetos, de civilização, de desenvolvimento da humanidade, é indissociável das relações interpessoais.
Filme: Duelo de Titãs
Missão Impossível
Filme: Missão Impossível
Precisamos nos libertar de quatro armadilhas para superar a relação difícil com outro profissional:

Libertar-se fisicamente;
Libertar-se mentalmente;
Duelo de Titãs
Filme: Joy
Libertar-se verbalmente;
Libertar-se usando as regras do trabalho.
Joy
- Abismo profundo:
começa gentil e termina carente;
- Sabotador:
começa adulando e termina sabotando.
- Destruidor de pedestais:
começa bajulando e termina apontando defeitos.
Relação 'Ganhar-Perder':
É quando apenas um lado vence (em geral o lado mais forte, seja em argumento, etc.).
9. Entender que conflitos no trabalho surgirão sempre, mas é a nossa reação a eles que precisa mudar;
2. Aprender a se comunicar assertivamente, de modo
claro e objetivo;
3. Nas relações tentar compreender o posicionamento e a situação do outro;
5. Relacionamento de qualidade exige disciplina, rotina;
8. Ter paciência, pois as pessoas não mudam seus hábitos da noite para o dia;
O profissional sente sua confiança aumentar e ser importante para a empresa.
Nessa hora o profissional se considera muito importante, mas começa a pensar que não há como evoluir mais dentro da empresa.
Insatisfeito, tende a cair de rendimento e trabalhar menos do que antes.
10. Relações de qualidade são de colaboração, baseadas em 'ganha-ganha', ambas as pessoas crescem ao trabalharem em equipe.
Full transcript