Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ficha de leitura A rapariga que roubava livros

No description
by

Mariana Seabra

on 9 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ficha de leitura A rapariga que roubava livros

Introdução
"Nós temos ideia de que todos na Alemanha estavam nisso juntos. Mas ainda havia crianças rebeldes e pessoas que não seguiam as regras e que escondiam judeus em suas casas. Então eis outro lado da Alemanha Nazi", disse Zusak numa entrevista com o
The Sydney Morning Herald.
Foi a partir das histórias contadas pelos pais e das suas experiências destes que o autor decidiu escrever este livro. Zusak fez pesquisas em Munique e no campo de concentração de Dachau.
Nem tudo é ficção, partes do livro são recordações e experiências da infância da mãe.
Aos 30 anos, Zusak já tinha escrito muitos livros. Com a publicação de
A Menina que Roubava Livros
, ele foi batizado como um “fenômeno literário” por muitos críticos.
Dados de edição
Título do livro: A rapariga que roubava livros
1ª edição: Lisboa, Fevereiro, 2008
Editora: Editorial Presença
Autor: Markus Zusak

Biografia do autor
Markus Zuzak é australiano, nasceu em Sidney. Filho de mãe alemã e pai austríaco, cresceu ouvindo histórias acerca da II Guerra Mundial, sobre os bombardeamentos, as perseguições, os campos de concentração, as mortes e os ideiais Hitlerianos na terra da sua mãe. Horrorizado, sempre soube que era uma história que ele queria contar.
Ficha de leitura
A rapariga que roubava livros
Fiz esta ficha de leitura no âmbito da disciplina de Português, com o objetivo de despertar a curiosidade dos meus colegas para este livro.
Este livro fala de uma menina que viveu na II Guerra Mundial, esta refugia-se dos horrores da Guerra e dos seus problemas na sua paixão pela leitura.
Biografia do autor
Tema da obra
Um pouco mais sobre a época retratada no livro
Esta história passa-se durante a 2ª Guerra Mundial, a maior batalha que o mundo já viu.
Esta durou seis anos (1939 a 1945), envolveu cerca de 80 países e mais de 100 milhões de soldados, destruindo muitas cidades e causando a morte de milhões de pessoas. O responsável por esta guerra foi Adolf Hitler que era líder do partido Nazi, considerava que apenas o povo alemão era bom e que os judeus, os homossexuais, os de outras raças eram inferiores e não tinham direito à vida.

Os temas desta obra são a sobrevivência, a guerra, a inocência, o sofrimento, a igualdade , o desrespeito pelos direitos Humanos e a amizade.
Tema da obra
Resumo da obra
Esta história começa com o narrador, a Morte, apresentando-se.
Liesel Meminger é uma rapariga alemã que vive com a família adotiva na Alemanha durante a II Guerra Mundial. O interesse desta rapariga por livros surgiu quando ela roubou o seu primeiro livro
O manual do Coveiro
, no funeral de seu irmão. O pai adotivo por quem ela logo sentiu uma grande infinidade e afeto mostra-lhe o poder das palavras ensinando-a a ler os livros roubados que ela possuía, nas noites em que ela acordava com pesadelos.
Resumo da obra
A paixão desta menina por livros leva-a a conhecer e criar laços com a mulher do Presidente da câmara e Max, o judeu acolhido pela sua família, que eles escondem cuidadosamente na cave.
Posso adiantar que o final é a melhor parte mesmo sendo previsível desde cedo.
É um livro com uma linguagem simples, com uma história envolvente que aborda a humanidade com uma visão somente possível pela Morte.

Citações Relevantes
“Eis um pequeno facto, vocês vão morrer.”
“Alguns de vocês estão provavelmente a pensar que o branco não é realmente uma cor (…), o branco é sem qualquer dúvida uma cor e, pessoalmente, não creio que queiram discutir comigo.”
“Curvou-se e apanhou-a, e segurou-a firmemente entre os dedos. O livro tinha letras prateadas.”
“A política contraditória de Alex Steiner: Ponto 1: Ele era membro do partido Nazi, mas não odiava os judeus, nem ninguém, a bem dizer.”

“UMA PEQUENA VERDADE, eu não trago foice nem gadanha. Só uso uma capa preta com capuz quando está frio. E não tenho essas feições tipo caveira que vocês parecem gostar de me atribuir à distância. Querem saber qual é realmente o meu aspeto? Eu ajudo-os a descobrir. Vão buscar um espelho enquanto eu prossigo.”
“Odiei as palavras e amei-as, e espero tê-las aprendido corretamente”
“UM ÚLTIMO FACTO devo dizer-lhes que a rapariga que roubava livros morreu apenas ontem. (…) UMA NOTA FINAL DO VOSSO NARRADOR a visão dos humanos persegue-me.”

Citações relevantes
A minha opinião
Gosto muito de ler. Mas poucos livros me tocam como este me tocou.
Liesel não só descobre o poder das palavras, como descobre também a importância da amizade e da igualdade. Apesar de inocente, Liesel é consciente de que Hitler está errado, mas sente-se presa, desabafando apenas com o pai e o judeu amigo. A menina não é judia, nem está presa, mas é comparável.
Um dos aspetos que mais me agradou foi o narrador, peculiar, que há medida que avança na história, mostra um ponto de vista acerca da Humanidade muito específico e transmite uma ideia diferente da morte, vendo-a como uma pessoa, é amável.
Consigo pôr-me na personagem de Liesel, compartilho com ela a paixão pelos livros.
Adoro a forma de como o autor escreve, é tão bem escrito que parece que consigo sentir as situações. É extremamente cativante.


Personagens
Liesel - Personagem principal. É uma menina com uma personalidade própria, cheia de vida e com a capacidade de sonhar.
Hans - É o pai adotivo de Liesel. Pintor acordeonista desempregado, é o "porto de abrigo" de Liesel, amável, justo, solidário, um exemplo para a filha.
Rosa - Mãe adotiva de Liesel. Demonstra dureza e está sempre furiosa, mas tem uma maneira especial de demonstrar o seu amor, que é imenso.
Rudy - Melhor amigo de Liesel. É uma das personagens mais vivas, alegres e inocentes da história, apaixonado pela melhor amiga, faz tudo por ela.
Max - Judeu escondido na cave da família. Identifica-se imenso com Liesel, vive escondido, e a convivência com Liesel faz com que se sinta vivo. Tornam-se extremamente íntimos.
Morte - Narradora omnisciente, cansada de recolher almas, observa a vida de Liesel com fascínio.
A rua Himmel
Esta história decorre numa rua de Molching.
Quando Liesel chegou à casa nova a rua Himmel estava cheia de filas de casas pequenas, neve e o céu apresentava-se cinzento.
Trailer
Full transcript