Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Primeira Guerra Mundial

No description
by

Fabricio Okamoto

on 10 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Primeira Guerra Mundial

Primeira Guerra Mundial
Pré-Guerra
Durante 1904 a 1914, muitos países adicionaram a suas forças militares pequenos aviões de baixo custo. Gradualmente a aviação militar ganhou respeito como reflexo das mudanças organizacionais dos países.
Em 1907 o exército americano estabeleceu uma divisão aeronáutica, o Brasil, em 1908, organizou um comando de balões, a Áustria, em 1909, também formou uma unidade aérea militar. No mesmo ano, o Japão cria um comitê provisório para pesquisas de balões militares. Em 1910, a França, Romênia e Rússia criam suas unidades e em 1911 foi a vez da Bélgica e nos anos seguintes, Argentina, Austrália, Bulgária, Grécia, Japão, Portugal e Turquia. Em 1912 foi a vez do Reino Unido formalmente estabelecer a Royal Flying Corps, a Alemanha o serviço militar aéreo e a Itália o serviço aéreo.
A artilharia aérea já era uma realidade e uma nova forma de ataque. A primeira vez que uma aeronave foi utilizada para este fim ocorreu com a italiana Air Frotilla que arremessou bombas do francês Blériot em tropas turcas no norte da África, na guerra Italo-Turca em 1911. Em 1913, combatentes soltaram bombas de um avião e participaram de um combate aéreo na revolução mexicana. O dog-fight envolveu armas de mão pelos pilotos.
Introdução
Durante a 1° GM a aviação foi composta pelos mais leves que o ar e os mais pesados que o ar. A tecnologia e missões aéreas serviam para complementar o exército e marinha das nações. A guerra começou localmente em mais uma crise balcânica. O assassinato do herdeiro do trono Austo-Húngaro em junho de 1914 deflagrou o conflito com a Sérvia, a acusada do assassinato.
Devido as alianças estabelecidas e os objetivos nacionalistas e imperialistas a briga rapidamente se expandiu pela Europa. A Alemanha, aliada ao império Austro-Húngaro, declara guerra a Rússia, aliada da Sérvia e também a França, aliada da Rússia. Ao invadir a Bélgica, a Alemanha provoca a entrada da Grã-Bretanha no confronto. A Europa está dividida em dois campos armados, a Tríplice Entente formada pelo Reino Unido, França e Rússia contra a Tríplice Aliança formada por Alemanha, Império Austro-Húngaro e mais tarde a Itália.
Uma frente de guerra passava por Bélgica, França e Suiça, local onde britânicos, franceses e alemães concentravam suas forças aéreas. Outra frente, a leste, trouxe a Alemanha e Rússia para o conflito aéreo.
As aeronaves eram um simbolo de orgulho nacionalista, o maior exemplo disso eram os Zeppelins alemães, mas representantes de outras nações também surgiram como o British S.E., o SPAD francês e o Fokker Alemão. Os bombardeiros também possuiam seu papel nacionalista, o próprio Zeppelins e o Gothas alemão, e o Il'ya Moutometz russo. Nos EUA, um treinador se destacava, o Curtiss Jenny.
As aeronaves eram mais que Armas, eram símbolos nacionais e representantes do avanço tecnico e industrial.
Dirigíveis e Balões
O início da GM se deu em 1914, quando as tropas alemãs marcham pela Bélgica em direção a França. Aviões, dirigíveis e balões já faziam o papel de reconhecimento enquanto as tropas seguiam rumo a França. Durante meses este movimento foi interrompido com as tropas em lados opostos em trincheiras.
Alemanha
Com o total de 8 aeronaves no início da GM a Alemanha utilizava sua tecnologia aérea para reconhecimento do inimigo e lançamento de bombas. Durante a guerra a marinha adquiriu novas aeronaves enquanto o exército desmanchava o programa de aeronaves em 1916.
Os dirigíveis utilizados eram o Z6 no avanço pela Bélgica e França, este destruído por um ataque terrestre. O mesmo destino teve o Z7 e o Z8. A designação "Z" indicava um Zeppelin construído antes da guerra. Durante a guerra os Zeppelins foram designados de "LZ" pelo exército e de "L" pela marinha. Haviam outros produtores de dirigíveis que não eram Zeppelin e levaram outra designação. A Alemanha aprendeu logo no início que os dirigíveis eram vulneráveis devido ao grande tamanho, o voo baixo e a lentidão de locomoção, um ótimo alvo para as armas terrestres. Assim os dirigíveis são utilizados cada vez menos e mais frequentemente a noite.
O primeiro ataque a Inglaterra aconteceu em 1915, em uma missão de bombardeio da cidade de Varmouth. Como alvo, os alemães tinham as docas, bases militares e fábricas. Mais tarde os civis também viraram alvo dos alemães, tentando atingir a moral inglesa, com o intuito de um acordo de não ataque entre os países. Os ingleses respondiam com canhões de luzes, patrulhas de observadores e aeronaves que atingiam altas altitudes para a proteção do espaço aéreo.
No total a Alemanha lançou 53 missões contra a Inglaterra, Cada missão era perigosa devido a proteção criada pelos ingleses, inclusive as redes suspensas no ar.
Alemanha x Reino Unido
Alemanha x França
O primeiro ataque aéreo a Paris ocorreu em março de 1915. Ao observar a presença noturna dos Zeppelins, os franceses desligaram as luzes da cidade confundindo os Alemães.
O último ataque ocorreu em 1916.
Durante a guerra a Alemanha continuou a produzir os dirigíveis cada vez maiores e potentes. Com 20 dirigíveis construídos antes da guerra, o Conde Von Zeppelin era o mais experiente e especialista na construção dos dirigíveis. Sua fábrica chegou a marca de um dirigível em apenas 6 semanas. No final da guerra os Zeppelins conseguiam carregar 4 toneladas de bombas.

A marinha perdeu 53 de 73 dirigíveis e balões e 389 homens. O exército perdeu 26 de 52 dirigíveis e balões e 52 homens.

Em resumo, a experiência com aeronaves alemãs falhou como bombardeiros e como reconhecimento naval.
O primeiro ataque aéreo a Inglaterra aconteceu em 1915, em uma missão de bombardear Varmouth. Os ataques aéreos possuíam como alvos as docas, indústrias e bases militares. Mais tarde os civis viraram alvo com o intuito de selar um acordo de não ataque, atingindo a moral inglesa. A resposta inglesa veio na forma de proteção aérea, canhões de luz, patrulhas aéreas e aeronaves com capacidade de atingir altas altitudes. No total foram lançadas 53 missões contra a Inglaterra, a marioria no período noturno.
A Inglaterra perdeu 556 homens para os ataques aéreos da Alemanha.
Alemanha x França
O primeiro ataque aéreo a Paris foi efetuado em março de 1915. Ao serem observados, os Zeppelins tiveram dificuldade na missão devido aos franceses apagarem todas as luzes da cidade.
O último ataque a Paris ocorreu em janeiro de 1916.
França
Assim como a Alemanha, os mais leves que o ar utilizados pelos franceses executavam missões de reconhecimento, observação e bombardeamento de trens e tropas inimigas. Sofriam com a mesma vulnerabilidade do poderio aéreo alemão e também com o fogo amigo, devido a dificuldade de reconhecer a nacionalidade da aeronave.
O exército detinha o poder de todas as 6 aeronaves no início da guerra. Depois de 63 missões o exército interrompeu a utilização dos balões e dirigíveis. A marinha durante a guerra adquiriu aeronaves e as utilizou para o bombardeamento e reconhecimento, fora isso protegiam o comboio de barcos, observando as minas e submarinos inimigos. No fim da guerra a marinha possuia 37 dirigíveis e balões.
Reino Unido
Com apenas 4 dirigíveis no início da guerra, a Grã-Bretanha utilizou sua força aérea como armas navais. A patrulha costeira e reconhecimento eram as missões dos dirigíveis.
Durante a guerra, mais de 200 dirigíveis foram produzidos e outras compradas da França e países aliados. Os Zeppelins abatidos serviam de modelo para a construção nacional. No final da guerra o Reino Unido possuia 103 aeronaves.
Drachen e Balões Livres
Os balões cativos e livres foram utilizados tanto pela Tríplice Aliança quanto a Tríplice Entente. O Drachen era um balão amarrado ao chão ou a uma embarcação que possuía uma linha telefônica que servia para a comunicação. Mais tarde os Drachens ganharam transmissores de rádio em caso da quebra da linha telefônica. Alguns possuíam receptores, fazendo com que o balonista ouvisse as transmissões dos aviões.
O balonista podia informar a posição dos inimigos e direcionar o tiro conforme a posição. Quando o balão estava sobre tiros, o balonista podia ver os tiros, contar os segundos e telefonar para guincho aumentar ou diminuir rapidamente a altura do balão, fora do trajeto do tiro.
Em 1916, o capitão Albert Caquot inventou uma versão melhor do Drachen Alemão. O Caquot pendia cabos de luz para emaranhar os aviões inimigos.
Aviões
A maioria dos aviões utilizados na GM efetuavam missões de reconhecimento, observação e escolta. Quase sempre biplanos com dois postos e baixa potência e pouca manobrabilidade e capacidade de levar peso.
Alemanha
França
EUA
Austro - Húngaro
Russia
Itália
Full transcript