Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Defesa 28.01.2013

Taynã que ensinou como mudar o título.
by

Louize Moura

on 31 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Defesa 28.01.2013

PRÁTICAS DE LETRAMENTO DIGITAL DE PROFESSORES EM FORMAÇÃO:
demandas, saberes e impactos CONSIDERAÇÕES INICIAIS TEMA DE PESQUISA JUSTIFICATIVA CONSIDERAÇÕES FINAIS Nas últimas décadas, as políticas públicas de inclusão digital têm investido significativamente na aquisição de hardwares e softwares com o intuito de oferecer tecnologia às instituições públicas de ensino brasileiras, especificamente, computadores e internet banda larga. A formação dos professores para lidar com esses artefatos, todavia, é posta em segundo plano, apesar de se mostrar uma exigência da sociedade da informação. Mestranda: Louize Lidiane Lima de Moura Câmara
Orientadora: Profa. Dra. Maria do Socorro Oliveira


Natal/RN, 28 de janeiro de 2013 OBJETIVOS Antes Durante Após 2 3 Mapeamento dos usos do computador e das práticas de letramento digital realizadas pelos colaboradores da pesquisa.

Todos os indivíduos declaram saber utilizar o computador, acessam à internet e têm conta ativa em, pelo menos, uma rede social. Todavia, não utilizam essas TIC em sala de aula. Planejamento e realização do curso de extensão Letramentos e tecnologias: ensino de Língua Portuguesa e demandas da cibercultura (24 de maio a 22 de junho de 2012).

Semipresencial (60h).

Metodologia: Aulas expositivo-interativas, aulas a distância, discussões teóricas e atividades práticas.

Conteúdos: Novos letramentos, novas demandas: letramento digital; ferramentas pedagógicas digitais. Transformação (ou realização) das práticas de letramento digital do professor no ambiente de trabalho - a escola.

Exemplos: Profa. Catarina e Prof. Rafael. Referências Obrigada! louize_lidiane@yahoo.com.br BARTON , D.; HAMILTON, M.; IVANIC, R. Situated literacies: reading and writing in context. London/New York: Routledge, 2000. p. 7-15.

BUZATO, M. Entre a fronteira e a periferia: linguagem e letramento na inclusão digital. 2007.
284 f. Tese (Doutorado) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de
Campinas, Campinas, SP. Disponível em: <http://libdigi.unicamp.br/document/?down=vtls000415042>. Acesso em: 15 jan. 2012.

______. Letramento e inclusão: do estado-nação à era das TIC. D.E.L.T.A. n. 25, v. 1, p.1-38, 2009.

HINE, C. Virtual ethnography. London: Sage publications, 2000.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: ______. (Org.). Os significados do letramento: uma perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995. p. 15-61.

______. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e escrever? Campinas: Cefiel - Unicamp; MEC, 2005.

______.; OLIVEIRA. Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal: EDUFRN, 2008.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. Digital literacies: concepts, policies and practices.
New York: Peter Lang Publishing, 2008.

OLIVEIRA, M. S. Gêneros textuais e letramento. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, nº 2, 2010a, p. 325- 346.

______. O papel do professor no espaço da cultura letrada: do mediador ao agente de letramento. In: SERRANI, S. (Org.). Letramento, discurso e trabalho docente. Vinhedo: Editora Horizonte: 2010b. p. 40-55.

PERRENOUD, P. 10 novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, M. Exigências para formação do professor na cibercultura. Fonte. n. 8, p. 101-104, 2008.

VÓVIO, C.; SITO, L.; DE GRANDE, P. Letramentos. Campinas: Mercado de Letras, 2010. Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes
Departamento de Letras
Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem
Área de concentração: Linguística Aplicada Letramento digital e formação de professores. OBJETO DE ESTUDO Práticas de letramento digital de professores em formação inicial e continuada, em três momentos específicos: antes, durante e após o curso de extensão Letramentos e tecnologias: ensino de língua portuguesa e demandas da cibercultura. Necessidade de refletirmos sobre as ações que vêm sendo implementadas a fim de subsidiar a formação de professores para utilização do computador e da internet na escola;

Importância de se estudar práticas de letramento em ambiente virtual, visto que constitui uma demanda da sociedade pós-moderna. Geral Descrever as práticas de letramento dos professores em formação, em três momentos específicos: antes, durante e após o curso de formação Letramentos e tecnologias: ensino de língua portuguesa e demandas da cibercultura. Específicos Delinear as práticas de letramento digital efetivadas pelos colaboradores antes da ação formativa.
Narrar os eventos de letramento viabilizados pelo curso de extensão.
Investigar as contribuições do curso de formação para a prática docente dos colaboradores. QUESTÕES DE PESQUISA Que práticas de letramento digital os professores em formação inicial e continuada efetivavam antes do curso de extensão?

Como se constitui e desenvolve um curso de formação de professores voltado para a utilização das TIC em sala de aula?

Quais as contribuições de um curso de formação de professores para a prática de sala de aula desses docentes? PRESSUPOSTOS TEÓRICOS Estudos do letramento Formação docente: demandas e políticas públicas Aprendizagem colaborativa na modalidade de ensino semipresencial (KLEIMAN; OLIVEIRA, 2008; VÓVIO et al, 2010; OLIVEIRA, 2010a, 2010b). (Multi)Letramento(s) Digital(is) (SAITO; SOUZA, 2011; BUZATO, 2007, 2009; COPE; KALANTZIS, 2000; LANKSHEAR; KNOBEL, 2002, 2008) (KAYE, 1991; KALOFF; PRATT, 2002; MCINNERNEY; ROBERTS, 2004; TOURIÑÁN et al., 2005; BLAKE, 2011) (PERRENOUD, 2000; SILVA, 2008) METODOLOGIA Campo de estudo Abordagem de pesquisa Ambientes de pesquisa Colaboradores Procedimentos de geração e
análise dos dados (CAVALCANTI, 1986; MOITA LOPES, 1998, 1999, 2006; MENEZES et al., 2009) Linguística Aplicada Quali-quantitativa ou mista (NUNAN, 1992; DÖRNYEI, 2006; BROWN, 2004) Etnografia virtual Tipo de pesquisa (KOZINETS, 1997; HINE, 2000) Centro Municipal de Referência em Educação Aluísio Alves - CEMURE Fonte: acervo do CEMURE Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Fonte: acervo da pesquisa 28 (vinte e oito) professores de escolas públicas municipais e estaduais do Rio Grande do Norte, em formação continuada.

06 (seis) professores em formação inicial, alunos da licenciatura em Letras – habilitação Língua Portuguesa – da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

04 (quatro) professores em formação inicial, também alunos do curso superior supracitado, atuando como tutores presenciais e a distância da ação formativa. ANÁLISE 1 1. Que práticas de letramento digital os professores em formação inicial e continuada efetivavam antes do curso de extensão? Os professores sabem utilizar o computador e a internet e realizam diversas práticas de letramento digital, principalmente, em dois contextos sociais: no domínio pessoal e no domínio acadêmico. É óbvio que, dada a heterogeneidade de indivíduos que colaboraram com a pesquisa, principalmente no que diz respeito à faixa etária, alguns realizam práticas mais sofisticadas em detrimento dos demais. 2. Como se constitui e desenvolve um curso de formação de professores voltado para a utilização das TIC em sala de aula? A ação de extensão empreendeu mudanças nas concepções dos professores sobre o uso do computador na escola bem como a ampliação de suas práticas de letramento digital, indicando caminhos para a utilização de ferramentas digitais como blogs, redes sociais e Google docs®. 3. Quais as contribuições de um curso de formação de professores para a prática de sala de aula desses docentes? Identificamos, nas verbalizações dos professores, marcas de superação que indicam que eles sentem-se mais seguros para atuar em sala de aula utilizando as TIC. Nesse sentido, observamos que a ação surtiu efeitos positivos e promoveu o fortalecimento dos docentes. Gráfico 1 - Participação dos colaboradores da pesquisa em cursos de formação para uso da tecnologia como ferramenta pedagógica Fonte: acervo da pesquisa Dinâmica da sala de aula no 4º encontro presencial Fonte: acervo da pesquisa Perspectivas futuras Reafirmamos o nosso compromisso, enquanto linguistas aplicados, em dar respostas a questões sociais em que a linguagem tem papel central, e, no papel de extensionistas, de contribuir com a sociedade em que estamos inseridos, tentando diminuir o abismo existente entre a escola e a universidade.

Não descartamos, portanto, a possibilidade de promover novas ações formativas tanto para o público externo – professores em formação continuada, atuantes nas redes municipal e estadual de ensino – quanto para os alunos, professores e servidores da própria Universidade Federal do Rio Grande do Norte, vislumbrando novas oportunidades de investigação.
Full transcript