Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Ética e Psicologia Escolarl

No description
by

Isadora Fonseca

on 3 May 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ética e Psicologia Escolarl

Ética e Psicologia Educacional
História da Psicologia Escolar
- A inserção da Psicologia na área educacional é consolidada por volta das décadas de 1940 e 1950;

- O psicológo é chamado à gerenciar a questão do "fracasso escolar" pelo sistema educacional, resultando no diagnóstico de "alunos problema";

- A atuação do Psicólogo dentro do contexto educacional, inicialmente, baseia-se nos pilares da psicometria e da clínica individual;

- Sua atuação individualizante, com foco no diagnóstico e no uso liberal de testes psicométricos foi altamente criticada posteriormente, ao longo da década de 1980.

O que é Psicologia Escolar e Psicologia Educacional


- A Psicologia Educacional se ocupa em produzir saberes sobre o fenômeno psicológico no processo educativo.

- A Psicologia Escolar relaciona-se com o campo de atuação profissional, na realização de intervenções nos diversos espaços escolares, focando nos fenômenos psicológicos e fundamentando-se principalmente na produção dos saberes da Psicologia Educacional
.
3
) Formas de atuação “emergentes”:

-Diagnóstico, análise e intervenção em nível institucional;

-Participação na construção, no acompanhamento e na avaliação da proposta pedagógica da escola;

-Contribuição para a coesão da equipe de direção pedagógica e para sua formação técnica;

-Coordenação de disciplinas e de oficinas direcionadas ao desenvolvimento integral dos alunos;

-Contribuir para a caracterização da população estudantil com o objetivo de subsidiar o ensino personalizado;

-Realização de pesquisas diversas com o objetivo de aprimorar o processo educativo;
Facilitar de forma crítica, reflexiva e criativa a implementação das políticas públicas.

2) Formas de atuação “tradicionais”:

-Avaliação, diagnóstico, atendimento e encaminhamento de alunos
com dificuldades escolares;

-Orientação a alunos e pais;

-Orientação profissional;

-Orientação sexual;

-Formação e orientação de professores;

-Elaboração e coordenação de projetos educativos específicos (em
relação, por exemplo, à violência, ao uso de drogas, à gravidez
precoce, ao preconceito, entre outros).


Adolfo Sánchez Vázquez (1915-2011) foi um filósofo, professor e escritor espanhol. Nasceu em Algeciras, Província de Cádiz. Viveu exilado na Ciudad de Mexico.


Vázquez afirmou que a ética “não pode ser reduzida a um conjunto de normas e prescrições; sua missão é explicar a moral efetiva (...), a ética pode servir para fundamentar uma moral sem ser em si mesma normativa ou perceptiva”.

Formas de atuação “emergentes”:

Diagnóstico, análise e intervenção em nível institucional, especialmente no que diz respeito à subjetividade social da escola, visando delinear estratégias de trabalho favorecedoras das mudanças necessárias para a otimização do processo educativo;
Participação na construção, no acompanhamento e na avaliação da proposta pedagógica da escola;
Participação no processo de seleção dos membros da equipe pedagógica e no processo de avaliação dos resultados do trabalho;
Contribuição para a coesão da equipe de direção pedagógica e para sua formação técnica;
Coordenação de disciplinas e de oficinas direcionadas ao desenvolvimento integral dos alunos;
Contribuir para a caracterização da população estudantil com o objetivo de subsidiar o ensino personalizado;
Realização de pesquisas diversas com o objetivo de aprimorar o processo educativo;
Facilitar de forma crítica, reflexiva e criativa a implementação das políticas públicas.

O Compromisso ético-político do psicólogo escolar - Ética escolar na formação no ensino superior

“(...) Não é possível pensar os seres humanos longe da ética, quanto mais fora dela. Estar longe, ou pior, fora da ética, entre nós mulheres e homens, é uma transgressão. É por isso que transformar a experiência educativa em puro treinamento técnico é amesquinhar o que há de fundamentalmente humano no exercício educativo:  o seu caráter formador. Se se respeita a natureza do ser humano, o ensino dos conteúdos não pode dar-se alheio à formação moral do educando. Educar é substantivamente formar.”
Paulo Freire (1996).
-Atualmente ainda não existe consolidado um código de ética da educação ou do educador.

-A ética na educação abrange um todo, não só o educador, mas todos os atores que nela participam; Docentes, discentes, instituições de ensino, coordenações e etc. Buscar um código de ética na educação esbarra na tensão entra a fragmentação do saberes e a multidimensionalidade da vida real.

-O meio acadêmico apresenta-se com diversos desafios que devem ser encarados: a diversidade étnica, econômica, social e cultural.

-A sala de aula constitui-se num espaço de convívio das diversidades e de construção das relações sociais, que devem ser valorizadas a fim de diminuir as desigualdades e contribuir para a construção de saberes.


Problemas éticos enfrentados pelo
Psicólogo na educação
- Mediar os processos de desenvolvimento humano e de aprendizagem;

- Contribuir para a promoção e desenvolvimento das potencialidades dos alunos;

- Compreender fatores que produzem e causam sofrimento em educandos e educadores;

- Analisar o campo de relações sócio-políticas-pedagógicas;

- Elaborar metodologias e trabalhos multidisciplinares;

Psicólogo escolar e educação inclusiva
-Romper com a cumplicidade: Relação psicologia educação;

-Superar a visão naturalizante;

-Adoção de uma ação profissional mais comprometida socialmente;







“A Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, que tem por finalidade incentivar o crescimento da ciência e da profissão de psicólogo escolar e educacional, como um meio de promover o bem-estar e o desenvolvimento humano, enfocando para isto o processo educacional no seu sentido mais amplo.”




LDB – CÓDIGO DE ÉTICA LEI 9394/96
Desafios em Psicologia escolar
Os desafios do trabalho em equipe.
- identidade / a forma que o psicólogo se vê.
- Como os outros profissionais veem o psicólogo.

O determinante será o percurso de sua formação e como o psicólogo se coloca
diante da instituição.
“Essa formação permite-lhe um olhar específico e diferenciado sobre os processos subjetivos, sociais e individuais que se expressam no contexto escolar e, consequentemente, capacita-o para o delineamento de formas de atuação diferenciadas nesse contexto”.
(Albertina Mitjáns Martinez, 2010,pg.54)

Atuação do psicólogo
Visão/Pré-conceitos sobre a atuação do psicólogo no ambiente escolar.
Desenvolvimento coletivo.
Trabalho complementar (somatória) com os demais profissionais.

Violência na escola
- Psicologia Escolar e Violência na Escola;

- A violência é um fenômeno multifacetado e socialmente re corrente, que invadiu as escolas, e a  diversos relatos que vão desde a violência simbólica,   verbal e física,  bem como o fenômeno do bullying que ganhou espaço nos noticiários dos jornais e revistas causando  preocupações aos pais, educadores e
a sociedade em geral;

- A violência simbólica presente nas escolas;

- A violência verbal dentro da escola pode ser muito prejudicial para quem sofre a agressão, e está diretamente relacionada com a violência psicológica;

- A violência física, segundo a Organização Mundial de Saúde (2002) há uma tipologia da natureza  dos atos violentos;

- O bullying é conhecido como fenômeno dentro das escolas.



Princípios fundamentais do código de ética:

- O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção de liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano , apoiando nos valores que embasam a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

- O psicólogo atuará com responsabilidade social, analisando crítica e historicamente a realidade política, econômica, social e cultural.






TÍTULO II

Dos Princípios e Fins da Educação Nacional

Art. 2º A educação, dever da família e do Estado;

Art. 3º O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber;
IV - respeito à liberdade e apreço à tolerância;
VI - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
VII - valorização do profissional da educação escolar;
IX - garantia de padrão de qualidade;
X - valorização da experiência extra-escolar;
XI - vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais.
XII - consideração com a diversidade étnico-racial.



- O psicólogo buscará, permanentemente, formação ético-política e social a fim de se posicionar criticamente frente ao contexto social e cultural das demandas que lhe são endereçadas.

- O psicólogo tem autonomia teórica, técnica e metodológica, de acordo com os princípios ético-políticos, que norteiam a profissão.

- O psicólogo realizará o acolhimento, a partir da análise contextual da demanda, respeitando o direito da criança e do adolescente, pautado no compromisso ético-político da profissão.
COMPROMISSO ÉTICO-POLÍTICO


- O código de ética é visto como um instrumento de reflexão para facilitar a compreensão da ética em toda área;

- Através dele, é possível orientar a relação do psicólogo com a profissão e com a sociedade;

- O questionamento ético proporciona a todos que fazem parte da escola um olhar diferenciado, uma forma de tratar mais humana e sem julgamentos.


Código de ética
Art. 8º - Para realizar atendimento não eventual de criança, adolescente ou interdito, o psicólogo deverá obter autorização de ao menos um de seus responsáveis, observadas as determinações da legislação vigente;

Art. 9º - É dever do psicólogo respeitar o sigilo profissional a fim de proteger, por meio da confidencialidade, a intimidade das pessoas, grupos ou organizações, a que tenha acesso no exercício profissional.

Art. 12 - Nos documentos que embasam as atividades em equipe multiprofissional, o psicólogo registrará apenas as informações necessárias para o cumprimento dos objetivos do trabalho.

-Inclui uma proposta de ruptura entre as fronteiras existentes em diferentes disciplinas, entre saber e realidade;

-Ensinar é muito mais do que transmitir informações.
Psicologia escolar socioeducativa
Full transcript