Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Post- scriptum sobre as Sociedade de controle - Gillles Deleuze

Apresentação sobre do texto de Gilles Deleuze utilizada na disciplina de 'Interação Mediada por Computador' do PPGCOM/UFRGS. 04/04/2013.
by

Willian Araújo

on 1 July 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Post- scriptum sobre as Sociedade de controle - Gillles Deleuze

Sociedade de controle Gillles Deleuze O texto - L’Autre Journal
- 1990 Para Michel Hardt (2000, p. 357), é difícil encontrar indícios da conceituação feita por Deleuze na obra de Foucault: “ao anunciar tal passagem, Deleuze formula, após a morte de Foucault, uma ideia que não encontramos expressamente formulada na obra de Foucault” O percurso de Foucault Sociedades Soberanas da Era Clássica violência e coersão Sociedades Disciplinares vigiar mais rentável e eficiente do que o de punir - Confinamento - Idade média
- Napoleão Bonaparte - século XVIII e século XIX
- Panóptico
- Segunda guerra mundial Foucault considera o poder como produtor do controle nunca estabilizado, adquirindo o formato de uma rede: “O poder deve ser analisado como algo que circula [...] Nunca está localizado aqui ou ali, nunca está nas mãos de alguns, nunca é apropriado como riqueza ou um bem. O poder funciona e se exerce em rede” (FOUCAULT, 2007, p. 183). Nesse contexto, Sociedade de controle Crise das disciplinas e do confinamento - Controle contínuo e na comunicação instantânea
- Tecnologia da informação e computadores (Terceira geração de máquinas)
- "Formas ultrarrápidas de controle ao ar livre"
- Crise nas instituições Fábrica

Identidade/assinatura

Massa

Produção de propriedade

Homem confinado Empresa (Meritocracia)

senha/cifra

Biometria (Biopolítica)

Sobre-produção (serviço)

Homem endividado Sociedade
disciplinar Sociedade
de controle "Muitos jovens pedem estranhamente para serem 'motivados', e solicitam novos estágios e formação permanente; cabe a eles descobrir a que estão sendo levados a servir, assim como seus antecessores descobriram, não sem dor, a finalidade das disciplinas. Os anéis de uma serpente são ainda mais complicados que os buracos de uma toupeira." Alexander Galloway (2004) Novo aparato de controle: Diagrama: rede distribuída, forma estrutural sem centro, que se assemelha a uma rede/malha;

Tecnologia: computador digital, máquina abstrata capaz de fazer o trabalho de qualquer outra máquina via descrição lógica;

Estilo de gerenciamento: protocolo, princípio de
organização nativo para computadores em redes distribuídas. Protocolo: está no cerne da computação em rede;

Um protocolo de computador é um conjunto de recomendações e regras que seguem padrões técnicos específicos;

Os protocolos que governam muito da Internet hoje estão contidos nos documentos da RFC (Request for comments);

Protocolos são regras convencionais que governam um conjunto de padrões de comportamentos possíveis em um sistema heterogêneo; técnicas para se alcançar regulação voluntária em um ambiente contingente. Internet = Anáquica/sem controle FALSO Mídia massiva mais vigiada já conhecida até hoje Dicotomia do protoloco Horizontal Vertical WikiLeaks Neste ambiente, agentes fora dos campos institucionais encontram recursos que facilitam a ação coletiva distribuída. Entretanto, por outro lado, estão sempre imersos no controle protocolar, que, como vimos no próprio caso da WikiLeaks, pode servir para cercear. Vemos esta característica ambígua do referido momento social, em que autonomia e controle se confundem, tensionar instituições com “DNA” essencialmente disciplinar, em uma perspectiva foucaultiana, como o Estado. a crise do confinamento, identificada em diversas instituições, também é vista sob o aspecto informacional. Neste caso, as tecnologias de informação e comunicação distribuem o acesso a novos dispositivos de visibilidade que colocam estruturas disciplinares, como o Estado, sob o foco de uma vigilância que inverte o princípio do panóptico. Assim, amplia e distribui uma das atribuições institucionais do jornalismo que é a vigilância das ações estatais ARAÚJO, W.F. . We open governments: Análise de discurso do ciberativismo praticado pela organização WikiLeaks. 2013. 207 f. Dissertação de mestrado. Novo Hamburgo, Universidade Feevale.

DELEUZE, G.. Foucault. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 1988.

______. Conversações: 1972-1990. 1. ed. São Paulo, SP: Editora 34, 1992.

HARDT, M.. A sociedade Mundial de Controle. In: ALLIEZ, Éric (org.). Gilles Deleuze uma vida Filosófica. São Paulo: Ed.34, 2000. p. 357-372.

GALLOWAY, A. Protocol. How control exists after decentralization. Boston: MIT, 2004.

FOUCAULT, M.. Microfísica do poder. 24. ed. Rio de Janeiro, RJ: Graal, 2007. 295 p. Referências:
Full transcript