Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O processo de aprendizagem individual

Semana 2 - Atividade 8
by

Aerton Silva

on 18 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O processo de aprendizagem individual

Teoria do Condicionamento Feita por teóricos que acreditam que os indivíduos são moldados passivamente por forças ambientais.
A ampla variedade de fatores presentes nos diferentes momentos da vida de uma pessoa determina o grau e a maneira como ela reage às situações e consequentemente obtém conhecimento.
As teorias de condicionamento dominam todas as demais no campo da aprendizagem.
Aprendizagem como sinônimo de condicionamento, ou seja, controle do comportamento por estímulos do meio. OS ESTUDOS MODERNOS DE APRENDIZAGEM Jean Piaget "O aprendizado individual pode ser descrito como um ciclo na qual a pessoa assimila um novo dado, reflete sobre as experiências que possui, alcança uma conclusão e, em seguida, age". Wardman (apud SILVEIRA, 2004) O processo de aprendizagem individual “Aprendizagem é o processo pelo qual uma atividade tem origem ou é modificada pela reação a uma situação encontrada, desde que as características de mudanças não possam ser explicadas por tendências inatas de respostas, maturação ou estados temporários do organismo (por exemplo, fadigas, drogas, etc.)”.
Hilgard (apud CÓRIA-SABINI, 1986, p.64 A aprendizagem está atrelada a um processo de mudança;
Aprendemos:
conhecimentos e habilidades,
preferências, conceitos e preconceitos;
manias, comportamento e tique-nervoso. Figura n°1 – Ciclo de Aprendizado Individual
Fonte: Wardman (apud SILVEIRA, 2004). Segundo Senge (apud SILVEIRA, 2004):
o aprendizado individual é armazenado em modelos mentais individuais,
podem ser levados ou não à ação.
os modelos mentais influenciam a visão de mundo,
refletem na forma de agir. Kolb (apud SILVEIRA, 2004):
A aprendizagem individual é um processo através do qual o conhecimento é criado em razão da transformação da experiência;
apresenta um ciclo de quatro fases de como as pessoas aprendem;
experiência concreta,
observação e reflexão,
são usados como fundamentos e conceitos para a aplicação em novas situações que ocorrem. CONTROVÉRSIAS
Para CÓRIA-SABINI (1986): qual o limite da aprendizagem?
teorias de aprendizagem - duas categorias:
teoria do condicionamento;
teoria cognitiva. Primeiras décadas do século XX – EUA / Europa;
Condicionamento clássico ou respondente;
Condicionamento instrumental ou operante;
Os princípios da aprendizagem não são aplicados a todas as condutas.
Influência de fatores biológicos de uma conduta;
Predisposição evolutiva para aprender determinadas respostas ou associações de estímulos.
Para Pavlov: essa forma de condicionamento é o fundamento de uma série de comportamentos reflexos involuntários.
Através dos seus estudos sobre a conduta reflexa, embasou tecnicamente a Psicologia da Aprendizagem.
O processo de aprendizagem consiste na formação de uma associação entre um estímulo e um resposta aprendida através da contigüidade.
Envolve alguma espécie de conexão no sistema nervoso central entre um S (estímulo) e um R (reflexo ou resposta).
O princípio básico desta teoria relaciona-se com o associacionismo,
Pavlov tentou associar, em experiência com animais em laboratório, um estímulo neutro (som) com uma resposta (salivação) que em princípio estava associado a outro estímulo (a comida);
Para Watson:
(...)” a aprendizagem é um processo inconsciente, de sorte que a consciência não desempenha nenhum papel no aperfeiçoamento do pensamento. (...) Todo pensamento ocorre na musculatura periférica (...)”;
a rejeição da introspecção como fonte insatisfatória de dados pela falta de objetividade,
a rejeição ao estudo da consciência e da análise da motivação em termos de instintos;
a crença de que a hereditariedade determina o comportamento humano;
a afirmativa de que o efeito deste ambiente se dá principalmente através de um processo de condicionamento de reflexos ou involuntários.
Sua Psicologia é conhecida como behaviorismo, termo que engloba todas as teorias de condicionamento S-R.
Thorndike formulou “leis” da aprendizagem:
lei de prontidão – quando uma unidade de condução (neurônio e sinapse envolvidos no estabelecimento de uma ligação ou conexão) está pronta para conduzir, conduzir é gratificante e não conduzir é irritante;
lei do efeito – uma resposta é fortalecida se seguida de prazer e enfraquecida se seguida de dor ou castigo;
lei do exercício ou da repetição – quanto mais um estímulo-resposta for repetido e se conecte com uma recompensa por mais tempo será retido. Behaviorismo O indivíduo não é passivo no processo de aprendizagem;
não há ênfase na mudança de comportamento, mas no processo mental ligado a tal mudança.
A aprendizagem é resultante desse processo e envolve uma reorganização da percepção ou da personalidade como um todo.
Para os cognitivistas, o que é ensinado não é impresso igualmente na mente do aprendiz, mas é interpretado e integrado.
A aprendizagem é um processo de descoberta das relações existentes entre os eventos, a pessoa que aprende responde à situação de acordo com sua interpretação e percepção dessa situação. TEORIA DO COGNITIVISMO Suíça, 1896 / 1980 - Biólogo, zoólogo e psicólogo;
desenvolveu teorias de inteligência e padrões de aprendizado infantil que influenciaram profundamente a Psicologia Cognitiva e do Desenvolvimento.
suas teorias foram a base para novas metodologias na Teoria da Educação.
Em Epistemologia Genética (1990) procurou estudar a natureza biológica do conhecimento (o desenvolvimento da capacidade intelectual humana de cada ser).
Foco principal: a formação da linguagem e do raciocínio nas crianças e suas conseqüências na percepção do mundo ao seu redor;
Para Piaget, sobre a Genética, explica que a capacidade de conhecer é fruto de trocas entre o organismo e o meio.
As trocas são responsáveis pela construção da própria capacidade de conhecer. Sem elas, a capacidade de conhecer não existe.
O desenvolvimento está relacionado com a gênese do conhecimento, daí a designação de psicologia genética.
Criança e cientista conhecem o mundo da mesma forma, isto é valido tanto para a criança que organiza o seu mundo, como para o cientista que descobre e organiza o campo magnético.
As diferenças entre um e outro conhecimento expressam níveis diferentes da capacidade humana de conhecer.
Piaget crê existirem estruturas específicas para o ato de conhecer que, sendo orgânicas, não estão programadas no genoma, sua construção depende das solicitações do meio.
Construtivismo: para Piaget o aprendizado não se baseia no condicionamento, é uma estruturação progressiva da experiência, em grande parte por meio de tentativa (experiência) e erro, durante o período de crescimento de uma criança.
Tudo é objeto para o sujeito do conhecimento: natureza, objetos, ideias, valores, relações humanas, história e cultura.
Conhecer não é somente explicar, é algo que se dá a partir da ação sobre o objeto do conhecimento, para que este seja imerso em um sistema de relações.
A teoria piagetiana busca definir conhecimento como sentido claro de organizar, estruturar e explicar os acontecimentos a partir da experiência vivida pela pessoa.
Vivência não é sinônimo de conhecimento, apenas auxilia a interpretação dos acontecimentos.
Não existe conhecimento sem conceito, ou seja, o conhecimento se forma na ação de uma pessoa sobre o meio em que vive, mas não ocorre sem a estruturação do sujeito da ação.
Assimilação: coisas e fatos adquirem significado para o ser humano quando inseridos em uma estrutura;
O sujeito do conhecimento é o sujeito epistêmico, um sujeito ideal, universal, que não corresponde a ninguém em particular, embora sintetize as possibilidade de cada uma das pessoas e de todas as pessoas ao mesmo tempo.
Epistemologia: Piaget crê que explicar o conhecimento de uma maneira geral seria o mesmo que explicar como é possível o conhecimento científico.
Para ele o conhecimento é a construção cognitiva do indivíduo. VYGOTSKY Lev Semyonovich Vygotsky, Rússia (1896 / 1934), morreu de tuberculose. Escreveu sobre diversos assuntos, educação em geral e sobre crianças deficientes;
Estudou medicina no anseio de compreender o funcionamento psicológico do ser humano e os problemas neurológicos;
Considera básica a interação entre organismo e meio: a aquisição de conhecimento é um processo construído pelo indivíduo durante toda vida.
Atribui especial importância à interação entre pessoas, adultos e crianças, para que, desde bebê, o indivíduo construa seu modo de agir, pensar e sentir seu conhecimento do mundo;
Considera o desenvolvimento da linguagem e suas relações com o pensamento a principal questão da Psicologia humana. A linguagem tem duas funções básicas: a de comunicação do pensamento e a de instrumento do pensamento;
Focou seu estudo no desenvolvimento do pensamento e na linguagem. Estudou o desenvolvimento dessas habilidades no decorrer da vida de indivíduos (da infância à fase adulta);
Na obtenção do conhecimento, antes de desenvolver a fala, a criança é capaz de utilizar outros instrumentos e meios indiretos para solucionar seus problemas práticos;
No desenvolvimento humano existe: uma fase pré-verbal do desenvolvimento da inteligência e uma fase pré-intelectual do desenvolvimento da linguagem;
uma criança que não possui a habilidade da fala, para pedir um brinquedo, usa de habilidade corporal e vai em busca dele;
No desenvolvimento inicial da fala, a criança passa a ter habilidade prática, o instrumento de comunicação e a ter curiosidade sobre as coisas ao seu redor;
A criança passa a aperguntar: “O que é isso? Qual o nome disso? Para que isso serve?”.
Ela ainda não sabe utilizar do raciocínio na fala, o pensamento não é que produz a fala.
Quando o pensamento torna-se verbal e a linguagem torna-se racional , a criança busca o entendimento da realidade a sua volta, sua consciência inicia uma análise e interpretação da realidade, ou seja, inicia-se o processo de criação de conhecimento.
Full transcript