Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Visita de Estudo Biologia e Geologia à Faixa Litoral do Dour

No description
by

Maria Durães

on 9 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Visita de Estudo Biologia e Geologia à Faixa Litoral do Dour

Visita de Estudo Biologia e Geologia à Faixa Litoral do Douro
1ª Paragem- Estuário do Rio Douro
2ª Paragem- Cabedelo
O cabedelo corresponde a uma acumulações de detritos, principalmente de areias, que se constituem no troço final do estuário de um rio. Está ligado à faixa litoral por uma extremidade e tem a outra livre.


3ª Paragem- Praia de Lavadores
4ª Paragem- Praia das Pedras Amarelas
O Estuário do Douro, situado entre as margens das cidades do Porto e
de Vila Nova de Gaia tem uma extensão de cerca de 20 hectares,
englobando a Baia de São Paio (frente do estuário) e a zona arenosa do
Cabedelo (parte final do estuário). Dada a sua localização, é um dos
melhores locais existentes nesta região para a observação de aves
designadamente as espécies migratórias e limícolas.

Associado ao estuário encontramos algumas variações do nível da água, existindo regiões intermédias-os sapais, onde muita da água é de origem pluvial associada à precipitação que se deposita e que é também utilizada por muitas espécies nos seus ciclos de vida. Por outro lado, estas águas apresentam temperaturas mais elevadas do que a água do rio ou do que a água do mar, sendo este um factor importante no tipo de animais que usam estas zonas para viver.
Granito de Lavadores
O granito de lavadores, como é conhecido, é um granito de grão fino e cor clara que apresenta fenocristais (cristais de grandes dimensões que se destacam numa matriz de dimensões mais pequenas) sendo estes essencialmente feldspato de potássio.
No estuário, é importante salientar a presença de um grande número de aves que utilizam estes terrenos ricos em água salobra. Estas aves que aqui nidificam, utilizam os seus ninhos como pontos intermédios nos seus trajetos migratórios. As aves aqui visíveis apresentam bastantes características em comum tais como: bicos longos e pernas compridas.- são aves limicolas (aves que habitam preferencialmente nestas zonas do estuário).

No cabedelo verificamos algumas intervenções positivas do homem , nomeadamente a construção de paliçadas, que correspondem a ripas de madeira ao alto, com o objetivo de acumular areia no seu interior.
As paliçadas
As Dunas
As dunas podem resultar da ação combinada de dois agentes, o vento (transporte de areias finas) e a água. Estas são basicamente areias e podem ser classificadas em dunas móveis e dunas fixas. As dunas móveis são dunas cujos sedimentos podem ser facilmente removidos para outros locais por ação do vento. Assim, através da construção de palissadas é possível fazer com que haja uma acumulação inicial de areias nesta zona fixando nestas algum tipo de vegetão transformando-as em dunas fixas, como é o caso das dunas de Lavadores.
Disciplina de Biologia e Geologia
Ano Letivo 2013/2014
10ºA

Maria Teresa Durães nº21
José Pedro Sousa nº 16
Rui Emanuel Pires nº25
Tiago Pinto nº30

A Marmita Gigante
As Marmitas gigantes formam se quando a rocha tem uma ligeira depressão e nessa depressão se deposita um outro sedimento, um outro bloco rochoso de menores dimensões. Quando a maré sobe, estas rochas ficam preenchidas por água e os blocos rochosos desenvolvem movimentos turbilhonares que desgastam fisicamente a rocha criando cavidades circulares.
O encrave
Neste granito de lavadores, encontramos outro granito, um granito de grão mais fino e cor mais escura- um encrave/intrusão ígnea, sendo este mais antigo que a rocha na qual se encontra (principio da inclusão). Este granito é de origem metasedimentar, sresultando assim de rochas sedimentares que existiam nesta bacia e que quando o magma que deu origem ao granito de lavadores intrui, grande parte destas rochas sedimentares sofreram fusão, enquanto que outros não sofreram completa fusão originando metassedimentos(mistura de rochas sedimentares com rochas metamórficas), sendo este encrave metassedimentar.
A meteorização
À medida que a meteorização física e química se intensifica, a degradação da rocha tornar-se-á quase completa, tal como verificamos através da transformação de granito em areias, que são bastante visives através dos blocos de granitos que se encontram sobrepostos uns aos outros, sendo que estes correspondem a um mesmo bloco que ao sofrer diaclases horizontais e verticais, deu origem a estes blocos nos quais a ação dos agentes erosivos não foi suficiente para derrubar o granito que se encontra em cima do outro.
Todas as rochas observadas fazem parte do complexo metamórfico da foz do douro, que para alem de incluir vários granitos inclui também várias rochas metamórficas, resultantes de metamorfismo de contacto, associado à protusão do magma que lhes deu origem. Estas rochas da praia das pedras amarelas, não teem a mesma textura que a encontrada nos granitos de Lavadores, sendo rochas que perderam o seu tom róseo, tendo assim um tom mais amarelado daí o nome desta praia, não sendo por outro lado possível identificar os fenocristais de feldspato. Por outro lado, encontramos uma orientação preferencial das estruturas que as rochas contem e encontramos muitos filões de quartzo, sendo que estes se encontram associados aos fluidos Iso termais relacionadas com a atividade magmática, ou seja, estes filões de quartzo resultaram de um magmatismo tardio associado ao magma que se intrui no meio destes sedimentos, sendo que a cristalização deste de quartzo aconteceu desde a periferia para o centro do filão- estrutura endente pente (evidencia de uma cristalização feita em sentido convergente).
As rochas observadas nesta praia são designadas de ortognaisse, pois correspondem a um granito “mal acabado”.

4ªParagem- Praia de Salgueiros
A Biodiversidade
A água
A paisagem
Foi-nos possível observar nesta praia um constraste a nível de paisagem entre a Praia de Lavadores e a Praia das Pedras amarelas, praias essencialmente rochosas; a partir da praia dos salgueiros predomina uma costa bastante arenosa, existindo em Portugal cerca de 560 Km de costa arenosa e 383 Km de costa rochosa.
As Intervenções do Homem
Encontramos também um esporão que atravessa o areal e está em contacto com a água do mar. Os esporões correspondem a intervenções do homem no sentido de fixar as areias das praias, permitindo assim a manutenção dos areais.
As paliçadas
Na praia das Madalenas, as palaçidas parecem ser de menores dimensões do que as observadas na Praia das Pedras Amarelas, sendo esta uma ideia errada, visto que estas apenas se encontram cobertas pela acumulação de areias, o que significa que está a ocorrer a formação de dunas, existindo uma fixação do litoral arenoso.
O esporão
A areia desta praia é composta por sedimentos bastante heterogéneos, o que significa que a ação de transporte destes grãos de areia não foi muito acentuada, caso contrário estariam muito melhor calibrados. Podemos referir ainda que observamos que ao nível de arredondamento estes grãos de areia são pouco arredondados, sendo alguns bastante angulosos. Isto verifica-se porque estes sedimentos foram transportados pelo rio e outros pelas marés, portanto obtemos uma amostra heterogénea, mal calibrada e o arredondamento dos grãos de areia é bastante reduzido.Quando nos deslocamos para perto das rochas podemos reparar nos sedimentos que lá se encontram e classificalos como areias, porque já são muito mais homogéneas, grosseiras e melhor calibradas. Se as observássemos à lupa verificavamos também um maior grão de arredondamento entre os sedimentos que constituem as areias. Bastou uma distância mínima de 20m para observarmos esta diferença. Estes sedimentos são essencialmente de origem marinha enquanto que os outros são de transporte do rio. Os grãos de areia que observamos antes serão cascalhos ou seixos, pois não têm mais do que 2mm.
Os sedimentos
Introdução
Conclusão
Esta apresentação, de certo modo criativa, pretende fundamentalmente explora ao mais infimo pormenor a faixa litoral do Douro, de modo a que vocês fiquem com uma ideia clara que existe uma diferença entre o "ver" e o "olhar", uma vez que as nossas visões não permitem, em larga medida, observar minuciosamente a bela costa portuguesa, como por exemplo: a sua formação, os impactes positivos do homem nos ecossistemas, etc.
Podemos concluir que a nossa visita de estudo foi muito útil pois aprendemos imenso acerca das formas de relevo e tambem da biodiversidade do Douro!
A costa litoral é bastante agradável de se ver- um lugar calmo.
As informações retiradas vão permitir a nós e a vocês, espero, observar a faixa litoral de uma forma diferente. Observar todos os seus pormenores e fenómenos que nela ocorrem, como a meteorização, erosão e transporte.
Esperemos que tenham gostado e que este trabalho vos tenha ajudado a consolidar alguns conhecimentos!
Obrigado...
Full transcript