Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História do Brasil - Independência e 1° Reinado

No description
by

Samuel Bettini

on 20 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História do Brasil - Independência e 1° Reinado

1808
1822
Independência ou Morte!

1831
Abdicação de D. Pedro

1789
Revolução Francesa

1824
Constituição de 1824

História do Brasil - Independência e 1° Reinado
D. João no Brasil (1808 - 1820)
Decreta a Abertura dos Portos: permitiu a importação de quaisquer produtos vindos de países "amigos" de Portugal (1808);
Revoga o Alvará de D. Maria que proibia a instalação de manufaturas e indústrias (1808). Isso, entretanto, não foi suficiente para que a indústria pudesse se desenvolver pois era impossível concorrer com os produtos ingleses;
Tratados de 1810 ("Aliança e Amizade" e "Navegação e Comércio"): 15% de imposto sobre produtos ingleses, 16% portugueses e 24% demais países;
Extraterritoriedade legal (1810): Ingleses no Brasil julgados sob leis inglesas e com liberdade de culto.
O Reconhecimento da Independência
- EUA --> 1° país a reconhecer --> "América para os americanos"

1° Reinado
Situação Econômica: saldos comerciais negativos (dificuldades da economia açucareira e concorrência com produtos ingleses).
A Confederação do Equador - 1824
Movimento separatista, liberal, republicano, liderado por Pernambuco;
projeto era organizar uma confederação republicana na região nordestina.
Era Napoleônica (1799 - 1815)
Consolidação da Burguesia
A busca por mercados para a burguesia francesa e o confronto militar com as nações absolutistas gera inimigos à França, os quais são combatidos de duas formas:
Ou através do bloqueio contintal (caso específico inglês, adotado por conta da resistência militar britânica)
Através do combate militar contra as nações que resistiam
Pressão Francesa à Portugal (militar) + Pressão Inglesa à Portugal (comercial)
Transferência da Família Real Portuguesa para o Brasil (1808)
Entre perder a colônia - Brasil - (para os Ingleses) e Portugal (para os franceses), ao se ver invadido por Napoleão, D.João opta por fugir para o Brasil (contou com ajuda inglesa). ***Portugal é abandonado sob controle francês
Fim do Pacto Colonial
Transformação do Brasil em Reino Unido a Portugal (1815)
Permitiu a Participação Portuguesa no Congresso de Viena
Enquanto isso, em Porugal...
Graças ao apoio inglês, povo lusitano vence tropas napoleônicas e as expulsa de seus territórios;
Animada por ideais iluministas burguesis lusitana organiza uma Revolução, assume o controle do Estado em Portugal, organizando uma Assembléia Constituinte e exige o retorno de D. João VI: "Ou volta ou perde"

Reações à Política Joanina:
Revolução Pernambucana (1817)
Motivos:
Crise econômica açúcareira + inflação + carga fiscal + privilegios aos comerciantes portugueses + ideais iluministas
Proposta: República Liberal, porém escravocrata
Resultado: Chegam a assumir o controle Pernambuco, mas são militarmente derrotados
Meio a essa situação D. João retorna, porém deixa seu filho, D.Pedro no controle por aqui no Brasil
- Portugal deseja o retorno do Brasil como Colônia
- Brasil não tem o menor interesse em ser Colônia
- Partido Brasileiro é formado e busca apoio de D.Pedro
- Influência de José Bonifácio (ministro de D.Pedro e D Leopoldina, sua esposa
Resultado:
***para maiores detalhes sobre o processo de Independência ler páginas 436 e 437 do livro
- Reconhecimento Inglês e Português:
Ingleterra
Atua como mediadora ento Brasil e Portugal.
Emprestam cerca de 2 milhões de libras ao Brasil para o pagamento da indenização exigida por Portugal
Brasil
Paga a Portugal a indenização com o dinheiro emprestado pela Inglaterra
Portugal
Paga a dívida que tinham com a Inglaterra através do dinheiro pago pelo Brasil pela indenização que provinha da própria Inglaterra através de um emprestimo ao Brasil. Assinam o Tratado de Paz e Aliança (1825) e finalmente reconhecem a Independência brasileira
No fim, o dinheiro não saiu da Ingleterra, pois esta emprestou-o ao Brasil, que pagou uma indenização á Portugal, que usou o mesmo dinheiro para pagar uma dívida à Inglaterra. E ainda assim, o Brasil ficou devendo á Inglaterra pelo emprestimo.
“O Partido Brasileiro”

Conservadores


Liberais radicais



Conservadores → aristocracia rural escravista e burocratas: emancipação sem alteração da ordem social (monarquia constitucional )

Liberais radicais → comerciantes, burocratas, jornalistas e classes médias urbanas: reunia monarquistas e republicanos com posições mais democráticas


Partido Brasileiro
A organização do novo estado brasileiro coube à deputados pertencentes à aristocracia, reunidos em maio de 1823, em Assembléia Constituinte. A maioria desses deputados defendiam o estabelecimento de uma monarquia constitucional que garantisse os direitos individuais e limitasse os poderes do imperador e sem alterações que afetassem o domínio aristocrático-escravista.
Propõem um projeto constitucional que ficou conheciado como "Constituição da Mandioca", a qual:

limitaria o poder do Imperador;
tornaria a Assembléia indissolúvel;
colocaria o exército sob controle da Assembléia Legislativa;
estabeleceria o voto censitário e indireto.
"Constituição da Mandioca" não agradou a D. Pedro e via nela a limitação de seus poderes.
Com isso, ele recorre à força para interromper os trabalhos da Constituinte.
D. Pedro I demite José Bonifácio de Andrade (até então seu 1° ministro), dissolve a Assembléia Constituinte e...
***anti-lusitana (xenófoba)
nomeia um Conselho de Estado, para ajudá-lo a redigir a Constituição:

Constituição de 1824
Situação Política: Ínicio dos choques entre o Partido brasileiro e D. Pedro I (que pretendia assumir absolutistas - fator que o aproximará do Partido Português
Carta outorgada em 25 de março de 1824
Principais características:
- Excluía escravos, indígenas, mulheres, pobres e menores de 25 anos da participação política
- Voto censitário (renda mínima de 100 mil-réis)
- Padroado → igreja subordinada ao Estado
- Estabeleceu uma Monarquia Imperial
- Centralização política administrativa → poderes:
legislativo, judiciário, executivo e moderador





A Constituição de 1824

O golpe de d. Pedro I e a ordem estabelecida pela Constituição de 1824:

Excluíram as camadas populares da participação política do país
Bloquearam a ascensão do Partido Brasileiro
Asseguraram a d. Pedro I o controle político do Estado
Provocou reações em diversas províncias especialmente no nordeste, onde foi proclamada a Confederação do Equador




***slides by Franquella
Motivos:

Absolutismo de D. Pedro;
Repúdio ao novo presidente de Provícia indica do pelo Imperador.
Líderes:
Cipriano Barata, Frei Caneca e Manuel de Carvalho Paes de Andrade.
Crise Financeira e Econômica
Tendências Absolutistas do Imperador, associadas a sua apriximação ao Partido Português
Envolvimento de D.Pedro na questão sucessória Portuguesa, chegando a ameaçar uma mobilização militar em defesa de D. Maria da Glória contra D.Miguel
A Guerra da Cisplatina e seus efeitos na Economia e na Sociedade
+
Perda do apoio do exército
Assassinato do Jornalista Líbero Badaró, fator estimulante para conflitos nas ruas entre portugueses e brasileiros (a "Noite das Garrafadas" etc)
Abdicação de D. Pedro
(1831)
Full transcript