Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Renascimento

No description
by

Leah Gois

on 26 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Renascimento

Surgiu em França.
A primeira peça "Comique de la Reyne" foi apresentada a 15 de Outubro de 1581.
A partitura era obra de vários compositores que alternavam entre canto e música de dança.
A ação não tinha grande coerência dramática, mas era ritmada pelas diversas entradas. Ballet de Cour Surgiu em Inglaterra em 1558.
Na masque o canto é acompanhado por certas passagens puramente instrumentais, reservadas à dança.
No final da dança, os dançarinos tiravam as máscaras e as suas identidades eram reveladas. Masque Moore, Douglas, Guia dos Estilos Musicais,; Edições 70, março 2008

Denizeau, Gérard, Os Géneros Musicais, Círculo de Leitores, setembro 2000

www.thetudortattler.com/2012/01/pastyme-with-good-companye-masques.html

http://issuu.com/genaafonso/docs/instrumentos_quinhentistas

http://pt.wikipedia.org/

http://www.music.iastate.edu/antiqua/instrumt.html

http://www.youtube.com

http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/historia/historia_da_arte/renascimento_cultural/hist_arte_3_renascimento_escultura
http://www.slideshare.net/RainhaMaga/o-renascimento-e-a-formao-da-
mentalidade-moderna-6439815 Bibliografia/Sitografia Flautas Renascentistas Flauta Dupla O material utilizado na sua construção era madeira.
No tempo dos descobrimentos eram utilizados vários tipos de flautas, como a de bisel, a dupla e a transversal. Flauta Transversal Instrumentos de Sopro Cromorne - Soprano
- Alto
- Tenor
- Baixo
- Grande Baixo Gaita de Fole Fagote O fagote era um instrumento de sopro de palheta dupla com um som grave.

Derivou do baixão, que era feito de uma só peça de madeira. No início do Renascimento, os trompetes eram direitos e podiam ter até 2,5 metros de comprimento. Foram dobrados pois eram muitas vezes tocados em cima de cavalos. Baixo Tenor Alto Similar em aparência ao trombone de vara moderno.
Contruído em metal.
Muito utilizado por volta de 1500. Alaúde A abertura da caixa era trabalhada como as rosá́ceas de uma catedral gó́tica.

Teorba (mais pequena) e Chitarrone (maior). Traduzido para Português significa “Viola de Braço”.
Antecessor do violino.
Utilizada até ao início do período Barroco.
Deu origem à Viola de Arco actual e ao Violino
(mais pequeno). Viola de Gamba Antepassado do violoncelo, a caixa acú́stica é semelhante à̀ do alaú́de.
O som era produzido pela fricçã̧̃o de um arco com crinas de cavalo resinado.
O termo deve-se ao facto do instrumento ser seguro entre as pernas (gambe). Virginal Instrumento musical da família do cravo.
Constituído por um conjunto de cordas disposta numa caixa de ressonância de modo que cada corda produz uma única nota.
A execução é feita por pinçamento através de um teclado. Não existem alteraçõ̃es significativas relativamente à̀ Idade Mé́dia.
Continuam a preferir o Tamborim, o Tambor, os Timbales e os Crótalos, entre outros. Fiéis insatisfeitos e dececionados com a irreverência do comportamento de alguns padres. Resulta de diversos fatores, começando pelas mudanças ocorridas no Renascimento:

novas conceções do mundo e do pensamento;
população com maior aproximação aos livros;
indivíduos mais críticos;

enfraquecimento da Igreja Católica.
acreditava que Deus escolheu um grupo de pessoas e que as restantes vão para o Inferno
para o Homem ser salvo era necessário trabalhar a sério durante toda a sua vida
contra algumas doutrinas da Igreja Católica
apoiado por príncipes e reis da época
defendia que a fé e os bons atos eram as principais chaves de redenção das pessoas Surgem movimentos que questionam a Igreja Católica
daquela altura face ao que era conhecido antes… Luteranismo Calvinismo Música da Igreja Protestante As mulheres não tinham acesso à arte Música da Igreja Católica Destaque à personalidade individual
Ensaios e biografias ganham importância
Florescimento de diversos géneros:
poesia, epopeia, história e ciência política Literatura
Nicolau Maquieval
Ludovico Ariosto Destaques Internacionais Gil Vicente Destaque Nacional Pintura Sandro Botticelli Jan Van Eyck Destaques Internacionais
Jorge Afonso Destaques Nacionais Aparecimento de linhas horizontais sobre as verticais.
Uso de elementos clássicos:
colunas, frontões triangulares nas fachadas, arcos em volta perfeita, abóbadas de berço e cúpula. Arquitectura Cornijas e balaústres a coroar terraços.
Decoração com base em figuras mitológicas
e elementos da Natureza. Estilo: Gótico-Renascentista

Arquitectos:
Filippo Brunelleschi
Giotto di Bondone
Lucca della Rubia
Donatello
Federico Zuccari
Giorgio Vasari Catedral de Santa Maria del Fiore, Florença Construção: 1296 - 1436 Pensamento Renascentista O Homem na Idade Média estava perante um pensamento teocêntrico (Deus no centro do universo).
Ao entrar na época renascentista, este pensamento é alterado e passa a ser antropocêntrico que, embora não excluísse a possibilidade da exitência de um deus, era o homem o centro do universo. Teocentrismo ≠ Antropocentrismo Esta mudança na maneira de pensar deve-se:
à transição do feudalismo para o capitalismo mercantil;
à ascensão da burguesia através da sua acumulação de capital;
à criação da imprensa, que possibilitou a ascendência de diversos escritores e filósofos.
As crenças e religiões começam a desvanecer e a razão ganha força. Artes

Política O Antropocentrismo reflete-se
em diversas áreas: Dança Renascentista Instrumentos Renascentistas Reforma Protestante Artes no Renascimento
Giovanni Boccaccio
Francesco Petrarca
Francesco Guicciardini
Dante Alighieri Leonardo DaVinci
Vasco Fernandes
(Grão Vasco) Contextualização Histórica Com esta alteração na maneira de pensar, o homem desenvolve uma mentalidade racionalista e um espírito crítico. Racionalismo - é o desejo insaciável de saber a verdade, a fim de satisfazer a sua curiosidade, para poder explicar as contradições e insuficiências do saber antigo. Liga-se directamente ao espírito crítico, em que o homem passa a pensar por si próprio, a questionar a sociedade e o mundo que o rodeia, em vez de o aceitar como um dado adquirido. Renascimento marginalizado
sem independência financeira
autónomo
com ligação à Igreja Como era visto o artista na sociedade? Características:
Realismo/Naturalismo
Dinamismo
Profundidade e perspectiva
Preferência pelo nu
Expressividade
Racionalismo Escultura Principais temas:
Homem
Figuras mitológicas
Temas religiosos "David"
Donatello "David"
Miguel Ângelo Nicolau Copérnico Leonardo Da Vinci Ciência Inventor Máquinas Voadoras Leonardo Da Vinci Anatomia Teoria Heliocêntrica Nicolau Copérnico Tomada de Constantinopla em 1453.

Chegada dos artistas bizantinos a Itália.

Resultado das novidades trazidas pelos descobrimentos.

Desenvolvimento e crescimento comercial e urbano. Como surgiu o Renascimento? A música da Missa inteira consistia numa única linha melódica, não compassada no sentido moderno, baseada num dos modos eclesiásticos e não nas escalas maior e menor.







O arranjo polifónico da Missa que encontramos em composições do Renascimento baseia muitas vezes a música num tema derivado do Cantochão ou de uma canção secular. O título da Missa constitui uma indicação quanto à fonte do tema principal. Música Renascentista MÚSICOS Obra:
c. 20 missas
c. 50 chansons
100 motetos
outras peças vocais profanas

Obras principais:
missa ‘Pange lingua’
moteto ‘Stabat Mater’
chanson ‘Petite Camusette’
frottola ‘El Grillo’ Compositor franco-flamengo.
Mestre da polifonia vocal e do contraponto.
Trabalhou criteriosamente a relação texto-música.
Aplicou o recurso da imitação.
O moteto passou a ser a forma preferida dos compositores. JOSQUIN DES PRÉS Obras:
104 missas
375 motetos
Magnificat
42 madrigais sacros
91 madrigais profanos
68 ofertórios Compositor, músico, cantor.
Representante e principal compositor da Escola Romana.
Captou a essência do aspecto sóbrio e conservador da Contra-Reforma numa polifonia de extrema pureza.
Estilo e linguagem polifónica semelhante ao contraponto imitativo franco-flamengo.
Grande influência no desenvolvimento da música sacra.
Influência do canto gregoriano no desenvolvimento das linhas melódicas.
Técnica de composição estruturada com minuciosidade. Última obra:
uma série de 21 madrigais espirituais, Lagrime di San Pietro, publicada postumamente em 1595. Compositor, cantor.
Último grande compositor da Escola Franco-flamenga.
Domínio da técnica contrapontística e polifonia.
Estilo conservador, simples e refinado.
Músico influente na Europa no final do séc. XVI. Obras:
Ave Verum Corpus
Susanna Fair
Missa Para Quatro Vozes
Great Service
Qui Passe: For Mu Lady Nevell Compositor inglês, organista.
Maior compositor de contraponto na Inglaterra.
Obras em latim para a Igreja Católica (motete Ave Verum Corpus, para 4 vozes e as Três Missas Católicas).
A Rainha Elizabeth I concedeu-lhe o monopólio da impressão e venda de partituras, juntamente com Thomas Tallis. MÚSICOS PORTUGUESES Obras:
Motete "Ne læteris inimica mea" (3 vozes)
Motete "In die tribulationis" (3 vozes)
Motete "Surge propera amica mea" (5 vozes) Historiador, humanista, escritor, músico, instrumentista (clavicórdio, címbalo, cítara), compositor, colecionador de arte, pintor.

Um dos espíritos mais críticos, verdadeiro traço de união entre Portugal e a Europa culta do séc. XVI.

As suas maiores obras eram em latim e português:
– Crónica do Felicíssimo Rei Dom Emanuel (1566–67)
– Crónica do Príncipe Dom João (1567) Onde surgiu? Itália - Florença

(final do séc. XIII até meados do séc. XVII)

Alastrou-se pela Europa toda Tem este nome porque foram recuperadas ideias, valores e conhecimentos da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma - que tinham sido esquecidas na Idade Média. Renascimento Teocentrismo
Feudalismo rural
Obscurantismo
Autosuficiência (pouco contato entre comunidades)
Espiritualismo
Geocentrismo
Aceitação da realidade
Coletivismo
Religiosidade Antropocentrismo
Surge a burguesia (cidades)
Iluminismo
Trocas comerciais e mais mobilidade
Materialismo
Heliocentrismo
Questionamento da realidade
Individualismo
Racionalismo Idade Média FORMAS MUSICAIS Desde os finais da Idade Média, a Missa Católica Romana (estilo polifónico) está dividida em cinco partes:
1ª - Kyrie (Senhor, Tende Piedade)
2ª - Gloria (Glória a Deus nas Alturas)
3ª - Credo (Creio em um só Deus, Criador do Céu e da Terra)
4ª - Sanctus (Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos)
5ª - Agnus Dei (Cordeiro de Deus) A MISSA Isto não conduz a uma grande clareza de palavras, mas forma um desenho musical agradável ao ouvido. Canção polifónica sobre texto bíblico latino ou texto sagrado.
Emprega frequentes vezes as entradas canónicas das vozes separadas que se encontram na Missa.
Na estrutura mais rigorosa, cada frase do texto aparece associada a uma linha melódica ou tema, que surge em sucessão em cada voz.
Estas melodias diversas sobrepõe-se com frequência, de modo a que as vozes cantem ao mesmo tempo diferentes frases do texto e melodias. O MOTETO Cantado em Italiano.
Canção polifónica.
Aborda assuntos heróicos, pastoris, libertinos.
Textura mais livre e mais viva do que o moteto.
Geralmente escrito a cinco vozes. O MADRIGAL Cantochão ou Canto Gregoriano Gutenberg
Criador da imprensa ocidental
Obras:
Ave maris stella; Ay mi Dios; Beata viscera Mariae; Es nascido; Hodie nobis; In manus tuas; Magnificat à 8; O magnum mysterium; Osanna filio David; Salva nos Domine; Sanctorum meritis; Tristis est anima mea. Obras:
Motete "Clamabat autem mulier Cananea".
Magnificat "Octavi Toni" (obra polifónica mais antiga de autor identificado). Compositor, professor do coro da catedral.

Figura importante da polifonia portuguesa.

Estudou música em Évora.  

Compositor prolífico, famoso no séc. XVI, a sua música viajou para a Espanha e México, onde foi altamente reconhecido. Cantor contrapontista, músico, compositor, filósofo, teólogo, pintor.

Tocava órgão, claviorgão, viola de arco, harpa.

Estudou no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. O Renascimento divide-se em três grandes fases:

Trecentos (séc. XIV)
Quattrocento (séc. XV)
Cinquecento (séc. XVI) De meados do séc. XV a finais do séc. XVI.

Como pioneiro dos descobrimentos, Portugal floresceu no final do séc. XV com as navegações para o oriente, permitindo luxos e o cultivar do espírito.

O contato com o Renascimento chegou através da influência de ricos mercadores italianos e flamengos que investiam no comércio marítimo. Renascimento em Portugal Igreja

Filosofia Recuperação da linha gregoriana
Polifonia da linha gregoriana
Polifonia homorítmica (várias vozes com a mesma estrutura de base, para se perceber melhor a letra)
Não se valoriza tanto a música contrapontista 1054 - Cisma entre as Igrejas do Oriente e do Ocidente.

1095 - O papa Urbano II convoca a Primeira Cruzada com o objetivo de libertar a Terra Santa.

1231 - A Inquisição foi instituída pelo papa Gregório IX.

1337 - Início da Guerra dos Cem Anos entre França e Inglaterra. Factos Históricos
1453 - Tomada da Constantinopla (Turquia).

1473 - 1ª impressão musical (música sacra litúrgica).

1492 - Chegada dos espanhóis, liderados por Cristóvão Colombo, à América.

1501 - Otaviano de Petrucci (primeiro editor de música), edita a primeira coletânea de peças polifónicas.

1517 - Revolta de Lutero. Obra:
700 motetos
200 madrigais
101 magnificats
141 canções
90 lieders
70 missas
4 paixões Compositor, cantor na capela real, professor de coristas.

Hábil compositor de polifonia.

Música popular, como prova o aparecimento de cópias das suas músicas em locais distantes (Guatemala). Compositor, cantor, instrumentista (tecla, harpa, flauta), professor no Mosteiro de Santa Cruz.

Importante polifonista do séc. XVI no domínio da música religiosa.

As suas obras conservam todo o elevado sentido espiritual da oração cantada dirigida a Deus.

Motetos, responsórios, salmos, missas, hinos, paixões, lamentações, versos aleluiáticos, cânticos e vilancicos espirituais. Idade Média:
Latim Renascimento:
Línguas vernáculas Contrarreforma adriana boiça silva | ana rita antunes andreia abreu | flávia vieira | inês vale joão martins | leah gois Não existem vozes femininas Existem vozes femininas
Letras percetíveis
Textos não são em latim (para todos entenderem)
Melodias Música da Igreja Católica Pintura a óleo
Uso da tela
Técnica “sfumato”
Noção de perspectiva "Pietà"
Miguel Ângelo João Calvino - França (séc. XVI) Martinho Lutero - Alemanha (1517) Leonardo Da Vinci Instrumentos de Sopro Instrumentos de Sopro Instrumentos de Sopro Instrumentos de Sopro Instrumentos de Cordas Instrumentos de Cordas Instrumentos de Cordas Viola de Braccio Sacabuxa Instrumentos de Sopro Trompetes Instrumentos de Cordas Instrumentos de Percussão (França, c. 1440 – Agosto 1521, França) GIOVANNI PALESTRINA (Itália, Fevereiro 1525 – Fevereiro 1594) ORLANDO DI LASSO (Bélgica, 1532 – Junho 1594, Munique) WILLIAM BYRD (Inglaterra, 1543 – Julho 1623) "Estátua Equestre"
Donatello Obra:
missas, magnificats e motetos.
não assinou as suas obras, o que torna difícil identificá-las. HELIODORO DE PAIVA (Lisboa, data desconhecida – Dezembro 1552, Coimbra) MANUEL MENDES (Lisboa c. 1547 – Setembro 1605, Évora) DAMIÃO DE GÓIS (Alenquer, Fevereiro 1502 / Janeiro 1574, Alenquer) PEDRO DE ESCOBAR (Porto, c. 1465 – depois 1535, Évora) D. PEDRO DE CRISTO (Coimbra, 1545/1550 – Dezembro 1618, Coimbra) CARACTERÍSTICAS DA MÚSICA RENASCENTISTA Interesse pelo saber e cultura.

Arte independente.

Forma de entretenimento, conhecimento e manifestação de ideias. O Homem explorava as suas emoções e o seu espírito, desenvolvendo uma fina perceção de si próprio e do mundo ao seu redor, passando a observar, questionar e a deduzir coisas por conta própria. Os compositores passaram a ter um interesse muito mais vivo:
música profana
peças instrumentais CARACTERÍSTICAS DA MÚSICA RENASCENTISTA Música Renascentista mais importante Compostas para a Igreja (polifonia coral).
Full transcript