Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sociedade e Economia

Geografia
by

Vladimir Belinski

on 22 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sociedade e Economia

Sociedade e Economia
Sociedade e Economia
Escola de Educação Básica Coronel Ernesto Bertaso
Disciplina: Geografia
Professora: Izabel Hüning
Alunos: Ana Vicari, Camila Buss, Jéssica Santos e Vladimir Belinski.
Série: 3ª E.M.
Turma: 302
Setores da atividade econômica
Modificações na economia + Desenvolvimento tecnológico = Impacto no modo de vida, atividades econômicas e mercado de trabalho.
Trabalho
• Diferenciação entre categorias profissionais;
• Mudanças nos trabalhos existentes;
• Desemprego conjuntural e estrutural;
Trabalho
• O trabalho começou quando pessoas com mais condições necessitavam de trabalhadores para atender as suas necessidades básicas.
• No início das primeiras sociedades, o trabalho não exigia comprovação de experiência.
População e renda
Classificação obsoleta:
Primário
Setores:
Economia nos países subdesenvolvidos, emergentes, desenvolvidos e EUA (terceirização da economia).
Deslocamento de empregos para o setor terciário: economia informal (atividades legais e ilegais).
Classificação alternativa:
Primeiro setor (governo);
Segundo setor (setor privado);
Terceiro setor (ONGs).
Tecnologia:
Produtividade e competitividade
X
Diminuição de empregos; mudança para setor de serviços
Secundário
Terciário
Agropecuária, extrativismo vegetal e pesca.
Indústria.
Agropecuária, extrativismo vegetal e pesca.
Comércio e Serviços.
Globalização, TI e serviços
Nova economia (ramo de telecomunicações, informática- redes, sistemas, engenharia da computação).
Modificações (modo de vida, trabalho, consumo).
Índice Nasdaq: alta tecnologia e biotecnologia.
Pontos negativos: redução de postos de trabalho (devido automação); marginalização de parte da mão de obra; competitividade; atualizações e requalificações.
Pontos positivos: redução de distância e tempo; novas profissões; auxílio na circulação de mercadorias, turismo, setor financeiro, telecomunicações,negócios- ambientes virtuais.
Turismo
Atividade econômica relacionada às características geográficas do lugar: paisagem natural e cultural.
Espaço de consumo (requer infraestrutura e planejamento em diversos níveis- local/ Estado).
Crescimento.
Principal destino: Europa (França, Espanha, Itália, UK e Alemanha).
Ecoturismo: incorreto e correto; destaque brasileiro.
Questões: emprego e economia/ ambientais e sociais.
Monumento: Stonehenge- Inglaterra
Monumento: Stonehenge- Inglaterra
Museu: Louvre- França
Museu: Guggenheim- Espanha
Arquitetura: Edifício Gaudí- Espanha
Arquitetura: Capela Sistina- Itália
Ruínas Gregas: Partenon
Brasil: ponto de vista social e ambiental.
Amazônia
Pantanal
Cat. do Iguaçu
Cidade histórica mineira
Chapada dos Veadeiros
Falhas X Estruturação
Copa e Olimpíadas
Social:

Trabalho infantil, temporário e turismo sexual
Ambiental:

Impactos, tráfego de veículos, ecoturismo correto, infraestrutura com saneamento...
Índice de Pobreza – 2008
Chade 56.9%
Mali 56.4%
Burkina Fasso 55.8%
Etiópia 54.9%
Nigéria 54.7%
• Avanço na produção tecnológica e de alimentos, contudo pela má distribuição falta o básico para muitos;
• Linha da pobreza: menos de U$ 1 por dia (Banco Mundial)- menos de R$ 70 mensais por pessoa (Brasil); Não há consenso;
• Brasil não é considerado pobre e sim desigual;
• Divisão de lucros internos pelas diversas classes sociais do país;
• IPEA divulgou em 2008 que 10% da população mais rica no Brasil detémaproximadamente 50% da renda gerada;
• Em 2004, a taxa de crescimento da renda per capita para os mais pobres foi de 14,1%, e a renda per capita média cresceu 3,6% no mesmo período.
• Índice Gini: aponta a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos;
• Varia de zero a um= 0 representa a situação de igualdade e valor 1 desigualdade total.
Distribuição de renda
• Com o fim da 2ª GM foi estabelecido o modelo do Estado de Bem- Estar Social;
• Ideias neoliberais: sustentar o modelo Estado de Bem-Estar Social gera impostos elevados que impedem investimentos e isso implica na geração de empregos;
• Estado neoliberal: redução nas atribuições do Estado e privatização de atividades produtivas junto com cortes nos setores públicos;
• Forma de governo pode favorecer a concentração ou desconcentração.
O papel do Estado
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)
• Criado em 1990, baseia-se no PIB per capita, educação e expectativa de vida;
• Indica se o crescimento econômico se reverteu em qualidade para a população;
• Brasil permanece na 85ª desde 2007;
NÍVEIS DE IDH

Muito elevado Entre 0,9 e 1
Elevado Entre 0,8 e 0,89
Médio Entre 0,5 e 0,79
Baixo Entre 0 e 0,49
Melhores IDHs do mundo:

1º Noruega 0,955
2º Austrália 0,938
3º Estados Unidos 0,937
85º Brasil 0,730
• Camelôs;
• A economia informal é muito comum em países subdesenvolvidos e emergentes;
• O combate à economia informal ocorre de forma ineficaz;
• Alguns especialistas afirmam que a legalidade contribuiria para a elevação do PIB (Produto Interno Bruto) do país e outros não concordam;

• O trabalho infantil é característica do século passado, onde crianças precisavam trabalhar para adquirir experiências e entrar no mercado de trabalho.

• O trabalho infantil no Brasil é ainda um grande problema social.
• O número de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos trabalhando nos últimos 13 anos caiu de 246 milhões para 168 milhões, segundo a OIT
• São diversas as desigualdades existentes na sociedade brasileira. Uma das mais evidentes refere-se às relações de gênero.
• Nas últimas décadas do século XX, presenciamos um dos fatos mais marcantes na sociedade brasileira, que foi a inserção, cada vez mais crescente, da mulher no campo do trabalho.
• Uma constatação recorrente é a de que, independente do gênero, a pessoa com maior nível de escolaridade tem mais chances e oportunidades de inclusão no mercado de trabalho.
• O total das mulheres no trabalho precário e informal é de 61%, sendo 13% superior à presença dos homens (54%).
• Com o desenvolvimento industrial crescente, as preocupações com o trabalhador rural continuaram a existir.
• Entre 1929 até o final da Segunda Guerra Mundial, buscou-se uma ampliação do processo de industrialização no país.
• Nas primeiras décadas após a escravidão, os proprietários de terras procuraram trazer imigrantes para trabalhar em suas terras.
• O sistema então adotado ficou conhecido como colonato.
Índice de Desenvolvimento Humano- 10 MELHORES
1º Noruega
Esperança de Vida: 81,1 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12,6
Expectativa de Anos de Escolaridade: 17,3
PIB Per Capita: US$ 47.557
2º Austrália
Esperança de Vida: 81,9 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12
Expectativa de Anos de Escolaridade: 18
PIB Per Capita: US$ 34.431
3º Holanda
Esperança de Vida: 80,7 anos
Média de Anos de Escolaridade: 11,6
Expectativa de Anos de Escolaridade: 16,8
PIB Per Capita: US$ 36.402
7º Irlanda
Esperança de Vida: 80,7 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12,5
Expectativa de Anos de Escolaridade: 18
PIB Per Capita: US$ 23.737
8º Liechtenstein
5º Nova Zelândia
4º Estados Unidos
Esperança de Vida: 78,5 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12,4
Expectativa de Anos de Escolaridade: 16
PIB Per Capita: US$ 43.017
6º Canadá
Esperança de Vida: 81 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12,1
Expectativa de Anos de Escolaridade: 16
PIB Per Capita: US$ 35.166
Esperança de Vida: 80,6 anos
Média de Anos de Escolaridade: 11,6
Expectativa de Anos de Escolaridade: 18
PIB Per Capita: US$ 29.322
Esperança de Vida: 79,6 anos
Média de Anos de Escolaridade: 10,3
Expectativa de Anos de Escolaridade: 14,7
PIB Per Capita: US$ 83.717

9º Alemanha
Esperança de Vida: 80,4 anos
Média de Anos de Escolaridade: 12,2
Expectativa de Anos de Escolaridade: 15,9
PIB Per Capita: US$ 34.854
10º Suécia
Esperança de Vida: 81,4 anos
Média de Anos de Escolaridade: 11,7
Expectativa de Anos de Escolaridade: 15,7
PIB Per Capita: US$ 35.837
IDH Interno
12ª posição no estado de SC e 67ª no ranking nacional;
IDH-M: 0,790;
IDH-R: 0,779;
IDH- L: 0,871;
IDH-E: 0,727.
IDH Chapecó
Full transcript