Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PROJETO ARQUITETÔNICO IV - PRIMEIROS PASSOS

No description
by

Marina Andreis

on 28 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PROJETO ARQUITETÔNICO IV - PRIMEIROS PASSOS

TEMA - ESCOLA INFANTIL
ESTUDO DE CASO II
ESTUDO DE CASO I
PROJETO ARQUITETÔNICO IV
Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó
Área de Ciências Exatas e ambientais
Curso de Arquitetura e Urbanismo
Componente Curricular: Projeto Arquitetônico IV
Docente: Christine Scherer
Acadêmica: Marina Borille Andreis

Escola Infantil Baillargues
Arquitetos: MDR
Localização: Baillargues, França
Área: 2 500m²
Fotografias: Mathieu Ducros
Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/624721/escola-infantil-mdr
É uma escola infatil pública, ela possui uma ótima localizão, esta situada no centro da cidade, é uma edificação com traços mediterrâneos, utiliza materiais nobres e devido sua volumetria alta, se destaca em seu entorno.
Considerações
Insolação/ Clima
Topografia
Corte do Terreno
Perfil do terreno
Tipologia
FORMA: Desenvolvido no Software Archicad 18, pela acadêmica.
A tipologia adotada pelos arquitetos foi em "U", eles optaram por um edifício rústico mas ao mesmo tempo moderno, caracterizando-se por uma arquitetura mediterrânea. A forma edificada são retângulos que se adicionam e subtraem-se, há um maior prolongamento da forma em sentido leste/oeste.
O terreno onde se encontra a edificação possui um desnível considerado, por se tratar de uma escola infantil, os arquitetos projetaram uma edificação térrea, os mesmos, elevaram a edificação ao nível mais alto do terreno, e disporam na parte mais baixa um estacionamento com 50 vagas, como é demostrado nas seguintes imagens:
Uma das justificativas de elevar o "pavimento único" é a proteção que a mesma oferece para as crianças, esta imagem representa a vista que o local proporciona. O bosque representado neste esquema foi preservado em seu estado natural.
Parte baixa
(Estacionamentos)
Parte alta
Bosque
(talude)
Acessos
Acesso por rampas
Iluminação Natural
Iluminação através das janelas
Iluminação através de sheds
Disponível em: http://dicasdaarquiteta.ig.com.br/index.php/tag/iluminacao-natural/
Um ambiente escolar precisa ser bem iluminado e arejado, para isso os arquitetos usaram extensas aberturas, janelões de vidro, tais quais utilizam de maneira satisfatória a insolação durante o dia, além disso, foram utilizados sheds no refeitório, sala multiuso e salas de aulas, afim de otimizar o ambiente, se tornando ambientes com alta eficiencia energética.
Subtração
Adição
Simetria e Equilíbrio
FORMA: Desenvolvido no Software Archicad 18, pela acadêmica.
Elevação Norte: Desenvolvido no Software Archicad 18, pela acadêmica.
Massa/ Volumetria
Arquitetura como identificação de lugar
Um ambiente escolar precisa ser bem identificado, ter uma boa localização e um bom terreno, que permitam as diversas atividades que ali serão exercidas. Como citado no começo do trabalho a escola situa-se em um ponto estratégico da cidade.
Além disso a edificação se eleva no meio urbano ganhando destaque na paisagem, a escola está superior ao nível da rua afim de oferecer segurança aos pequeninos, ela também possui uma tipologia em U, fechandosse em maior parte para a área de convívio.
Mapa cheios e vazios
Acessos secundários
Acessos principais
Acessos serviços
Elementos Básicos
Barreiras:
Aberturas:
Abertura para otimizar a iluminação no interior das salas
Barreiras área de convívio
Aproveitamento das coisas pré-existentes e condicionantes
Corte do Terreno
Como citado anteriormente na topografia, os arquitetos utilizaram o desnível existente no terreno, para elevar a edificação e proteger as crianças, desta maneira, o desnível existente (condicionante) é bem aproveitado.
Elementos Combinados
Paredes
Piso
Parede
Cobertura
Os elementos combinados se configuram para se formar uma cabana!
Disponível em:http://www.worldmeteo.info/pt/europa/franca/baillargues/tempo-146527/. Acesso em 20 ago. 2015.
Baillargues é uma cidade na França, país que se situa no lado oeste da Europa, hemisfério norte, contém um clima quente, temperado e chuvoso.
Os arquitetos buscaram oferecer de melhor maneira a insolação no inverno e verão, seus sheds possuem aberturas voltadas a sul, a área de convívio e refeitório estão a sul também.
nascente
poente
aberturas das salas de aula voltadas a sul
Arquitetura com Arte de Emoldurar
Edificação
A edificação e as cercas são barreiras físicas que emolduram todo espaço de lazer e recreação da escola, protejendo-a.
Cercas
Elementos Modificadores da Arquitetura
A

LUZ
é um
elemento modificador
na arquitetura, nesta escola diversos artifícios, como aberturas e sheds foram distribuídas ao decorrer da edificação (a maioria a sul), nas salas de aula, refeitório e sala multiuso.
Desta maneira ha uma economia de energia, tornando a edificação sustentável.
A
ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL
também é um
elemento modificador
na escola, pois ela auxilia na iluminação natural e em dias nublados.
Como podemos notar a iluminação natural é bem eficiente, desta maneira há poucas lâmpadas dispostas nos cômodos internos.
A
VENTILAÇÃO
é um
elemento modificador
, a escola conta com um sistema de climatização.
A

COR
é um
elemento modificador
marcante na edificação. Ao chegarmos na escola nos deparamos com uma arquitetura mais rústica com tons terracotas, já em seu interior brincasse com tons mais alegres como o amarelo e o vermelho, tais cores incentivam a criatividade das crianças e as instigam a produção.
Os tons mais coloridos são trabalhado com a cor branca, otimizando os ambientes.
Banheiros
Berçarios
Pré-escola
Secretaria
Sala Multiuso
Biblioteca
Refeitório
Cozinha Indústrial
Depósito
Depósito Área de Convívio
Depósito
Estacionamentos
Vias de acesso à escola
Edificação
Área de Recreação
Vazios
Garagem subsolo
Adição e Subtração
Setorização - Térreo
Setorização - Subsolo
Fonte: www.earth.google.com/
Creche da SFU UniverCity
Arquitetos: HCMA
Localização: Burnaby, Canadá
Área: 530m²
Fotografias: Martin Tessler
Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/01-131869/creche-da-sfu-univercity-slash-hcma
Fonte: http://escolaestadualfernandesvieira.blogspot.com.br/2012/10/aprenda-um-pouco-sobre-burnaby-canada.html
A tipologia adotada pelos arquitetos foi em L no pavimento térreo e em I no pavimento superior. Há um maior prolongamento da forma no sentido leste-oeste.
Insolação/ Clima Iluminação Natural
Tipologia
Burnaby é uma cidade situada no oeste Canaense, possui um clima litorâneo com leves invernos e verões não muito quentes.
Fonte: http://pt.climate-data.org/location/964/
Considerações
A creche SFU está localizada no Centro de Simon Fraser University (Universidade Pública Canadense).
Ela possui um modelo programático educacional único de Reggio Emilia, o qual se baseia em um profundo respeito pela curiosidade das crianças, seu potencial, e seu direito de comunicar-se através de diversas linguagens utilizada para auto-expressão.
É uma creche pequena, com crianças de 3 a 5 anos, abriga nela 50 alunos, onde os mesmo são divididos em dois grupos de 25 crianças, havendo uma primeira separação por salas de recreação e logo após uma sala de convívio a todos.
Além disso, a creche hospeda pesquisadores acadêmicos da universidade, que a utilizam como laboratório vivo para observar e conduzir estudo sobre a educação infantil.

Topografia
A topografia é um condicionante ambiental bem aproveitado pelos arquitetos, como citado anteriormente na tipologia o andar térreo tem formato em L afim de interligar a parte mais alta do terreno com o pavimento superior, além disso os arquitetos aproveitam de maneira criativa os taludes, trazendo rampas para motocas, mirantes e escorregadores.
Acessos
Acesso Principal
Acesso Serviços
Acesso pesquisadores
Acesso área de convívio
Escritório de pesquisas
Área aberta de recreação
Espaço comunitário
Banheiro
Cozinha
Sala de atividades
Sala do soninho
Hall
Como demonstrado nas plantas os cômodos possuem ótima iluminação, com excessão aos banheiros e cozinha que não a possuem. A maior parte das aberturas se encontram a sul e leste, porém no andar inferior há forte insolão no sentido oeste, pois há panos de vidro sem brises.
Manchas na Implantação
Cheios e Vazios
Setorização
Edificação
Lote
Espaços de brincar
Calçadas/ rampas
Adição e Subtração
Adição
Subtração
Área de Lazer
A área de convívio entre as crianças é um espaço muito bem arquitetado, ele oferece diversos equipamentos para as crianças usufruirem, dando a elas liberdade, é um espaço rico em atividades, proporciona conforto.
Devido a creche localizar-se dentro da universidade a mesma não fornece vagas de estacionamento e está a apenas um minuto do terminal de integração da SFU University. Também é facilmente acessivel a pé pelos moradores atuais e futuros da comunidade.
A creche possui barreiras físicas, como cercas e vegetações para proteger o local.
Sustentabilidade
A creche faz parte de um programa Living Building Challenge (semelhante ao LEED), os arquitetos buscaram implantar as diversas tecnologias de reuso da água pluvial, aquecimento da água e a geração de enegia, quais incentivam as crianças à pratica da mesma.
A linha pedagógica propõe essa linha mais ambiental, como parte do ensino o contato com a natureza e utilização de material naturais são a sua essência.
O projeto resultou em uma rede de enegia-zero, bom reaproveitamento de água, ventilação natural e grandes panos de vidro garantem a iluminação natural.
O paisagismo contém espécies nativas, preservadas durante a construção da escola.
Devido o uso com maior frequência das esquadrias de vidro e da madeira, a escola apresenta um ritmo, os materias foram usados harmonicamente. O pé direito desta sala demonstra a escala visual, trazendo a sensação de grandiosidade.
Ritmo
Brise fachada sul
Cor
A cor é um ELEMENTO MODIFICADOR no ambiente escolar, ela foi usada harmonicamente com a madeira elemento natural. O amarelo é a cor da energia e inteligência, é atrativa, estimula o sistema nervoso, transforma o pessimismo em otimismo e representa expansividade em ambientes escolares.
Ritmo
ESTUDO DO TERRENO
A quadra 02 está localizada à norte no loteamento Monte Verde, o lote institucional está próximo a via arterial Albino Sá Filho, onde há linhas de transporte público, posto de saúde e área verde. Suas dimensões são 127,90m (Norte), 79,11m (Oeste), 129,15m (Sul) e 77,08m (Leste) totalizando em uma área final de 9.965,57m².
Lote com medidas, desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Volumetria do terreno, desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Volumetria do terreno, desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Volumetria do terreno, desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Volumetria do terreno, desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte do terreno 1 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte do terreno 2 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte do terreno 3 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte do terreno 4 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte da rua 5 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte da rua 6 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte da rua 7 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
Corte da rua 8 , desenvolvido no Archicad 18 (2015)
S/E
LEGISLAÇÃO
Conforme o Art. 72 do Plano Diretor de Chapecó
A Área Especial de Interesse Institucional
- AEIT, corresponde às áreas públicas, destinada à implantação e manutenção de equipamentos públicos urbanos e comunitários e a execução de projetos, programas e ações.
CENTRO DE SAÚDE DA FAMÍLIA
LOTE INSTITUCIONAL

TEMÁTICA
A temática escolhida pra Projeto Arquitetônico IV foi escola infantil, a qual abriga crianças de 0 a 6 anos. Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996) define que a educação infantil deve ser oferecidas em creche ou em entidades equivalentes, para crianças de 0 a 3 anos de idade, e em pré-escola, para crianças de 4 a 6 anos.

Devido a implantação do novo loteamento Monte Verde, criou-se a necessidade de equipamentos comunitários, justificando assim a criação da creche no extremo norte do loteamento, o lote é tangenciado pela via arterial Albino Sá Filho e está próximo à unidade de saúde, área verde e ao conjunto habitacional de interesse social.

CÁLCULOS
Planta Térrea:
4 317,96m² (área edificada e marquises)
Planta Superior:
455,68m²
Área do Terreno:
9985.56m²


CA= 4 773,64/9 985,56 = 0,47.

TO base= 4 317,96/9 985, 56 = 0,43: 43%
TO torre= 455,68/9 985,56 = 0,04: 4%
http://portal.inep.gov.br/educacao-infantil
FONTE: www.chapeco.sc.gov.br
Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E
Croqui esquemático desenvolvido na disciplina Desenho Urbano II (2015/1)
S/E
Croqui esquemático desenvolvido na disciplina Desenho Urbano II (2015/1)
S/E
Conjunto Habitacional
Via Albino Sá Filho
Unidade de Saúde
Área Verde
PRÉ - DIMENSIONAMENTO
FLUXOGRAMA
Disponível em: https://todomundodigital.wordpress.com/2011/10/12/relembrando-a-infancia-dia-das-criancas/. Acesso 19 ago. 2015.
CONCEITO - SIGNOS
O universo infantil é composto por um mundo lúdico, onde a criança conhece o mundo e suas tecnologias, para isso, os signos surgiram para ajudar, segundo um famoso autor Vygotsky os signos fazem parte de um processo de aprendizado que é mediado pela linguagem humana, ele auxilia no processo psicológico e em ações concretas.
Os signos são representações que nos auxiliam em tarefas de memorização, faz parte de um processo individual e amplo de cada criança. Segundo o autor, o desenvolvimento e aprendizado acontecem com a interação com o outro.
"Ela possibilita libertar-se do espaço e do tempo presentes, fazer relações mentais na ausência das próprias coisas, fazer planos e ter intenções", escreve Marta no livro Vygotsky: Aprendizado e Desenvolvimento, um Processo Sócio-Histórico.

Disponível em: http://www.soudapromessa.com.br/pensando-em-algo-para-a-semana-da-crianca/. Acesso 19 ago. 2015.
DIRETRIZES
- Criar salas de aulas bem iluminadas e arejadas.

- Propor salas de recreação para os alunos.

-Propor estratégias bioclimáticas, afim de otimizar o ambiente escolar.

-Criar uma oficina culinária, para estimular a criatividade e gerar o conhecimento dos alimentos, ajudando a desenvolver os sentidos.

-Promover o contato das crianças com o meio ambiente.

-Criar um espaço de convívio com crianças de diferente idades, para promover a troca de conhecimentos.

-Criar ambientes coloridos que estimulem a criatividade e o aprendizado das crianças.

SETORIZAÇÃO
Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E
Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E
JUSTIFICANDO O PARTIDO ARQUITETÔNICO
O partido sugiu através de blocos singulares, que acolhem como um todo a área de convívio. A transformação da forma representão os signos.
Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E
Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E
A disposição dos setores levaram em consideração a insolação:
- Berçários a norte, devido aos nenes precisarem tomar banho de sol no verão.
- Creche e Pré-escola, formato circular recebe todas as orientações.
-Refeitório a norte, mantém o ambiente bem iluminado, aproveitando ao máximo a iluminação natural.
-Cozinha e apoio a oeste e leste.
-Biblioteca, formato circular recebe todas orientações.
- Serviço e administrativo, norte e leste.
-Auditório, oeste e leste.

Croqui esquemático desenvolvido pela acadêmica
S/E

Após a setorização foram dispostas 3 entradas, a entrada para os berçarios (norte) separada da principal, desta forma organizando melhor o fluxo das mães que trazem seus filhos . A entrada principal (leste) para os demais alunos, professores e funcionários, onde será trabalhado no lote a parada do onibus escolar, e a entrada de bebidas e alimentos na cozinha (oeste), a qual está junto com o bolsão de estacionamento.
Devido a creche e pré-escola estarem em um bloco circular, criou-se a possibilidade de distribuír as salas e laboratórios nas laterais e a parte central se tornou uma sala multiuso, onde em amarelo estão dispostos claraboias para iluminação natural do ambiente (o refeitório conta também com claraboias).
Como citado anteriormente os berçarios foram locados a norte, o solarium foi criado separado da sala em si, foi disposto em frente com aberturas na parede e teto, para entrada de iluminação natural. A biblioteca conta com um jardim em seu miolo.
Para dia de chuvas foi criado uma marquise em laranjado, que acompanha os alunos até a entrada do edifício.

Elevação Sul
Elevação Oeste
Elevação Norte
Elevação Leste
Rampa para motocas
Auditório:
Optou-se trabalhar com um bloco maciço
sem aberturas (climatizado)
Sala multiuso disposta no edifício com a creche e laboratórios.
Entrada principal
Desembarque de ônibus escolar
Entrada principal
Entrada Berçário
Refeitório
Solárium
Bolsão de estacionamento e acesso carga e descarga
Biblioteca
Jardim, interior da biblioteca
Barreiras coloridas, afim de separar o edifício com a área de convívio, traz alegria ao local e estimula a criatividade.
Playground
Playground
Marquise criada para proteger as crianças em dias de chuva
Marquise
Claraboias
Jardim
Espaço para leitura e jogos
Full transcript