Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TRABALHO

No description
by

Mercia Capistrano

on 17 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TRABALHO

TRABALHO
ORIGENS DA POT
Partiremos do momento histórico em que o trabalho está organizado no sistema capitalista, uma vez que este revolucionou as relações de trabalho, que passa a ser visto como mercadoria:
o trabalhador vende sua força de trabalho a um proprietário dos bens de produção
.
Mas não funcionou de maneira harmoniosa; o capitalismo nasce de uma reorganização social que promete a inclusão dos desfavorecidos, mas o que se vê, de imediato, é uma promessa de igualdade e, ao mesmo tempo, a manutenção da diferença, gerando a
mais-valia
(diferença entre o salário e o valor da mercadoria).
Subjetividade X Trabalho X Adoecimento
Mesmo com a mudança do sistema as relações de classe continuam inalteradas, a tensão entre trabalho e capital se mantém, mesmo com a mudança de foco. No sistema ford-taylorista o trabalhador tinha pouca responsabilidade na produção. No toytismo é o trabalhador que auto controla sua produção, assumindo a responsabilidade nos resultados. Situação que gera desgaste pessoais,como o esgotamento nervoso em geral.
São doenças que podem ser identificadas com facilidade, mas de dificil cura.
A saúde do trabalhador é, hoje, uma importante preocupação que afeta as políticas públicas.
O AVANÇO ORGANIZACIONAL E AS RELAÇÕES DE TRABALHO NO PÓS-GUERRA
Entre as duas grandes guerras mundiais desenvolve-se o capitalismo tardio (fase madura do desenvolvimento capitalista). O processo não foi tranquilo, houve uma reorientação da economia, mudança da visão liberal-mercantil para a concepção monopolista e a intervenção do Estado como regulador do capital.
Nesse cenário ocorre o desenvolvimento industrial, a configuração das grandes corporações, aparece a figura do executivo, profissional supercapacitado para gerir os negócios no lugar do dono. Neste contexto, os trabalhadores também mudam, descobrem a força de sua união, criam entidades de classe organizada, reinvidicando seus direitos, a greve passa a ser a principal arma.
O trabalho e a consciência de nossa capacidade de transformar a natureza em nosso próprio proveito são eventos concomitantes e que se apoiam mutuamente para o desenvolvimento; construindo a consciência humana, que se supera qualitativamente adiquirindo nova compreensão de mundo.
INTRODUÇÃO
O mundo do trabalho é um importante tema de estudo interdisciplinar; isto porque se trata de um fenômeno que estrutura o próprio ser humano.
Várias teorias acreditam que a 'humanidade' surgiu com o trabalho.
A partir da linha de produção criada por Ford (1908), sistema rapidamente seguida pelas demais industrias, surge uma rápida mudança que exige trabalhadores treinados para tarefas definidas e repetitivas. Daí, antenado com as necessidades da época, Taylor organiza os princípios da administração moderna:
Planejamento, Preparação, Controle e Execução
A teoria de Taylor leva em consideração a produção e o ser humano passa a ser entendido como uma peça da engrenagem industrial.
O Trabalho e a Mudança do Processo Produtivo
Na década de 70surge a linha de produção da microeletrônica, porém a crise na década de 80 exige uma forte remodelação na administração das grandes empresas. Os recursos utilizados para solucionar a crise, envolvem equipamentos automatizados, qu exigem qualificação de quem os opera, inclusive com a educação formal mais completa.
Muda-se o sistema de produção para o toytismo (just in time: no tempo certo, o controle se realiza durante o próprio processo e não no final). Equipamentos informatizados, trabalhador mais qualificado, flexibilidade na operação do equipamento e possibilidade de mudança rápida do que é produzido, são caracteristicas do novo sistema.
O modelo produtivo, que fica conhecido como Taylor-fordista, e seus princípios inauguram, por volta de 1913, os estudos organizacionais conhecidos como Psicologia Industrial.
Inicialmente buscando trabalhar com a organização e controle do trabalhador para garantir produtividade máxima; somente a partir da década de 30, é que a visão do trabalho e dos trabalhadores passa a ser mais humanizada, deixando de ser 'engrenagem', o que não é muito, mas representa um avanço.
Acresce-se a esta visão outros autores e abordagens.
O Trabalho e a Mudança no Processo Produtivo
Há uma redefinição do contrato de trabalho: terceirização, precarização do contrato, flexibilização do horário, exugamento de pessoal são agora os problemas dos trabalhadores.
Do ponto de vista psicológico, isto causa um impacto direto na saúde do trabalhador, surgindo as doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho (DORT´s), como a síndrome de burnout, LER, assédio moral, etc.
TRABALHO
É uma ação determinada e deliberada de transformação da natureza, utilizando instrumentos, com a finalidade de suprir necessidades humanas.
A exploração do trabalho e do trabalhador em um sistema que prometia pagamento justo pelo tempo e pela tarefa executada e a ocultaçãodessa condição é a fonte do conflito de classes na sociedade capitalista.
Novo cenário instaurado, a maior sofisticação tecnológica na produção exige maior qualificação dos trabalhadores. O que demanda uma estabilidade nos empregos e a participação dos Psicólogos Organizacionais no processo, se fazia necessa´rio diminuir a rotatividade ao máximo, evitando gastos com treinamento de pessoal. Tais fatos estabelecem o surgimento da área de Treinamento & Desenvolvimento como prática dos Psicólogos na Organização.
No Brasil...
O processo também ocorreu, mas bem tardio, somente a partir da Revolução de 30 é que se inicia a industrialização de peso. Com isso nossos trabalhadores não estavam preparados para a mudança, a solução encontrada, a nível governamental, foi a criação do SENAI - escola de formação profissional. A capacidade limitada de investimento social do país forçou as empresas a assumir a educação dos trabalhadores, o "sistema S" surge com esta finalidade.
Novas Exigências na Administração
de Pessoas
Toda uma rede interdisciplinar de profissionais buscam adequação ao novo sistema de trabalho considerando que as mudanças acontecem disformes.
A virada para o século XXI traz um período que fica conhecido de reestruturação produtiva; exige-se, aora, uma eficiente administração de pessoas, gerando uma novo modelo de gestão.
Este modelo é baseado na gestão do conhecimento, trabalha com a noção de competência, necessário o desenvolvimento de habilidades e conhecimentos de caráter geral.
O setor de Recursos Humanos (RH) está mais preocupado com as estratégias de desenvolvimento e formação de seus quadros e não somente com ações que buscam a pessoa certa no lugar certo. Assim, intensifica a importância do treinamento e formação.
O antigo papel do Psicólogo aplicador de teste para seleções é transformado na função de um gestor de pessoas que se preocupa com a escolha profissional, com o processo de decisões, com a formação do trabalhador, focando os problemas inerentes a estas situações.
Economia Solidária e Corporativismo
Ao perder o controle da produção, o trabalhador se aliena. Ele agora trabalha pelo salário e não mais pelo objetivo do que é produzido. Ele não se interessa mais pelo produto como um todo, mas somente pela parte relacionada a sua tarefa. A economia solidária surge como alternativa a este comportamento.
A proposta da Economia Solidária é formar uma rede de produção e consumo fora do sistema capitalista de produção, privilegiando as redes comunitárias e garantindo o suprimento das necessidades básica; formando, para isso, um circuito de produção e distribuição que evita o dinheiro como base de troca.
Dificil!
Utópico? Impossível?
A alternativa para esta realização é apresentada no Cooperativismo.
A cooperativa é uma forma de autoemprego e pode organizar trabalhadores desempregados e outros em situação de precariedade.
A idéia é construir uma rede alternativa de produção e consumo e caminhar para sistematização da economia solidária.
Referência:
BOCK, A.M.M.B. Psicologias: uma introdução ao estudo da Psicologia. 14ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2008 - cap. 17 Trabalho
Full transcript