Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

IPCE 2018 Programa de Desenvolvimento Emocional

No description
by

Inês Vinagre

on 4 May 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of IPCE 2018 Programa de Desenvolvimento Emocional

Competências Emocionais
Capacidade de reconhecimento, utilização e regulação das emoções, de forma eficiente e produtiva, permitindo uma interação eficaz com o meio e a resolução competente de situações problemáticas (Goleman, 2006)
Programa de Desenvolvimento Emocional
Destinatários
: crianças com entre os 4 e os 10 anos
Sessão
Gerir emoções para gerar comportamentos: Programa de Desenvolvimento Emocional
Identificação e compreensão das emoções básicas
Diferenciação emocional
(nomeação de estados emocionais específicos)
Regulação Emocional
Estrutura (após diagnóstico de necessidades inicial)
:
10 sessões de 45 minutos
(ajustável)
Exploração de uma história ou jogo
Atividade de consolidação - Individual
Porquê?
Um programa de intervenção
Contexto de trabalho
Pedidos de avaliação
Fase determinante para a prevenção
Atividade de grupo
Muito obrigada
pela vossa atenção
inesvinagre.psicologa@gmail.com
919657667
TRISTEZA
Estar triste não é estar deprimido! Perante determinados acontecimentos de vida é expectável que a criança fique triste e que chore.
O choro é uma resposta ativa e saudável à necessidade do luto de algo (ente querido, animal, afastamento de alguém) que ela perdeu e é importante que o faça quando está triste.
RAIVA
ZANGA
A raiva tem como função a nossa defesa quando estamos perante situações que são injustas ou em que os outros ultrapassam os nossos limites. Desta forma, a raiva gera força e energia para enfrentar uma situação frustrante. É importante que as crianças sintam e saibam manifestar esta emoção de modo que não sejam subjugadas perante a vontade de terceiros.
O medo sinaliza que algo não está bem no nosso ambiente; diz-nos que estamos em perigo e que precisamos de nos proteger, daí que seja fundamental que as crianças o reconheçam. Através do medo preocupamo-nos e adotamos comportamentos que garantem a nossa segurança. O nosso corpo fica preparado para fugir, lutar ou ter uma resposta de imobilização.
MEDO
A alegria é um reforço natural do nosso comportamento, pois está associada de forma direta com o prazer e a felicidade. O facto de as crianças sentirem alegria em determinadas situações aumenta a probabilidade de encetarem novamente nos comportamentos associados a essa emoção.
ALEGRIA
emoções
As emoções são as estruturas que guiam as nossas vidas, especialmente nas relações com os outros.

Componente informativa/auto-reguladora
Informam-nos dos nossos estados internos e motivam-nos para responder às nossas necessidades no momento.

Componente comunicacional
Informam os outros de como nos sentimos e incitam a que reajam conforme as emoções que pressentem em nós.


Componente motivacional e de acção
As emoções estabelecem objectivos prioritários e organizam-nos para acções específicas.
Não é anular as nossas emoções mais desconfortáveis/desagradáveis ou deixar de as ter de todo, mas poder regulá-las. Experienciar uma emoção não implica necessariamente agi-la, e mesmo expressá-la não tem de ser feito de uma forma dura e inapropriada.

Regulação da experiência emocional
Permitirmo-nos aceder às nossas emoções, entrarmos em contacto com elas, para as podermos simbolizar (dar-lhes um significado coerente) e integrá-las na nossa visão de nós próprios (reconhecermos que elas fazem parte de nós).

Regulação da expressão emocional
É importante gerir quando, nem sempre os outros estão disponíveis ou eu estou preparado, e gerir com quanto controlo da minha parte: se me controlo demasiado e não expresso de todo o que sinto, fico com as minhas emoções entaladas e não dou a possibilidade ao outro de vir ao encontro das minhas necessidades; se não controlo de todo a expressão das minhas emoções, dificilmente reparo nos sinais do outro de que não está no momento disponível e corro o risco de o sobrecarregar e afastá-lo, ou que reaja negativamente.
Regulação Emocional
relato ambíguo da experiência emocional
("sinto-me bem" ou "sinto-me mal")
vs
identificação concreta das emoções

("sinto-me entusiasmado", ou "sinto medo")


PERMITE:

Conhecer mais especificamente as
causas
de experiências emocionais (Erbas, Ceulemans, Koval, & Kuppens, 2015)
Identificar os
comportamentos
necessários para
reduzir
ou
melhorar
essa experiência
Responder
mais adequadamente aos eventos e
lidar funcionalmente
com as emoções resultantes (Barrett et al., 2001)
Garante o
acesso a informação
necessária para selecionar e utilizar
estratégias
apropriadas de
regulação emocional
(Barrett et al., 2001; Kashdan, Barrett, & McKnight, 2015).
Este programa é baseado na tese das 6 emoções Ekman, contudo exploramos somente 4 emoções básicas (alegria, tristeza, raiva e medo) tendo em conta o
estudo de Jack, Garrod e Schyns (2014)

Analisou as expressões faciais associadas a cada uma das seis emoções, concluindo que as que estão associadas à raiva e nojo, bem como ao medo e à surpresa são as mesmas.
Assim, sugerem a existência de
4 categorias emocionais:

alegria
tristeza
medo/surpresa
raiva/nojo
Regulação da
experiência
emocional
Regulação da
expressão
emocional

CONCLUSÕES

Até ao momento, temos percebido que a implementação do programa tem permitido aos participantes: conhecer e ampliar o seu o
vocabulário emocional
;
compreender as emoções no próprio e nos outros
. Estas competências fundamentais permitirão que se desenvolvam
estratégias para regular
eficazmente as emoções e para
estabelecer relações ajustadas
com os outros, desenvolvendo interações que contribuam para o seu
bem-estar
. Considerando ainda que as competências sociais e emocionais surgem intrinsecamente ligadas, esperamos que os ganhos alcançados com a participação no programa, sejam alicerces para uma
integração social adequada e de qualidade na escola
, permitindo a construção de
relações mais colaborativas, empáticas e compassivas
com os outros.
CALMA
Full transcript