Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

A Criatividade no Processo de Projeto

No description
by

Erica Pinto

on 16 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Criatividade no Processo de Projeto

HISTÓRICO
CONCLUSÃO
A criatividade é uma habilidade que pode ser cultivada e treinada.
MÉTODOS
INTRODUÇÃO
CRIATIVIDADE NO PROCESSO DE PROJETO
A Criatividade no Processo de Projeto
Criatividade
"
Criatividade
denota a capacidade de uma pessoa de
produzir idéias
, concepções, invenções ou produtos artísticos novos ou originais. Essa capacidade envolve uma interação entre características pessoais, como habilidade de pensamento e raciocínio, e características do ambiente, como valores culturais e sociais e oportunidade para expressão de novas idéias".
(ALENCAR, 1996 apud BIANCHI, 2008)
Exemplos
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PROJETAÇÃO ARQUITETÔNICA

ÉRICA VIRGÍNIA PINTO DE SOUSA
“Se damos prioridade às
regras
, fica difícil explicar como acontecem as novas idéias. Se
damos prioridade à
intuição
, às percepções e aos julgamentos subjetivos, fica difícil
explicar como projetistas constroem repertórios de conhecimento largamente utilizáveis.
Projeto arquitetônico seria então uma prática híbrida
em que a solução de problemas
necessária para a construção de edifícios funcionais se sobrepõe e interage com o
desenvolvimento de obras de arte arquitetônicas.”
(SCHÖN, 1988)
Fonte: http://psicologiadospsicologos.blogspot.com.br/2012/05/razao-versus-emocao.html. Modificado pela autora.
"Os conceitos de criatividade e processo criativo em projeto arquitetônico ainda hoje são
pouco
definidos
, mesmo que considerados essenciais no trabalho do arquiteto.
Há quem pense que a
criatividade é um talento inato
, que não pode ser adquirido ou melhorado, e que o processo criativo
se resume a um estalo de iluminação, de onde magicamente surge uma idéia nova e surpreendente."
(ALENCAR, 1996 apud BIANCHI, 2008)
Fonte: http://cad.cursosguru.com.br/novidades/utilizacao-softwares-ensino-arquitetura-e-urbanismo/
Fonte: http://www.leandroteles.com.br/artigos/curiosidades/criatividade-5-dicas/attachment/empreendedor-criativo/
Platão

Criatividade como Inspiração Divina
Criatividade como Loucura
Criatividade como
Gênio Intuitivo
Renascimento
Século XVI
Século XIX
Criatividade como Força Vital
Teoria da Evolução - Darwin
Associacionismo
Wilhelm
Wundt
Teoria da Gestalt
Século XX
Teoria Psicanalítica
Sigmund Freud
Cognitivismo
"Uma forte expressão dessa crença é atribuída a Platão, que ao referir-se aos poetas considerava que “não são eles que proferem as palavras de tanto valor quando se encontram fora de si, mas que é o próprio Deus que fala e se dirige por meio deles”." (KOWALTOWSKI, 2011)
A criatividade também foi concebida como uma forma de loucura, "em virtude se sua
aparente irracionalidade e espontaneidade
. Para Platão haveria pouca diferença entre o frenesi da loucura e a visitação divina." (KOWALTOWSKI, 2011)
"explicar a capacidade de criação de Da Vinci e Miguelangelo." (KOWALTOWSKI, 2011)
"influenciada pela teoria da evolução de Darwin a criatividade
foi tomada como manifestação de uma
força inerente à vida
." (KOWALTOWSKI, 2011)
"No associacionismo o pensamento consiste em
associação de idéias
, das mais simples
para as mais complexas. Para se criar algo novo, se parte do conhecimento adquirido, em um
processo de tentativa e erro, até que através da associação de idéias se encontre uma combinação
que constitua solução para a situação." (BIANCHI, 2008)
"Essa teoria afirma que o pensamento criador é uma reconstrução das gestalt (em alemão, configurações) deficientes e incompletas. O pensador deve
perceber o problema como um todo e entender sua dinâmica
a fim de reestruturá-lo. Segundo essa teoria
não é possível ter conhecimento
do todo através das partes, e sim das partes através do todo
." (BIANCHI,2008)
"Nessa teoria a criatividade estaria relacionada à
imaginação
ou representação mental, que estaria presente nas brincadeiras e nos jogos da infância. Kneller (1978) afirma que para Freud, a criatividade origina-se de
um conflito no inconsciente
, sendo que
se a solução obtida para este conflito for aceita pelo ego – ou consciente - temos um comportamento criador
." (BIANCHI,2008)
"Todo trabalho criativo tem regras e a ciência cognitiva busca
identificar estas
regras
através do detalhamento do processamento de informações para o
delineamento e solução de um problema." (GARDNER,1999 apud BIANCHI,2008)
Padrões do Pensamento
Década de 40 - Joy Paul Guilford: propunha que havia uma distinção entre dois padrões de pensamento: o convergente e o divergente

O
divergente
se move em várias direções em busca da resposta, o que produz uma gama de soluções adequadas.
O
convergente
visa diretamente a uma única possibilidade correta de solução para determinado problema.
Fonte: http:/ criatividadeaplicada.com/2013/04/06 pensamentos-convergente-e-divergente-o-yin yang-da-criatividade/
Traços característicos do pensamento criativo (Guilford (1968)):

Fluência
Flexibilidade
Originalidade
Elaboração
Sensibilidade para problemas
Redefinição




Criatividade e os Hemisférios Cerebrais
Roger Sperry (1973): os hemisférios esquerdo e direito não processam as mesmas informações, mas dividem tarefas entre si.

O
hemisfério esquerdo
é responsável pelos processamentos
lógicos, analíticos e racionais
e processa todos os aspectos de comunicação tanto verbal quanto a linguagem escrita e corporal. O
direito
é relacionado às funções
intuitivas, imaginativas, instantâneas
e à percepção global dos fenômenos, ocupando-se do material não verbal, como imagens, melodias e percepções espaciais. Deste modo, as soluções intuitivas encontradas pelo hemisfério direito são provadas de forma lógica pelo esquerdo.

A criatividade utiliza o "Cérebro Total":
“Na realidade enquanto a
metodologia clássica
de projeto parte da
análise para a síntese
(das necessidades à concepção do programa e à formulação espacial),
o arquiteto
, na prática, trabalha de
maneira inversa
:
de uma síntese figurativa preliminar num primeiro momento, passando à análise programática e técnica e retornando então novamente à síntese
na qual todos os dados preliminares se encontram articulados em uma solução espacial.”(GOUVEIA,1998 apud BIANCHI, 2008).
Livro: O Processo de Projeto em Arquitetura: Da Teoria à Tecnologia
Texto:
A Criatividade no Processo de Projeto

- Doris C. C. K. Kowaltowski - Graduação (Universidade de Melbourne), Mestrado e Doutorado (Universidade da Califórnia) em Arquitetura e Urbanismo
- Giovana Bianchi - Graduação e Mestrado (Unicamp) em Arquitetura e Urbanismo
- João R. D. Petreche - Graduação, Mestrado e Doutorado (USP) em Engenharia Naval e Oceânica


Dissertação de Mestrado:
Métodos para Estímulo à Criatividade e sua Aplicação em Arquitetura

Giovana Bianchi
Orientadora: Doris C. C. K. Kowaltowski

"
O projeto
é o resultado do
desenvolvimento de uma idéia
, ou seja, seu produto final, o que em arquitetura equivaleria às plantas, cortes, elevações e demais desenhos e documentos necessários para a construção de um edifício. Porém o projeto é um
processo dinâmico
e contínuo em que, mesmo após iniciada a obra, podem ocorrer alterações, complementações e correções. Este processo
é cíclico e pode ser infinito
, sob o aspecto de que pode ser sempre prolongado, reavaliado e aperfeiçoado." (BIANCHI,2008)


“O processo projetivo total inclui duas estratégias:
análise e síntese
. Na análise, os componentes do projeto são separados e identificados. Na síntese, os componentes se juntam para formar uma solução de projeto coerente. Você pode não perceber o processo de projeto arquitetônico em termos de análise e síntese. Você pode considerá-lo como um esforço criativo. Mas
o esforço criativo inclui estágios similares: análise se torna preparação e síntese se torna iluminação
.
O processo projetivo total é realmente um processo criativo
” (PEÑA; PARSHALL, 2001 apud BIANCHI, 2008).
O processo de projeto em arquitetura é dificultado pela
ambigüidade, pela indefinição do problema em si e muitas vezes pela falta de informações
, requisitos ou parâmetros norteadores. São muitas as variáveis (sociais, culturais, legais, funcionais, conforto ambiental, estéticas, econômicas, psicológicas, tecnológicas, entre outras) e escalas (regionais, urbanas, do edifício ou do objeto) envolvidas em sua concepção.
Fonte: http://futuro-do presente.blogspot.com.br/2011/03/lados do-cerebro.html
Fonte: BIANCHI,2008
Vertical

Horizontal
As etapas das atividades
Fases para tomada de decisão
definição do programa de necessidades,
estudo de viabilidade,
estudo preliminar,
anteprojeto,
projeto executivo e o
produto final, ou seja, o edifício.
Ambos os ciclos, tanto horizontal como vertical, são realizados repetidamente
até se alcançar a solução final.
Fonte: ROWE,1995 apud BIANCHI, 2008.
Fonte: http://arquitetablog.blogspot.com.br/
Jones (1970) apud Bianchi (2008):

*
Caixa Preta
- gera soluções criativas mas não é capaz de explicar como isso acontece, os métodos serão focados em facilitar e apoiar o processo criativo nebuloso.
*
Caixa Transparente
- cada etapa é descrita e explícita, os métodos tendem a ser mais sistemáticos e focar a decomposição dos problemas em subproblemas.
*
Sistema Organizado
- o projetista possui habilidades para buscar idéias e soluções, combinada à avaliação de seus próprios processos. Esta visão é a mais aplicada atualmente e seus métodos dão suporte ao pensamento abstrato e às reflexões e estratégias do projetista.
Fonte: BIANCHI,2008.
Métodos Criativos
- técnicas que são utilizadas deliberadamente para
facilitar o processo
de decisão através do uso da habilidade criativa dos indivíduos. As técnicas de criatividade podem ser utilizadas durante o processo de decisão para aumentar a quantidade e qualidade das alternativas e assistir à análise e comparação de soluções. (SUMMERS E WHITE,1976 apud BIANCHI, 2008).
Alguns já utilizados no processo de projeto em arquitetura: Cenários Alternativos, Analogias, Folheando, Charette, Tabelas Comparativas, Fazer Nada, Rabiscando, Excursões, Metáforas, Focando, Checklists, Lista de Prós e Contras, Imagens como Gatilho de Idéias, Provocação, Fluxogramas, Mapa Mental e Visualização.


Fonte: BIANCHI,2008.
grande parte dos métodos já utilizados baseia-se em estímulos visuais. - necessidade de utilização de técnicas verbais ou escritas.

Métodos para Definição do problema
: apóiam as
etapas de análise
, redefinição e todos os aspectos associados à definição clara de um problema.
Métodos de Geração de Idéias: estimulam o processo divergente de gerar idéias.

Métodos de Seleção de Idéias
: apóiam o
processo convergente
de julgamento e escolha da melhor solução dentre as encontradas.

Métodos de Verificação de Idéias
: contribuem na
revisão e análise crítica
da idéia selecionada, buscando aplicar melhorias.
Fonte: BIANCHI,2008.
A
Lista de Atributos
envolve um processo de decomposição e
quebra do problema em partes menores
que podem ser examinadas individualmente. A partir do foco direcionado a cada uma dessas partes, é possível encontrar novas soluções criativas.

-um inventário
em forma de lista
com todos os aspectos que dizem respeito ao tema estudado, como: materiais utilizados, dimensões, tecnologias, processos, necessidades.
A
TRIZ
, Teoria da Solução Inventiva de Problemas, consiste em
estruturar o problema em um problema genérico
possível de ser resolvido através de 40 princípios básicos usados em patentes. O objetivo é
resolver as contradições de projeto

sem que as decisões tomadas acarretem em outros problemas
. Deste modo, as implementações e inovações são feitas até que o sistema atinja seu máximo desempenho.
Fonte: PRINCÍPIOS INVENTIVOS (PIs) BIANCHI,2008.
Fonte: KIATAKE, 2004 apud BIANCHI,2008.
APLICAÇÃO EM ARQUITETURA
A base do
brainstorming
é a geração de idéias em grupo pelo princípio de suspensão do julgamento inicial.

primeira fase - geração de idéias
segunda fase - avaliação de idéias
Fonte: http://spin.atomicobject.com/2013/01/08/innovation-brainstorming/
Mapa Mental
(Mind Map) é um diagrama usado para representar palavras, idéias, tarefas ou outros itens ligados a um conceito central e dispostos radialmente em volta deste conceito. Os elementos se organizam em torno de um
tema central
de acordo com sua importância criando grupos, ramificações ou áreas. É usado principalmente para
gerar, visualizar, estruturar e classificar idéias
na busca de solução de problemas ou tomada de decisão.
Fonte:http://ydksp.blogspot.com.br/2010/09/mind-map.html
A
Analogia
consistem em propor uma
identificação de conceitos
comuns entre problemas
conhecidos e desconhecidos.

O requisito essencial para o pensamento analógico é a habilidade de enxergar as
situações padrões
que se encaixam ao problema em questão.
Fonte: http://www.o-que-e.com/o-que-e-analogia/
O
Bio Mimetismo
(Biomimicry em inglês) é um método derivado da analogia onde seu foco de interesse é encontrar
modelos na natureza
para imitar ou inspirar a solução de problemas.

- não se resume às analogias formais, mas sim à busca de organismos ou estruturas naturais (e seu
funcionamento
) que solucionem certos problemas projetuais.
Fonte: http://revistaplaneta.terra.com.br/media/images/large/2010/12/01/img-249316-.jpg
Bio Mimetismo
Imita a forma dos cupinzeiros africanos para manter constante a temperatura interna, apesar das grandes variações de temperatura da região. O centro utiliza o ar frio da noite para resfriar a massa do edifício, e durante o dia este ar sobe do térreo em direção aos pavimentos superiores através de chaminés.
Arquiteto: Mick Pearce
Local: Zimbábue
Eastgate Center
Fonte: http://ehp.niehs.nih.gov/121-a18/
Um organismo vivo no meio urbano, um ponto turístico e o símbolo da arquitetura do futuro. Pensado para a cidade de Taichung, em Taiwan, ele é imune a terremotos e ventos fortes, e deve formar uma complexa estrutura de praças, museus, geradores de energia limpa, elevadores panorâmicos, paisagismo e calçadas. A inspiração vem de todos os lugares de fauna e flora: padrões de crescimento de células, das flores, das plantas e das brânquias de peixes.
Fibrous Tower
Estúdio Austríaco de Design - Soma
Local: Taiwan (NÃO EXECUTADO)
KOWALTOWSKI, Doris C. C. K. et al (Org.). O Processo de Projeto em Arquitetura: da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. 504 p.

BIANCHI, Giovana. Métodos para Estímulo à Criatividade e sua Aplicação em Arquitetura. 2008. 131 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

KIATAKE, Marly. Modelo de Suporte ao Processo Criativo em Arquitetura: Uma Aplicação da TRIZ - Teoria da Solução Inventiva de Problemas. 2004. 138 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Civil, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

CARICATTI, Túlio. A natureza cria, a gente copia: Torre-planta, músculo-tromba, trem-pássaro e adesivo-lagartixa: Cientistas encontram nos seres vivos as tecnologias para um futuro sustentável. Revista Galileu, São Paulo. Disponível em: <http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT303674-17773,00.html>. Acesso em: 10 abr. 2014.

FRANCO, José Tomás. Arquitetura Biomimética: o que podemos aprender da natureza?. 2013. Disponível em: <http://www.archdaily.com.br/br/01-157662/arquitetura-biomimetica-o-que-podemos-aprender-da-natureza>. Acesso em: 09 abr. 2014.

Triz
Museu Solomon R. Guggenheim
Arquiteto: Frank Lloyd Wright
Local: Estados Unidos (NY)
Principal requisito funcional do projeto: Inovação

Meio Ambiente do Sistema:
- O museu interage com seu entorno imediato (Manhattan)
-O museu faz parte do supersistema de Nova York
- O museu tem como meio ambiente de alívio a proximidade ao Central Park

Restrições:
- Negação aos projetos anteriores de museu
- Condições Locais (ruídos, congestionamento...)
- Código de construção local

Objetivos:
- Impacto Visual
- Impacto Conceitual
- Conforto visual e acústico

Resultado Final Ideal:
- Um espaço novo, sem precedentes, que estabeleça um "templo do espírito, um monumento".
6. UNIVERSALIZAÇÃO
Rampa
Fonte: http://3.bp.blogspot.com/-Onq_iDThzAc/TuJfkaX6SZI/AAAAAAAAAGg/_A0gKIt3n-0/s1600/solomon-r-guggenheim-museum-new-york1.jpg
Fonte: http://4.bp.blogspot.com
13. INVERSÃO
- O museu é um zigurate invertido
- O elevador: conduz ao princípio inverso dos museus tradicionais
Fonte: http://ad009cdnb.archdaily.net
14. RECURVAÇÃO
A rampa em espiral permite a visualização de
várias baías de exposição simultaneamente
Fonte: http://wirednewyork.com
18. VIBRAÇÃO MECÂNICA
Impacto visual - construção com elementos curvos dentro da grade retilínea de Manhattan
Fonte: http://www.visitenovayork.com.br
BIBLIOGRAFIA
Analogia
Sarpi Border Checkpoint
Escritório Alemão J. Mayer H. Architects
Local: Geórgia
ondas do mar
Fonte: https://m1.behance.net
Fonte: http://revistagalileu.globo.com
Fonte: http://images.paraorkut.com
Fonte: http://img833.imageshack.us

Teatro Municipal
Severino Cabral
Arquiteto: Geraldino Duda
Local: Brasil - Campina Grande (PB)
Formato de apito/bico de flauta - simbolo de revolta e ao mesmo tempo de liberdade aos artistas Campinenses que enfrentavam um tempo de ditadura.
http://img843.imageshack.us
http://pbtem.com.br
Full transcript